conecte-se conosco


''A ponte caiu''

Lulinha usou empresas falsas para dissimular operações milionárias, diz Receita

Avatar

Publicado

LLF
Receita Federal / Divulgação

Sede da LLF Participações.

A empresa Gamecorp , que tem como sócio Fábio Luís Lula da Silva , mais conhecido como Lulinha, contratou empresas inexistentes para dissimular lucros milionários. O esquema filho do ex-presidente Lula foi descoberto por uma equipe especial de fiscalização da Receita Federal, de acordo com a revista Veja .

As declarações de renda de Lulinha referente aos anos de 2013 a 2015 apontam que a Gamecorp fez repasses de 2,8 milhões para a G4 Entretenimento e Tecnologia Digital e  a LLF Participações. Lucros isentos de tributação foram distribuídos no montante de 2,9 milhões de reais.

Leia mais: Caixa reduz juros para financiamento da casa própria e cheque especial

“Além da anormalidade de contratante e contratado serem a mesma pessoa, chama a atenção os valores envolvidos, muito acima daqueles pagos às demais prestadoras de serviços”, diz a Receita .

A Fisco acredita que a transação foi realizada para Lulinha com o intuito de que o empresário deixasse de pagar tributos. O órgão fez uma representação fiscal para fins penais, que pode se transformar em processo e se converter em uma pena de dois a cinco anos de prisão em regime fechado. Mais quatro empresas que negociaram com a Gamecorp também não existiram, incluindo empresas da área de engenharia.

“Os serviços foram prestados por estas duas empresas, G4 e LLF, na pessoa de Fábio Luís , o qual, desta forma, contratou a si mesmo através de duas empresas diferentes no período, de forma contínua e não cumulativa, recebendo remuneração para executar as mesmas atividades que realizava enquanto diretor presidente da Gamecorp ”, segundo o relatório apresentado pelo órgão federal.

Leia também: Sol em crença, ascendente em negócios: o mercado crescente da astrologia

Ao ir em busca das empresas contratadas pela firma em que o filho de Lula é sócio, a Receita Federal descobriu sobre a “inexistência fática das prestadoras de serviço”. O órgão dedicou um capítulo exclusivo sobre o fato no relatório do caso.

O que existe no domicílio tributário informado pela prestadora de serviço LLF Participações é um terreno vazio, murado, com uma antena parabólica no lote. “A LLF nem mesmo possui empregados em qualquer época”, segundo a Receita Federal .

O filho do ex-presidente petista Luis Inácio Lula da Silva também é alvo de uma nova fase da Operação Lava Jato, que tem como foco investigar se o dinheiro recebido por Lulinha foi usado para pagar a compra do sítio de Atibaia.

Comentários Facebook

''A ponte caiu''

Policia Federal desmonta quadrilha de tráfico de drogas e 4 são presos

Avatar

Publicado

Operação Coincidere deve cumprir cinco mandados de busca e apreensão e 4 de prisão temporária em Cuiabá, Cáceres e São Paulo, decretados pela Justiça Federal de MT.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (4), a  “Operação Coincidere”,  contra uma organização criminosa voltada ao tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Estão sendo cumpridos 5 mandados de busca e apreensão e 4 de prisão temporária, nas cidades de Cuiabá, Cáceres e São Paulo, deferidos pela Seção Judiciária da Justiça Federal do Estado de Mato Grosso.

Durante a investigação, a PF identificou organização criminosa estabelecida na região de fronteira de Mato Grosso com a Bolívia, com atuação consistente na internacionalização de grandes cargas de cocaína vindas daquele país, com posterior remessa da droga à Europa, via portos. A droga era trazida da Bolívia via modal aéreo, e posteriormente enviada aos portos mediante utilização de caminhões com compartimentos especialmente preparados.

No decorrer da investigação, foram efetuados duas prisões em flagrante e três apreensões que totalizaram aproximadamente 700kg de cocaína. Na última apreensão, após abordagem realizada pela FAB (Força Aérea Brasileira), a aeronave realizou pouso forçado em Barão de Melgaço e foi incendiada pelo piloto, mas foi possível encontrar vestígios do entorpecente (cocaína) no local dos fatos.

Comentários Facebook
Continue lendo

''A ponte caiu''

Em operação conjunta, PRF e Polícia Civil apreendem 186 kg de pasta base

Avatar

Publicado

Somente nessa apreensão prejuízo ao narcotráfico foi de mais de 23 milhões de reais

Na manhã desta quinta-feira (30), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em operação conjunta com a Polícia Civil (DRE – Delegacia de Repressão a Entorpecentes) de Mato Grosso, apreendeu aproximadamente 186,36 kg de substância análoga a pasta base de cocaína em Ipiranga do Norte/MT.

Através de policiamento orientado por inteligência, as equipes abordaram o veículo Ford/F-350, com placas de Várzea Grande/MT que era conduzido por um homem de 31 anos. Em buscas no veículo, foi encontrado um fundo falso, sob a carroceria, onde estavam escondidos 180 tabletes do entorpecente.

O condutor afirmou que seria a terceira vez que realiza o transporte do entorpecente, e que receberia certa quantia em dinheiro para fazer levar a droga de Juara/MT, até Itaberaí/GO.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes em Cuiabá.

SECOM PRF MT

 

 

 

 

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana