conecte-se conosco


Cuiabá

Espetáculo “Cuiabá 300” é sucesso de público

Avatar

Publicado

Davi Valle

Com entrada gratuita, uma média de 15 mil pessoas passaram pelo ginásio de esportes Verdinho, na grande CPA, para assistir ao espetáculo “Cuiabá 300”, neste final de semana. A Prefeitura de Cuiabá por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo, deu apoio institucional para a realização desse projeto de valorização à cultura cuiabana.

A peça conta a história de uma terra de luta e vitória de Cuiabá, fundada em 08 de abril de 1719, pelo bandeirante paulista, Pascoal Moreira Cabral. 

Encenada pela Cia. Cena Onze de Teatro, cerca de 270 pessoas entre atores e equipe técnica estiveram envolvidos com esse projeto que é dividido em 11 cenas, entre elas, a elevação de Cuiabá para a categoria de vila, o surto da varíola e a chegada da energia elétrica. Também fazem parte da peça famosos personagens como Jejé, Antonieta, a 1ª TV da capital e muitos outros momentos épicos da história da capital tricentenária.

O secretário da Pasta, Francisco Vuolo, explicou que a relevância e representatividade do tema, aliados ao padrão de qualidade das peças realizada pelo grupo e ao alcance social foram fatores preponderantes para que o Município fosse parceiro deste projeto.

“A Prefeitura de Cuiabá apoia os eventos que valorizam e divulgam a nossa cultura, seja na música, no teatro, na arte de maneira geral. O ano de 2019 foi um ano com muitas comemorações ao tricentenário e essa é mais dos lindos projetos que preparamos com muito amor para nossa população cuiabana”, afirmou o secretário.

O diretor-geral do espetáculo, Flávio Ferreira, explicou que a participação da Prefeitura foi imprescindível para que a apresentação fosse possível. “É muito importante a participação da Prefeitura, assim como a Lei de Incentivo à Cultura, os patrocinadores e parceiros pudemos contar com um espaço e infraestrutura adequada para o público”, disse.

Flávio contou ainda que a apresentação faz parte do calendário festivo da Prefeitura de Cuiabá em alusão aos 300 anos.

O espetáculo que tem a duração média de 1 hora e 5 minutos, foi escrito pelo historiador João Carlos Vicente Ferreira e teve entre o público selecionado para participar do evento reeducandos do sistema prisional, indígenas da etnia Xavante, detentos do regime semiaberto, do Sócio Educativo, pessoas assistidas pelas Casas Lares e trabalhadores do aterro sanitário.

“É importante lembrar que esse projeto não é de apenas entretenimento, mas também de cunho social, já que temos a participação de pessoas em situação de vulnerabilidade social e de extrema pobreza”, explicou Flávio Ferreira.

Para a estudante de Arquitetura e Urbanismo, Izabelle Fernandes, a oportunidade de contemplar todo o processo histórico de Cuiabá reproduzindo a realidade de séculos atrás foram únicos.

“Ficamos sabendo deste evento e viemos aqui para saber um pouco mais da história, dos detalhes que enriquecem o nosso trabalho. Como somos estudante de arquitetura temos um trabalho muito grande para intervenção do Centro histórico da cidade. Para nós, assistir à peça é uma oportunidade de ter a percepção da cidade contada por historiadores de Cuiabá, o sentimento das pessoas que viviam naquela época”, disse a estudante.

Participaram também do espetáculo a Associação Cultural Flor Ribeirinha e a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso.

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook

Cuiabá

Uma solução cuiabana para o Nilo Póvoas

Avatar

Publicado

Secom

Fui eleito prefeito para melhorar a vida da minha gente, da cidade que eu tenho tanto orgulho em dizer que nasci. Hoje posso me dizer um homem e gestor realizado, porque sou prefeito de Cuiabá, uma experiência única que vivo intensamente com o mesmo vigor de um primeiro dia de mandato, sem nenhuma diferença de quando assumi, pela primeira vez, a cadeira no sétimo andar do Palácio Alencastro. 

Como gestor nesses últimos três anos aprendi que não existe o salvador da pátria, não existe o papai sabe tudo, não existe o prefeito que se elege e que diz ‘eu sei, eu faço’. A minha experiência é de que a solução está nas ações coletivas, entre governos, em conjunto com a sociedade e que, cabe aos gestores serem os agentes catalizadores de ideias do que é de interesse da coletividade, da comunidade e transformá-las em políticas públicas. Esse é o meu papel como prefeito Municipal, como um gestor bem intencionado que quer acertar e promover o desenvolvimento da sua cidade. 

E para desenvolver é preciso sempre transformar. E não existe transformação que não seja pela educação, que não seja pela valorização dos profissionais, dos alunos, que não seja pelo respeito, pela motivação em trazer a sagrada educação, ensino e aprendizagem para preparar as nossas crianças para o futuro. O nosso maior patrimônio são os nossos alunos. Em Cuiabá, são cerca de 53 mil deles que dependem de nós, do nosso comprometimento, do nosso amor, da nossa união, da nossa dedicação.

Trabalhar pela educação de qualidade é uma das minhas principais metas como gestor, uma das principais responsabilidades da minha gestão. Por isso, mediante a decisão do Governo do Estado de encerrar as atividades e fechar a estrutura física da Escola Estadual Professor Nilo Póvoas, como prefeito da Capital e em respeito a esta instituição de ensino, que completa neste ano de 2020, 50 anos de vida na história da educação pública de Cuiabá é que, tomo a decisão, de requerer ao Governo do Estado de Mato Grosso a cessão da unidade física da Escola para a Prefeitura Municipal de Cuiabá.

Recentemente tive conhecimento pela mídia sobre novos projetos de ocupação da unidade, porém, ainda ficam fora da atividade-fim da escola que é a formação dos alunos na educação.  Acredito que um prédio como o da escola Nilo Póvoas não pode ser destinado para servir simplesmente como apoio, até porque existem outros prédios ociosos do Governo do Estado em Cuiabá para que possam desenvolver este fim extracurricular da educação. Acredito que uma escola municipal naquela localização seria um ganho ainda maior para o cidadão cuiabano. Levando-se em conta a história do prédio e do homenageado, dando continuidade ao brilhante passado da instituição, em favor da educação e pensando em facilitar a vida de centenas de pessoas, a escola municipal seria uma proposta mais viável e uma saída muito honrosa nesses tempos em que a educação tem sofrido várias perdas.

Uma explosão de desenvolvimento econômico e fluxo migratório tem acompanhado Cuiabá nos últimos 50 anos. Crescimento que os corredores da Nilo Póvoas ajudaram a formar. A Escola que leva o nome do nosso saudoso e multifacetado Nilo Póvoas, percorreu o tempo de Cuiabá escutando e escrevendo histórias. Seria uma injustiça muito grande que, na época da Cuiabá tricentenária, o cuiabano que foi sepultado no dia do aniversário da cidade que tanto ajudou a construir, tenha sua voz silenciada com o fechamento da instituição batizada com seu nome.

Com o crescimento exponencial da nossa Capital, temos uma necessidade imperiosa do Município em continuar ousando na oferta de mais vagas para a educação infantil, especialmente porque, apesar de avançarmos muito e termos criado 2 mil novas vagas, ainda temos um déficit em torno de 5 mil vagas.

Ocupar o prédio da histórica Nilo Póvoas significaria, não só uma oferta de mais 750 vagas para a educação infantil de zero a cinco anos em período integral e já com a expectativa de 300 vagas imediatas, mas uma economia aos cofres Municipais de aproximadamente R$ 6 milhões. Dinheiro este que seria utilizado na construção de 3 CMEIS para suprir a demanda e que poderá ser melhor aplicado com a utilização da estrutura física da instituição. 

Outro ponto importante que observamos é a grande vantagem da localização geográfica da instituição, que está no Centro de Cuiabá, no tradicional bairro Bandeirantes, em frente a Secretaria Municipal de Educação. A estratégica posição dá a oportunidade de que os pais que trabalham na região levem e busquem seus filhos no colégio, dando agilidade a rotina e criando memórias afetivas da vida em família. 

Além de tudo isso, automaticamente vamos poder abrir mais vagas nas unidades dos bairros, porque os filhos dos pais que trabalham no Centro da Capital estão, atualmente, ocupando vagas nas CMEIS que estão localizadas nos bairros. 

Com esta proposta, damos mais um passo largo em nossa meta de aumentar a oferta de vagas para a educação infantil em Cuiabá, que no início do meu mandato era de alcançar a marca de 2 mil vagas em quatro anos e que tenho orgulho em dizer que batemos essa meta em três anos. Agora, com a Nilo Póvoas, os CMEIS, CEICS em construção e as parcerias com as creches, podemos chegar ao número extraordinário e histórico de ofertar cerca de 4,5 mil vagas em quatro anos de mandato, que é um avanço sem precedentes para a educação infantil da nossa Capital. 

Eu tenho uma expectativa muito positiva de que vamos ter o apoio da Secretaria de Estado de Educação, do vice-governador Otaviano Pivetta e do governador Mauro Mendes, porque é uma decisão a favor de Cuiabá, a favor da educação pública e a favor das nossas crianças, que precisam muito de mais ofertas de vagas, especialmente da educação infantil da capital do Estado de Mato Grosso.

Peço, publicamente, ajuda ao Estado para que possamos provar nosso amor por Cuiabá, mais uma vez!

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Monumento de Dias-Pino na Praça 8 de Abril será tombado como Patrimônio Oficial de Cuiabá

Avatar

Publicado

Divulgação

O monumento “Árvore de Todos os Povos”, de Wlademir Dias-Pino será tombado como Patrimônio Oficial do Município de Cuiabá. A decisão foi tomada pela Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, para assegurar a continuidade da cultura em Cuiabá e a valorização de seus artistas.

“Estamos providenciando o tombamento Municipal oficial do monumento de Dias-Pino, para que este tipo de situação não ocorra em gestões futuras do Município de Cuiabá. É um resgate histórico, uma valorização da nossa história, das nossas tradições, é a determinação do nosso prefeito Emanuel Pinheiro, que tem como meta uma gestão humanizada, que visa, em primeiro lugar, respeitar a nossa cultura”, declarou o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo.

As obras foram retiradas da Praça durante os trabalhos de revitalização do espaço, entregue à população no dia 23 de dezembro de 2019. O trabalho, fruto de parceria entre as Secretarias de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, também garantiu a reconstrução do piso, pintura, instalação de iluminação de LED, bancos e lixeiras, jardinagem e paisagismo.

Durante um encontro com artistas, representantes do setor cultural e membros do Instituto Silva Freire no dia 10 de janeiro de 2020, Vuolo reiterou seu profundo respeito às raízes cuiabanas e reconheceu a importância da preservação cultural por meio da valorização de seus artistas e obras, colocando-se sempre aberto ao diálogo com a sociedade.

“O monumento de Dias-Pino retornará ao seu local de origem, respeitando todo o projeto original com as quatro fontes em torno do monumento. Além disso, secretário Stopa já está em contato com o nosso querido pintor Adir Sodré para restaurar a pintura do local. A placa em referência a Filinto Müller também já foi reinstalada e a do coreto em alusão direta ao grande escritor Silva Freire também será. Reforçamos aqui que não houve qualquer desrespeito aos artistas e que a gestão tem a sensibilidade de trabalhar para encontrar a melhor solução para esta questão”, explicou Vuolo.

De acordo com a diretora geral do Instituto Silva Freire, Larissa Spinelli, a escultura-poema “Árvore de Todos os Povos” é fruto do Movimento do Intensivismo e surgiu como resultado de uma nova intencionalidade plástica, artística e literária, ocorrida em Cuiabá entre as décadas de 1940 e 1950.

Ela também lembra a importância do artista tanto no cenário nacional como no mundial. “Muita gente que passa por ali não sabe a importância dessa escultura. O trabalho do Wlademir é estudado por pesquisadores de outros países. Dentre outras coisas, ele foi o primeiro do mundo a criar um livro objeto. Para Cuiabá é uma honra abrigar uma obra de um artista que até hoje é considerado como vanguardista.”

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana