conecte-se conosco


Polícia Federal

PF apreende mais de 10 kg de cocaína no Aeroporto de São Paulo

Publicado

Polícia Federal

Guarulhos/SP – A Polícia Federal prendeu, entre os dias 8 e 10/11, no Aeroporto Internacional de São Paulo, quatro passageiros de voos internacionais com drogas ocultas no corpo e em fundos falsos de malas.

Na quinta-feira (8), um brasileiro, de 19 anos, foi preso tentando passar pelo controle migratório com quase três quilos de cocaína oculta em fundos falsos de uma mala de mão. O homem pretendia embarcar com destino ao Moçambique.

Na sexta-feira (9), uma mulher, nacional de Angola, 36 anos, foi flagrada vestindo, sob as vestes, uma espécie de cinta modeladora contendo dois quilos de cocaína, distribuídos em oito volumes. A presa, que embarcaria em voo para seu país natal, disse aos policiais que foi ameaçada de morte pelo traficante, caso se recusasse a transportar a droga.

Um casal de brasileiros, que pretendia embarcar para Portugal, teve suas bagagens analisadas pelos policiais federais, por meio do raio-x no porão de bagagens. Eles foram presos após os peritos federais encontrarem quase seis quilos de cocaína ocultos nas estruturas de suas duas malas. O casal, de 37 e 35 anos, é oriundo do estado do Paraná.

Veja Também  PF incinera quase 33 toneladas de entorpecentes em usinas de Dourados/MS

Os presos serão conduzidos aos presídios estaduais, onde permanecerão à disposição da Justiça.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos

Contato: (11) 2445-2212

Comentários Facebook

Polícia Federal

PF combate tráfico de drogas e organização criminosa em Macapá/AP

Avatar

Publicado


.

Macapá/AP – A Polícia Federal prendeu em flagrante na quinta-feira (17/9) um homem e três mulheres, entre 18 e 35 anos, por tráfico de drogas e atuação em facções criminosas, com cerca de 20 quilos de Skank, em Macapá/AP.

A ação, realizada com a ajuda do cão farejador de entorpecentes da instituição, é resultado de trabalho permanente de investigação no combate ao tráfico de entorpecentes e ao crime organizado no estado.

Os presos foram conduzidos à Superintendência da Polícia Federal no Amapá e após procedimentos, encaminhados ao Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (IAPEN), onde ficarão à disposição da Justiça e, se condenados, poderão cumprir pena de até 15 anos de reclusão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

[email protected] | www.pf.gov.br

Contato: (96) 3213-7500

Comentários Facebook
Veja Também  PF deflagra Operação Minamata para combater garimpo ilegal no Amazonas
Continue lendo

Polícia Federal

Polícia Federal apura crimes contra o sistema previdenciário nacional nos estados do Piauí e Maranhão.

Avatar

Publicado


.

Parnaíba/PI – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (21/9) a Operação URBSLUZIA, com objetivo de reprimir crimes contra o sistema previdenciário nacional ocorridos nos estados do Piauí e Maranhão.

Aproximadamente 40 policiais federais executam 8 mandados de busca e outras medidas restritivas de direitos expedidas pelo Juízo da 1ª Vara Federal em São Luís/MA. O monitoramento eletrônico, por meio de de tornozeleira rastreável, será instalado em sete dos investigados.

As diligências ocorrem simultaneamente nos municípios de Luzilândia/PI, Mata Roma/MA e Tutóia/MA. Neste último, as buscas acontecem na sede da APS, onde se processavam os benefícios.

A investigação realizada no âmbito da Força-Tarefa previdenciária, composta pela PF, MPF e NUINT-PI/CGINT-ME demonstra atuação de grupo responsável pela concessão de diversos benefícios de pensão por morte e auxílios-maternidade, infligindo prejuízo aos cofres públicos no valor de R$ 1,8 milhões já pagos indevidamente. Se calculados os pagamentos indevidos que serão evitados com a suspensão dos benefícios fraudulentos, essa cifra sobe para R$ 4,2 milhões.

Veja Também  Polícia Federal investiga supostas fraudes a licitações para aquisição de camas hospitalares no Tocantins

O crime somente era possível graças à participação de um  servidor do INSS que atua na concessão de benefícios. A fraude consiste em inserção de dados fictícios em processos montados a partir de falsos beneficiários, cooptados por familiares do técnico do seguro social. O grupo conta com apoio de policial para dar segurança no momento dos saques dos valores retroativos, em sua maioria grandes somas em espécie retiradas na rede bancária.

O nome da Operação, Urbsluzia, faz alusão ao município onde eram cooptados os pretensos beneficiários, em nome dos quais eram implementados os benefícios fraudulentos.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Piauí

Contato:  (86) 2106-4937/99451-8529

E-mail: [email protected]

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana