conecte-se conosco


Política Nacional

Por engano, tribunal mandar soltar Paulo Melo e Albertassi da prisão

Avatar

Publicado

source
Fachada do TRF-2 arrow-options
Reprodução

Tribunal falou em “erro material” nos pedidos de soltura

Por um erro, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região ( TRF-2 ) mandou soltar os ex-deputados Paulo Melo e Edson Albertassi da cadeia, conforme publicou o colunista Lauro Jardim. Na última quarta-feira (11), a 1ª Turma Especializada do Tribunal liberou os dois ex-parlamentares da prisão preventiva na operação Furna da Onça , que levou outros deputados para a cadeia. Como eles estão presos também por conta da operação Cadeia Velha , na prática, a situação deles não muda.

O TRF-2 informou que, por um erro material, o alvará de soltura saiu com os números dos processos da Furna da Onça e, indevidamente, com o da Cadeia Velha. O erro será corrigido pelo tribunal, que ainda não explicou como procedimento. Eles foram soltos nesta sexta-feira, mas terão de voltar a cumprir a prisão.

Leia também: Tribunal Superior Eleitoral aprova criação do 33º partido do país 

Em paralelo à decisão do TRF-2 e antes da confusão, o juiz da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, Rafael Estrela, autorizou que Paulo Melo cumpra o restante de sua pena no regime semiaberto. A informação foi publicada pela coluna de Lauro Jardim. A justificativa é de que Melo “cumpriu o tempo de pena necessário para progredir de regime em 07/12/2019”, e que “sua ficha disciplinar atual não noticia faltas graves”. Albertassi terá direito ao mesmo benefício a partir de fevereiro. Picciani está em prisão domiciliar por conta de problemas de saúde.

A operação Cadeia Velha ocorreu em novembro de 2017, apurou pagamentos de propina pela Fetranspor e teve Picciani, Albertassi e Paulo Melo como alvos. A Furna da Onça expandiu as investigações da Cadeia Velha, aconteceu um ano depois e levou outros sete deputados para a prisão.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook

Política Nacional

AGU diz ser contra federalização de caso Marielle após Moro mudar de posição

Avatar

Publicado

source
sérgio moro arrow-options
Agência O Globo / Fotoarena

Ministro da Justiça Sérgio Moro

A Advocacia-Geral da União ( AGU ) se manifestou contra o deslocamento da competência da investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes da esfera estadual (Rio de Janeiro) para a federal. No documento enviado ao Superior Tribunal de Justiça na segunda-feira, a AGU usa argumentos enviados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado por Sergio Moro .

Leia mais: Moro muda de opinião e agora é contra federalizar caso Marielle

A mudança de competência foi solicitada pela ex-procuradora-geral da República Raquel Dodge, antes de deixar o cargo, em setembro de 2019. O STJ deve julgar este ano o pedido.

O ministro Sergio Moro chegou a se manifestar pela federalização no ano passado, mas mudou de opinião após o posicionamento da família de Marielle. No início deste ano, familiares da vereadora assassinada pediram que o caso seguisse no Rio, pois confiam nas investigações do Ministério Público estadual e temem intereferência do governo federal, como explicado em carta ao STJ.

Leia também: “Um monte de bobajarada”, diz Sérgio Moro sobre a Vaza Jato

Em entrevista ontem no programa Roda Viva, Moro disse que mudou de opinião após saber da posição da família de Marielle e afirmou que o governo federal e o presidente Jair Bolsonaro são um dos maiores interessados na elucidação do crime.

“O governo federal é o maior interessado em elucidar esse crime. O governo federal é cobrado por fóruns internacionais até politicamente por essa apuração. O presidente é um dos grandes interessados, porque tentaram envolver fraudulentamente o nome dele anteriormente”, disse o ministro para concluir: “Se os familiares das vítimas se posicionam contra e ainda levantando uma hipótese, embora infundada, de que o governo federal teria intreresse de obscurecer isso, é melhor que fique lá no estado do Rio com a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio. E eventualmente, nós damos o suporte que for possível para auxiliar as investigações. Mas não tenha dúvidas que o governo não tem o menor interesse em proteger os mandates desse assassinato”.

Leia mais: “Ele dá grande liberdade aos jornalistas”, diz Moro em defesa de Bolsonaro

Se o processo for federalizado, ele sairá da Justiça Estadual e irá para a Justiça Federal. Com isso, a investigação passaria da Polícia Civil e do Ministério Público do estado para a Polícia Federal (PF) e para o Ministério Público Federal (MPF).

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

PSDB deseja “sorte” a Regina Duarte e provoca o PT

Avatar

Publicado

source

IstoÉ

Regina Duarte arrow-options
Divulgação

Legenda ironizou quem está reclamando da ida da atriz para o governo.

O PSDB comentou nesta terça-feira (21) a ida da atriz Regina Duarte para a Secretaria da Cultura do governo Bolsonaro. Pelo Twitter, o partido desejou “sorte e bom trabalho” para a atriz.

Leia também: Fundação de Direitos Humanos homenageia Lula e o considera perseguido político

A legenda também ironizou quem tem reclamado da ida da atriz para o governo. “Está reclamando de Regina Duarte no Ministério da Cultura? Se fosse com o PT seria o José de Abreu ”, escreveu o partido

Na segunda-feira, a atriz se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro. Ela deve ir a Brasília na próxima quarta-feira (22) para conhecer a estrutura da pasta. “Estamos noivando”, disse a artista após o encontro, informou a Secretaria de Comunicação da Presidência.

José de Abreu alfineta Regina Duarte

Desde que Regina foi convidada a assumir a pasta, o ator José de Abreu tem publicado diversas alfinetadas contra a atriz.
Em uma das postagens no Instagram, José de Abreu compartilhou um trecho de uma entrevista de Regina ao jornal O Estado de S.Paulo e escreveu: “A mulher ideal para participar do governo nazista-homofóbico-miliciano”.

Leia também: Jovens se penduram em paus de arara para protestar contra ditadura 

Na entrevista, a atriz fez elogios a Bolsonaro. “Quando conheci Bolsonaro, encontrei um cara doce, um homem dos anos 50, que faz brincadeiras homofóbicas, mas da boca pra fora, um jeito masculino que vem desde Lobato, que chamava o brasileiro de preguiçoso e dizia que lugar de negro é na cozinha. Sem nenhuma maldade”, disse a atriz antes do segundo turno das eleições de 2018.

Em outra postagem, José de Abreu destacou outra frase de uma entrevista de Regina, dessa vez para o Portal Uol: “Nunca é demais lembrar o tanto de respeito que este governo tem pelo seu povo”.

O ator comentou: “Seu povo, o povo dele, não o povo brasileiro: ministros analfabetos, milicianos, corruptos, nazistas, militares e policiais assassinos, torturadores, pedófilos. Realmente, ela está preparada para o cargo: #aceitaregina”.

Mais tarde, José de Abreu compartilhou uma foto da atriz com Bolsonaro e brincou: “Breaking Faking News: Regina Duarte exige a recriação do Ministério da Cultura para participar do governo. ‘Sempre fui a protagonista, não será agora que vou ser a secretária. Quase não tem fala!’”.

“Na verdade o salário de Ministro é 36 mil e de Secretário 15 mil”, concluiu o ator no post.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana