conecte-se conosco


Internacional

Presidente do Paraguai é diagnosticado com dengue

Publicado

Internacional

Em meio a uma campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, o governo do Paraguai confirmou que o presidente Mario Abdo Benítez está com dengue. Segundo o ministro da Saúde paraguaio, Julio Mazzoleni, Abdo está em bom estado de saúde e, embora precise repousar por alguns dias, pretende manter sua agenda de trabalho, “com pequenas restrições”.

Durante entrevista coletiva em Assunção, Mazzoleni afirmou aos jornalistas que o presidente está com a doença do tipo 4 (DEN-4), que, atualmente, é o sorotipo mais comum entre os paraguaios infectados pela picada do mosquito. De acordo com o Ministério da Saúde, há mais de 10 mil casos suspeitos da doença em análise e, semanalmente, cerca de 3.500 novos casos são notificados.

A expectativa é que Abdo leve entre três e sete dias para se recuperar plenamente. A evolução de seu quadro de saúde será acompanhado diariamente até que ele receba alta médica. Hoje (22), Abdo usou sua conta no Twitter para tranquilizar seus apoiadores.

O presidente paraguaio se sentiu mal durante uma viagem oficial ao estado de Alto Paraná, cuja capital é a Cidade do Leste, na fronteira com o Brasil. Abdo começou a sentir dor de cabeça, mal-estar e febre, o que o obrigou a retornar à Capital, Assunção. De volta à residência presidencial Abdo se submeteu a exames laboratoriais para confirmar se tratava-se de dengue.

Veja Também  Covid-19: maioria dos norte-americanos deve ser vacinada até julho

Saiba mais

Edição: Aline Leal
Comentários Facebook

Internacional

AstraZeneca aguarda aprovação para retomar teste com vacina nos EUA

Avatar

Publicado


.

A AstraZeneca ainda está esperando que a agência reguladora de remédios norte-americana aprove a retomada do teste clínico de sua possível vacina contra Covid-19 nos Estados Unidos quase três semanas depois de ela ser interrompida devido a preocupações de segurança.

O teste norte-americano da candidata a vacina contra Covid-19 da AstraZeneca, desenvolvida inicialmente pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, continua suspenso enquanto inspetores investigam uma doença em um dos participantes, mesmo depois de um estudo britânico e outros programas terem sido retomados fora dos EUA.

“Somos os patrocinadores do estudo dos EUA. Por isso, providenciamos toda esta informação para a FDA (agência reguladora de medicamentos dos EUA) e estamos esperando para ouvir sua decisão”, disse Pascal Soriot, presidente-executivo da farmacêutica, em um debate virtual do Fórum Econômico Mundial.

Alex Azar, secretário dos Serviços Humanos e de Saúde dos EUA, disse na quarta-feira que a manutenção da suspensão mostrou que a FDA está levando a segurança da vacina a sério.

Um documento publicado pela Universidade de Oxford na internet na semana passada disse que a doença em um participante britânico que provocou a interrupção no dia 6 de setembro pode não estar associada com a vacina.

Veja Também  China promete "neutralidade carbônica" até 2060

Indagado por que a empresa não revelou detalhes sobre a natureza da doença, Soriot disse que inspetores de testes clínicos e supervisores independentes estão preservando a privacidade dos participantes.

Mesmo assim, a empresa procurará ter mais transparência sem comprometer direitos individuais e ao mesmo tempo evitar que o público e voluntários tirem conclusões erradas, o que poderia ameaçar o recrutamento para o teste.

“Estamos debatendo com outras empresas, como indústria, quais informações podemos oferecer sem comprometer a privacidade dos pacientes, mas também sem comprometer o próprio teste”, disse.

Soriot ainda disse que os testes do protótipo da vacina em crianças ainda não começaram.

O teste britânico, que foi iniciado em maio e recrutou mais de 12 mil voluntários, terá crianças de 5 a 12 anos em um de cada 11 subgrupos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Sinovac quer distribuir vacina na América do Sul junto com Butantan

Avatar

Publicado


.

A chinesa Sinovac Biotech espera fornecer sua vacina experimental contra a covid-19 para mais países sul-americanos ao terceirizar alguns processos de fabricação para o Instituto Butantan, ligado ao governo do estado de São Paulo, disse o presidente executivo da companhia, Yin Weidong, nesta quinta-feira (24).

Fabricantes globais de vacina, como a Sinovac e a AstraZeneca, fizeram parcerias para a realização de testes clínicos em estágio avançado de seus produtos no Brasil, que tem o terceiro maior número de infectados do mundo.

A Sinovac planeja fornecer produtos semifinalizados ao Butantan, que fará a formulação e o envase para o fornecimento da vacina a outros países sul-americanos, disse Yin Weidong, em entrevista coletiva.

A China incluiu a candidata a vacina da Sinovac, a CoronaVac, em seu programa de uso emergencial lançado em julho, mas os testes em estágio avançado no exterior ainda não foram concluídos, o que levantou dúvidas em relação à segurança entre especialistas.

Nessa quarta-feira (23), o governador de São Paulo, João Doria, disse que dos 50 mil voluntários que participaram de testes com a CoronaVac na China, 94,7% não apresentaram qualquer reação adversa e que, no Brasil, até o momento, nenhum voluntário que participa do estudo teve qualquer efeito colateral. Ele espera que a imunização comece em São Paulo em dezembro.

Veja Também  Trump: indicação à Suprema Corte deve ser anunciada no sábado

Yin disse que a Sinovac está disposta a colaborar e compartilhar dados com outros países sobre o uso emergencial da vacina, se eles precisarem de programas desse tipo. Acrescentou que a empresa mantém conversas com o Chile e com outros países para a realização de estudos clínicos de Fase 3, mesma etapa que está sendo feita no Brasil e que é a última antes do pedido de registro nos órgãos reguladores.

“Diferentes países têm suas próprias opções sobre autorização para uso emergencial”, disse Yin, acrescentando não saber se eles seguirão o exemplo da China.

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana