conecte-se conosco


Turismo

Dicas essenciais para aproveitar ao máximo a área de Star Wars na Disney

Avatar

Publicado

Já pensou em entrar no mundo de Star Wars e fazer parte de uma galáxia muito, muito distante? Essa é a proposta da área dedicada à franquia no Disney’s Hollywood Studios, um dos parques da Disney em Orlando, Estados Unidos. A land   “Star Wars Galaxy’s Edge” é a maior área temática do complexo Disnet, somando 5,1 hectares só de Guerra nas Estrelas.

Star Wars arrow-options
Aretha Martins / Portal iG

Uma das naves da Resistência em tamanho real presentes em Star Wars Galaxy’s Edge

O iG Turismo foi para a inauguração da nova atração do local, a  Rise Of The Resistance . E depois lutar contra a Primeira Ordem e passar dois dias no universo Star Wars ,  decidimos criar um guia para ajudar quem pretende visitar a área a aproveitar tudo da forma mais intensa e completa possível.

Disney na palma da mão

Atenção: para melhorar sua passagem em qualquer parque da Disney , é essencial usar a abusar do aplicativo My Disney Experience. Lá você poderá ver tempo de espera para cada atração, explorar um mapa do parque, ver suas fotos nas atrações e até pedir comida.

Também não deixe de fazer seu FastPass, o “fura-fila” da Disney. Ele já faz parte do ingresso dos parques, e turistas hospedados dentro de resorts da Disney podem marcar o FastPass pelo My Disney Experience com 60 dias de antecedência. Já quem está hospedado fora tem 30 dias antes da data da viagem para agendar seu horário na atração.

No caso de Star Wars, no app, o visitante ainda pode interagir com Droid’s, traduzir escritas no alfabeto de Aurebesh, explorar conteúdo dos containers para colecionar itens virtuais e muito mais. Uma curiosidade interessante é que essa land foi a primeira construída para interagir diretamente com o aplicativo.

Atrações imperdíveis e dicas para aproveitá-las ao máximo

Rise Of The Resistance

Stormtroopers na nova atração de Star Wars arrow-options
Jade Lourenção/ Portal IG

Stormtroopers na nova atração de Star Wars

A mais nova atração do parque cumpre o que era prometido desde o seu anúncio e é a mais imersiva de toda a Disney. Montanha-russa, simuladores, robôs, hologramas e interações durante a entrada no brinquedo fazem a diferença para quem é fã da saga e conquistam aqueles que não são tão chegados assim. 

Para curtir 100% da atração recomendamos deixar o celular bem guardado e reparar em todos os detalhes, desde o momento em que entrar na nave até a parte do carrinho. Dependendo do veículo que o visitante é direcionado ele tem a visões diferentes, e pode perceber detalhes que só serão vistos por quem estiver com a atenção totalmente direcionada ao momento. 

Millennium Falcon: Smugglers Run

É possível pilotar a Millennium Falcon em Star Wars Galaxy's Edge arrow-options
Disney/Divulgação

É possível pilotar a Millennium Falcon em Star Wars Galaxy’s Edge

Outra atração na land é poder, de fato, pilotar a nave de Han Solo. Uma Millennium Falcon em tamanho real ocupa grande espaço da Star Wars Galaxy’s Edge, e o visitante tem a oportunidade de entrar e assumir o posto do personagem de Harrison Ford

Mas a atração não acaba por aí. O turista pode também ser um engenheiro ou um atirador durante a experiência.

O desafio desta atração é manter a nave intacta. Conforme o tempo passa, os tripulantes “navegam”, encontram desafios que podem tirar ou agregar pontuação, como se estivesse em jogo de videogame. No fim é possível ver fisicamente o estrago feito: pontos de fogo, falta de luz e até gás saindo de partes da Millennium se os pilotos, atiradores e engeheiros não tiverem sido tão bons.

A experiência realmente varia de acordo com a pontuação, ou seja, uma “ida à atração” provavelmente não será igual e outra. E a dica por aqui é ficar atento às cores do painel da nave, por são elas que indicam qual botão apertar ou qual alavanca puxar. E se for o piloto, lembre-se: as alavancas que comandam a nave são bem sensíveis. 

Oga’s Cantina

Centro de Oga's Cantina arrow-options
Jade Lourenção/ Portal IG

Centro de Oga’s Cantina

Este bar temático é um dos mais disputados dentro da land de Star Wars. Por isso, também é altamente recomendado fazer uma reserva de dia e horário para entrar – mais uma vez, use o aplicativo da Disney para isso. O mais legal no espaço é o droid DJ R-3X, um ex-piloto de Starspeeder 3000.

O bar serve comidas e bebidas – os grandes chamativos são as bebidas com álcool:

  • Bloody Rancor (Vodca Tito’s Handmade, licor de pimenta-poblano, mix de Bloody Mary apimentado e osso de Rancor)
  • Spiran Caf (Café orgânico peruano de Alto Mayo da Joffrey’s Coffee, marmelada de laranja, rum Gosling’s 151, chantili de baunilha e raspas de frutas cítricas).

Para comer, a cantina oferece duas opções: os Aveia Rising Moons (aveia, pitaia, iogurte e fruta da estação) e o Pãozinho de canela Mustafarian, que é descrito no cardápio como uma “delícia doce intergaláctica”. 

Mercado de Black Spire Outpost

star wars arrow-options
Aretha Martins/iG

Mercado de Black Spire Outpost

Por esse loca, que parece uma vila, você pode explorar diversas lojas com conteúdos temáticos da saga, desde roupas – mantos Jedi e cintos para carregar sabres de luz, por exemplo – até imãs, pelúcias de Porgs, e outros animais típicos de Star Wars.

Loja em Black Spire Outpost arrow-options
Disney / Divulgação

Loja em Black Spire Outpost

O mercado de Black Spire Outpost foi baseado nos famosos comércios a céu aberto do Oriente Médio. Os responsáveis pela criação de Galaxy’s Edge passaram semanas em diversos mercados de pulgas, tirando fotos das mercadorias, da arquitetura e dos vendedores, para fazer com que a experiência de quem estivesse ali fosse a mais próxima da realidade possível – mas com produtos relacionados a saga. 

Coca-Cola especial de Star Wars arrow-options
Aretha Martins / Portal iG

Coca-Cola especial de Star Wars

Uma das coisas mais legais dessa área e que está disponível em diversos carrinhos em Galaxy’s Edge é a Coca-Cola de Star Wars. A embalagem foi criada especialmente para a land de Guerra nas Estrelas, e tem um formato diferente das comuns.

Droid Depot

Droids em Droid Depot arrow-options
Jade Lourenção/ Portal IG

Droids em Droid Depot


A land ainda conta com algumas experiências que são pagas a parte. Aqui, o visitante pode construir seu próprio Droid. São oferecidos dois tipos de robô: R e BB, como R2D2 e BB8.

Depois de escolher qual modelo quer, o “construtor” recebe uma cesta com instruções de quais peças precisará, e é direcionado para uma esteira com partes de droids de diversas cores.

O robô pode ser customizado desde a montagem até sua voz – que pode ser mudada comprando um chip a parte. Para montar seu Droid é necessário marcar horário e pagar aproximadamente US$ 99 (cerca de R$400).

Savi’s Workshop

Sabre de luz que pode ser construido em Savi's Workshop arrow-options
Disney/Divulgação

Sabre de luz que pode ser construido em Savi’s Workshop

Semelhante à experiência anterior, neste local o turista poderá construir seu sabre de luz. O momento é mágico, e começa com a escolha de um entre os quatro tipos: Peace and Justice, Power and Control, Elemental Nature e Protection and Defense. E, também assim como a montagem do droid, construir o sabre de luz tem preço: US$ 200 (R$800, aproximadamente).

Depois, o visitante é direcionado a uma sala em que um cast member explica todo o processo, o que significa a cor de cada saber (azul, verde, roxo e vermelho) e pede para que cada um escolha seu cristal Kyber – que é responsável pela cor.

Uma bandeja é colocada na frente de cada pessoa com peças ligadas à escolha do tipo de arma feita no começo, e cabe ao turista montar o sabre com os pedaços que mais o agradam.

*Repórter viajou a convite da Walt Disney Company

Comentários Facebook

Turismo

Um roteiro barato e diferente de 3 dias por Buenos Aires

Avatar

Publicado


source

Buenos Aires é uma cidade que sempre aparece nos destinos mais em conta para os brasileiros. Próxima ao sul do país, é uma ótima opção, por exemplo, para curtir em feriado de curta duração.

Leia também: De SP a Buenos Aires economizando 86% – saiba como é viajar numa low cost

Já que em 2020 serão seis feriados prolongados, o iG Turismo montou um roteiro de três dias pela capital argentina por locais pouco explorados pelos turistas. Detalhe: a rota por Buenos Aires  inclui visitadas que cabem no bolso e tornam sua estadia mais agradável.

Dia 1: Reserva Ecológica + Avenida Corrientes e Pizzaria Guerrín + Los Galgos

Buenos Aires tem bairros muito arborizados e locais tranquilos no meio do agito da cidade. Quem busca ter mais contato com a natureza precisa conhecer a Reserva Ecológica Costanera Sur .

Com mais de 350 hectares de área e uma infinidade de fauna e flora, a Reserva é muito procurada para observação de pássaros e para a prática de exercícios. Aberta de terça à domingo, a Reserva tem horários especiais de verão e inverno: verão (entre novembro e março) das 08h às 19h; inverno (entre abril e outubro) das 08h as 18h. Dá para marcar visitas guiadas pelo site [email protected] 

Depois de passar o dia ao ar livre, dê uma passada na Avenida Corrientes . Uma espécie de “Avenida Paulista” de Buenos Aires, a via tem um lado fechado para pedestres que se transforma num grande calçadão. Por lá você encontrará dezenas de teatros e livrarias, além de muita comida. Entre as opções para um lanche rápido está a Pizzeria Guerín

Fundada em 1932, a pizzaria vende um generoso pedaço de pizza por 65 pesos argentinos (R$ 4). O prato ainda vem acompanhado de uma fatia de fainá, espécie de massa de grão de bico que combina perfeitamente.

Para o jantar, conheça o restaurante Los Galgos . O estabelecimento é muito tradicional e pode ser acessado a pé da Avenida Corrientes. O cardápio conta com maravilhosos croquetes de espinafre e tortilha espanhola. O preço é acessível. As entradas custam em torno de 300 pesos (R$ 21), os pratos principais 500 pesos (R$ 35) e bebidas a 200 pesos (R$ 14).

Dia 2: Pulpería Quilapán + San Telmo + Espetáculo Ao Ver Verás


A vida em Buenos Aires só começa depois das 10h da manhã. Então caso queira começar seu roteiro já no almoço, a melhor opção é a Pulpería Quilapán . O restaurante administrado pelo francês David Boree fica num prédio com mais de 300 anos onde já funcionou um cortiço. A decoração é diferente e, ao mesmo tempo, acolhedora.  

O destaque vai para a experiência de fazer suas próprias empanadas salteñas e comê-las. O chefe colombiano Rafael ministra uma rápida aula de cozinha aos turistas que agendam horário no site da Pulpería ou pelo TripAdvisor por 550 pesos argentinos (R$ 39) – incluindo duas empanadas e uma taça de vinho. O menu executivo sai por 300 pesos (R$ 21).

Depois de almoçar,  conhecer o bairro de San Telmo é uma ótima pedida. Dá para ir a pé até o Museu de Arte Moderna , visitar um pequeno Museu de Cera, conhecer lojinhas e brechós e chegar até a praça de San Telmo que tem uma feira de artesanato muito popular.

No fim da noite, vale passar no Instituto Mercedes Sosa para assistir ao espetáculo Ao Ver Verás , uma projeção de luzes e curta-metragens nas paredes de um convento de 1.700. A entrada para o espetáculo custa 500 pesos (R$ 35) e estará em cartaz durante todo o ano.

Dia 3: Malba + El preferido + visita guiada em Colegiales +ronda de bares

No último dia em Buenos Aires você não pode deixar de conhecer o museu Malba , onde está exposta a obra Abaporu, de Tarsila do Amaral. O espaço é pequeno e dá para visitar rápido. Além da artista brasileira, outros grandes nomes como Frida Kahlo e Di Cavalcanti também estão no museu. A entrada custa 280 pesos (R$ 20) para adultos e 140 (R$ 10) para estudantes e professores. O museu é aberto de quinta à segunda das 12h às 20h e nas quartas das 12h às 21h.

Na pausa do almoço, outro espaço tradicional da cidade: o El Preferido . Com a oportunidade de almoçar na calçada ou dentro do salão, no restaurante são utilizados apenas produtos orgânicos e os embutidos são feitos artesanalmente. No menu destacam-se o melão com jamón e as panquecas com doce de leite. Os pratos mais simples custam 200 pesos (R$ 14) e, o mais sofisticado, 1.300 pesos (R$ 93).

Durante a tarde, experimente passear pelo bairro Colegiales. O Ente de Turismo de Buenos Aires realiza visitas guiadas todos os dias, sendo às 11h em inglês e às 17h em espanhol. O valor do tour varia de 200 a 300 pesos (R$ 14 a R$ 21) e é necessário agendamento no site Travel Buenos Aires. Por lá o turista encontrará o Mercado de las Pulgas e a lanchonete Chori .

Especialista em “choripan gourmet” a lanchonete faz os famosos lanches com linguiça em vários recheios. Cada lanche custa 260 pesos (R$ 18). No Chori o turista também pode experimentar o fernet, uma bebida tradicional da Argentina misturada com coca-cola.

Iniciando a noite, dá para se despedir de Buenos Aires com alguns drinks legais. O bar Sifón , no bairro de Chacarita, tem uma decoração rústica e recebe um público jovem. Por lá as bebidas são feitas a base de soda (água com gás) e toda mesa recebe seu sifón. O preço 75 até 500 pesos (R$ 5 até R$ 35).

Para fechar a rota de bares, visite o La Fuerza , especialista em Vermú, bebiba alcoólica a base de vinho. Por lá o turista tem três opções: vermelho, branco ou primavera, todos por 170 pesos (R$ 12). O bar também oferece petiscos a preços baixos.

Onde se hospedar?

O bairro de Palermo é um dos melhores para hospedagem e se você é jovem e quer unir baixo preço e conforto, umaopção é o hostel Selina . Localizado em Soho, o estabelecimento tem 200 camas entre quartos compartilhados e privados, cozinha compartilhada, biblioteca e até cinema.

O Selina tem no 10º andar um rofftop para quem está hospedado e para os demais frequentadores da cidade. No térreo, os hóspedes têm disponível uma lojinha de roupas e alimentos, além de um pequeno restaurante para o café da manhã. Aulas de yoga e bicicletas também são disponibilizadas.

Leia também: Destinos “instagramáveis” para conhecer na Espanha

O valor da estadia no hostel Selina em Buenos Aires depende do tamanho do quarto. Uma projeção de permanência para três pessoas – entre 28 de fevereiro e 2 de março – por quatro dias e café da manhã incluído, custa 23.604 pesos (R$ 1.510).

Para quem não quer ficar num hostel, outra opção é se hospedar no Alvear Palace no bairro de Recoleta. Numa projeção de sete dias, feita no TripAdvisor, a hospedagem para um casal sai por R$ 1.774. Para aqueles que preferem o combo café da manhã + hospedagem, o Hotel Madero oferece tudo por R$ 1.137 para um casal.

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Turismo

Cama dentro do avião? Companhia inova no conforto dos passageiros

Avatar

Publicado


source

Já imaginou viajar de avião deitado numa cama? Essa “mordomia” será testada pela companhia aérea Air New Zealand, da Nova Zelândia, nas classes econômicas de voos comerciais.

camas arrow-options
Divulgação

A Air New Zealand está pensando no conforto dos passageiros em voos de longa duração

Leia também: 10 dicas para você virar especialista em aeroportos

A rota sorteada para o teste das camas beliche no avião será Auckland – Nova York. O trecho tem duração de 16 horas e deve ser uma ajuda para os passageiros. Mas o melhor é: os viajantes devem pagar o valor normal da classe econômica, sem adicionais pelo conforto.

Chamado de Economy Skynest, o projeto conta com camas de 1,90 metros equipadas com cobertor, lençol, travesseiro e protetor de ouvido. Até uma cortina será instalada para separar um passageiro do outro. Se der certo, os aviões da Air New Zealand terão um espaço reservado para as beliches.

Segundo Nikki Goodman, diretor de experiência do cliente da companhia aérea, detalhes devem ser definidos nos próximos meses. “Queremos que as pessoas possam descansar no voo. Ainda há trabalho a ser feito em design e também em como vamos comercializar o produto para os passageiros “, disse em nota oficial.

camas arrow-options
Divulgação

As camas estarão equipadas de lençol, cobertor e travesseiro, além de cortinas se separam os passageiros

Leia também: O que você precisa saber antes de viajar numa low cost?

O preço da passagem aérea que incluirá o serviço de beliches ainda não foi divulgado. A companhia espera definir os valores até outubro. A expectativa é que as camas possam ser reservadas por períodos, possibilitando que um número maior de passageiros possa aproveitar o serviço. Gostou da ideia?

Fonte: IG Turismo

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana