conecte-se conosco


Cuiabá

Nova linha de ônibus é implantada para atendimento da demanda do HMC

Avatar

Publicado

Luiz Alves

A prefeitura de Cuiabá criou a linha de ônibus 251 para atender a demanda de transporte coletivo do Hospital Municipal de Cuiabá – Dr. Leony Palma de Carvalho, que teve sua sexta e última etapa inaugurada nesta segunda-feira (18).

A medida, adotada pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), possibilitará uma maior agilidade no percurso que sai da Estação Alencastro, no centro de Cuiabá, direto para o hospital.

De acordo com a Semob a previsão é de que a nova linha atenda, a partir desta quarta-feira (20), cerca de 2 mil passageiros por dia. “Para a localidade já existia a linha 380, recentemente inaugurada, que liga a região do CPA, Jardim Vitória, Rodovia Emanuel Pinheiro sem passar pelo centro, ao HMC. Outra que já fazia a rota é a 250, que também saí da Estação Alencastro, passa pela unidade hospitalar e finaliza a viagem no Terminal da Antártica”, comenta o secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo.

Segundo o diretor da Pasta, Nicolau Budib, ainda continua em análise o incremento de novas linhas para atendimento da demanda da região. Caso haja maior necessidade, o aumento na circulação ou a colocação de mais ônibus será adotado pelo Município.

Veja Também  Filantrópicos – Secretário de Saúde concede coletiva de imprensa nesta quarta-feira (04)

“Agora, com o HMC funcionando em sua totalidade, sabemos que o fluxo será bem maior. Por isso, de imediato já colocamos essas linhas à disposição da população. É claro que este é um primeiro passo dentro de nosso planejamento de mobilidade e continuamos observando o desempenho. Nossa intensão é sempre garantir ao usuário a maior celeridade e conforto possível durante a viagem e, nesse sentido, também instalamos um ponto de embarque e desembarque dentro do hospital”, explica o diretor. 

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook

Cuiabá

Rodas de conversa com mulheres vítimas de violência serão promovidas em Cuiabá

Avatar

Publicado

Revija Zarja/Internet

“De mulher pra mulher: Vamos recomeçar?”. Este foi o tema escolhido para as rodas de conversa que serão realizadas pela equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, no Centro de Referência de Assistência Especializada da região Norte, localizado no bairro Morada do Ouro. O primeiro encontro acontece nesta sexta-feira (06), a partir das 14h30.

A proposta desses momentos com mulheres vítimas de violência doméstica é proporcionar um espaço de escuta e fala para construção e reconstrução de histórias e novas perspectivas de vida. “Estes momentos são extremamente importantes, não só para as mulheres que são atendidas, mas para aquelas que trabalham com a causa, pois as impulsionam a seguir na luta contra a violência, procurando sempre proporcionar o que for de melhor para a população de nosso município”, disse a coordenadora da Proteção Social Especial, Maggie Carolina Maidana.

Os encontros serão realizados a cada 15 dias, com atividades desenvolvidas em cima das seguintes temáticas: “Sou única”, para trabalhar a autoestima e o autocuidado; “Sou amada”, para trabalhar o amor próprio; “Sou amável”, para trabalhar a construção afetiva; “Sou capaz”, para trabalhar sobre os direitos da mulher após a separação; “Sou corajosa”, sobre mercado de trabalho, cursos e estudos; e por último, “Sou influenciadora”, debatendo sobre a violência transgeracional, legado, educação positiva e gentil.

Veja Também  Arsec apresenta relatório sobre os serviços de água, esgoto e transporte coletivo

“Oportunidade de diálogos sobre diversos temas, a fim de abordar os mais variados tipos de agressão à mulher: violência doméstica e familiar, dependência afetiva, o auto monitoramento e as estratégias de enfrentamento, serão algumas das temáticas abordadas durante as rodas de conversa”, informou Maggie.

 

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

“O problema é que recebemos para atender Cuiabá, mas acolhemos Mato Grosso inteiro”, diz secretário sobre Hospital Geral

Avatar

Publicado

Gustavo Duarte

O secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho concedeu coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (04) para sanar dúvidas a respeito da paralisação dos serviços do Hospital Geral – HG. No ato, ele esclareceu que a única pendência é o valor de 461 mil reais, referente a serviços de Cardiologia do HG.

“O quantitativo está dentro do prazo vigente para pagamento. As documentações dos serviços chegaram para a SMS, foram auditadas como procedimento de praxe, e já estão aptas ao pagamento, que será realizado até o fim desta semana, tão logo os valores sejam encaminhados pela União aos cofres do Município. Além disso, o HG está cobrando uma emenda parlamentar no valor aproximado de R$ 900 mil, que também não pode ser considerada como débito, pois ela só pode ser paga mediante pactuação de novos serviços. E isso deve acontecer em janeiro na nova contratualização”, explicou Pôssas.

Na oportunidade, o gestor relatou que o débito que a Secretaria de Saúde possui, não apenas com o HG, é referente a um valor extra sobre a tabela SUS – que é pago por Cuiabá como um incentivo aos prestadores de serviços que ofertarem máxima qualidade à população. Segundo ele, a demora no pagamento desse incentivo tem acontecido porque a Capital vem assumindo praticamente sozinha a alta e média complexidade de todos os municípios de Mato Grosso. 

Veja Também  SUGESTÃO DE PAUTA – Secretaria promove inclusão de crianças com deficiência em Natal Ambiental

“O problema é que recebemos para atender pacientes de Cuiabá, mas acolhemos Mato Grosso inteiro. E isso, praticamente sem contrapartida do Governo do Estado, que desde 2016 tem arrastado uma dívida de mais de 40 milhões conosco referente à média e alta complexidade. Entretanto, mesmo sem receber os repasses, estamos pagando por estes serviços que, na íntegra, contemplam apenas 30% de cuiabanos e 70% de pessoas de outras cidades de MT”, reforçou, exemplificando ainda que, apenas em 2018 a SMS arcou com mais R$ de 1 milhão em consultas especializadas para outros mato-grossenses.

Ainda segundo Luiz Pôssas, o esforço que a gestão vem fazendo para arcar com a Saúde, mesmo com escassez de recursos por parte do Estado, pode ser sentida na rede SUS de Cuiabá, seja com o HMC – Hospital Municipal de Cuiabá que, além de acrescer a rede de UTIs em 145 leitos,  já computa mais de 35 mil procedimentos realizados e possui capacidade operacional para ofertar até 50 mil a partir do próximo ano; com o Hospital São Benedito, que tem índice de satisfação de 98,5% e está trabalhando para implantar o serviço de cardiologia de excelência nos próximos meses, ou com as UPAs – Unidades de Pronto Atendimento 24h dos bairros Verdão e Leblon, que serão entregues respectivamente na semana que vem e em abril de 2020. Com a entrega de ambas, Cuiabá dobra sua capacidade de atendimento, podendo atender com humanização até 1,2 milhões de pessoas por mês.

Veja Também  Arsec apresenta relatório sobre os serviços de água, esgoto e transporte coletivo

“Em vez de pensarmos apenas nos pacientes de Cuiabá, estamos crescendo a rede de assistência em todo Mato Grosso. Isso porque para nós pacientes são vidas humanas que precisam ser salvas, não moedas de troca. Mas, para darmos sequência a este trabalho, é preciso que o Estado nos ajude enfaticamente fazendo a sua parte”, finalizou o secretário.

 

DÍVIDA DO ESTADO

O montante que a Secretaria Municipal de Saúde tem a receber do Estado é de R$ 44.963.327,98. A dívida é referente a repasses não realizados para a Atenção Básica, Assistência Farmacêutica, Assistência de Média e Alta Complexidade (MAC), UPAs e para portarias específicas, para as competências de julho a dezembro de 2016, março a maio de 2017, março a dezembro de 2018 e agosto a outubro de 2019.

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana