conecte-se conosco


Várzea Grande

Exposição artesanal e apresentações artísticas encerram o semestre de projetos sociais que reuniu mais de 3 mil participantes no Fiotão

Avatar

Publicado

Um dos principais desafios de uma gestão pública é proporcionar qualidade de vida a seus moradores. E isso também envolve a inclusão social de adolescentes e mulheres em situação de vulnerabilidade social, para um novo estágio de vida. A Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria de Assistência Social, visando esse propósito, atende cerca de 5.550 mil pessoas através dos projetos sociais: “Juventude Ativa” e “Amigas Empreendedoras”. Os integrantes são envolvidos em atividades de convivência, musicalização, geração de renda, sustentabilidade, mercado de trabalho, além de promover a qualidade de vida.

“Hoje é um dia importante para a Secretaria de Assistência Social, porque de acordo a constituição de 1988, a assistência social é prestada a quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social, e tem objetivos de proteção à família, maternidade, infância, adolescência e à velhice e o amparo às crianças carentes, promoção da integração ao mercado de trabalho e a habilitação e reabilitação das pessoas com deficiência e a promoção de sua integração à vida comunitária. E é exatamente isso que acontece, em várzea grande, quando o município criou suas políticas públicas próprias a estas camadas sociais, por meio dos projetos sociais “Juventude Ativa” e “Amigas Empreendedoras”, sublinhou a coordenadora dos projetos sociais, Claudia Barros, no encerramento das atividades semestrais dos dois projetos.

A solenidade de encerramento das atividades semestrais ocorreu nesta terça-feira (03), no Ginásio Poliesportivo Fiotão e contou com a participação dos integrantes dos dois projetos, equipe técnica, autoridades políticas, representantes da iniciativa privada, secretários e vereadores municipais. Os projetos é uma idealização da Secretária de Assistência Social que atende 5 mil mulheres (Amigas Empreendedoras) e 550 jovens (Juventude Ativa), respectivamente nos semestres.

“Os projetos ‘Juventude Ativa’ e ‘Amigas empreendedoras, que no conjunto de ações de iniciativa pública garantem atendimento às necessidades básicas deste público segmentado. Só no Juventude Ativa atendemos 550 jovens, que se revezam em oficinas semi profissionalizantes nas 4 regiões da cidade, assim diminuindo riscos sociais e aproveitando tempo para adquirir conhecimento. Já o projeto “Amigas Empreendedoras” trabalhamos o empoderamento das mulheres no incremento da renda doméstica. As oficinas profissionalizantes capacitam para o mercado de trabalho informal ou formal, conforme sua opção, é uma ação voltada para o fortalecimento financeiro da família. Baseado no que a mulher aprende, por exemplo, em uma oficina de confecção de chinelos, ela passa a produzir e vender seu trabalho manual e artesanal, e assim otimizar a renda familiar, e também tem a possibilidade de  ter seu negócio próprio”, pontua a prefeita Lucimar Sacre de Campos.

A prefeita acrescenta ainda que todas as políticas públicas que desenvolvem na Assistência Social são de extrema importância e relevância social.  “Esta etapa que está encerrando é mais um ciclo de aprendizagem que  irá fazer a diferença na vida de cada jovem e cada mulher empoderada nos aspectos sociais, intelectuais, habilidades e financeiro. Estas políticas municipais estão transformando a vida e a realidade de vida destas pessoas para melhor ,em todos sentidos”.

De acordo com a secretária de Assistência Social, Flávia Omar, o projeto “Juventude Ativa” visa levar direitos e participação cidadã aos adolescentes de 12 a 17 anos, com atividades lúdicas como música, dança, grafitagem, esportes e pintura e, tela em 25 polos nas quatros regiões da cidade. Já “Amigas Empreendedoras” é uma proposta que tem a finalidade de diminuir os problemas sociais nas comunidades com foco na promoção da equidade, igualdade, cidadania, combate a violência e acesso a inclusão produtiva.

“Amigas Empreendedoras” garante ao segmento a oportunidade de melhor a renda domestica, desenvolver talentos para a convivência social, protagonismo e autonomia, aliado ao fortalecimento de vinculo familiar e comunitário, contribuindo na melhoria da qualidade de vida. O projeto atende 79 grupos nas quatros regiões de Várzea Grande com oficinas profissionalizantes de bordado em chinelo, crochê, cabeleireiro , artes, culinária, corte costura, pintura em tecido, bordado diversos, biscuit, design de sobrancelha e maquiagem, gastronomia”, explicou a secretária.

Conforme o representante da Câmara Municipal de Várzea Grande, Ícaro Reveles, é muito importante o trabalho realizado nos projetos sociais de Várzea Grande. “É fundamental inserir adolescentes em atividades que servem como formação pessoal e social para um futuro cidadão. Estes projetos visam não só estarem em um espaço acolhedor,  mas que possam desenvolver várias habilidades e foi exatamente isso que vimos neste encerramento deste ciclo. Por isso, agradeço a prefeita Lucimar Sacre de Campos por apoiar e investir em serviços de cuidados com adolescentes e mulheres do município. Além disso, preciso parabenizar todas as pessoas envolvidas direta ou indiretamente nestas apresentações”, frisa.

Com apenas 16 anos de idade, a menina Raquel Cristina Moreira, entrou na oficina de música “Anjos da Lata”, mas seu talento para a música já vem desde pequenina, começou aos seis anos, cantando na igreja. Para ela sua vida mudou não apenas na parte musical, mas na convivência com outras pessoas e na interação social. Hoje ela tem o projeto como uma escola e uma segunda família.

“O projeto é uma ótima oportunidade que a prefeitura está nos dando. A nossa visão se abre para novos rumos, a crescer profissionalmente na música, fazer faculdade e se tornar até uma profissional. Também despertam nossa curiosidade em saber mais da música. Foi dentro do projeto que comecei a me interessar ainda mais, além de cantar a tocar também. Um bom cantor tem que saber tocar um instrumento também. Hoje, vários integrantes também já tocam outros instrumentos. E oportunidade como essa só a prefeita nos proporciona”, declara Raquel.

É no projeto que Paula Cristina Silva, do bairro Unipark passa parte de seu tempo rodeada de amigas e em atividades que elevam a autoestima e melhoram a saúde. Mas nem sempre a vida dela foi um mar de rosas. Ela já sofreu por muitos anos de depressão. Hoje, ela se declara curada. “O projeto me ajudou muito. É maravilhoso para nossas vidas. Quando a gente chega, e todo mundo está no mesmo propósito nossos planos dão certos, uma incentiva a outra sempre e crescemos juntas. Estou feliz e me tornei uma profissional da área da beleza. Eu atribuo isso às atividades e o acolhimento do projeto”, falou Paula.

 O encerramento das atividades do semestre de 2019/2 contou com apresentações artísticas, culturais, musicais e dança do Juventude Ativa, além de exposição dos produtos confeccionados pelas integrantes do ‘Amigas Empreendedoras’ e entrega de certificados de qualificação profissional. 

Por: Cláudia Joséh – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook

Várzea Grande

Projeto ambiental de descarte correto do óleo será implementado em 2020 na Rede de Ensino de Várzea Grande

Avatar

Publicado

O projeto ambiental LEVO (Local de Entrega Voluntária de Óleo), instituído nas escolas de Várzea Grande por meio da Lei municipal 4.466/2019, promulgada em 13 de junho de 2019, terá continuidade nas escolas da rede pública municipal em 2020 e implementado. A informação é do secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis.

O projeto que tem como objetivo destinar adequadamente os resíduos de óleo de cozinha para que sejam utilizados na produção de biodiesel, estabelecendo um novo ciclo de vida para o produto, permitindo que ele volte para o sistema produtivo, foi desenvolvido inicialmente em 14 escolas da rede municipal. Além da coleta feita nas escolas, os alunos também puderam trazer o óleo usado de suas casas para os pontos de coleta.

O projeto é realizado em parceria com a empresa Teoria Verde e a BIOMAVI Reciclagem, com ações de educação ambiental nas escolas e coleta em recipientes de 200 litros. “Nas residências, os alunos acondicionam o óleo usado em garrafas pets e no dia determinado para a coleta, levam o produto para a escola onde ficará armazenado. A empresa coletora destina à unidade escolar 30% do valor comercializado pelo produto a indústria de biodiesel. A Lei prevê este recurso para escola que o destinará os valores recebidos de acordo com as deliberações do Conselho Escolar, que deverá investir em melhorias na própria unidade escolar, tanto na aquisição de equipamentos ou para a melhoria na ambiência escolar”, explicou o coordenador da Educação Ambiental da Educação, Vagner César Barros.

“Ao despejar na pia, no vaso sanitário ou ralo, o resíduo do óleo de cozinha usado acumula-se nas paredes dos canos e retém outros materiais que passam pelo local. Além de entupimentos, pode causar o ‘infarto’ do sistema de esgoto com sérios problemas para manutenção das redes e custos mais altos para fazer consertos e reparos. Os custos do tratamento de água também aumentam e a solução está na consciência e reciclagem do óleo”, alertou o coordenador informando ainda que “A cada litro de óleo pode contaminar até 25 mil litros de água. Isso porque suas substâncias não se dissolvem na água e, quando despejadas nos cursos d'água, causam descontrole do oxigênio, mortalidade de peixes e outras espécies. Em contato com o solo, há contaminação, produção de sujeira e poluição ambiental”.

As escolas que participaram do projeto em 2019 foram: EMEB’s Apolônio Frutuoso da Silva, Salvelina Ferreira da Silva, Juvenília Monteiro de Oliveira, Irenice Godoy de Campos Silva, Rita Auxiliadora de Campos, Eliza Maria da Silva, Lenine Póvoas de Campos, Vereador Zeno de Oliveira, Maria de Lourdes Toledo Areias, Ary Leite de Campos, Profº Paulo Freire, Mamed Untar, Júlio Domingos de Campos e EMEB Honorato Pedroso de Barros 

1- Locais de Entrega de Óleo do Projeto LEVO em Várzea Grande:

– Várzea Grande Shopping: Av Presidente Artur Bernardes, 43, Centro Sul, Alameda

– Sede da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável: Av da Feb, 2138, Ponte Nova.

Por: Frederico Nogueira – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook
Continue lendo

Várzea Grande

Gestão democrática da Educação resulta em avanços significativos superando metas em 2019

Avatar

Publicado

A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande divulgou relatório das atividades desenvolvidas pela pasta durante o ano de 2019. Entre os destaques a entrega de três novos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) e a previsão de entrega das obras de construção de mais 12 novas unidades, que ampliará a oferta de vagas para mais 2.400 novos alunos até o final de 2020. Um investimento de R$ 30,8 milhões em infraestrutura, mobiliários e equipamentos para atender a educação infantil.

Mas os investimentos em infraestrutura não pararam por aí. O relatório mostra que 23 unidades do setor educacional, sete escolas de Educação Básica (EMEB); oito Centros de Educação Infantil (CMEI); o Núcleo Tecnológico Municipal (NTM) e o Ginásio Poliesportivo Jorge Mussa foram contemplados com obras de reforma, ampliação e manutenção predial. A Secretaria atendeu quatro escolas com a construção de unidade de esgotamento sanitário e 15 postos de transformação para rede elétrica.

O secretário municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis, também citou a retomada da construção, reforma e ampliação do Ginásio Poliesportivo “Júlio Domingos de Campos”, o “Fiotão” transformado em Complexo Esportivo com capacidade para 2,4 mil espectadores sentados, em 3.135,92 m² de área construída contendo quadra poliesportiva coberta com arquibancadas, vestiários, sanitários para atletas e para o público, tribuna de honra, sala de imprensa, lanchonete, sala para eventos, aula, camarim, bilheterias e depósito.

“Logo após a inauguração, o Fiotão sediou a etapa estadual dos Jogos Escolares da Juventude com a participação de atletas de 32 municípios. O ano de 2019 foi com certeza de muitas conquistas para Várzea Grande. Tivemos ainda a construção da Pista de Caminhada e Academia ao ar livre do bairro Alice Ferreira, a reforma do Ginásio Abdão Profeta, a construção da Pista de Skate da Via 31 e a reforma do Estádio Municipal Dito Souza”, lembra o gestor.

O documento aponta ainda avanços significativos na qualidade do nível de ensino e de aprendizagem, infraestrutura, capacitação de profissionais, programas e projetos desenvolvidos por meio de parceria com entidades públicas e privadas buscando uma “Escola Evolutiva na Construção da Excelência”, tema idealizado pela prefeita Lucimar Sacre de Campos.

“É importante ressaltar que em 2019, a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer investiu 26,66% da receita municipal total, o que corresponde R$ 215.09 milhões. Um percentual de 6,66 % a mais do que é previsto pela Legislação”, informou o secretário.

A aplicação dos recursos oriundos dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que era de 60% em 2019, alcançou o índice de 60,28%, e os repasses efetuados nas Escolas de Educação Básica e Centros de Educação Infantil provenientes do Programa Municipal Dinheiro Direto na Escola (PDDE) totalizaram R$ 2,38 milhões. “Com os investimentos foi possível alcançar todas as metas do Plano de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI) projetados para o ano de 2019 como por exemplo, atender aos estudantes da rede municipal de ensino com 28 mil uniformes e pares de tênis gratuitos, que garantiram a identificação para os alunos com mais conforto, praticidade e segurança”, ressalta o gestor.

O atendimento do Programa Escola em Tempo Ampliado (ETA) foi estendido para 17 unidades, beneficiando 1.356 alunos, com atividades esportivas, dança, música, teatro, artesanato, reforço e letramento no contra turno escolar. “Tínhamos previsto no Plano Plurianual (PPA), a ampliação de duas escolas, e a cada ano para o programa ETA, desde sua criação em 2015 até 2021, mas essa meta foi superada já em 2019”, comemora Silvio Fidelis.

Na área de parcerias com programas e projetos, a Secretaria promoveu a continuação de ações que impulsionaram os trabalhos nas áreas intersetoriais, na participação de alunos, escola e comunidade nas questões sociais, de cidadania e preservação do meio ambiente. A exemplo da parceria com o Itaú Social, e, o Programa Redes e Territórios Educativos desenvolvido apenas em Várzea Grande e em São Luis do Maranhão.

O relatório também aponta os projetos: União Faz a Vida, em parceria com o SICRED; Um Por Todos, Todos Por Um; Concurso de Redação, com a seccional Várzea Grande da OAB e Ministério Público; Saúde Na Escola, com a Secretaria Municipal de Saúde; Vereador Mirim, com a Câmara Municipal; PROERD, com a Polícia Militar; Na Fita Certa, com a Polícia Civil, Projeto Integrador em parceria com o UNIVAG, Projeto Fortalecer em parceria com o Ministério Público e a participação destacada das escolas municipais no Festival Estudantil Temático para o Trânsito (FETRAN) da Polícia Rodoviária Federal.

Entre as atividades pedagógicas desenvolvidas em 2019, estiveram a realização de cinco cursos de capacitação para 1.401 professores de todas as áreas da educação municipal, a implementação do Documento de Referência Curricular para Mato Grosso; a construção do Documento de Referência Curricular para Várzea Grande; a divulgação e capacitação de multiplicadores da Base Nacional Comum Curricular e do Documento de Referência Curricular para Mato Grosso. Além do trabalho realizado pelos profissionais do Setor Pedagógico no monitoramento da qualidade do processo de ensino e aprendizagem dos alunos do Ensino Fundamental, através de avaliação de larga escala para 6.805 alunos dos 1º e 2º anos e a prova “Avalia Várzea Grande” – simulado para os 5º e 9º anos com participação de 2.502 alunos.

A área cultural também teve avanços significativos em 2019 com a criação do Conselho Municipal de Cultura, a instalação de quatro Pontos de Cultura, duas Bibliotecas e a realização do Projeto Alegria na Praça, que levou aos bairros apresentações artísticas, fanfarras, artistas regionais, sempre com a participação da Banda Municipal. Em 2019 a Casa das Artes contou com cursos de balé, artesanato, bordado, rede no tear, pintura e corte e costura atendendo a população além da exposição de produtos artesanais produzidos pela comunidade artística de Várzea Grande.

Por: Rafaela Maximiano – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana