conecte-se conosco


Nacional

Quadrilha que fraudou contratos do governo do Rio é alvo de operação policial

Avatar

Publicado

Lancha arrow-options
Reprodução

Lancha está entre os itens apreendidos durante a operação desta terça-feira no Rio

A Polícia Civil deflagrou nesta terça-feira (12) uma operação contra uma quadrilha que fraudou contratos firmados em 2016 pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão do governo do estado do Rio de Janeiro.

Leia também: Juíza restringe visitas e afasta Flordelis de filho acusado pela morte do pastor

Seis mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão foram expedidos para ação, que é a primeira resultantes dos trabalhos da 1ª Vara Criminal Especializada do Crime Organizado do Tribunal de Justiça do Rio .

“O departamento de lavagem desbaratou um esquema criminoso de fraude a licitações e visou além das prisões , o sequestro de bens para o devido ressarcimento dos recursos públicos”, afirmou a delegada Patricia Alemany.

Até 7h20, quatro pessoas haviam sido presas. Robson Silva Portugal, Sthefany Alves Marques, Valter Marques Filho e Walter José da Silva (que era o chefe do grupo) foram detidos pela operação realizada em parceria com o Ministério Público. Eles também foram alvos dos mandados de busca e apreensão, assim como Emily Marques de Souza, Evelyn Marques de Souza, Giselle Teixeira Mendonça e as empresas Diboa Comerical LTDA e Somar Rio Distribuidora LTDA.

Leia também: Evo Morales deixa Bolívia rumo ao México, afirma chanceler

De acordo com a polícia , o prejuízo gerado pelas fraudes nos acordos para aquisição de papel ultrapassou R$ 10 milhões. As investigações foram iniciadas a partir de informações repassadas pela Controladoria Geral do Estado. Além da capital, os agentes atuam em mansões em Angra dos Reis, fazendas em Santa Maria Madalena e imóveis em Duque de Caxias, Araruama e Niterói.

Comentários Facebook

Nacional

Homem mata amigo após confundi-lo com javali em Minas Gerais

Avatar

Publicado


source
arma de fogo
Divulgação/Polícia Militar de Minas Gerais

O caçador assumiu ter sido responsável pelo tiro que matou o amigo.

Um homem identificado como Paulo César da Silva, 43, morreu depois de ter sido baleado por um amigo durante uma caçada. O caso aconteceu no fim de semana na cidade de Itanhandu, em Minas Gerais . O suspeito confessou ter sido responsável pelo disparo e disse que confundiu o amigo com um javali .

O suspeito, que não teve o nome revelado, disse que era amigo da vítima e havia marcado de ir caçar um javali que estava na região. Eles avistaram o animal e o suspeito atirou. Depois de escutar um grito, ele percebeu que atingiu Paulo César.

Como eles estavam na mata, o suspeito não conseguiu fazer o resgate sozinho e teve que voltar para a sede da fazenda em que estavam, onde chamou a polícia. O caçador não resistiu e morreu.

O responsável pelo disparo foi preso em flagrante e encaminhado para a delegacia da cidade. Ele se apresentou à polícia e entregou a arma, 10 cartuchos com munição e um cartucho vazio.

A PM isolou o local e acionou a perícia técnica. O corpo foi encaminhado para o IML. Segundo a polícia, a dupla tinha autorização para caçar, mas não para o porte de arma de fogo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Grupo é resgatado após se perder no “Vale da Morte” em São Paulo

Avatar

Publicado


source
resgate vale da morte
DIVULGAÇÃO / BOMBEIROS

Sete homens foram resgatados na manhã desta segunda-feira (31) após ficarem perdidos por cerca de 10 horas

Um grupo foi resgatado na manhã desta segunda-feira (3) após ficar ao menos 10 horas perdido na travessia do Vale da Morte , que liga as cidades de Santo André e Cubatão, em São Paulo. Sete homens foram encontrados pelo Corpo de Bombeiros por volta das 8h30 e nenhum deles sofreu ferimentos.

O major Marcos Palumbo, que participou das buscas, disse ao G1 Santos e Região que a corporação foi acionada por volta das 22h pela irmã de um dos homens. As famílias começaram a ficar preocupadas quando o grupo não retornou no horário combinado para a Baixada Santista.

“Ela nos informou que eles não haviam conseguido sair da mata. Como não estavam conseguindo contato por celular, já que o sinal no local é ruim, decidiram acionar o Corpo de Bombeiros . Como o clima na serra muda constantemente, tem muita neblina, umidade e serração, o caminho da trilha acaba ficando muito complicado, com possibilidade de quedas e de se perder facilmente”.

As recomendações do Major para os que decidirem fazer trilha é que sigam na companhia de alguém experiente que já conhece o local. Outro ponto é deixar alguém avisado, em caso de emergências. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana