conecte-se conosco


Tecnologia

Avatar

Publicado

source

Olhar Digital

aplicativos arrow-options
shutterstock
Aplicativos nativos do Android apresentam vulnerabilidades


Um estudo divulgado pela Kryptowire, empresa especializada em segurança digital , afirma que 146 vulnerabilidades foram encontradas em aplicativos que vêm pré-instalados no sistema  Android  de 29 fabricantes de celulares, entre elas a Asus , Samsung e Xiaomi .

A pesquisa foi financiada pelo Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos. O estudo encontrou aplicativos que estão alterando configurações do smartphone sem permissão , gravando áudios de forma secreta e concedendo permissões de forma autônoma sem o consentimento do usuário.

Leia também: Celulares podem ser invadidos através de vídeo no WhatsApp; saiba como evitar

Angelos Stravou, CEO da Kryptowire, diz que a maior parcela de culpa é do Google , afirmando que a empresa tem o maior poder para demandar mudanças das fabricantes. “O Google pode exigir uma análise mais minuciosa dos códigos e da responsabilidade do fabricante pelo software contido nos produtos que entram no ecossistema do Android . Os legisladores e criadores de políticas deveriam demandar que as empresas sejam responsabilizadas por colocar a segurança e a informação pessoal dos usuários em risco”.

Veja Também  Aceita VR? Uber Eats passa a aceitar Ticket Refeição em São Paulo

Desde o ano passado, o Google lançou um sistema chamado Build Test Suite (BTS) para identificar aplicativos pré-instalados potencialmente perigosos em versões personalizadas do Android para dispositivos fornecidos com seus serviços. A própria empresa explica em seu relatório “Android Security 2018 Year in Review”, lançado no início de março:

“As OEMs (fabricantes) enviam suas imagens de compilação novas ou atualizadas ao BTS. O sistema então executa uma série de testes para procurar e identificar problemas de segurança. Um desses testes de segurança verifica as aplicações potencialmente danosas pré-instaladas incluídas na imagem do sistema. Quando encontrada, trabalhamos com o parceiro OEM para corrigir e remover o problema da construção antes que ele possa ser oferecido aos usuários”, explica o Google.

Leia também: Falha grave de segurança atinge o Linux; veja como se proteger

Mas, apesar dessas verificações de segurança , os aplicativos maliciosos continuam aparecendo, como evidenciado pela pesquisa de Kryptowire. 

Os apps considerados perigosos, encontrados pela equipe da Kryptowire, são pequenas peças de software , geralmente sem uma marca por trás, mas que são encontradas em smartphones de grandes fabricantes.

Veja Também  5 produtos eletrônicos em oferta na Cyber Monday

Esses apps costumam ser bem difícieis de remover. Eles são mais perigosos do que aqueles baixados pelos próprios usuários, já que têm mais liberdade para operar as funções do smartphone .

Em 2017, na conferência de segurança digital Black Hat, a Kryptowire apontou vulnerabilidades similares em smartphones de baixo custo da Shanghai Adups Technology.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook

Tecnologia

TikTok: como entrar e o que fazer na rede social do momento

Avatar

Publicado

source
TikTok arrow-options
shutterstock
Como usar o TikTok?


É a quarta maior rede social do mundo em número de usuários. Foi o aplicativo mais baixado no mundo para iOS em 2018. Neste ano, ultrapassou Facebook e Instagram em número de downloads na App Store e Google Play Store. Sim, estamos falando do TikTok . Afinal, o que há de tão legal nele para gerar tamanho sucesso?

A rede social de vídeos curtos tem feito cada vez mais sucesso no mundo todo, sobretudo entre o público mais jovem. De acordo com uma pesquisa feita pela Infobase Interativa, 41% dos usuários da rede social tem entre 16 e 24 anos . A chamada geração Z toma conta do aplicativo, compartilhando e consumindo vídeos de até 15 segundos. Os mais populares são os de dublagem de músicas, esquetes de comédia, memes e desafios. 

Leia também: Internautas criam ilusão de ótica “psicodélica” em novo desafio viral das redes

Como entrar no TikTok?

O TikTok é uma rede social que funciona apenas através do aplicativo . Por isso, para começar a utilizá-la, é preciso fazer o download pela  App Store ou Google Play Store . O aplicativo também possui a versão Lite , que ocupa menos espaço de armazenamento. 

Se sua intenção for só consumir conteúdo, fazer o download do app já é o suficiente. No TikTok , não é preciso fazer um cadastro para conseguir assistir aos vídeos que aparecem na timeline ou procurar por perfis e hashtags. 

Leia também: TikTok lança seu primeiro celular; confira as especificações

Se você deseja produzir vídeos e interagir com outras pessoas, porém, é preciso se registrar na rede social . Para isso, é só seguir os seguintes passos dentro do aplicativo do Tiktok :

  1. Clique no ícone do perfil, no canto direito inferior;
  2. Selecione como você quer criar uma conta, seja através de outra rede social, da conta Google ou do endereço de email;
  3. Siga as recomendações que aparecerem nas páginas seguintes para finalizar a criação da sua conta.

Pronto, você já está cadastrado no TikTok e pode começar a produzir vídeos, seguir pessoas e publicar conteúdos. Para criar um novo vídeo, é só clicar no ícone “+”, no centro inferior da tela. Na lateral direita da câmera aparecerão várias ferramentas simples e intuitivas de edição de vídeo, como filtros e modificador de velocidade. Em cima, é possível adicionar uma música à produção. 

aplicativo TikTok arrow-options
Captura de tela
O aplicativo tem ferramentas bastante simples de edição de vídeos


Vídeos curtos e edição simples

O maior diferencial do TikTok é a facilidade com que usuários podem realizar edições de vídeo de forma bastante simplificada na plataforma. Para Isabela Ventura, CEO da Squid, empresa especializada em marketing de influência, o segredo do sucesso do TikTok é justamente esse. “Se antes você precisava sair de um aplicativo de uma rede social para ter outro aplicativo para fazer toda a edição, para depois jogar o vídeo dentro da rede social, hoje o tiktok trouxe essa facilidade de não precisar de outros aplicativos para gerar esses vídeos e para precisar editar”, comenta. 

Veja Também  China exige escaneamento facial para compra de linha de celular e gera polêmica

Leia também: Conheça o TikTok, aplicativo que bateu o WhatsApp em número de downloads

Além disso, Isabela afirma que os resultados dos vídeos editados fazem sucesso justamente pela rapidez – cada publicação tem, no máximo, 15 segundos. “Você entra no TikTok achando que vai ficar cinco segundos e fica meia hora, uma hora tranquilamente sem parar. Acho que os vídeos são extremamente viciantes para quem consome”, afirma a especialista. 

A rede social do público teen?

Essa rapidez, facilidade e alta conectividade são os aspectos que fazem do TikTok um sucesso entre a geração mais jovem. Os nativos digitais estão bem mais acostumados ao smartphone do que ao computador, por exemplo, o que alavanca o sucesso do aplicativo entre a geração Z

Mas se engana quem pensa que o público teen é o único alvo da rede social do momento . O sucesso do TikTok começou entre os mais novos, mas muitos adultos já vêm se interessando em fazer parte dessa rede de pessoas. “O Facebook também não começou com a minha mãe e com a minha avó, o Facebook começou com os adolescentes e, hoje, minha mãe e minha avó estão lá dentro. Então esse é um movimento cultural e natural de todas as redes sociais”, explica Isabela, que acredita que o TikTok ainda deve crescer bastante entre o público mais velho. 

Veja Também  Aceita VR? Uber Eats passa a aceitar Ticket Refeição em São Paulo

Leia também: Google e Apple barram downloads do aplicativo TikTok, ex-Musical.ly, na Índia

Sucesso nacional

Embora o TikTok tenha ganhado muita popularidade em países como a China – país onde nasceu e mantém um terço do total de usuários -, o Brasil também já vem sendo palco para o sucesso da rede social. Por aqui, o TikTok se fundiu com o finado musical.ly em agosto de 2018, o que alavancou ainda mais o sucesso da plataforma por aqui. 

Assim como o fenômeno de criação de ídolos no YouTube , os chamados TikTokers também fazem muito sucesso no Brasil, movimentando milhões de fãs na rede social. Por aqui, porém, ainda falta que a marca seja reconhecida mais amplamente, sobretudo entre o público mais velho. “Se eu converso com uma pessoa de 10, 15 anos, ela já conhece TikTok. Mas se eu perguntar para uma pessoa de 30 sobre o TikTok, a chance dela falar ‘não conheço’ é grande. Então, acho que precisa de tempo e disseminação da marca no país”, avalia Isabela, que acredita que em alguns meses já veremos uma mudança nesse sentido por aqui. 

Instagram de olho na concorrência

Um dos maiores concorrentes do TikTok , hoje, é o Instagram , inclusive pela grande presença do público teen . E, assim como o Instagram percebeu o crescimento do Snapchat e criou o recurso de Stories , agora a rede social mira no sucesso do TikTok para acrescentar novas ferramentas. 

Leia também: Inspirado no TikTok, Instagram lança recurso ‘Cenas’; saiba como usar

No mês passado, o Instagram criou o recurso “Cenas”, que funciona de forma parecida com o TikTok , facilitando a criação de vídeos curtos para serem compartilhados na timeline. O teste começou no Brasil , o que pode indicar que o Instagram estaria tentando investir em mercados nos quais o TikTok ainda não pegou completamente.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Parece cinema mas não é: assista a vídeo gravado apenas com iPhone

Avatar

Publicado

source
vídeo gravado com iPhone 11 Pro arrow-options
Reprodução/Youtube
Vídeo conta a história de uma guerra de bolas de neve e foi totalmente gravado com iPhone 11 Pro


A Apple divulgou um vídeo da série “Shot on iPhone” – filmado por iPhone , em português – para mostrar a qualidade da câmera do iPhone 11 Pro . O vídeo foi dirigido por David Leitch, diretor de John Wick, interpretado por Keanu Reeves. 

Leia também: Não são só as três câmeras: inteligência artificial dá a Apple as melhores fotos

Nessa produção feita com o iPhone , Leitch conta a história de uma guerra de bolas de neve, chamada “Snowbrawl”. No vídeo, é possível ver efeitos visuais muito completos e bastante parecidos com os encontrados nas telas de cinema, além de uma excelente qualidade da imagem. Assista ao filme:


A Apple divulgou também o making of da produção, no qual Leitch explica como fez para explorar ao máximo as qualidades da câmera do iPhone 11 Pro. O diretor diz que teve que ser criativo para aproveitar dos pontos fortes de filmar com o celular, como a mobilidade e a possibilidade de pegar ângulos mais difíceis de serem acessados com grandes câmeras. 

Veja Também  China exige escaneamento facial para compra de linha de celular e gera polêmica

Leia também: Apple, Xiaomi e Huawei: veja quem ganha na disputa de câmeras

“Você não precisa de todo o equipamento que eu tive nesses grandes filmes de Hollywood para contar uma ótima história. Nós estávamos sendo criativos com a flexibilidade das câmeras [do iPhone ], com quão leve e quão móvel elas são”, diz o diretor no vídeo. Assista ao making of:

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana