conecte-se conosco


Tecnologia

Microsoft anuncia Xbox Series X no Game Awards; assista ao vídeo

Avatar

Publicado

source

Olhar Digital

Xbox Series X arrow-options
Reprodução

Microsoft anunciou o Xbox Series X durante o Game Awards


O ” The Game Awards ” é considerado a premiação mais importante dos videogames – alguns até dizem que o evento equivale ao Oscar. A premiação se tornou bastante popular nos últimos anos. Por esse motivo, diversas empresas esperam até esta data para realizar anúncios importantes. Esse é o caso da Microsoft , que anunciou o nome e divulgou o design de seu próximo console: o Xbox Series X .

Leia também: Game Awards 2019: Oscar dos games vai oferecer 48h de jogos gratuitos


Como já havia sido informado, o console chega às lojas no final de 2020, mas a empresa já se adiantou e revelou o seu tão esperado videogame . Ele já havia sido anunciado durante a E3 2019, porém, até então, era conhecido apenas como Project Scarlett .

Um fato curioso sobre a aparência do console é seu design , que lembra bastante uma CPU . Ainda não se sabe se isso terá alguma influência na funcionalidade, mas isso faz com que ele tenha um dos formatos mais curiosos que um videogame já recebeu.

Leia também: Vídeo revela novo design do PlayStation 5; assista

Phil Spencer, chefe da divisão Xbox , anunciou o novo console mas não deu muitas outras informações sobre seu hardware – entretanto, alguns vazamentos podem ter confirmado suas especificações.

Junto ao anúncio, a empresa mostrou alguns frames de games conhecidos dos jogadores, os gráficos apresentados são impressionantes, e podem dar uma ideia sobre a potência do console .

Novas informações sobre o Xbox Series X devem surgir nos próximos meses. Espera-se que a Microsoft faça uma apresentação mais completa, com diversos detalhes do dispositivo, durante a E3 2020, que acontece entre os dias 9 e 11 de junho.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook

Tecnologia

Sob a pele: conheça o biochip que pode controlar a casa e detectar doenças

Avatar

Publicado

source

IstoÉ

biochip arrow-options
Divulgação

Biochip é implantado sob a pele da mão


Quando Thiago Bordini chega à New Space, startup paulista em que exerce a função de diretor de inteligência cibernética , basta encostar o dorso de uma das mãos no leitor da catraca de entrada para ter o acesso liberado.

Todos os itens em que se faz necessário reconhecer o funcionário, como bater ponto e liberar salas e senhas, são disponibilizados dessa forma. A integração pessoa máquina ganha contornos de realidade.

Leia também: Black Mirror? Aplicativo de namoro é desenvolvido com base no DNA dos usuários

Foi implantado um biochip no dorso de cada uma das mãos de Bordini, entre o polegar e o indicador, área em que sentimos pouca dor, por ter menos terminações nervosas. Esse dispositivo é semelhante a um grão de arroz e foi colocado sob a pele, de forma quase indolor, “como se fosse a aplicação de um piercing”, conta Bordini.

O dispositivo fica dentro de um invólucro de vidro e é inquebrável, bioseguro, não entra em contato direto com corpo e isso impede que a peça passe por um processo de oxidação, causando alguma inflamação. Mas se o usuário quiser, o chip pode ser removido facilmente fazendo uma incisão de 3 a 6 mm para tirá-lo. Funciona com a tecnologia RFID ou identificação por rádio frequência, não tem sistema de GPS e pode durar mais de 20 anos. O seu valor pode chegar a R$ 400.

Leia também: O chip que fez um tetraplégico tocar guitarra

Quando pensamos em sua utilidade mais ampla em uma casa conectada, por exemplo, abrir e fechar portas, ligar eletrodomésticos e o carro, são informações que podem ser armazenadas nas mãos. A ideia do biochip surgiu no final da década de 1980, mas o assunto foi impulsionado em 2005, quando o americano Amal Graafstra começou a usar o produto e se transformou em um propagandista do tema — denominou esse processo de “próxima fase da evolução humana”.

Biochips e o diagnóstico de doenças

A medicina moderna busca personalizar o tratamento e identificar com maior velocidade e precisão os riscos de uma doença aparecer. Com a popularização dessa tecnologia, será possível armazenar todos os dados do paciente . Examinar rapidamente todo o corpo humano, em detalhes, e saber exatamente o que está acontecendo. Essa invenção é capaz de identificar milhares de biomarcadores em uma única análise e prever distúrbios ou suscetibilidade patológica.

No Hospital Universitário de Toulouse, na França, foi desenvolvido um biochip que permite a escolha de um esquema terapêutico com medicamentos de ação direta para combater o vírus da hepatite C e a infecção gonocócica. O Instituto de Pesquisa da Academia Russa de Ciências desenvolveu um dispositivo que reconhece bactérias que causam infecções em órgãos reprodutivos humanos e são resistentes a antibióticos. Sua aplicação permitiu a evolução no tratamento contra gonococos na Rússia. O desenvolvimento e a utilização do biochip não têm volta.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

WhatsApp desiste de exibir publicidade na página principal

Avatar

Publicado

source

Olhar Digital

WhatsApp arrow-options
shutterstock

WhatsApp não vai mais exibir anúncios


Quando o Facebook comprou o WhatsApp , ainda em 2014, a empresa de Mark Zuckerberg afirmou que o usuário iria “continuar a contar com um serviço sem nenhum tipo de propaganda interrompendo a sua comunicação”. Porém, um tempo depois, a rede social mudou seus planos e chegou a inserir os códigos relacionados às propagandas no aplicativo . Agora, segundo o Wall Street Journal , a ideia foi esquecida e o WhatsApp dissolveu a equipe responsável pelo projeto.

Segundo rumores, foi a ideia de inserir propagandas que levou os fundadores do aplicativo a deixarem a empresa. Em 2016, o Facebook começou a compartilhar dados dos usuários do WhatsApp para melhorar a segmentação de anúncios dentro da rede social.

Leia também: WhatsApp é removido da loja de aplicativos do Windows Phone

Vale ressaltar que o Messenger , plataforma de mensagens diretamente ligada ao Facebook , possui anúncios há alguns anos. As propagandas aparecem de diferentes formas, inclusive com pequenos vídeos, mas apenas na página inicial, nunca dentro das conversas.

Apesar disso, os Status ainda devem receber os anúncios em 2020. Não se sabe exatamente como eles irão funcionar, mas imagina-se que seja de forma parecida com as propagandas nos Stories do Instagram e Facebook . Nesses aplicativos, o usuário visualiza as propaganda entre a exibição das fotos e vídeos dos contatos.

O Facebook procura uma forma de melhorar a monetização do aplicativo. O WhatsApp Business , por exemplo, cobra uma pequena taxa por mensagem das empresas. Além disso, está testando uma plataforma de pagamentos na Índia , que possui mais de 400 milhões de usuários.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana