conecte-se conosco


APROSOJA

Projeto leva crianças para conhecer dia a dia na fazenda

Avatar

Publicado

Fortalecimento Institucional

Projeto leva crianças para conhecer dia a dia na fazenda

Estudantes das escolas municipais Alcides Visione e Boa Vista, localizadas em Paranatinga

10/12/2019

Para ensinar como são produzidos os alimentos e mostrar o dia a dia dos produtores rurais, cerca de 200 crianças de Paranatinga participaram da primeira edição do projeto “Futuro em Campo”, realizada nos dias 05 e 06 de dezembro, pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). Os pequenos, com idades entre 06 e 14 anos, visitaram a Fazenda Jatobá e conheceram um pouco de cada processo de plantio de soja e criação de bovinos.

Nos dois dias, a programação contou com a participação de estudantes das escolas municipais Alcides Visione e Boa Vista, esta segunda localizada no Distrito de Santiago do Norte.

Os alunos das escolas públicas passaram por estações de conhecimento. Primeiro os pequenos entenderam sobre o plantio de soja, desde a semeadura até a colheita. Conheceram a semente, a planta, os cuidados, e visitaram a lavoura da Fazenda Jatobá. Eles também aprenderam que a soja está presente em diversos alimentos e produtos como óleos, chocolate, suplementos alimentares e até itens de higiene pessoal.

“Gostei muito de participar, de aprender muitas coisas. Eu não sabia que tinha soja no chocolate, agora já sei e vou contar para os meus pais quando eu chegar em casa”, disse Gabriela Vitória, aluna do 9º ano da escola Alcides Visone.

Depois os pequenos adquiriram conhecimento sobre a criação de bovinos, com todas suas etapas. Visitaram os animais, aprenderam sobre alimentação, cuidados com a saúde e abate. “Eu vim aprender muita coisa, não sabia como os gados se alimentavam, não sabia como plantava a soja. Vou falar pra minha casa, ensinar minha mãe e outras pessoas de fora”, contou a estudante Analice Brandit 5º ano.

Para diretora da escola Alcides Visione, Manoela Pacheco, o projeto é uma oportunidade de aprendizado unido a pratica. Além disso, ela explica que o conhecimento adquirido pelos alunos pode despertar o desejo de serem profissionais que atuam no agronegócio brasileiro.  “Nos sentimos lisonjeados em participar. Mesmo sendo uma escola do campo não conseguimos ensinar tantas coisas sobre o campo na sala de aula. Eles podendo visitar, conhecer e aprender em um local diferente nos ajuda a plantar uma semente, despertar eles para serem profissionais no mercado de trabalho que poderão atuar no agronegócio. Acredito que saíram com uma bagagem cheia e com certeza muito felizes”, disse.

A delegada do núcleo agregado de Paranatinga e uma das proprietárias da fazenda Jatobá, Daila Dellai, disse que se sentiu feliz em iniciar o projeto na propriedade dela.  “Eles puderam aprender como produzir o alimento, como ele chega nas mesas, que vai para o mundo. Conseguimos trazer duas escolas e ensinar essas crianças que passaram em diversos setores da fazenda. Alcançamos o objetivo de plantar uma sementinha na vida deles, para que propaguem o que aprenderam para os pais, os coleguinhas, familiares”, comemorou a delegada.

A delegada coordenadora do núcleo de Primavera do Leste, Rosana Galbieri Leal, parabenizou e elogiou a iniciativa da Aprosoja Mato Grosso. “Parabéns aos proprietários da Fazenda Jatobá e a Aprosoja por esse projeto que é lindo. Momento em que a Aprosoja vem até as propriedades com as crianças, mostrar o dia a dia do produtor que alimenta esse país, além de ensinar que o alimento que está na mesa deles vem do campo”, enfatizou.

Presidente da entidade, Antonio Galvan, contou que em 2020 o projeto será ainda mais fortalecido e percorrerá diversos núcleos da Aprosoja Mato Grosso. “Esse projeto é importante, tanto na propriedade, quanto nas feiras como o que houve em Tangara da Serra. Podemos dizer que é um projeto de sucesso da Aprosoja que liga a vida urbana com a rural. E principalmente ensinar de onde sai os alimentos. Com certeza vamos tocar, com apoio dos nossos delegados e apoio dos sindicatos rurais dos municípios”, pontuou Galvan.

O projeto – “Futuro em Campo” nasceu da iniciativa do núcleo de Tangará da Serra, que levou aproximadamente 240 alunos de escolas públicas e privadas do município para conhecer o agro durante a Exposerra de 2019. Os estudantes passavam por estações de conhecimento e viram todo processo do plantio de soja e milho. “Foi um projeto que nasceu lá, agora foi para Paranatinga e a Aprosoja deu total apoio, em 2020 vai ganhar mais corpo, será um projeto da entidade que irá passar por mais núcleos”, finalizou Galvan.

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Comentários Facebook

APROSOJA

Aprosoja promove evento sobre fungicidas biológicos no combate da ferrugem asiática

Avatar

Publicado

Defesa Agrícola

Aprosoja promove evento sobre fungicidas biológicos no combate da ferrugem asiática

vento será realizado na próxima quarta-feira (26.02)

22/02/2020

O uso de fungicidas biológicos e com multissítios (não químicos) para o combate da ferrugem asiática na produção de grãos no Brasil, será tema de encontro promovido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). O evento será realizado na próxima quarta-feira (26.02), às 13h, na sede da entidade e contará com a presença de produtores rurais, especialistas no assunto e órgãos de controle estaduais e federais. 
 
Pesquisa sobre o uso desses insumos não químicos foi realizada no ano passado pela Fundação Rio Verde e Instituto Agris e será apresentada durante o encontro. O estudo mostra análise comparativa entre os plantios de dezembro e fevereiro, a viabilidade do cultivo em fevereiro e, principalmente, a significativa redução da aplicação de fungicidas químicos no plantio realizado nesse período. E apresenta também, dados sobre melhor eficiência no controle de ferrugem asiática com uso de fungicidas biológicos, proporcionando ainda mais sustentabilidade na produção.
 
Além dos técnicos da Aprosoja Mato Grosso e produtores que plantaram soja em fevereiro, estarão presentes outros três especialistas no tema, o professor doutor Erlei Melo Reis, Rogério Viana e Cassiano Seraguci. Também foram convidados para o encontro o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT), Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Casa Civil, Secretaria de Estado de Desenvolvimento (Sedec), e Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). 
 
“Nossa intensão é mostrar para todos os órgãos de controle, bem como para a sociedade que a Aprosoja se preocupa com a sustentabilidade dentro das propriedades, que estamos preocupados e queremos a diminuição de insumos químicos na nossa produção, e que é possível produzir e ao mesmo tempo defender nossa produção com uso de biológicos. É importante que todos participem e conheçam os estudos que propõe essas mudanças”, explicou o produtor rural e presidente da Aprosoja, Antonio Galvan.

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

APROSOJA

STF adia decisão sobre alteração do Convênio 100

Avatar

Publicado

Defesa Agrícola

STF adia decisão sobre alteração do Convênio 100

Na soja o impacto anual de R$ 8 bilhões no custo aos produtores

19/02/2020

O Supremo Tribunal Federal (STF) adiou o julgamento da ação do PSOL, que contesta as isenções de impostos federais e estaduais para agrotóxicos, previsto no Convênio 100. A sessão estava marcada para esta quarta-feira (19.02) e a nova data está prevista para abril.

O benefício fiscal isenta da cobrança de IPI de 24 substâncias e reduz em 60% o ICMS nas operações interestaduais envolvendo 15 tipos de defensivos agrícolas. De acordo com o Ministério da Agricultura, o aumento dos custos de produção pode gerar um impacto de R$ 12 bilhões por ano aos produtores.

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) (é amicus curiae), é parte interessada nesta ação, e já fez aporte de informações aos magistrados mostrando que, no caso da soja, haverá um impacto anual de R$ 8 bilhões no custo aos produtores.

Vice-presidente da Aprosoja Brasil e presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Antonio Galvan comemora a mudança do julgamento. “Felizmente o Supremo transferiu o julgamento para outra data, ainda não informada. Teremos mais tempo para subsidiar a corte com informações sobre os impactos negativos gerados com a mudança no Convênio 100. Com certeza em algum momento isso será transferido ao consumidor final, chegará às gôndolas dos supermercados. Estamos confiantes que os ministros do STF entenderão a importância do Convênio 100”, afirmou.

 

Com Ascom Aprosoja Brasil

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana