conecte-se conosco


Turismo

Quer fazer um cruzeiro? Planejamento faz viagem sair até 30% mais barato

Avatar

Publicado

Se o seu desejo é fazer um cruzeiro , mas há uma dúvida quanto às finanças, um mínimo de planejamento pode te fazer pagar até 30% menos num roteiro tradicional. Para se ter uma ideia, o frisson por um lugar “ao mar” se dá entre 120 e 90 dias anteriores ao embarque, reforçando a máxima que brasileiro deixa tudo para a última hora (o que chega a custar mais de R$ 1 mil de diferença por pessoa).

MSC Seaview arrow-options
Divulgação/MSC Cruzeiros

MSC Seaview é um dos navios da companhia para a temporada no Brasil


Leia também: 2.066 cabines: conheça o Seaview, maior navio da MSC para a temporada

Quem dá a dica é o diretor geral da MSC no Brasil, Adrian Ursilli. A empresa, uma das maiores do ramo, opera nesta temporada com navios como o Música e o Seaview. Quem vai aproveitar bem, pagando pouco, são os cruzeiristas que garantiram lugar no máximo até abril.

“O melhor momento de compra é um ano antes da saída do navio . É quando as tarifas saem de 20 a 30% mais baratas. Os preços sobem de acordo com o mercado e a verdade é que esses cruzeiros quase lotam seis meses antes”, explica o executivo, mostrando o motivo de ser natural as últimas vagas serem mais caras.

Para quem já é cruzeirista de carteirinha, essa lógica não é tão novidade assim. Segundo Ursilli, entre abril e agosto, praticamente 40% das vagas são ocupadas pelos clientes premium, ou seja, que já fizeram outras viagens antes e retornam a fazer negócios, garantindo compras com parcelamento da reserva.

O mercado de cruzeiros no Brasil, inclusive, levou empresas como a MSC a se adaptarem ao modo de consumo do brasileiro. Há cinco anos, todas as tarifas são negociadas em real, há a possibilidade de parcelar compras no cartão de crédito e faz-se pacotes até mesmo com aéreos para embarques fora do país. Antigamente, tudo era negociado em dólares, cuja cobrança no crédito é única.

Leia também: O que fazer nos navios da MSC? Tem boliche, MasterChef, Fórmula 1 e mais

Hoje, os maiores destinos de brasileiros saindo do país é para o Caribe e Ilhas Gregas, mas já há quem deixe o país para realizar cruzeiros nos Emirados Árabes, que se tornou alvo de grande procura. “Num feriado, por exemplo, a depender do tempo em que a reserva é feita e da quantidade de dias negociada, fica mais barato embarcar no navio do que ficar em São Paulo”, defende Ursilli.

É justamente por isso que as ofertas de novas viagens são anunciadas com tanta antecedência. O maior navio da MSC, o Grandiosa, que acaba de ser inaugurado em Hamburgo, na Alemanha, e tem a bordo dois espetáculos do Cirque du Soleil , só chega ao Brasil para uma temporada no final de 2020, mas já é possível fazer uma reserva. Os valores atuais partem de R$ 6 mil. Se a vontade de fazer for grande, você tem 30% mais razões para não achar que tem “tempo bastante” para começar a pensar nisso…

Comentários Facebook

Turismo

Um roteiro barato e diferente de 3 dias por Buenos Aires

Avatar

Publicado


source

Buenos Aires é uma cidade que sempre aparece nos destinos mais em conta para os brasileiros. Próxima ao sul do país, é uma ótima opção, por exemplo, para curtir em feriado de curta duração.

Leia também: De SP a Buenos Aires economizando 86% – saiba como é viajar numa low cost

Já que em 2020 serão seis feriados prolongados, o iG Turismo montou um roteiro de três dias pela capital argentina por locais pouco explorados pelos turistas. Detalhe: a rota por Buenos Aires  inclui visitadas que cabem no bolso e tornam sua estadia mais agradável.

Dia 1: Reserva Ecológica + Avenida Corrientes e Pizzaria Guerrín + Los Galgos

Buenos Aires tem bairros muito arborizados e locais tranquilos no meio do agito da cidade. Quem busca ter mais contato com a natureza precisa conhecer a Reserva Ecológica Costanera Sur .

Com mais de 350 hectares de área e uma infinidade de fauna e flora, a Reserva é muito procurada para observação de pássaros e para a prática de exercícios. Aberta de terça à domingo, a Reserva tem horários especiais de verão e inverno: verão (entre novembro e março) das 08h às 19h; inverno (entre abril e outubro) das 08h as 18h. Dá para marcar visitas guiadas pelo site [email protected] 

Depois de passar o dia ao ar livre, dê uma passada na Avenida Corrientes . Uma espécie de “Avenida Paulista” de Buenos Aires, a via tem um lado fechado para pedestres que se transforma num grande calçadão. Por lá você encontrará dezenas de teatros e livrarias, além de muita comida. Entre as opções para um lanche rápido está a Pizzeria Guerín

Fundada em 1932, a pizzaria vende um generoso pedaço de pizza por 65 pesos argentinos (R$ 4). O prato ainda vem acompanhado de uma fatia de fainá, espécie de massa de grão de bico que combina perfeitamente.

Para o jantar, conheça o restaurante Los Galgos . O estabelecimento é muito tradicional e pode ser acessado a pé da Avenida Corrientes. O cardápio conta com maravilhosos croquetes de espinafre e tortilha espanhola. O preço é acessível. As entradas custam em torno de 300 pesos (R$ 21), os pratos principais 500 pesos (R$ 35) e bebidas a 200 pesos (R$ 14).

Dia 2: Pulpería Quilapán + San Telmo + Espetáculo Ao Ver Verás


A vida em Buenos Aires só começa depois das 10h da manhã. Então caso queira começar seu roteiro já no almoço, a melhor opção é a Pulpería Quilapán . O restaurante administrado pelo francês David Boree fica num prédio com mais de 300 anos onde já funcionou um cortiço. A decoração é diferente e, ao mesmo tempo, acolhedora.  

O destaque vai para a experiência de fazer suas próprias empanadas salteñas e comê-las. O chefe colombiano Rafael ministra uma rápida aula de cozinha aos turistas que agendam horário no site da Pulpería ou pelo TripAdvisor por 550 pesos argentinos (R$ 39) – incluindo duas empanadas e uma taça de vinho. O menu executivo sai por 300 pesos (R$ 21).

Depois de almoçar,  conhecer o bairro de San Telmo é uma ótima pedida. Dá para ir a pé até o Museu de Arte Moderna , visitar um pequeno Museu de Cera, conhecer lojinhas e brechós e chegar até a praça de San Telmo que tem uma feira de artesanato muito popular.

No fim da noite, vale passar no Instituto Mercedes Sosa para assistir ao espetáculo Ao Ver Verás , uma projeção de luzes e curta-metragens nas paredes de um convento de 1.700. A entrada para o espetáculo custa 500 pesos (R$ 35) e estará em cartaz durante todo o ano.

Dia 3: Malba + El preferido + visita guiada em Colegiales +ronda de bares

No último dia em Buenos Aires você não pode deixar de conhecer o museu Malba , onde está exposta a obra Abaporu, de Tarsila do Amaral. O espaço é pequeno e dá para visitar rápido. Além da artista brasileira, outros grandes nomes como Frida Kahlo e Di Cavalcanti também estão no museu. A entrada custa 280 pesos (R$ 20) para adultos e 140 (R$ 10) para estudantes e professores. O museu é aberto de quinta à segunda das 12h às 20h e nas quartas das 12h às 21h.

Na pausa do almoço, outro espaço tradicional da cidade: o El Preferido . Com a oportunidade de almoçar na calçada ou dentro do salão, no restaurante são utilizados apenas produtos orgânicos e os embutidos são feitos artesanalmente. No menu destacam-se o melão com jamón e as panquecas com doce de leite. Os pratos mais simples custam 200 pesos (R$ 14) e, o mais sofisticado, 1.300 pesos (R$ 93).

Durante a tarde, experimente passear pelo bairro Colegiales. O Ente de Turismo de Buenos Aires realiza visitas guiadas todos os dias, sendo às 11h em inglês e às 17h em espanhol. O valor do tour varia de 200 a 300 pesos (R$ 14 a R$ 21) e é necessário agendamento no site Travel Buenos Aires. Por lá o turista encontrará o Mercado de las Pulgas e a lanchonete Chori .

Especialista em “choripan gourmet” a lanchonete faz os famosos lanches com linguiça em vários recheios. Cada lanche custa 260 pesos (R$ 18). No Chori o turista também pode experimentar o fernet, uma bebida tradicional da Argentina misturada com coca-cola.

Iniciando a noite, dá para se despedir de Buenos Aires com alguns drinks legais. O bar Sifón , no bairro de Chacarita, tem uma decoração rústica e recebe um público jovem. Por lá as bebidas são feitas a base de soda (água com gás) e toda mesa recebe seu sifón. O preço 75 até 500 pesos (R$ 5 até R$ 35).

Para fechar a rota de bares, visite o La Fuerza , especialista em Vermú, bebiba alcoólica a base de vinho. Por lá o turista tem três opções: vermelho, branco ou primavera, todos por 170 pesos (R$ 12). O bar também oferece petiscos a preços baixos.

Onde se hospedar?

O bairro de Palermo é um dos melhores para hospedagem e se você é jovem e quer unir baixo preço e conforto, umaopção é o hostel Selina . Localizado em Soho, o estabelecimento tem 200 camas entre quartos compartilhados e privados, cozinha compartilhada, biblioteca e até cinema.

O Selina tem no 10º andar um rofftop para quem está hospedado e para os demais frequentadores da cidade. No térreo, os hóspedes têm disponível uma lojinha de roupas e alimentos, além de um pequeno restaurante para o café da manhã. Aulas de yoga e bicicletas também são disponibilizadas.

Leia também: Destinos “instagramáveis” para conhecer na Espanha

O valor da estadia no hostel Selina em Buenos Aires depende do tamanho do quarto. Uma projeção de permanência para três pessoas – entre 28 de fevereiro e 2 de março – por quatro dias e café da manhã incluído, custa 23.604 pesos (R$ 1.510).

Para quem não quer ficar num hostel, outra opção é se hospedar no Alvear Palace no bairro de Recoleta. Numa projeção de sete dias, feita no TripAdvisor, a hospedagem para um casal sai por R$ 1.774. Para aqueles que preferem o combo café da manhã + hospedagem, o Hotel Madero oferece tudo por R$ 1.137 para um casal.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Turismo

Cama dentro do avião? Companhia inova no conforto dos passageiros

Avatar

Publicado


source

Já imaginou viajar de avião deitado numa cama? Essa “mordomia” será testada pela companhia aérea Air New Zealand, da Nova Zelândia, nas classes econômicas de voos comerciais.

camas arrow-options
Divulgação

A Air New Zealand está pensando no conforto dos passageiros em voos de longa duração

Leia também: 10 dicas para você virar especialista em aeroportos

A rota sorteada para o teste das camas beliche no avião será Auckland – Nova York. O trecho tem duração de 16 horas e deve ser uma ajuda para os passageiros. Mas o melhor é: os viajantes devem pagar o valor normal da classe econômica, sem adicionais pelo conforto.

Chamado de Economy Skynest, o projeto conta com camas de 1,90 metros equipadas com cobertor, lençol, travesseiro e protetor de ouvido. Até uma cortina será instalada para separar um passageiro do outro. Se der certo, os aviões da Air New Zealand terão um espaço reservado para as beliches.

Segundo Nikki Goodman, diretor de experiência do cliente da companhia aérea, detalhes devem ser definidos nos próximos meses. “Queremos que as pessoas possam descansar no voo. Ainda há trabalho a ser feito em design e também em como vamos comercializar o produto para os passageiros “, disse em nota oficial.

camas arrow-options
Divulgação

As camas estarão equipadas de lençol, cobertor e travesseiro, além de cortinas se separam os passageiros

Leia também: O que você precisa saber antes de viajar numa low cost?

O preço da passagem aérea que incluirá o serviço de beliches ainda não foi divulgado. A companhia espera definir os valores até outubro. A expectativa é que as camas possam ser reservadas por períodos, possibilitando que um número maior de passageiros possa aproveitar o serviço. Gostou da ideia?

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana