conecte-se conosco


Nacional

Funcionários da Cedae prestam depoimento à polícia sobre água no Rio de Janeiro

Avatar

Publicado

source
Estação de tratamento de água da Cedae, no Rio de Janeiro arrow-options
Divulgação/Cedae

Cedae está com dificuldades em normalizar a situação da água no Rio de Janeiro

Três funcionários da Cedae chegaram por volta das 10h desta sexta-feira (17) à Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD) para prestar depoimento. Eles estavam acompanhados por advogados, mas não falaram com a imprensa. Nesta quinta-feira (16), a delegacia especializada abriu um inquérito para investigar a crise da água no Rio de Janeiro.

Leia também: Cedae promete água limpa na próxima semana

O objetivo da investigação é apurar uma “eventual responsabilidade penal de funcionários da Cedae ou de terceiros que possam ter contribuído, por ação ou omissão, nas alterações das condições de consumo da água verificada nos últimos dias na Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro”, informou, em nota, a Polícia Civil.

Leia também: Em meio à crise no Rio, Cedae exonera um chefe de Estação de Tratamento de Água

Também na quinta, agentes da DDSD estiveram na Estação de Tratamento de Água do Guandu , em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O delegado Julio Silva Filho, titular da delegacia, informou que as equipes coletaram amostra de água e também documentos no local.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

PMs deixam batalhões no Ceará após senador Cid Gomes ser baleado

Avatar

Publicado

source
Cid arrow-options
Herbert Cordeiro/ Facebook

Policiais militares, que participavam do motim no Ceará, desocuparam os batalhões após senador Cid Gomes ser baleado.


O 3º Batalhão da Polícia Militar em Sobral, onde o senador licenciado Cid Gomes (PDT) foi alvejado na última quarta-feira (19), voltou para o controle do governo do Ceará. Os policiais grevista ocupavam o prédio desde à noite de terça-feira (18), e deixaram o local antes da chegada do Batlhão de Choque da PM.

O senador licenciado Cid Gomes usou uma retroescavadeira contra os grevistas que estavam amotinados no 3º Batalhão. Antes de ser alvejado, Gomes deu um ultimato aos policiais encapuzados que ocupavam o local.

Leia também: MPF quer acesso à delação de Cabral homologada no Supremo

“O movimento de vocês é ilegal . Vocês têm cinco minutos para pegarem os seus parentes, as suas esposas, os seus filhos e sair daqui em paz. Cinco minutos, nem um a mais”, disse o senador. 

O tempo expirou e os grevistas permaneciam nas dependências do Batalhão, foi quando o senador investiu contra os grevistas com uma retroescavadeira. Os manifestantes responderam atacando pedras e com dois disparos contra o ex-governador do Ceará. Um dos projetéis atingiu o peito do senador.

Leia também: Carlos Bolsonaro condena atitude de Cid Gomes: O que mata não são as armas”

Gomes foi levado para o Hospital do Coração de Sobral, onde permaneceu na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) até a manhã desta quinta-feira. Os médicos apontam que o estado de saúde do político é estável. 

Autoridades políticas se manifestaram demonstrando preocupação com o senador, como o presidente do Senada Federal Davi Alcolumbre, que afirmou ter ligado para o pedetista.

“Acompanho com preocupação os desdobramentos do ocorrido com o senador Cid Gomes, na tarde desta quarta-feira (19), em Sobral, no Ceará. Entrei em contato o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e com o governador do Ceará, Camilo Santana, para obter informações e garantir a segurança do parlamentar”, disse Alcolumbre em nota.

Leia também: Meirelles, Bolsonaro e Haddad contrataram disparo em massa, diz sócio de empresa

O governador do Ceára, Camilo Santana (PT), aliado de Cid e Ciro Gomes no estado, repúdiou o ato dos policiais os quais qualificou como “inaceitável”  e de  “extrema violência” praticada “por um grupo de policiais mascarados, amotinados num quartel”. O governador afirmou que já havia solicitado apoio do Governo Federal, por meio dos ministros Luiz Eduardo Ramos e Sergio Moro, “para uma ação enérgica contra essas pessoas que têm agido como criminosos. Esses crimes não ficarão impunes”.

Até o momento, três policiais foram presos e 261 estão sendo investigados por participar do motim no Ceará, que foi declarado crime pela justiça na segunda-feira (17). 

Dois batalhões foram atacados pelos grevistas, que roubaram dez vituras em um dos quartéis e esvaziaram os pneus de outras ao atacarem a segunda unidade, em Sobral. Os manifestantes também vestiram máscaras e determinaram toque de recolher para os comerciantes da cidade.Os protestos já se espalharam por pelo menos sete cidades cearenses.


Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Carlos Bolsonaro condena atitude de Cid Gomes: O que mata não são as armas”

Avatar

Publicado

source
Carlos Bolsonaro rindo arrow-options
Reprodução

Carlos Bolsonaro condenou atitude de Cid Gomes em Sobral


O segundo filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Carlos Bolsonaro, usou o seu perfil no twitter para defender os policiais militares que estão em greve no Ceará e atacar a atitude de Cid Gomes (PDT-CE) na última quarta-feira (19). O senador foi baleado depois de tentar invadir um bloqueio feito pelos policiais com o uso de uma retroescavadeira.

Leia também: Cid Gomes apresenta evolução clínica após ser baleado no Ceará

Em sua publicação, Carlos Bolsonaro  usou o termo “ditadura” para falar da atitude de Cid Gomes e tratou os tiros como uma atitude de defesa dos policiais.


“Democraticamente estou desarmado, mas vou passar com um trator em cima de você. Aceite, ou senão é ditadura! O que mata não são armas de fogo legais, mas a pessoa que está disposta a cometer o crime, seja com que ferramenta for”, escreveu o vereador pelo Rio de Janeiro em seu Twitter.

Leia também: Moro autoriza envio da Força Nacional ao Ceará contra motim de policiais

Cid Gomes está internado no Hospital do Coração de Sobral e não corre risco de vida. O senador está lúcido e respira sem o auxílio de aparelhos.

Não foi apenas Carlos Bolsonaro que defendeu os policiais grevistas no Ceará. Outros deputados da chamada “ala bolsonarista” atacaram a atitude de Cid Gomes nas redes sociais, casos do deputado Éder Mauro (PSD-PA), Eduardo Bolsonaro (sem partido-SP) e Filipe Barros (PSL-PR).


Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana