conecte-se conosco


Nacional

Rio é a cidade do Brasil em que se perde mais tempo no transporte público

Avatar

Publicado

source
Rio arrow-options
Reprodução

Cidade ficou na primeira posição do ranking

Todos os dias, o motorista de ônibus Julio Cesar Silva, de 37 anos, acorda cedo para mais um dia de trabalho. A caminho da garagem da empresa, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, os quase 60 minutos dentro de um ônibus lotado não são nada perto do que ainda está por vir, já que ele passará o restante do dia a bordo de um coletivo que circula entre o município caxiense e a capital. As informações são do jornal O Dia .

Leia também: Testemunha de defesa do filho, Flordelis depõe à Justiça no início de fevereiro

Essa via crucis no trânsito, sobretudo como passageiro, não é exclusividade de Silva. Um levantamento feito pela Moovit, empresa especializada em mobilidade urbana, aponta que o Rio de Janeiro é a cidade brasileira com maior tempo médio de deslocamento no transporte público. Pelo menos 11% dos deslocamentos feitos na capital duram mais de duas horas. Outros 36% levam, em média, até 2 horas.

Além dos ônibus , o levantamento levou em consideração os deslocamentos feitos por meio de VLT, metrô, trem, barca, teleférico e plano inclinado. A capital aparece em 3º lugar no ranking mundial, com média de 67 minutos. Só perde para Istambul, na Turquia (72 minutos); e para a Cidade do México (69 minutos). Outras duas cidades brasileiras aparecem entre as dez principais apontadas pelo estudo: Recife e São Paulo. Em ambas as capitais, o tempo de deslocamento médio é de 62 minutos.

“Às vezes tem superlotação, depende do horário. Aí, a gente já chega cansado no serviço. No caso dos rodoviários, após passar por esses problemas para chegarmos à garagem e iniciar o dia de trabalho, ainda temos que enfrentar congestionamento , vias em péssimas condições. É muito estresse”, desabafa Silva.

Tempo de espero é outro drama

Quatro vezes por semana, Paulo Pinho, de 58 anos, sai de Guapimirim, na Baixada Fluminense, rumo ao Centro do Rio. “Não podemos marcar um compromisso e contar com o serviço público. Tem dias que saio com quatro horas de antecedência e mesmo assim chego atrasado. Esse tempo eu poderia estar com minha família”, reclama.

Leia também: Enem libera notas nesta sexta-feira; veja como recuperar senha

O levantamento da Moovit também registrou que o tempo médio de espera por um transporte público, no Rio , é de cerca de 17 minutos. “Aqui em Barra de Guaratiba só existe uma linha de ônibus. Os horários são incertos e não coincidem com o BRT, onde a espera acaba sendo muito grande”, reclama a balconista Ana Gouveia.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

Crianças baleadas durante confronto no Complexo do Alemão recebem alta

Avatar

Publicado

source
Vista aérea do Complexo do Alemão, com teleférico a frente arrow-options
Bruno Itan/ Coletivo Alemão

Polícia Militar deverá explicar operações no Complexo do Alemão

Após serem baleadas durante um confronto no Morro do Adeus, no Complexo do Alemão , Zona Norte do Rio, na noite deste domingo, duas crianças já tiveram alta do hospital. A primeira foi liberada ainda na noite passada do Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha. Já a segunda, que chegou a ser internada na mesma unidade, teve alta no fim da madrugada. Criminosos e policiais militares trocavam tiros no momento em que elas foram atingidas.

Leia também: Moradores da Muzema protestam contra início de inspeção de risco de prédios

Uma das crianças , de 11 anos, foi baleada no ombro quando jogava bola na comunidade. Segundo a Polícia Militar, o menino foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento do Alemão e, logo em seguida, transferido para o Getúlio Vargas. Já o outro menino, de 10, morador da Rua Aquiri, ficou ferido após achar um projetil na rua e colocá-lo numa fogueira. O material explodiu e acabou atingindo a criança com estilhaços, sem maior gravidade.

As duas vítimas não tiveram as identidades divulgadas.

A Polícia Militar foi procurada para dar detalhes da ação que foi feita no Complexo do Alemão . A corporação, até o momento, não respondeu aos questionamentos.

Em 10 de janeiro, Anna Carolina de Souza Neves, de 8 anos  foi morta por uma bala perdida enquanto estava no sofá de casa em Belford Roxo, Baixada Fluminense. A menina chegou a ser socorrida e levada para Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, mas não resistiu aos ferimentos. Já em 2019, seis crianças foram mortas por balas perdidas no estado.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Vinte e sete presos fogem de complexo penitenciário em Rio Branco, no Acre

Avatar

Publicado

source
Acre arrow-options
Elenilson Oliveira/Governo Acre

Segundo informações, presos fizeram buraco na parede e fugiram usando corda de lençóis

Pelo menos 27 presos fugiram da unidade penitenciária Francisco d’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, no Acre, na madrugada desta segunda-feira. De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública do Acre, os detentos fizeram um buraco na parede da cela e escaparam pelo muro com cordas formadas por lençóis.

Leia também: Cliente de chefe da Secom vira ‘número 1’ em verbas publicitárias da pasta

Após a fuga dos detentos, a Polícia Penal foi acionada para fazer a contagem dos presos que fazem parte do pavilhão L, de onde os presos fugiram. A secretaria determinou que todos os presídios do estado sejam revistados para evitar novas fugas.

Os presos que escaparam do presídio no Acre são da mesma facção criminosa dos criminosos que fugiram na noite de domingo de uma prisão na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na divisa com Ponta Porã (MS). Segundo o governo paraguaio, os fugitivos são integrantes da maior facção criminosa que atua em presídios de São Paulo e ao menos 40 deles têm origem brasileira. O Ministério da Justiça e Segurança Pública trabalha com uma lista com 75 nomes dos fugitivos: 40 deles são brasileiros e 35 paraguaios.

Por causa da fuga em Rio Branco, a secretaria de Segurança do Acre informou ainda que reforçou as barreiras policiais na capital e municípios com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Exército, nas barreiras em rodovias federais. O órgão acionou as secretarias de Segurança de Rondônia e do Amazonas para implantar barreiras e fiscalização nas áreas de fronteira com o Acre e nas rodovias federais.

A Polícia Federal dará apoio com equipes de inteligência para avaliar as circunstâncias de fuga, bem como o apoio de fiscalizações em aeroportos.

Leia também: Homem é encontrado carbonizado em agência bancária no centro de São Paulo

O Ministério Público Federal e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) também foram contatadas para acompanhar as ações de investigação durante as ações que para apurar eventuais responsabilidades pela fuga dos presos .

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana