conecte-se conosco


Moda

APÓS QUASE MORRER AFOGADA EM MEU SANGUE

Avatar

Publicado

source
Sandra Teschner arrow-options
Reprodução/Instagram
Sandra Teschner

Ainda no hospital, ela conta que tudo mudou quando, em coma, viu um túnel com uma luz rosa e pessoas ao seu redor que transmitiam paz. Ao se recuperar, uma semana depois, Sandra decidiu que iria “espalhar a felicidade”.

Há cinco anos, Sandra Teschner ficou entre a vida e a morte por conta de um problema de saúde causado por estresse. Ainda no hospital, ela conta que tudo mudou quando, em coma, viu um túnel com uma luz rosa e pessoas ao seu redor que transmitiam paz. Ao se recuperar, uma semana depois, Sandra decidiu que iria “espalhar a felicidade”. Ela estudou fatores que influenciam uma pessoa a ser feliz no cotidiano e saiu ministrando palestras pelo mundo. Tanta dedicação lhe rendeu o certificado de Chief Happiness Officer pela Universidade da Flórida. Para Sandra, falar e ensinar como ser feliz é uma missão.

Tudo começou em julho 2014, quando ela perdeu o pai e a avó em um período de seis meses. Sandra mergulhou em seu trabalho, na época em comunicação corporativa, até que um dia, tomada pelo estresse, sofreu uma hemorragia nasal. Levada às pressas para o hospital, a empresária  afirma que entrou em coma e foi parar na UTI. As chances de sobreviver eram mínimas. Ela diz que seu irmão, cardiologista, conversou com os médicos e que a resposta foi que Sandra não passaria daquela noite.

“Eu fui entubada e levada para a sala de cirurgia. Não conseguiam diagnosticar o meu problema. Quando tentaram reparar essa hemorragia, eu aspirei meu próprio sangue e quase me afoguei. Meu pulmão estava lotado de sangue. Eu lembro que conseguia ver os médicos ao meu redor. E foi quando eu avistei um portão de madeira bem grande. Quando esse portão se abriu, eu vi um túnel, tipo esses que fica debaixo de um viaduto. E tinha uma luz muito forte rosa. Estava sendo empurrada em uma maca e as pessoas me olhavam com pena”, conta ela à Marie Claire.

Veja Também  BAZAR CASA TEGRA

“A sensação que eu tinha era de que estava em um hospício, mas via que aquelas pessoas estavam em paz, mas eu não, estava muito ansiosa em cima daquela maca olhando de um lado para o outro. Eu só queria queria saber onde estavam meu pai e a minha avó e eu não os via”, continuou.

Sandra voltou do coma dois dias depois de ser internada na UTI. “Quando acordei, estava tentando entender tudo que tinha acontecido com aquela experiência e concluí que se eu tivesse visto meu pai e a minha avó, eu não iria querer voltar. Eu só pensava em uma frase: ‘A sabedoria da vida consiste em mudar tudo o que você pode mudar, aceitar tudo o que você não pode mudar e principalmente em saber diferenciar as duas situações’. Tanto que pedi para a médica lápis e papel para escrevê-la, mas não consegui. Fiquei uma semana no hospital”, se recorda.

Foi a partir da experiência de quase morte que Sandra Teschner resolveu estudar a ciência da felicidade. Ela mergulhou em livros e criou o projeto chamado Plantando Happiness em que promete a “receita da felicidade”, unindo critérios cientificamente mais aceitos para ser feliz com as suas próprias experiências.

Veja Também  BAZAR CASA TEGRA

“Em meio as minhas pesquisas, me deparei com um curso sobre felicidade na Universidade da Flórida e fui lá ter aulas, debater com autores de grandes livros sobre o tema, participar ativamente de grupos de estudo. No banco da universidade, aprendi que cientificamente a felicidade é uma escolha, que 50% da capacidade de ser feliz é genética, 10% é resultado de acontecimentos externos e os outros 40% é possível de aprender”, explica.

“Ficou claro que minha missão seria fazer os outros entenderem que era totalmente possível aprender a ser feliz. Hoje, coloco em prática tudo o que aprendi nessa especialização e que continuo aprendendo sobre o que faz uma pessoa feliz. Após quase morrer, descobri que nasci para espalhar felicidade e isso virou meu ganha pão. Posso dizer que é um trabalho muito recompensador”, comemora.

Sandra também se dedicou a projetos sociais com crianças amputadas, com câncer e síndromes raras.

“O que mudou para mim desde minha experiência de quase morte é que não quero eliminar problemas e infortúnios. Sei que não passaremos incólumes aos obstáculos. O que importa é como reagimos a eles e isso define como vamos nos sentir. Dar é melhor que receber, não é religião, é ciência. Ser genuinamente grato te garante ver a vida pelo lado iluminado dela e reverbera em mais luz. Dá para aprender a ser feliz. E ninguém precisa quase morrer para aprender isso”, afirma.

Fonte:  https://revistamarieclaire.globo.com/Mulheres-do-Mundo/noticia/2019/11/apos-quase-morrer-afogada-em-meu-sangue-vi-que-minha-missao-era-espalhar-felicidade.html

Fonte: Profashional
Comentários Facebook

Moda

BAZAR CASA TEGRA

Avatar

Publicado

source
Sandra Teschner, Fernando Peixe e Helinho Calfat com parte das meninas que foram beneficiadas arrow-options
Foto: Melissa Binder
Sandra Teschner, Fernando Peixe e Helinho Calfat com parte das meninas que foram beneficiadas


Nos dias 13, 14 e 15/12, a Casa Tegra recebe a Segunda Edição do Bazar Beneficente do RP Helinho Calfat, da Publisher da Profashional e CHO – Chief Happiness Officer Sandra Teschner e do empresário e também RP Fernando Peixe, na Casa Tegra, em São Paulo.

Pela segunda vez o bazar beneficente acontece com o intuito de ajudar meninas com múltiplas amputações e deficiências, que travam árduas batalhas com a vida, mas que carregam no rosto um sorriso constante, sendo lição e inspiração para os que as conhecem.

“Uma das maiores experiências com a felicidade genuína que eu tive na minha vida foi nos últimos cinco intensivos anos convivendo com essas meninas, minhas protegidas,  crianças e jovens, multiplamente amputadas, que trazem uma alegria de viver que nos fazem aprender muito. Meu maior laboratório é a convivência com essas dificuldades que elas têm de passar, como lidam com isso e como cada uma ressignifica estes desafios em oportunidades para viverem conscientemente felizes” comenta Sandra Teschner, uma das organizadoras do evento.

Maria Eugênia Suconic arrow-options
Foto Melissa Binder
Maria Eugênia Suconic

Para ela é gratificante uma ação em prol de meninas que conseguem sorrir acima de tudo: “A Profashional sempre esteve envolvida em inúmeras causas sociais, mas quando conheci a Duda, há cinco anos, comecei a perceber que as causas tem rosto e nome e isso virou um grande laboratório na minha vida e me fez chegar numa nova etapa e estudar o Happiness, para entender porque pessoas com situações tão extremas como as que elas vivem conseguem ressignificar não só a vida delas, mas a vida de tanta gente. E com isso, dar a oportunidade às pessoas ajudarem em diversão ações, como no caso do nosso Bazar Casa Tegra, conhecendo pessoalmente as meninas que são a causa de toda essa ação é incrível” , comenta.

Jéssica Oliveira arrow-options
Foto: Carol Cassiano
Jéssica Oliveira

O foco do bazar é mudar concretamente a vida de indivíduos, os quais conhecemos e que são agentes multiplicadores de superação e alegria de viver. Cada nome ajudado tem uma história de superação e todas estarão presentes no evento.

Veja Também  BAZAR CASA TEGRA

Para quem será a ajuda este ano?

Neste ano, as arrecadações serão direcionadas para:

– Duda Salles, diagnosticada com Hemimelia Tibial Bilateral aos dois anos de idade. O problema é marcado pela falta total da tíbia das duas pernas, e adicionalmente pela falta de joelhos e calcanhares, o que acarretou na amputação das duas pernas da pequena (@dudasallesoficial).

Helinho Calfat, Fernando Peixe e Sandra Teschner junto com uma das beneficiadas, Jéssica Oliveira arrow-options
Divulgação
Helinho Calfat, Fernando Peixe e Sandra Teschner junto com uma das beneficiadas, Jéssica Oliveira.

– Eloiza Abreu, que aos três anos teve meningite B das mais complicadas, com índices de mortalidade acima de 80%, sobreviveu perdendo as pernas parte das mãos e dedos (@eloiza_aj).

– Jessica Oliveira, que aos 11 anos teve uma meningite, causa da amputação de seus quatro membros, perda dos lábios, orelha e nariz, além da audição. Jessica passou por diferentes cirurgias para enxerto de pele, já que teve 80% dela necrosada. Hoje, aos 14 anos, ela dá exemplo de vida e superação e compartilha sua experiência em palestras motivacionais (jessyca.olv).

Veja Também  BAZAR CASA TEGRA

– Time de nado sincronizado do Instituto Inspiração Paradesportiva (INSPARA), que tem como missão promover a saúde e a autoestima rumo a uma sociedade que respeita a diversidade por meio do nado artístico para pessoas com deficiência. O foco do bazar é mudar concretamente a vida esportiva destas pessoas, que viram agentes multiplicadores de superação e alegria de viver, ajudando a manter o Instituto (@inspara.instituto).

Bazar Casa Tegra arrow-options
Divulgação
Bazar Casa Tegra

Como ajudar:

– A doação de peças acontece até dia 10/12 e deve ser entregue na Profashional Editora até 10/12 (Av. Jandira, 843 – Moema)

– Voluntários serão necessários tanto para a organização pré-bazar, quanto para os três dias do evento.

Informações:

Bazar Casa Tegra por Sandra Teschner, Helinho Calfat e Fernando Peixe

Dias: 14, 15 e 16 de dezembro

Local: Casa Tegra – Rua Oscar Freire, 1009. 

Horário:

(Entrada Gratuita)

Fonte: Profashional
Comentários Facebook
Continue lendo

Moda

Sandra Teschner na Casa Cor Bahia

Avatar

Publicado

source
Sandra Teschner na Casa Cor Bahia arrow-options
Divulgação
Sandra Teschner na Casa Cor Bahia

Projetar ambientes que traduzem bem-estar e qualidade de vida é o grande desafio dos arquitetos e designers de interiores. Para colaborar com esta tarefa, a palestrante falou da importância da biophilia , uma corrente da neuroarquitetura que expõe a conexão humana aos ambientes naturais , vivos! “A neurociência traz referências para que projetos arquitetônicos estimulem sensações positivas nas pessoas. Somos seres sensoriais,  os estímulos do meio externo entram em nosso cérebro de forma inconsciente. Temos receptores em todo o corpo , isso gera emoção, propicia determinados comportamentos”, explicou.

Os mais atuais estudos científicos em todo o mundo trazem informações relevantes sobre a Ciência da Felicidade e seus desdobramentos são percebidos nos conceitos de teóricos, assim como nos incontáveis movimentos positivistas que despontam mundo afora, ainda que aparentemente desconectados.  De pequenos hábitos a mudanças de comportamento, da inserção do verde no seu dia a dia – como o “urban jungle” dentro de sua própria casa a sustentabilidade coerente, do  biodesign na moda as técnicas de relaxamento autoaplicáveis, dos quadrinhos com frases que nos representam (e que alegram nosso inconsciente) a exercícios físicos, da cultura do “nós” em bate-papos informais positivos ao retorno as artes manuais, tudo isso abraçado por muita tecnologia.

Sandra Teschner e Jussara Amorim da casa cor Bahia arrow-options
Divulgação
Sandra Teschner e Jussara Amorim da casa cor Bahia

“O futuro chegou, mas ele não é frio, pede o acalanto do artesanato, o contato humano, as ações coletivas, o compartilhamento de ideias, a natureza, tudo isso com todo o aparato tecnológico agindo como facilitador”, contou com entusiamo. E esclarece: “Trata-se do impacto que este contexto traz para as nossas vidas, como a redução do estresse e ansiedade, melhora na concentração, aumento da autoestima, da produtividade, entre outros benefícios, enquanto essas escolhas vão promovendo a sensação de bem-estar pleno em efeito multiplicador. Atua ainda como um antídoto ao mal do século, leia-se a depressão e a ansiedade.

Veja Também  BAZAR CASA TEGRA

Apesar de vivermos um momento onde a força da tecnologia é muito forte, é importante lembrarmos das sensações que o design pode nos proporcionar. Por isso, a busca pelo natural, pelas raízes, pela utilização de matérias-primas sustentáveis está em alta. É o momento de trazer o verde para dentro de casa, as madeiras naturais, de reaproveitamento ou de demolição. O mundo moderno chegou e pede esse momento da volta do passado atrelado a tecnologia, sempre em busca da memória afetiva.

Janete Amaral, Sandra Teschner e Monique Melo arrow-options
Divulgação
Janete Amaral, Sandra Teschner e Monique Melo

Pensar nesses pontos é importante para garantir que a decoração traga o sensorial como ponto alto, influenciando no humor, comportamento e bem-estar.

Para ela, a Casa Cor Bahia está sendo muito assertiva trazendo a pauta sensorial, de afetividade e sustentabilidade. É preciso mostrar a tecnologia aliada a ancestralidade, tudo isso com graça renovada, com jovens talentos, cheios de bagagem, como é o caso de Daniela Alencar, que traz no seu espaço referências históricas, clássicas, aliadas ao bom gosto contemporâneo.

Dentre os presentes ao evento estavam: Ingrid Weckerle, Adriana Amaral, Christiane Peleteiro, Monique Melo, Janete Amaral, Daniela Alencar, Lila Moraes e Jussara Amorim.

Fonte: Profashional
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana