conecte-se conosco


Polícia Federal

PF combate violação a direitos autorais

Avatar

Publicado

Ribeirão Preto/SP – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (19/11) a Operação BARBA NEGRA III, que tem por objetivo desmantelar associação criminosa voltada à prática de violação de direitos autorais.

Foram cumpridos três mandados de prisão temporária e quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de Guariba/SP e Jundiaí/SP.

A investigação apurou a existência de sites responsáveis pela exibição de filmes e séries sem a autorização expressa do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente.

Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa e de violação de direito autoral, cujas penas, somadas, variam de 3 a 7 anos de reclusão, além de multa.

Será concedida entrevista coletiva, às 10h30, na Delegacia de Polícia Federal em Ribeirão Preto.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Ribeirão Preto

Contato: (16) 3238-5200

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Veja Também  PF investiga desvio de encomendas dos Correios no Espírito Santo

Polícia Federal

PF combate fraudes contra instituições financeiras em Feira de Santana

Avatar

Publicado

Feira de Santana/BA – A Polícia Federal deflagra nesta quarta-feira (4/12) a Operação ASSEPTICUS, com o objetivo de desarticular organização criminosa atuante na região de Feira de Santana, especializada em fraudes contra instituições bancárias.

Cerca de 100 policiais federais cumprem 8 mandados de prisão preventiva e 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de Feira de Santana, Salvador, Santa Bárbara e Catu, todas na Bahia, além de Fortaleza, no Ceará, expedidos pela 1ª Vara Federal de Feira de Santana.

As investigações iniciaram a partir de provas e colaborações premiadas obtidas na Operação Ali Babá, deflagrada em julho de 2016, e apontam a participação de servidores públicos e despachantes em desvios que superam os R$ 10 milhões.

Conforme apurado, os investigados forjavam contratos sociais e outros documentos com dados falsos, simulando a existência de faturamentos e rendimentos de grande monta, que, com a conivência de funcionários das instituições financeiras, possibilitavam a obtenção de empréstimos vultosos que jamais eram quitados.

Os investigados irão responder pelos crimes de organização criminosa, estelionato, corrupção ativa e passiva, crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro.

Veja Também  PF investiga desvio de encomendas dos Correios no Espírito Santo

 

[email protected] | www.pf.gov.br

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia Federal

PF investiga desvio de encomendas dos Correios no Espírito Santo

Avatar

Publicado

Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (4/12) a Operação Sobreposta, com objetivo de reprimir o desvio de encomendas dos Correios por ex-empregado terceirizado que trabalhava no Centro de Distribuição.

A operação contou com a participação de oito policiais federais, sendo realizado o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, no Município da Serra/ES. No transcorrer do cumprimento, foi localizada parte dos produtos indevidamente desviados pelo suspeito, como celulares, notebook, espingardas de pressão e coldres.

A investigação teve início a partir de denúncia dos Correios, que identificou encomenda em que havia uma etiqueta sobreposta sobre o campo do destinatário com dados de um empregado de uma de suas empresas terceirizadas, que na época trabalhava no Centro de Distribuição. Constatou-se, então, que, no período em que este empregado trabalhou no setor, ao menos 77 encomendas foram extraviadas daquele centro.

Como o artifício usado para o desvio das encomendas era sobrepor etiqueta com dados do investigado para que chegassem até a sua residência, a operação foi batizada de SOBREPOSTA, já que uma etiqueta fraudada era sobreposta sobre uma etiqueta legítima.

Veja Também  PF combate tráfico de drogas e lavagem de capitais em Rondônia

A particularidade do caso é que, tendo em vista que o Código Penal equipara o empregado de empresa contratada a funcionário público pela apropriação indevida das encomendas o investigado responderá pelo crime de peculato (art. 312 com o art. 327, § 1, do Código Penal), com pena que veria de 02 a 12 anos de reclusão.

 

Contato: (27) 3041-8245 / 8051
E-mail: [email protected]

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana