conecte-se conosco


Internacional

Incêndios agravam poluição do ar em Sydney, na Austrália

Avatar

Publicado

A poluição do ar em Sydney, a maior cidade da Austrália com mais de cinco milhões de habitantes, está hoje entre as 20 piores do mundo por conta de incêndios no leste do país.

“Sydney, também conhecida como Big Smoke (nome dado na Austrália às grandes cidades) faz jus à alcunha.

A fumaça dos incêndios desaparecerá progressivamente ao longo do dia, mas aumentará à noite. Há um alerta de má qualidade do ar”, informaram os serviços de meteorologia.

No portal AirVisual, que mede a qualidade do ar em todo o mundo, Sydney ocupa hoje a 17ª posição, duas abaixo da cidade chinesa de Xangai, num ranking liderado por Daca, em Bangladesh.

Dados do governo de Nova Gales do Sul, cuja capital é Sydney, mostram que a qualidade do ar “é pobre”.

A fumaça sobre Sydney ao amanhecer é consequência dos incêndios das montanhas Gosper, a cerca de 300 quilômetros a noroeste da cidade. O fogo já queimou 850 quilômetros quadrados de terra.

Veja Também  Corpo de médico morto no Afeganistão chega ao Japão

O impacto da fumaça, que também afeta as cidades de Wollongongong e Newcastle, deverá ser agravado pelo calor intenso esperado para os próximos dois dias na costa leste da Austrália e que dificulta há duas semanas o combate às chamas por mais de 1.300 bombeiros.

Pelo menos seis pessoas morreram devido aos incêndios florestais em Nova Gales do Sul, a região mais duramente atingida por incêndios e seca severa.

A temporada de incêndios na Austrália varia de acordo com a área e as condições meteorológicas, embora sejam geralmente registados entre os meses de dezembro e março.

Os piores incêndios ocorridos no país nas últimas décadas ocorreram no início de fevereiro de 2009, no estado de Victoria (sudeste), e causaram 173 mortos e 414 feridos.  

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook

Internacional

Irã e Estados Unidos trocam prisioneiros após meses de tensão

Avatar

Publicado

O Irã e os Estados Unidos (EUA) fizeram neste sábado (7) uma troca de prisioneiros, em um avanço diplomático raro entre os dois países. A troca ocorreu em Zurique, na Suíça, e envolveu um investigador sino-americano detido por Teerã e um cientista iraniano detido pelos EUA.

O movimento diplomático ocorre no momento em que o Irã enfrenta fortes sanções impostas pelos norte-americanos e após os recentes protestos no país, que teriam feito centenas de mortos nas últimas semanas.

Representantes iranianos entregaram o investigador Xiyue Wang, detido em Teerã desde 2016. Em troca, os norte-americanos entregaram o cientista Massoud Soleimani, que enfrentava a Justiça federal dos Estados Unidos.

Soleimani, que trabalha na investigação de células estaminais, hematologia e medicina regenerativa, foi detido pelas autoridades norte-americanas e acusado de violar as sanções comerciais aplicadas ao Irã, depois de ter tentado importar “material biológico” para o seu país.

Já Wang tinha sido condenado a dez anos de prisão no Irã por supostamente ter se infiltrado no país e enviado material confidencial para o estrangeiro. Essas acusações são negadas pela Universidade de Princeton e pela família de Xiyue Wang.

Veja Também  Ipea e instituto chinês assinam acordo para estudos técnicos

Em sua página no Twitter, Donald Trump disse que o cientista norte-americano tinha sido detido durante a administração Obama. Acrescentou que essa troca de prisioneiros comprova que os dois países conseguem chegar a um acordo.

“Obrigada ao Irã por uma negociação muito justa. Vejam, conseguimos chegar a um acordo!”, afirmou o presidente.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Horas antes da mudança de governo, Macri e Fernández assistem à missa

Avatar

Publicado

Horas antes da mudança de governo na Argentina, o presidente Mauricio Macri e o presidente eleito Alberto Fernández assistem neste domingo (8) a uma missa pela “unidade e paz”, convocada pela Igreja Católica na Basílica de Luján, por ocasião do Dia da Imaculada Conceição da Virgem Maria. Fernández e a vice-presidente eleita, Cristina Kirchner, tomam posse terça-feira (10).

Casa Rosada Argentina

Casa Rosada, sede do governo da Argentina – Reuters/Direitos Reservados

Além dos católicos, a Conferência Episcopal Argentina (CEA) convocou todos os setores sociais e políticos “para orar juntos pela pátria”, na cerimônia desta manhã, conduzida pelo bispo de San Isidro e presidente da CEA, dom Oscar Ojea.

Macri e Fernández responderam rapidamente à convocação da Igreja, à qual comparecerão acompanhados por outros líderes e colaboradores.

Embora tenham compartilhado comunicações telefônicas e mensagens do WhatsApp, Macri e Fernández foram vistos pela última vez em 20 de julho, no segundo e no último debate presidencial antes das eleições de 27 de outubro.

Fonte: EBC
Comentários Facebook
Veja Também  Irã e Estados Unidos trocam prisioneiros após meses de tensão
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana