conecte-se conosco


Mato Grosso

Mato Grosso teve 713 casos de hepatites virais em 2019; SES alerta para prevenção e tratamento

Avatar

Publicado

Dentre as abordagens da campanha do Governo do Estado voltada para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, está um alerta para casos relacionados às hepatites virais. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), por meio do setor de Vigilância em Saúde, registrou 15 casos de hepatite A, 499 casos de hepatite B e 199 casos de hepatite C em Mato Grosso, apenas no ano de 2019.

A hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Os sintomas mais comuns das hepatites A e B são: dor ou desconforto abdominal; dor muscular; fadiga; náusea e vômitos; perda de apetite; febre; urina escura e o amarelamento da pele e olhos.

Em alguns casos, são doenças silenciosas, que nem sempre apresentam sintomas. De acordo com a técnica especializada em hepatites virais da SES, Regina Nascimento, o diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar a evolução da doença para cirrose ou câncer de fígado – por isso é tão importante fazer os exames. A confirmação pode ser feita por testes rápidos, que apontam o resultado em uma hora, sendo que também existem exames feitos em laboratório.

A servidora também reforçou que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para todos os tipos de hepatites, independentemente do grau de lesão do fígado.

Prevenção

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B, entretanto, quem se vacina para o tipo B também estará protegido da hepatite D. A vacina está disponível e é gratuita pelo SUS. Para os demais tipos de vírus, não há vacina e o tratamento é indicado pelo médico.

A prevenção à hepatite C pode ser feita evitando o contato com sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes; o tratamento é medicamentoso e há cura em mais de 95% dos casos. As hepatites B e D têm tratamento e podem ser controladas, evitando a evolução para cirrose e câncer. Já a hepatite A é uma doença aguda e o tratamento se baseia em dieta e repouso.

Pelo SUS, a imunização está disponível para crianças de 15 meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias) e também no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), para pessoas de qualquer idade que tenham: hepatopatias crônicas de qualquer etiologia incluindo os tipos B e C; coagulopatias; diagnosticadas com HIV; portadores de quaisquer doenças imunossupressoras; doenças de depósito; fibrose cística; trissomias; candidatos a transplante de órgãos; doadores de órgãos, cadastrados em programas de transplantes ou com hemoglobinopatias.

Ainda é importante destacar que, durante a gravidez e o pré-natal, deve ser realizado o exame de hepatite. Caso diagnosticada, a gestante pode ser tratada, se houver indicação, ainda durante a gravidez.

Hepatite A

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (HAV) e também conhecida como “hepatite infecciosa”. Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. A melhor forma de evitar a doença é melhorando as condições de saneamento básico e de higiene nas moradias. Os sintomas costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção.

Hepatite B

A hepatite B é uma doença infecciosa, está presente no sangue, no esperma e no leite materno; é considerada uma doença sexualmente transmissível. Entre as causas de transmissão estão: relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada; entre mãe infectada e filho durante a gestação, parto ou amamentação; transfusão de sangue contaminado; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings.

Hepatite C

A hepatite C é causada por vírus, está presente no sangue e a transmissão ocorre por: transfusão de sangue; compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos, entre outros), higiene pessoal (lâminas, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou para confecção de tatuagem e colocação de piercings; entre mãe infectada e filho durante a gravidez (mais rara); sexo sem camisinha com uma pessoa infectada (mais rara).

Serviço

A vacina de prevenção para as hepatites do tipo A e B pode ser tomada no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), que funciona nas instalações do Centro Estadual de Referência em Média e Alta Complexidade (Cermac), localizado na Rua Tenente Thogo da Silva Pereira, 63 – Centro Sul, em Cuiabá, de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Comentários Facebook

Mato Grosso

Quarta-feira (08): Mato Grosso registra 90 casos confirmados de Covid-19

Avatar

Publicado


.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou,até a tarde desta quarta-feira (08.04), 90 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso e um óbito em decorrência do coronavírus. 

Os casos confirmados estão em Cuiabá (50), Rondonópolis (7), Várzea Grande (6), Tangará da Serra (5), Sinop (6), São José dos Quatro Marcos (2), Cáceres (2), União do Sul (1), Primavera do Leste (1), Nova Mutum (1), Nova Monte Verde (1), Lucas do Rio Verde (1), Lambari D’Oeste (1), Canarana (1), Campo Novo do Parecis (1), Aripuanã (1), Alta Floresta (1) e residentes de outros Estados (2).

De terça-feira para quarta-feira, foram registrados novos casos em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Tangará da Serra, Sinop e Lambari D’Oeste. 

As mulheres correspondem a 59% dos casos registrados no Estado e 52 pacientes tem idade entre 36 e 55 anos.

Dos 90 casos confirmados da Covid-19 no estado, 63 estão em isolamento domiciliar, 11 estão recuperados e 15 estão hospitalizados – nove em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e seis em enfermarias.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios. Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada pela SES (anexada a este texto).

A Nota Informativa com dados atualizados é divulgada diariamente a partir das 17h. A coletiva de imprensa virtual com o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, transmitida pelo Instagram e Facebook do Governo do Estado, ocorre às segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 8h30.

Cenário nacional

Nesta quarta-feira (08), o Governo Federal confirmou 15.927 casos de Covid-19 no Brasil e 800 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, divulgado pelo Ministério da Saúde, o país contabilizava 686 mortes e 14.018 casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Trabalho de Médicos legistas é essencial para Justiça e Segurança Pública

Avatar

Publicado


.

O dia do Perito Médico Legista foi comemorado nesta terça-feira (07.04). A profissão, essencial para o esclarecimentos de fatos criminais, é exercida em Mato Grosso por 125 pessoas, lotadas na Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Há 19 anos na função, o perito oficial médico legista Wilson Koiti Tashima, lotado na Gerência Regional de Medicina Legal de Guarantã do Norte, define que o trabalho do legista possibilita à justiça ver os fatos ocorridos e determinar a punição para os culpados.

Sua história na Medicina Legal começou após a sua formatura em Medicina pela Universidade Federal do Paraná. Alguns anos depois, foi nomeado médico legista ‘ad hoc’ para suprir as necessidades da delegacia e da Justiça na região de Guarantã do Norte.

“Devido a isto, surgiu meu interesse e assim prestei o concurso público em 1999 e somente 2001 fui nomeado, e posteriormente para me aperfeiçoar ainda mais, prestei a prova de Titulação em 2002, e assim tenho o Registro de Qualificação de Especialização – RQE em Medicina Legal”, relatou.

A atribuição dos médicos legistas é essencialmente servir a Segurança Pública e a justiça e envolve a realização de exames periciais em vivos e também as necropsias com o objetivo de elucidar as circunstâncias de mortes violentas. A elaboração dos laudos permite a análise de fatos ocorridos durante o crime, de armas utilizadas, da causa da morte, entre outros aspectos.

As conclusões obtidas durante os exames são descritas nos laudos periciais que embasam os inquéritos policiais, e denúncias do Ministério Público e as decisões judiciais.

Segundo o legista, a profissão é extremamente desafiadora que exige muito estudo, paciência e tempo dos profissionais. A conduta ética, a clareza e objetividade são características essenciais à profissão.

Na rotina dos servidores, não é incomum se depararem com casos complexos de se desvendar a causa da morte de vítimas encaminhadas para o Instituto Médico Legal. Nestes casos, Dr. Wilson explica que a conduta do médico é realizar a coleta de material genético da vítima, como secreções e imagens que possam auxiliá-los a ter materiais suficiente para estudo posterior, e somente assim, com tempo hábil, emitir o laudo definitivo.

A Medicina Legal é uma área multidisciplinar e envolve a confidencialidade e o conhecimento de diferentes áreas da Perícia Criminal, como também o trabalho integrado às demais carreiras profissionais da Politec.

“Há sempre o objetivo maior do compromisso com a verdade e os fatos, todos sabendo da importância de sua parte, o resultado sempre é positivo quanto a troca de idéias e resultados. O estudo e aperfeiçoamento constante faz parte da atuação em qualquer área profissional, mas na Medicina Legal é fundamental”, citou.

Em 2019, o serviço de Medicina Legal em todo Estado levou à conclusão de 30.351 laudos de necropsia, lesão corporal, constatação de violência sexual, psiquiatria forense, dentre outros.

Data comemorativa

O dia 07 de abril foi escolhido para homenagear estes profissionais porque em 1886 o conselheiro João Alfredo Corrêa de Oliveira, então presidente da Província de São Paulo, assinou a lei nº 18, que oficializou a perícia médico-legal no Brasil. A Diretoria Geral da Politec parabeniza todos os profissionais pelo seu dia.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana