conecte-se conosco


Tecnologia

Avatar

Publicado

source

Olhar Digital

whatsapp arrow-options
shutterstock

WhatsApp pode ser invadido através de vídeos


O WhatsApp está sofrendo com uma vulnerabilidade que permite que hackers interceptem mensagens e arquivos do usuário simplesmente enviando um vídeo em MP4 modificado. O problema afeta o sitema de buffer do aplicativo e pode ser utilizado para causar execução remota de comandos ou DoS (negação do serviço). Batizado como CVE-2019-11931, o problema foi considerado crítico.

Dependendo de como essas técnicas foram exploradas, o usuário pode ter suas mensagens no aplicativo acessadas por terceiros ou arquivos capturados, tudo remotamente.

Leia também: WhatsApp para Android pode ser invadido via GIF, saiba como se proteger

O problema vem afetando tanto as versões empresariais quanto as edições para consumidor do WhatsApp . A falha é similar ao bug que afetou o aplicativo no mês passado, que permitia que os arquivos do aparelho fossem acessados após o recebimento de um GIF infectado .

O Facebook anunciou que o WhatsApp já corrigiu o problema. Segundo especialistas em segurança da empresa, os usuários do aplicativo no Android , iOS e também no Windows Phone ficaram expostos à falha. A empresa de Mark Zuckerberg divulgou uma lista com as versões do serviço com o bug:

  • Android em versões anteriores ao 2.19.274
  • iOS em versões anteriores ao 2.19.100
  • Enterprise Client em versões anteriores ao 2.25.3
  • Windows Phone em versões anteriores e incluindo o 2.18.368
  • Business para Android em versões anteriores ao 2.19.104
  • Business para iOS em versões anteriores ao 2.19.100

Leia também: Zueira tem limites? WhatsApp bane membros de grupos com nomes maliciosos

A proteção contra a falha já está sendo disponibilizada para todas as versões do aplicativo. Caso você utilize uma das edições na lista ou não atualiza o WhatsApp há algum tempo, é importante verificar se o software está vulnerável e baixar o app mais recente.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook

Tecnologia

Modo escuro chega ao WhatsApp no Android

Avatar

Publicado

source

Olhar Digital

WhatsApp arrow-options
Reprodução

WhatsApp começa a receber modo escuro


O WhatsApp liberou nesta terça-feira (21) o tão aguardado modo escuro do aplicativo . A função foi disponibilizada na noite de terça para os usuários da versão beta do WhatsApp para o Android , mais especificamente para quem está rodando a edição 2.20.13.

O modo escuro do aplicativo faz exatamente o que se imagina. Ele troca os tons brancos e claros do WhatsApp por um tonalidades de azul escuro e preto, o que tem algumas implicações positivas. A primeira delas é tornar o uso do app mais confortável para os olhos, especialmente à noite, e a segunda é que, em telas AMOLED, os tons escuros ajudam a economizar bateria .

Leia também: Whatsapp foi aplicativo mais baixado no Brasil e no mundo em 2019

WhatsApp arrow-options
Olhar Digital

Modo escuro chega aos usuários beta do WhatsApp


Para habilitar o modo escuro , é necessário, antes de tudo, ter a versão 2.20.13 do WhatsApp no seu celular, disponível apenas para membros do programa beta. A partir daí, é só tocar no ícone de três pontinhos, acessar a área de “Configurações”, entrar em “Conversas”, entrar em “Tema” e selecionar entre as opções “Claro”, “Escuro” ou “Automático (sistema)”; esta última opção acompanhará a configuração de cores do seu Android .

Ainda não há uma previsão de quando o recurso será liberado para todos os usuários, mas a chegada da função ao público beta indica que ela está em fase avançada de testes . Ou seja: não deve demorar muito. Se você estiver com pressa e quiser experimentar a função o mais rápido possível, o ideal é migrar para o programa de beta do WhatsApp .

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Roku TV chega ao Brasil: conheça o sistema que quer entrar na sua televisão

Avatar

Publicado

source

Olhar Digital

Roku arrow-options
Divulgação/Roku

Roku TV chega ao Brasil


Nesta terça-feira (21), o mercado de TVs conectadas brasileiro viu a chegada de um novo competidor. A Roku é marca americana é conhecida mundialmente por suas TV boxes, as caixas que tornam as TVs inteligentes . Só que, por aqui, ela quer competir diretamente com as smart TVs: em vez de trazer as caixas, o sistema vem embutido em TVs AOC.

Inicialmente, serão dois modelos. O de 32 polegadas com definição HD vai custar R$ 1.199. Já o de 43 polegadas com full HD vai sair por R$ 1.599. Os aparelhos estarão disponíveis para compra online a partir de amanhã nas Casas Bahia , no Ponto Frio e no Extra , mas quem preferir comprar em uma loja física vai ter de esperar até fevereiro.

Leia também: Por que ter uma Smart TV Box em casa em pleno 2020?

O que é Roku?

Primeiramente, é necessário entender de onde partiu a Roku e o que eles estão trazendo ao Brasil. A companhia começou a cavar seu espaço no mercado dos Estados Unidos com a revolução do streaming, com a popularização de serviços como Netflix e similares. Seu primeiro produto a começar a ganhar popularidade foram suas set-top boxes, as caixinhas conectadas que se ligam à TV que podem dar capacidades “ smart ” a um modelo que não tenha internet.

Neste formato, provavelmente seu grande concorrente ao longo dos anos é a Apple TV ; a ideia é a mesma: proporcionar mais capacidade e uma interface melhorada para utilização de televisores conectados. A vantagem deste tipo de dispositivo sobre uma Smart TV convencional é simples: uma plataforma centralizada facilita o suporte a aplicativos por parte dos desenvolvedores e cria uma experiência de uso mais consistente.

Leia também: Para ajudar os indecisos, Netflix testa função ‘ao vivo’

Com o sucesso, a Roku expandiu para outros tipos de produtos além da caixinha. Talvez você seja familiarizado com o Chromecast; a empresa também tem um produto para competir com o aparelho do Google, que é o Roku Streaming Stick . Ele é um dispositivo pequeno conectado diretamente à porta HDMI de um televisor; a diferença é que enquanto o Chromecast não apresenta uma interface gráfica com a qual você interaja na TV (ele só recebe ordens de streaming a partir do seu celular), o aparelhinho da Roku não funciona de forma diferente de sua set-top box. O dispositivo conta com aplicativos rodando nativamente e é comandado por controle remoto.

No entanto, não foi nenhum desses produtos que chegou ao Brasil. O que a empresa trouxe ao país é o Roku OS, o sistema operacional que roda por baixo das caixas de streaming e do Streaming Stick. O software está presente em duas TVs anunciadas nesta terça-feira (21); também vale notar que os aparelhos não são da Roku, mas sim da AOC.

O que tem de diferente?

Em termos de aplicativos, o usuário do Roku OS não deve sentir falta de nada que está presente em outras plataformas, como Tizen, da Samsung, WebOS, da LG e em outras set-top boxes, como é o caso da Apple TV. A empresa, no entanto, aposta em um diferencial: a capacidade de encontrar o conteúdo que o usuário quer assistir, independentemente de onde ele estiver .

Leia também: Aprenda como tirar o acesso de intrusos na Netflix

Com o acirramento da disputa entre serviços de streaming , o conteúdo está cada vez mais pulverizado entre múltiplas plataformas. Vamos supor que você queira assistir a um episódio de “The Office”: qual serviço você precisa abrir? Até pouco tempo, o conteúdo era presença marcante no catálogo da Netflix , mas hoje pertence ao Amazon Prime Video . Com tanto material mudando de mãos frequentemente, e com o número de serviços aumentando cada vez mais, saber onde assistir o quê fica cada vez mais complicado.

É aí que a Roku tenta se diferenciar. O sistema operacional da empresa possui um sistema de busca universal, que vai apontar em qual canal está o conteúdo buscado. Então, seguindo o exemplo, se a busca é por “The Office”, o sistema vai direcionar o usuário para o Amazon Prime Video . Se a pesquisa for por “Friends”, o resultado vai apontar para a Netflix . Entre os parceiros de conteúdo no Brasil, o destaque vai para a Globoplay . O controle das TVs AOC terá um botão dedicado ao serviço.

O aplicativo da Roku também é apontado como um diferencial do sistema. Com ele, é possível utilizar o celular para comandar a TV, então você não precisa se desesperar se não conseguir encontrar o controle remoto. No entanto, o destaque do app é a capacidade de extrair o som da TV para ouvi-lo por meio do seu smartphone, ideal para quem não quer fazer barulho.

Leia também: Não precisa baixar: The Pirate Bay testa streaming de vídeo

Não é muito difícil imaginar bons usos para esse recurso. Às vezes você não quer diminuir o som da TV enquanto alguém da sua família dorme, mas também não quer incomodá-lo. Basta conectar o fone no celular e abrir o app para fazer com que o áudio do que você está assistindo seja canalizado para o seu smartphone e transmitido diretamente para os seus ouvidos.

A estratégia para o Brasil

São duas TVs anunciadas para o Brasil : o primeiro modelo, mais acessível, conta com tela de 32 polegadas, custa R$ 1.200; já o outro conta com um painel de 43 polegadas, saindo por R$ 1.600. Ambos estão limitados à resolução de 1920×1080, também conhecida como Full HD.

Pelas especificações, fica bem claro que, pelo menos no primeiro momento, a Roku quer brigar pelo mercado de TVs de entrada, pelo menos a princípio. Faz sentido: é a faixa do mercado onde há menos lealdade com marcas, e onde há mais espaço para disrupção.

Nas faixas de preço mais altas, seria difícil para a Roku entrar em uma briga com Samsung e LG . São as marcas de maior prestígio do momento, com seus próprios sistemas operacionais fortes e estabelecidos. Enquanto isso, os modelos mais baratos não conseguem oferecer uma experiência consistente para Smart TVs, criando uma oportunidade de entrada no mercado.

Leia também: Kinopop, o ‘Netflix da Classe C’, chega ao Brasil neste mês por R$ 15; conheça

O problema nesta estratégia, no entanto, é que as TVs “de entrada” com o sistema da Roku estão com preço acima do que o mercado dita. Uma TV Full HD de 43 polegadas não pode custar R$ 1.600 atualmente, quando já é possível comprar um televisor 4K com tamanho similar. Um modelo da própria AOC, com 43 polegadas e resolução 4K, pode ser encontrado por R$ 1.700.

As TV Boxes da Roku podem chegar aqui em algum momento, mas a empresa ainda não divulga seus planos sobre isso. O mesmo vale para as soundbars da marca. A AOC ainda não tem planos de inserir o sistema em outros modelos. A marca concorda que esses equipamentos competem com suas smart TVs, mas os encara como mais uma linha de produtos.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana