conecte-se conosco


Mato Grosso

Sema realiza Curso de Manejo de Produtos Florestais Não Madeireiros em Alta Floresta

Avatar

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), por meio da Coordenadoria de Conservação e Restauração de Ecossistemas, realizará o 2º Curso de ‘Normas e Procedimentos de Manejo de Produtos Florestais Não Madeireiros’ entre os dias 18 e 20 de novembro, em Alta Floresta.

O curso será realizado entre 19h e 21h, no Auditório do Museu de História Natural de Alta Floresta, e faz parte do VII Seminário de Biodiversidade e Agroecossistemas Amazônicos: Biodiversidade e a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta nos Agroecossistemas Amazônicos, organizado pela Universidade de Mato Grosso (Unemat).

Além de servidores da Sema e da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf),  professores da Unemat, biólogos, economistas e engenheiros florestais estarão conduzindo o curso.

Também estão entre os colaboradores representantes da Arte da Mata Artesanatos, do Instituto Centro de Vida (ICV), da Rede de Sementes Portal da Amazônia e da Associação Extrativista de Coletores e Coletoras de Castanha-do-Brasil do Juruena.

No dia 18 (segunda-feira) o coordenador de Conservação e Restauração de Ecossistemas da Sema, engenheiro florestal Marcos Ferreira, apresentará a palestra Arranjos produtivos florestais como opção nos Agroecossistemas Amazônicos

As inscrições, programação completa e regulamento podem ser verificadas no link: http://https://eva.faespe.org.br/eventos/7sebaam/?page=programacao

Comentários Facebook

Mato Grosso

Com instalação de novos equipamentos CBH Alto Teles Pires expande monitoramento das águas da bacia

Avatar

Publicado


.

O Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes da Margem Direita do Alto Teles Pires (CBH Alto Teles Pires-MD), realizou em junho, uma nova etapa de ampliação das estações hidrometeorológicas na região da bacia. O trabalho foi feito no Rio Celeste, localizado em Sorriso e Rio Nandico, próximo a Vera com apoio de uma equipe reduzida, observando as recomendações de distanciamento social. A ação proposta pelo CBH surge com a necessidade de levantamento de dados sobre a vazão dos rios que compõem a bacia, colaborando com a gestão consciente dos recursos hídricos da região.

O projeto que começou pelo rio Preto, situado próximo ao município de Sinop (500 km de Cuiabá), foi idealizado por meio de uma articulação entre a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), uma vez que ambas ocupam assentos no CBH.

O apoio financeiro para a execução do projeto se deu por meio de uma parceria do Comitê junto ao Ministério Público Estadual (MPE-MT), representado pela 3ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Sinop, que utilizou os recursos provenientes de transações penais de crimes contra o meio ambiente para fazer com que o projeto saísse do papel.

Além das estações fluviométricas, que mede o nível de água nos rios, o projeto contempla também, estações meteorológicas, que acompanha a relação entre o clima e o manejo de irrigação da região. Todos estes mecanismos de monitoramento se apresentam como um facilitador de dados para a construção de ações mais efetivas na conservação dos recursos hídricos do estado.

Segundo o primeiro secretário do Comitê, Eliel Alves Ferreira, as estações são importantes para o monitoramento da bacia. “A importância das estações está ligada diretamente a medição da quantidade de água disponível em rios que compõem a bacia do Alto Teles Pires. Essa aferição é importante para o correto gerenciamento de recursos hídricos”, afirmou.

O trabalho deve passar por outros rios previamente definidos pelo CBH Alto Teles Pires, como o Ribeirão do Ouro e Ribeirão Sossego, em Sorriso, e Rio Caiabi, em Vera, potencializando a cobertura e levantamento de informações mais precisas e de interesse público.

Rede Hidrometrológica Nacional

Organizado pela Agência Nacional de Águas (ANA), a Rede Hidrometeorológica Nacional é composta hoje por mais de 4 mil estações, que monitoram o volume de chuvas, o nível e a vazão dos rios, a quantidade de sedimentos, a evaporação e a qualidade das águas.

A ação de monitoramento é uma importante ferramenta de dados, que são constantemente utilizados para a gestão dos recursos hídricos e desenvolvimento de projetos que movimentam a economia e que envolvem os recursos hídricos, como transportes, agricultura, geração de energia hidrelétrica, saneamento e outros.

Atualmente os dados a nível nacional são disponibilizados por duas plataformas, o Hidroweb, banco de dados que reúne todas as informações coletadas pela Rede Hidrometeorológica, e a Telemetria, que apresenta dados hidrológicos em tempo real coletados pelas Plataformas de Coletas de Dados – PCDs, transmitidos pelos satélites brasileiros SCD e CBERS.

Conheça o CBH Alto Teles Pires

Instituído em 2015, o Comitê atua como um fórum de debate e deliberações sobre os assuntos que envolvem a utilização dos recursos hídricos da região do Alto Teles Pires. Sendo um órgão colegiado, conta com membros de instituições públicas, representantes da sociedade civil, além de outras organizações não governamentais. Com uma área de atuação de 7.050,243 Km², o CBH é hoje um dos principais meio de participação em defesa das águas do rio Preto, Rosana, Caiabi, Nandico, Celeste, Lira e outros.

Abrangendo quatro municípios, Sorriso, Nova Ubiratã, Sinop e Vera, o Comitê se junta a outros nove CBH’s atuantes no estado.

Os CBHs são instituídos por Lei e faz parte do Sistema Estadual de Recursos Hídricos do Estado de Mato Grosso, composto pelos Comitês de Bacias Hidrográficas; Conselho Estadual de Recursos Hídricos – CEHIDRO e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA/MT, Órgão Coordenador/Gestor de Recursos Hídricos.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Polícia Civil cumpre prisão preventiva de homem investigado por feminicídio

Avatar

Publicado


.

A Polícia Civil de Tabaporã (643 km ao norte de Cuiabá), com apoio da equipe da Delegacia de Juara, cumpriu nesta quinta-feira (02.07) mandados judiciais contra o homem investigado pela morte de Jaqueline dos Santos, de 24 anos, ocorrida em junho.

O delegado responsável pelo caso, Carlos Henrique Engelman, representou pela prisão do suspeito, de 21 anos, após investigação e coleta de evidências que comprovaram a materialidade do crime. Nesta quinta-feira, uma ação conjunta de policiais civis de Juara e Tabaporã cumpriu os mandados de prisão preventiva do investigado e de buscas e apreensões domiciliares emitidos pelo juízo da Vara Única de Tabaporã.

Jaqueline dos Santos foi encontrada morta no dia 20 de junho, após sair de casa no dia anterior. O corpo da vítima foi encontrado carbonizado, próximo a um frigorífico da cidade. A Polícia Civil recebeu registro de desaparecimento da vítima, feito pela mãe dela, que relatou que a filha havia saído de casa no dia 19 de junho, por volta do meio dia, informando que retornava em breve.

Investigação

Conforme apuração da equipe policial de Tabaporã, a vítima marcou um encontro com o investigado, com quem mantinha uma relação extraconjugal há quatro meses, e depois foi levada por ele até o local onde foi encontrada morta. Após conversa entre os dois, ela foi assassinada com um disparo de arma de fogo na cabeça. Em seguida, o homem foi até um posto de combustíveis, comprou etanol e retornou ao local do crime, onde ateou fogo na vítima.

Os indícios encontrados apontam que, possivelmente, a vítima ainda estava viva quando o autor do homicídio ateou fogo nela. 

Além da arma utilizada no crime, os policiais também apreenderam, durante o cumprimento dos mandados, o celular que o investigadoutilizava para contatar a vítima, assim como o aparelho de Jaqueline, que foi levado pelo criminoso após a morte dela.

O investigado também foi preso nesta quinta-feira, em flagrante, por posse irregular de arma de fogo. A mulher dele, advogada em Tabaporã, também foi detida pelo mesmo crime, no entanto, após recolhimento da fiança arbitrada, foi posta em liberdade.

O homem será indiciado por homicídio triplamente qualificado (feminicídio, crime praticado com emprego de fogo e impossibilidade de defesa da vítima). Ele foi encaminhado à cadeia pública de Porto dos Gaúchos, onde ficará a disposição do juízo da comarca de Tabaporã.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana