conecte-se conosco


Agricultura

Ministra mostra nos Estados Unidos avanços da agropecuária brasileira

Avatar

Publicado

A ministra Tereza Cristina cumprirá agenda, nesta semana, nos Estados Unidos, seguindo a estratégia do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) de ampliar a presença da agropecuária brasileira no mundo. A ministra terá reuniões no Banco Mundial, no Instituto Brasil do Wilson Center e no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), além do encontro com o secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue.

Nesta segunda-feira (18), a ministra participa de uma conferência no Banco Mundial, na qual serão apresentados os resultados do Projeto ABC Cerrado e discutidas opções para ampliá-lo. Financiado pelo Banco Mundial, o projeto é desenvolvido em sete estados do bioma (Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí, Minas Gerais) e no Distrito Federal, levando práticas sustentáveis às propriedades rurais.

A ministra Tereza Cristina falará sobre a importância do setor rural brasileiro, os principais projetos para desenvolver uma agropecuária sustentável no país e as tendências mundiais que impactam na produção brasileira.

Painel

No Instituto Brasil do Wilson Center (centro internacional de estudos e pesquisas), a ministra vai abordar o papel do Brasil no desenvolvimento da agricultura sustentável no mundo, nesta terça-feira (19). Em seguida, a ministra se reúne com representantes da Academia de Liderança para Mulheres do Agronegócio, na Embaixada do Brasil. No mesmo dia, a delegação do Mapa nos Estados Unidos também terá reuniões no Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Veja Também  Laboratório móvel analisa amostras de azeite de oliva para verificar se há fraude nos produtos

Investimentos

Encerrando a passagem por Washington, a ministra se reunirá, na quarta-feira (20), com o secretário Sonny Perdue para tratar da pauta da agropecuária brasileira. Entre os temas do encontro está a suspensão das importações de carne bovina brasileira in natura pelos Estados Unidos.

A ministra Tereza Cristina disse que vai apresentar a Perdue dados sobre a produção de carne bovina brasileira e os avanços do setor nos últimos anos. “Isso é uma coisa técnica. Os Estados Unidos estão pedindo mais informações, e nós vamos dar”, afirmou a ministra, na semana passada ao participar de evento em Londrina (PR), acrescentando que a sua proposta é construir com os Estados Unidos um “canal aberto e franco” para consolidar a parceria entre os dois países no setor agropecuário. 

Em Nova York, quinta-feira (21), a ministra vai falar sobre as oportunidades de investimento na agricultura sustentável brasileira. 

Informações à imprensa[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook

Agricultura

Ministério assina contrato com o BID para destinar US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária

Avatar

Publicado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento assinou nesta quarta-feira (4) o contrato de empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o Programa de Modernização e Fortalecimento da Defesa Agropecuária (ProDefesa). A assinatura ocorreu durante cerimônia para celebrar os 60 anos do banco. 

O custo estimado do programa é de US$ 200 milhões para os próximos cinco anos, sendo que US$ 195 milhões virão de empréstimo junto ao BID e US$ 5 milhões de aporte do governo federal. A operação foi autorizada pelo Senado Federal.

Segundo a ministra Tereza Cristina, o programa vai permitir que o Brasil continue livre da febre aftosa, aumente as áreas sem a peste suína clássica (PSC) e sem a mosca da carambola. Com esses recursos, também serão reestruturados os serviços de sanidade animal e vegetal.

“Estou muito feliz com este momento porque um dos pilares da minha gestão é justamente a defesa agropecuária. Hoje, o agro responde por mais de 40% das exportações brasileiras e por isso precisamos aprimorar nossa vigilância internacional e agilizar, pela informatização, a liberação de mercadorias, bem como inspeções, registros e autorizações. Simplificar sem precarizar, como digo sempre, usando a tecnologia a nosso favor”, disse a ministra.

Veja Também  Agropecuária é o setor com maior alta do PIB no terceiro trimestre do ano

Do total a ser investido, o controle e erradicação de pragas e doenças receberá US$ 137 milhões, a melhoria da eficiência dos serviços de defesa agropecuária ficará com US$ 23 milhões, e ao conhecimento e inovação para a defesa agropecuária caberá US$ 35 milhões. Adicionalmente, o Ministério aportará contrapartida de US$ 5 milhões para acompanhamento e avaliação dos projetos.

A ministra disse que, além do Prodefesa, o Mapa está elaborando uma Carta Consulta de Apoio do BID ao Plano AgroNordeste, voltado para inclusão de pequenos e médios produtores na região do semiárido brasileiro. Ela anunciou que o Ministério da Economia já autorizou a aprovação da carta para março de 2020.

Tereza Cristina lembrou que o BID é um parceiro importante do Brasil na disseminação de tecnologias de agricultura de baixa emissão de carbono, como o Projeto Rural Sustentável, aprovado pelo banco em 2013, que atuou na Amazônia e Mata Atlântica, beneficiando 25 mil produtores e atingindo 46 mil hectares.

O representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, disse que a assinatura do contrato de empréstimo é simbólico para o momento atual do Banco, e ressaltou que o BID quer continuar sendo um parceiro estratégico do Brasil. “Para os próximos anos, vamos continuar acompanhando o país em seus esforços para aumentar o ritmo de crescimento da produtividade e assim consolidar seus ganhos sociais”, disse.

Veja Também  Ministério assina contrato com o BID para destinar US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária

O contrato foi assinado pelo representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, pela ministra Tereza Cristina e pela procuradora da Fazenda Nacional, Suely Dib de Sousa e Silva

O contrato foi assinado pelo representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, pela ministra Tereza Cristina e pela procuradora da Fazenda Nacional, Suely Dib de Sousa e Silva

 

 

Informações à imprensa:[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Agricultura

Convênio prevê expansão da palma forrageira na Paraíba

Avatar

Publicado

A expansão da palma forrageira, importante alimento do rebanho do Nordeste em períodos de seca, é o objetivo do convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o governo da Paraíba. Assinado nesta quarta-feira (4) pela ministra Tereza Cristina e pelo secretário de Agricultura da Paraíba, Efraim Morais, o convênio integra as ações do AgroNordeste. 

Segundo o convênio, serão investidos R$ 5,4 milhões na implantação de campos de multiplicação da palma forrageira irrigada, com transferência de tecnologia e capacitação, visando revitalizar a cultura na Paraíba. Serão dois hectares de palma em cada município paraibano. As mudas serão usadas para expandir a palma para os demais estados do Nordeste. 

Para a ministra, o projeto servirá de berço para a multiplicação da palma forrageira, criando uma fonte de alimento para os animais na época da seca. “Temos experiências da Embrapa com a palma resistente à cochonilha, que acabou com essa cultura no passado e que deixou muita gente sem condições de sobreviver com seus animais na seca que assolou a região por muitos anos”, disse. 

Veja Também  Brasil e Alemanha firmam acordo de 40 milhões de euros para apoiar agropecuária sustentável

Alimento de bovinos, caprinos e ovinos, a palma forrageira fortalece a cadeia produtiva da pecuária nordestina. “Fico muito feliz de estarmos juntos assinando esse convênio porque sei que isso vai beneficiar diretamente o pequeno agricultor, aquele que precisa dessa ajuda para sobreviver com dignidade, ter renda para continuar na área rural”, destacou a ministra. 

O secretário de Agricultura disse que o projeto será implantado em 169 municípios da Paraíba, o que significa 388 hectares de palma irrigada no estado. “Estamos retomando uma das culturas mais importantes para a sobrevivência dos rebanhos, sejam de bovinos, ovinos e caprinos, principalmente na época da seca”, afirmou Morais. Segundo ele, em um ano e meio já será possível colher os primeiros resultados do projeto. 

Também participaram da assinatura do convênio, o secretário executivo do Mapa, Marcos Montes; o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke; o coordenador do AgroNordeste, Danilo Forte; o deputado federal Efraim Morais Filho; os prefeitos de São Sebastião do Umbuzeiro, Adriano Wolff, e de Alhandra, Renato Mendes Leite.

Veja Também  Mais de 65 mil pescadores afetados por manchas de óleo irão receber auxílio emergencial

Informações à Imprensa[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana