conecte-se conosco


Internacional

Irã e Estados Unidos trocam prisioneiros após meses de tensão

Avatar

Publicado

O Irã e os Estados Unidos (EUA) fizeram neste sábado (7) uma troca de prisioneiros, em um avanço diplomático raro entre os dois países. A troca ocorreu em Zurique, na Suíça, e envolveu um investigador sino-americano detido por Teerã e um cientista iraniano detido pelos EUA.

O movimento diplomático ocorre no momento em que o Irã enfrenta fortes sanções impostas pelos norte-americanos e após os recentes protestos no país, que teriam feito centenas de mortos nas últimas semanas.

Representantes iranianos entregaram o investigador Xiyue Wang, detido em Teerã desde 2016. Em troca, os norte-americanos entregaram o cientista Massoud Soleimani, que enfrentava a Justiça federal dos Estados Unidos.

Soleimani, que trabalha na investigação de células estaminais, hematologia e medicina regenerativa, foi detido pelas autoridades norte-americanas e acusado de violar as sanções comerciais aplicadas ao Irã, depois de ter tentado importar “material biológico” para o seu país.

Já Wang tinha sido condenado a dez anos de prisão no Irã por supostamente ter se infiltrado no país e enviado material confidencial para o estrangeiro. Essas acusações são negadas pela Universidade de Princeton e pela família de Xiyue Wang.

Em sua página no Twitter, Donald Trump disse que o cientista norte-americano tinha sido detido durante a administração Obama. Acrescentou que essa troca de prisioneiros comprova que os dois países conseguem chegar a um acordo.

“Obrigada ao Irã por uma negociação muito justa. Vejam, conseguimos chegar a um acordo!”, afirmou o presidente.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook

Internacional

EUA aumentam vigilância em aeroportos após vírus na China

Avatar

Publicado

Autoridades americanas do setor da saúde estão incrementando as verificações de viajantes por causa da possibilidade de infecção pelo coronavírus, possível causador de um surto de pneumonia na cidade chinesa de Wuhan.

Os Centros para Prevenção e Controle de Doenças informaram que a partir de 17 de janeiro estão sendo implementadas verificações mais rigorosas em três aeroportos internacionais do país (Nova York, São Francisco e Los Angeles). As autoridades estão concentrando os esforços em passageiro que chegam por meio de voos diretos ou de conexões com origem em Wuhan.

Milhões de chineses vão viajar durante a semana de feriados do Ano Novo Lunar, que tem início no dia 24 de janeiro, sendo que a previsão é de que muitos deles estejam  seguindo para os Estados Unidos.

Autoridades do órgão americano dizem acreditar que mais de 5 mil pessoas serão submetidas à verificação mais detalhada nesses três aeroportos.

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Variante do coronavírus provoca segunda morte na China

Avatar

Publicado

Um vírus que teve origem na cidade de Wuhan, na China, fez esta semana a segunda vítima fatal, anunciaram autoridades de saúde local. Cinco pessoas continuam em estado grave.

O homem de 69 anos foi internado no hospital da região, com as funções renais afetadas e danos graves em vários órgãos, informou a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan.

FILE PHOTO: People walk past newly built residential flats in Shenzhen, Guangdong Province, China October 26, 2019. REUTERS/Tyrone Siu/File Photo

Casos de coronavírus preocupam população da China e de outros países    Tyrone Siu/Reuters/direitos reservados

A saúde do paciente, que adoeceu em 31 de dezembro, deteriorou-se nos últimos cinco dias, com miocardite grave [inflamação do músculo cardíaco], função renal anormal e múltiplos órgãos severamente afetados.

Existem pelo menos 41 pessoas afetadas com este novo tipo de pneumonia viral. A primeira morte confirmada foi a de um homem, de 61 anos, que morreu de pneumonia, após as análises terem sido positivas para o vírus.

A Organização Mundial de Saúde alertou para a possibilidade de o surto chegar a outros países. O alerta foi dado depois de terem sido conhecidos casos do coronavírus na Tailândia e no Japão.

O Japão confirmou ontem (16) que um homem de 30 anos foi afetado pelo vírus. Ele havia visitado a cidade de Wuhan no início do ano.

Nesta sexta-feira (17), a Tailândia confirmou um segundo caso ligado ao vírus. É uma mulher, de 74 anos, originária de Wuhan, que estava de quarentena desde que chegou ao país, na segunda-feira, declarou a secretária do Ministério da Saúde Pública, Sukhum Karnchanapimai.

Embora este seja o segundo caso confirmado na Tailândia, Karnchanapimai pediu também aos tailandeses que mantivessem a calma, afirmando que não existe um surto no país.

As autoridades tailandesas garantem que os dois doentes se encontram estáveis e apenas necessitam de mais alguns cuidados antes de receberem alta hospitalar.

Cinco estão em estado grave

A Comissão de Saúde de Wuhan declarou que, dos afetados pelo vírus, 12 pessoas já se encontram recuperadas e receberam alta hospitalar, mas outras cinco estão em estado grave.

A mesma comissão afirmou também que não foi registrado nenhum caso de transmissão de pessoa para pessoa, afirmando que essa possibilidade não pode ser excluída.

Os casos de pneumonia viral alimentaram receios sobre uma potencial epidemia, depois de uma investigação ter identificado a doença como um novo tipo de coronavírus: uma espécie de vírus que causa infecções respiratórias em seres humanos e animais. A transmissão é através da tosse, espirros ou contacto físico.

Segundo as autoridades chinesas, vários infectados são vendedores num mercado de mariscos situado nos arredores de Wuhan, que foi fechado.

O surgimento deste novo vírus fez voltar o medo do reaparecimento do vírus que matou 650 pessoas, entre 2002 e 2003.

Edição:
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana