conecte-se conosco


Destaque

Barulho no céu: o que a ciência diz sobre o fenômeno que tomou as redes sociais

Publicado

Destaque

 

mistério
Reprodução

Especialistas dizem se há explicação lógica ou científica para essa grande variedade de fenômenos estranhos ao redor do mundo

Uma das conseqüências do rápido isolamento social , causado pelo coronavírus, é que o nível de ruído ao ar livre foi reduzido drasticamente, a ponto de muitas pessoas estarem desfrutando do silêncio.

A falta de barulho também está permitindo que se ouça mais coisas que talvez não era possível antes. “Pode ser um avião que a pessoa não tenha visto; uma tempestade distante ou um trovão. A questão é que podem ser fenômenos que as pessoas não estão habituadas a ouvir”, explica Ricardo Ogando, astrônomo no Observatório Nacional no Rio de Janeiro.

Os sons, como ruídos e zumbidos foram relatados em muitos lugares ao redor do mundo. “Há algumas hipóteses para esse conjunto maior de barulhos ocorridos em 2020, mas nada conclusivo ainda. Esses barulhos, que lembram sons de trombetas, podem ter muitas causas  ocorrendo em diferentes lugares no planeta”, explica Daniel Rutkowski Soler, professor de Física da Universidade ESEG.

Esse parece ser o caso no Brasil, na Eslováquia, nos EUA e na Argentina, onde cidadãos preocupados  registraram estranhos fenômenos, compartilhando suas experiências nas redes sociais e, muitas vezes, assustando os outros.

Por aqui, há inúmeros relatos de pessoas ouvindo uma variedade de sons inexplicáveis ​​em todo o país. A expressão “barulho no céu” chegou a ficar nos trending topics do Twitter, apesar de órgãos públicos de monitoramento, como a Defesa Civil, não terem mencionado o fenômeno.

Segundo Dia Seguido o mundo escuta #barulhodoceu . É assustador… Veja ?️? pic.twitter.com/ABeX7nNRU5

— Pilha (@rubens_007) April 5, 2020

Neste mês, o site SoulAsk relatou sons de “trompete” em Bratislava, na Eslováquia. Mas os ruídos seriam mais parecidos com ” respiradores ” – como o utilizado pelo vilão Darth Vader na saga Star Wars – do que trompetes, de acordo com testemunhas.

Veja Também  Empresária de Marcelândia é uma das vítimas do acidente na BR163 outros 7 estão feridos

Uma explicação científica foi o movimento de placas tectônicas contra o microcontinente perdido da Grande Adria na Europa, embora não houvesse relatos de terremotos ou outros distúrbios sísmicos.

Esposa reclama por dois anos e marido improvisa jacuzzi em trator

Em Buenos Aires, o SoulAsk também relatou sons estranhos e inexplicáveis ​​de vários tipos, alguns dos quais perturbam os animais domésticos. Como não se teve nenhuma manifestação por especialistas, o acontecimento deu brechas para que sites teorizassem sobre a presença de humanóides.

“Estamos testemunhando a ‘grande migração’, eles (os humanóides) se infiltraram por décadas, mas agora estão se aproximando em massa, os sons registrados na cidade de Olavarria correspondem à abertura de um portal no qual permite que esses seres pode nos invadir de uma maneira mais cheia”, escreveu um dos sites.

Enquanto isso, nos EUA, sons estranhos foram gravados em Belton, Missouri, no sul da Filadélfia e na Pensilvânia. A teoria entre os internautas é que as torres de tecnologia sejam a fonte do ruído, mas não há evidências  que esse tipo de equipamento esteja fazendo qualquer tipo de barulho.

 

Afinal, o que a ciência pode explicar?

Uma das razões mais difundidas para os “barulhos oriundos do céu” seria o chamado ” skyquake “, ainda que não seja algo cravado cientificamente, como a teoria sobre “óvnis”, por exemplo.

Momento raro nos EUA: tornado atravessa um arco-íris

Eles seriam mais comuns em áreas litorâneas e teriam origens ou humanas ou científicas. “Os skyquackes podem estar relacionados, por exemplo, com a entrada de meteoroides na atmosfera, produzindo meteoros (estrelas cadentes) com som mais significativo. Podem ser o estrondo produzido por aviões atingindo a velocidade do som. Podem ser testes militares. Podem estar relacionados a instabilidades no campo magnético da Terra, que, devido a grandes quantidades de matéria, vindas do Sol e colidindo com essas zonas instáveis do campo magnético da Terra, produzam sons intensos. Há,

Veja Também  PM recupera carreta carregada de defensivo agrícola, motocicleta e dois carros em Cuiabá, Primavera do Leste e Nova Nazaré

portanto, muitas possíveis causas para os skyquakes”, esclarece o físico Daniel Soler.

Na verdade, esse tipo de fenômeno é algo que já aconteceu muitas outras vezes na história. Há registros que datam até do ano de 1800 . Inclusive, no ano de 2012, foi criado o site Hum , no qual se pode encontrar ocorrências desses sons vindos do céu em todo o planeta.

No entanto, de acordo com o astrônomo Ricardo Ogando, ainda são necessárias inúmeras pesquisas para se definir a origem desses fenômenos. “Um fator muito importante para a ciência (em uma investigação) seja barulhos no céu ou até mesmo o tratamento para o coronavírus é você ser capaz de produzir o resultado. E, quando ele é produzido, faz-se a chamada avaliação de pares, que é quando outro grupo de pesquisa tenta reproduzir o mesmo desfecho. No caso dos barulhos no céu, isso ainda não ocorreu. Temos uma pergunta sem respostas, apenas com teorias”, opina.

Segundo o físico Soler, porém, não há motivos para preocupação . “Nenhuma alteração na natureza, com que devamos nos preocupar agora, está por trás da ocorrência desses sons. Certamente, aliás, diversas outras questões, como o próprio coronavírus, a curto prazo, e o aquecimento global, a médio e longo prazos, por exemplo, nos demandam, elas sim, imensa quantidade de preocupação. Ou, pelo menos, deveriam demandar, e de toda a população global”, afirma o especialista.

 

Comentários Facebook

Destaque

Rotam desmonta quadrilha e recupera peças de celulares furtadas em tombamento na Serra de São Vicente

Avatar

Publicado

 

Equipes da Rotam prenderam nesta terça-feira (26.01), oito homens por formação de quadrilha, receptação, porte ilegal de arma de fogo, furto e tráfico de droga. Na ação, foram recuperados 71 frentes de celulares, 33 baterias e 90 placas de aparelhos. E apreendidas duas espingardas de calibres 22 e 28, uma pistola calibre 22, nove celulares, 17 munições e porções de maconha e cocaína.

Os policiais realizavam patrulhamento e foram informados que um grupo de pessoas estaria em um lava jato, no bairro São João Del Rey, vendendo e comprando peças novas de celulares.

No local estavam cinco homens, sendo que um deles confirmou a informação e contou que as peças foram furtada de um caminhão tombado na Serra de São Vicente, na segunda (25). Parte do material foi encontrada em sua casa e o restante teria dividido com outros homens que moravam em chácaras na Serra de São Vicente.

No imóvel denunciado, o proprietário confirmou o crime e mais peças foram encontradas, além de uma pistola e munições. Ele apontou a casa dos comparsas onde estaria o restante das peças.

Veja Também  Quebra quebra na região de bares em Cuiabá na noite de segunda-feira

No imóvel seguinte, o dono assumir ter furtado o material e o restante estaria em um dos cômodos da casa. Ele apontou seu vizinho também envolvido na ação criminosa.

Na outra chácara, o suspeito também confessou ter participado do furto e o resto dos produtos encontrados em um dos cômodos da propriedade. Na vistoria, os militares ainda encontraram duas espingardas, porções de maconha e cocaína e cartuchos.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Outras duas pacientes de Rondônia chegam a MT e são internadas na UTI do Hospital Metropolitano

Avatar

Publicado

 

Mais duas pacientes de Rondônia foram transferidas para Mato Grosso na madrugada desta quarta-feira (27.01). Duas mulheres, de 60 e 53 anos, foram transferidas de Porto Velho para Várzea Grande e deram entrada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Metropolitano.

Transportadas pela aeronave do Corpo de Bombeiros de Rondônia, as pacientes desembarcaram às 5h no Aeroporto Marechal Rondon e foram conduzidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) à unidade hospitalar.

Até o momento, um total de quatro pacientes foram transferidos de Rondônia para Mato Grosso. Eles apresentaram quadro clínico de emergência, com a necessidade de atendimento imediato, sendo transportados após a disponibilização de leitos por parte do estado.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (26.01), o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, disse que é preciso levar em consideração a universalidade do Sistema Único de Saúde (SUS) e ser solidário aos familiares e pacientes que anseiam pela assistência hospitalar.

“Dentro do princípio de que é o SUS, não existe leitos exclusivos de Mato Grosso, de São Paulo ou do Rio de Janeiro. Existem leitos do Sistema Único de Saúde e, neste momento, levando em consideração a nossa taxa de ocupação que está em 67% para UTIs adulto, temos que ser solidários com os estados que estão colapsados precisando de leitos”.

Veja Também  PM recupera carreta com 50 toneladas de defensivo agrícola roubado no estado do Pará
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana