conecte-se conosco


Educação

Inep: 13% das instituições avaliadas em 2018 tiveram baixo desempenho

Avatar

Publicado

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou hoje (12) que 266 instituições de ensino superior no Brasil tiveram desempenho inferior às demais, avaliadas em 2018. Segundo o Inep, autarquia do Ministério da Educação (MEC), 12,9% das instituições de ensino no Brasil tiveram um Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 1 ou 2, em uma escala que vai de 1 a 5.

O índice 3 reúne a maior parte das instituições. Aquelas que tiveram desempenho menor que a maioria recebem conceitos 1 ou 2.

Já as que tiveram desempenho maior que a maioria recebem 4 ou 5. No ano passado, sete instituições de ensino tiveram o índice 1, de pior desempenho, enquanto 259 obtiveram o índice 2. A maior parte – 63,6% das instituições – obteve índice 3, o que representa 1.306 instituições avaliadas. Na outra ponta, 23,3% obtiveram índices 4 ou 5, totalizando 460 instituições de ensino superior.

O IGC é um indicador de qualidade do ensino superior brasileiro. Ele é calculado anualmente e leva em consideração uma série de insumos, como avaliação dos cursos de pós-graduação e distribuição dos estudantes entre cursos de graduação e pós.

Veja Também  Diretor da OEI destaca importância da cultura para a cidadania

Entra no cálculo também o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que é calculado com base na nota dos alunos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), no Indicador de Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD) – que mede o quanto o curso de graduação agregou ao desenvolvimento do estudante – e no perfil dos professores.

Ao todo, 8.520 cursos tiveram o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e 2.052 instituições de ensino tiveram o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) de 2018 divulgados hoje. Os índices obtidos por cada entidade podem ser acessados no site do Inep.

Edição: Kleber Sampaio
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook

Educação

Cursos a distância superam presenciais em nota máxima

Avatar

Publicado

O percentual de cursos de ensino a distância (EaD) com nota máxima superou o de presenciais em avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que mede a qualidade do ensino superior.

Os dados são do indicador ao Conceito Preliminar de Curso (CPC), referentes a 2018, e foram divulgados hoje (12) pelo Inep, vinculado ao Ministério da Educação (MEC).

Ao todo, 2,7% dos cursos EaD obtiveram conceito 5, enquanto apenas 1,6% dos presenciais alcançaram o mesmo patamar. O CPC classifica os cursos em uma escala de 1 a 5. O conceito 3 reúne a maior parte dos cursos. Aqueles que tiveram um desempenho menor que a maioria recebem conceitos 1 ou 2. Já os que tiveram desempenho superior à maioria, recebem 4 ou 5.

Ainda considerando as modalidades de ensino, mais cursos distância (94,5%) obtiveram conceito superior a 3: 94,5%. Entre os cursos presenciais, 86,7% obtiveram conceitos entre 3 e 5. Na relação de cursos com pior desempenho, o CPC 2018 apurou uma maior participação da modalidade presencial. Enquanto 0,4% de cursos presenciais conseguiram conceito 1, o percentual do EaD foi de 0%. Já os cursos com nota 2 representam 5,5% na modalidade EaD e 9,5% entre os presenciais.

Veja Também  Ministério da Educação cria 5 novas universidades e empossa reitores

Desempenho geral

Em 2018, apenas 1,7% dos cursos avaliados (entre presenciais e EaD) ficaram com conceito máximo. Outros 31,7% obtiveram conceito 4. A maioria dos cursos, 56,6%, obteve conceito 3; 9,5% obtiveram conceito 2 e 0,4%, conceito 1, o menor na escala de qualidade.

No total, 8.520 cursos tiveram o Conceito Preliminar de Curso (CPC) em 2018. O CPC é calculado a partir da nota dos estudantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade); do Indicador de Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD) – que mede o quanto o curso de graduação agregou ao desenvolvimento do estudante -; do perfil dos professores, que leva em consideração o regime de trabalho e a titulação; e do questionário aplicado aos estudantes sobre as percepções do processo formativo.

A cada ano um grupo diferente de cursos é avaliado. Em 2018, foram analisadas as seguintes áreas com cursos de bacharelado: administração, administração pública, ciências contábeis, ciências econômicas, design, direito, jornalismo, psicologia, publicidade e propaganda, relações internacionais, secretariado executivo, serviço social, teologia e turismo.

Veja Também  Cursos a distância superam presenciais em nota máxima

Também foram analisados cursos superiores na área de comércio exterior, design de interiores, design de moda, design gráfico, gastronomia, gestão comercial, gestão da qualidade, gestão de recursos humanos, gestão financeira, gestão pública, logística, tecnologia em marketing e processos gerenciais. Os conceitos de cada curso podem ser acessados no site do Inep.

Edição: Kleber Sampaio
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Capes abre 66 mil bolsas para licenciatura e formação de professores

Avatar

Publicado

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) anunciou hoje (12) a abertura de 66 mil vagas para a formação de estudantes de licenciatura e professores da educação básica, a um custo de R$ 325 milhões.

Cinco editais serão publicados, provavelmente no dia 18 de dezembro, visando as formações, por meio de bolsas que serão implementadas a partir de março de 2020.

Dois editais serão dirigidos a graduandos de cursos de licenciatura, sendo um voltado a estudantes na primeira metade do curso, por meio do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid); e o outro a estudantes de licenciatura que estão na segunda metade do curso, por meio do Programa Residência Pedagógica. A estes dois grupos serão destinadas 60 mil bolsas, a um custo total de R$ 305,8 milhões.

Dos três editais restantes, dois serão para formação no exterior (um para professores de língua inglesa, nos Estados Unidos; e um para professores de educação básica, no Canadá). Serão oferecidas 500 vagas para bolsas no exterior, envolvendo instituições estrangeiras parceiras. Nesses casos, a Capes financiará a bolsa da permanência, as passagens aéreas e todos os custos associados à formação.

Veja Também  MEC completa primeira capacitação para escolas cívico-militares

“Com isso o professor da rede se candidata, vai ao exterior, ganha uma formação de altíssimo nível, retorna e transmite conhecimento aos alunos, tornando-se multiplicador com as parcerias que temos com estados e municípios”, disse o presidente da Capes, Anderson Correia, durante a solenidade na qual os editais foram anunciados.

O quinto edital é destinado a docentes da rede pública que não possuem formação em licenciatura na área em que já atuam na sala de aula. A expectativa é a de abrir 150 turmas em licenciatura, que atenderão cerca de 6 mil professores da educação básica. A definição dos locais onde os cursos serão oferecidos depende ainda de um levantamento de demandas das secretarias estaduais e municipais de educação.

Segundo o presidente substituto do Inep, Camilo Mussi, cerca de 60% dos professores dos ensinos fundamental e médio lecionam as matérias nas quais se formaram. “Isso significa que os outros 40% de professores lecionam em matérias diferentes das de sua formação”.

Para Correia, os editais anunciados hoje ajudarão a corrigir “esses problemas históricos e aperfeiçoará a formação dos professores com dificuldades devido à formação”. Segundo o presidente da Capes, serão oferecidos cursos à distância e presenciais a esses professores, por meio de parcerias com universidades.

Veja Também  BNCC é "instrumento poderoso" para ensino de qualidade, diz educadora

O governo trabalha com a expectativa de que esses cursos e bolsas reflitam positivamente nas futuras avaliações, tanto de professores como de alunos. “Melhorar a qualificação e a formação dos professores, certamente impactará diretamente nos resultados das avaliações feitas pelo Inep. Com certeza um professor melhor formado vai impactar nos índices avaliativos”, ressaltou Mussi.

Edição: Valéria Aguiar
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana