conecte-se conosco


Internacional

Evo Morales chega ao México e denuncia golpe de Estado na Bolívia

Avatar

Publicado

O avião das Forças Armadas mexicanas, que levou Evo Morales da Bolívia à Cidade do México, pousou às 14h20 de hoje (horário de Brasília). Ele chegou acompanhado de Álvaro García Linera, seu vice-presidente, que também renunciou ao mandato no último domingo, além de representantes do corpo diplomático mexicano.

O chanceler do México, Marcelo Ebrard, recebeu o ex-presidente boliviano na porta da aeronave. Morales acenou para a imprensa, desceu as escadas do avião, ajeitou os cadarços do sapato e se dirigiu aos jornalistas, onde fez o primeiro pronunciamento em solo mexicano.

Bolivia's ousted President Evo Morales waves during his arrival to take asylum in Mexico, in Mexico City, Mexico, November 12, 2019. REUTERS/Luis Cortes

Evo Morales chegou à Cidade do México e pediu que não haja mais derramamento de sangue na Bolívia   (REUTERS/Luis Cortes/Direitos reservados)

“Saudações, irmãos, agradeço a toda a delegação que nos acompanhou. Estamos com Álvaro García Linera. Após a vitória em primeiro turno, começou o golpe de Estado. Estamos há exatamente três semanas e, na última etapa, infelizmente, a polícia nacional se somou ao golpe. Queimaram tribunais eleitorais, atas, cédulas, sedes sindicais, casas de autoridades do MAS (Movimiento al Socialista, partido de Morales), saquearam e queimaram a casa da minha irmã, a minha casa em Cochabamba. Tentaram saquear minha casa, mas os vizinhos me defenderam. Muito obrigado, sou grato à defesa do povo”, afirmou Morales, sereno, vestindo uma camisa de mangas curtas e calças jeans.

Morales apela a todos os bolivianos

O ex-presidente da Bolívia afirmou ainda que pediu a toda a população boliviana que colabore para que não haja mais derramamento de sangue. E agradeceu ao presidente do México, que “me salvou a vida”. Segundo Evo Morales, no último dia 9, sábado, quando chegava a Cochabamba, um membro do Exército mostrou mensagens e chamadas que demonstravam um pedido para “entregá-lo em troca de 50 mil dólares”. “Por isso agradeço, pois me salvaram a vida”, disse.

Morales ainda afirmou que seguirá na política. “Chegamos aqui seguros graças ao México e suas autoridades. Enquanto eu estiver vivo, seguimos na política. Segue a luta e estamos seguros de que os povos do mundo têm todo o direito de serem livres. Pensei que tínhamos terminado com a humilhação, mas há grupos que não respeitam a vida e a pátria”.

“Meu pecado é que ideologicamente somos anti-imperialistas. Não vou mudar ideologicamente. Sempre trabalhei pelos setores mais humildes, diminuímos muito a pobreza e isso vem para fortalecer a luta dos povos. Muito obrigado”, finalizou.

Edição: Kleber Sampaio
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Veja Também  EUA podem adiar imposição de tarifas sobre China

Internacional

Hamilton Mourão representará o governo em posse na Argentina

Avatar

Publicado

O porta-voz do Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, disse que o vice-presidente Hamilton Mourão será o representante do governo brasileiro na posse do novo presidente da Argentina, Alberto Fernández , que ocorrerá nesta terça-feira (10), em Buenos Aires. Mourão embarca ainda hoje (9) para a capital do país vizinho. 

“Confirmamos a participação do nosso vice-presidente na posse do futuro presidente da Argentina, senhor [Alberto] Fernández. O vice-presidente deve deslocar-se para a Argentina ainda hoje”, afirmou Rêgo Barros a jornalistas, durante coletiva no Palácio do Planalto, na noite desta segunda-feira. O embarque está previsto para as 20h. 

Mais cedo, o Ministério das Relações Exteriores havia informado que o embaixador do Brasil em Buenos Aires, Sérgio Danese, era quem representaria o governo brasileiro na posse de Alberto Fernández. Seria a primeira vez em mais de 15 anos que o governo brasileiro deixaria de enviar um representante do primeiro escalão para a posse de um presidente argentino. O país vizinho é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil, atrás de China e dos Estados Unidos, com um fluxo comercial anual de mais de quase US$ 26 bilhões, segundo dados de 2018. 

Veja Também  Hamilton Mourão representará o governo em posse na Argentina

Segundo Rêgo Barros, a decisão de Bolsonaro de enviar o vice-presidente foi uma forma de valorizar a relação entre os dois países, especialmente em relação às questões comerciais. “Com relação à decisão do presidente, ele vem, ao longo do dia, e mesmo ontem, fazendo análises continuadas, discutindo com vários ministros, e a partir dessas discussões, entendendo que se faria necessária a presença de uma autoridade lá […] para valorizar o relacionamento com a Argentina, em especial, nos aspectos comerciais”.

Alberto Fernández venceu as eleições argentinas pela coalizão de esquerda Frente de Todos. Ele tem como vice a senadora Cristina Kirchner, ex-presidente do país. Bolsonaro é crítico do kirchnerismo e apoiou a reeleição do presidente Maurício Macri, derrotado nas urnas nas eleições realizadas em outubro no país vizinho.

Há pouco, em seu Twitter, o vice-presidente disse que, a decisão de Jair Bolsonaro de designá-lo para representá-lo na posso de Fernández foi um “gesto polílitico”.

Saiba mais

Veja Também  Metroviários franceses temem "segunda-feira negra" nos transportes
Edição: Fábio Massalli
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Homem invade hospital e mata seis pessoas na República Tcheca

Avatar

Publicado

Seis pessoas morreram hoje (10) depois de terem sido alvejadas a tiros numa sala de espera de um hospital da cidade checa de Ostrava por um homem que ainda não foi identificado.

O primeiro-ministro Andrje Babis disse que os disparos foram efetuados por um homem, cuja identidade é ainda desconhecida, na sala de espera do hospital. O atirador disparou sobre pelo menos sete pessoas ao entrar no hospital.

O ministro do Interior, Jan Hamáček, confirmou que o tiroteio ocorreu no hospital universitário de Ostrava e, nas buscas para encontrar o suspeito em fuga, foram mobilizadas várias unidades especiais da polícia e um helicóptero. A operação de caça ao criminoso se estende por toda a República Tcheca.

Todos os acessos ao hospital, situado no campus da Universidade de Ostrava, estão fechados.

Em declarações à televisão checa CT24, um diretor do hospital afirmou que “o plano de emergência foi ativado. As instalações do nosso hospital estão fechadas e a polícia está no local desde o início do incidente”.

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Veja Também  Liberais democratas fazem campanha porta a porta no Reino Unido
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana