conecte-se conosco


Nacional

Condomínio de luxo é multado por esgoto irregular na Zona Sul do Rio

Avatar

Publicado

source
esgoto arrow-options
Divulgação

Secretário de Meio ambiente, Bernardo Egas acompanha vistoria de redes pluviais na Zona Sul

O secretário municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Bernardo Egas, participou nesta quarta-feira (15) de uma vistoria para identificar despejos irregulares de esgoto no Rio Rainha, na Gávea. Segundo ele, uma clínica e um condomínio de luxo no bairro foram multados em R$ 30 mil, por conta do lançamento de esgoto na rede de água pluvial.

“Claro que não são apenas esses dois locais que fazem lançamento de esgoto irregular, mas foram os que conseguimos identificar. É um trabalho minucioso, com abertura de bueiros. E, no mês que vem, voltaremos para verificar se o problema foi resolvido. Caso não, a multa é muito maior”, explicou.

Leia também: Mulher relata agressão em restaurante de São Paulo: “Copo jogado no meu rosto”

A suspeita de lançamento de esgoto pela Cedae naquele rio da Zona Sul da cidade não foi identificada na vistoria de ontem. “Era uma suspeita, mas não constatamos nenhum problema da Cedae no local. Na quarta-feira da próxima semana, às 8h, faremos o mesmo trabalho no Rio dos Macacos, no Jardim Botânico. E além da inspeção sobre lançamento irregular de esgoto na rede, também vai ter um mutirão de limpeza no rio”, disse o secretário, destacando, ainda, que as duas ações fazem parte da força-tarefa para a despoluição da Lagoa Rodrigo de Freitas.

Revitalização

Também está previsto, para a próxima semana, o início das obras de revitalização e ampliação de oito deques no entorno da lagoa, além da recuperação da vegetação nativa. Já sobre a última etapa do projeto de despoluição da água, o orçamento ainda está sendo finalizado, segundo a Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com a Coppe/UFRJ.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

Policial vê prefeita com carro oficial em outlet, tenta detê-la e é preso; veja

Avatar

Publicado

source
prefeita carro outlet arrow-options
Arquivo pessoal

Placa do automóvel foi danificada pelo policial civil.

Um policial civil foi preso após dar voz de prisão à prefeita de Vera Cruz, Renata Zompero Devito (PSDB) que conduzia um carro oficial da prefeitura dentro de um shopping às margens da rodovia Castello Branco , em São Roque. O policial foi detido sob acusações de lesão corporal e dano ao patrimônio público após arrancar parte da placa do veículo.

Leia mais: Família brasileira sofre ataque a tiros dentro de casa, na França

A prefeita alegou à polícia que estava regressando de um compromisso na capital paulista com a equipe de assessores. O veículo teria sido parado no outlet para que a equipe fizesse uma refeição. Um vídeo que circula na internet mostra o momento em que o policial civil encontra o carro estacionado e se identifica. 

Com ameaças, oficial avisa à chefe do Executivo que ela não pode sair do veículo. Um dos assessores desce do automóvel e o policial diz: “Se sair, eu atiro”. A placa é danificada durante a tentativa do policial identificar a origem do carro. Assista ao vídeo: 

Durante o diálogo, a prefeita alegou que estava em um compromisso e que precisava ir ao banheiro e comer. |O delegado Marcelo Apolinário, responsável pelo caso, disse ao G1 que a Corregedoria da Polícia Civil foi acionada. No entendimento do órgão, o policial foi quem cometeu crime.

A prefeita Renata Zompero foi liberada após ser ouvida e o policial liberado após pagamento de fiança.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Estudante usa uniforme escrito “empréstimo” e é alvo de bullying

Avatar

Publicado

source
uniforme empréstimo arrow-options
Arquivo pessoal

Caso aconteceu na cidade de Americana, no interior de São Paulo.

Uma criança de oito anos foi alvo de bullying depois de ir para a aula usando um uniforme com a palavra “ empréstimo ” escrita nas costas. O caso aconteceu na Escola Estadual Germano Benencase Maestro, em Americana , no interior de São Paulo, e viralizou depois que a irmã da vítima realizou uma denúncia.

Leia também:Universitária morre após passar mal durante rave no Paraná

A escola havia emprestado o uniforme para os alunos que não tinham o material e o escrito era uma forma de identificar que a peça de roupa não pertencia aos estudantes. A família do garoto se sustenta com o auxílio do Bolsa Família e não conseguiu comprar o uniforme para o jovem. Com isso, ele teve que frequentar as aulas sem o material por duas semanas.

Segundo a irmã da vítima, o garoto foi vítima de bullying por conta do uniforme.  Ela percebeu que havia algo errado quando o irmão voltou para casa chorando e disse que não queria mais estudar. Depois da denúncia, o jovem passou à assistir as aulas sem a peça de roupa emprestada pela escola.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana