conecte-se conosco


Moda

APÓS QUASE MORRER AFOGADA EM MEU SANGUE

Avatar

Publicado

Sandra Teschner arrow-options
Reprodução/Instagram

Sandra Teschner

Ainda no hospital, ela conta que tudo mudou quando, em coma, viu um túnel com uma luz rosa e pessoas ao seu redor que transmitiam paz. Ao se recuperar, uma semana depois, Sandra decidiu que iria “espalhar a felicidade”.

Há cinco anos, Sandra Teschner ficou entre a vida e a morte por conta de um problema de saúde causado por estresse. Ainda no hospital, ela conta que tudo mudou quando, em coma, viu um túnel com uma luz rosa e pessoas ao seu redor que transmitiam paz. Ao se recuperar, uma semana depois, Sandra decidiu que iria “espalhar a felicidade”. Ela estudou fatores que influenciam uma pessoa a ser feliz no cotidiano e saiu ministrando palestras pelo mundo. Tanta dedicação lhe rendeu o certificado de Chief Happiness Officer pela Universidade da Flórida. Para Sandra, falar e ensinar como ser feliz é uma missão.

Tudo começou em julho 2014, quando ela perdeu o pai e a avó em um período de seis meses. Sandra mergulhou em seu trabalho, na época em comunicação corporativa, até que um dia, tomada pelo estresse, sofreu uma hemorragia nasal. Levada às pressas para o hospital, a empresária  afirma que entrou em coma e foi parar na UTI. As chances de sobreviver eram mínimas. Ela diz que seu irmão, cardiologista, conversou com os médicos e que a resposta foi que Sandra não passaria daquela noite.

“Eu fui entubada e levada para a sala de cirurgia. Não conseguiam diagnosticar o meu problema. Quando tentaram reparar essa hemorragia, eu aspirei meu próprio sangue e quase me afoguei. Meu pulmão estava lotado de sangue. Eu lembro que conseguia ver os médicos ao meu redor. E foi quando eu avistei um portão de madeira bem grande. Quando esse portão se abriu, eu vi um túnel, tipo esses que fica debaixo de um viaduto. E tinha uma luz muito forte rosa. Estava sendo empurrada em uma maca e as pessoas me olhavam com pena”, conta ela à Marie Claire.

“A sensação que eu tinha era de que estava em um hospício, mas via que aquelas pessoas estavam em paz, mas eu não, estava muito ansiosa em cima daquela maca olhando de um lado para o outro. Eu só queria queria saber onde estavam meu pai e a minha avó e eu não os via”, continuou.

Sandra voltou do coma dois dias depois de ser internada na UTI. “Quando acordei, estava tentando entender tudo que tinha acontecido com aquela experiência e concluí que se eu tivesse visto meu pai e a minha avó, eu não iria querer voltar. Eu só pensava em uma frase: ‘A sabedoria da vida consiste em mudar tudo o que você pode mudar, aceitar tudo o que você não pode mudar e principalmente em saber diferenciar as duas situações’. Tanto que pedi para a médica lápis e papel para escrevê-la, mas não consegui. Fiquei uma semana no hospital”, se recorda.

Foi a partir da experiência de quase morte que Sandra Teschner resolveu estudar a ciência da felicidade. Ela mergulhou em livros e criou o projeto chamado Plantando Happiness em que promete a “receita da felicidade”, unindo critérios cientificamente mais aceitos para ser feliz com as suas próprias experiências.

“Em meio as minhas pesquisas, me deparei com um curso sobre felicidade na Universidade da Flórida e fui lá ter aulas, debater com autores de grandes livros sobre o tema, participar ativamente de grupos de estudo. No banco da universidade, aprendi que cientificamente a felicidade é uma escolha, que 50% da capacidade de ser feliz é genética, 10% é resultado de acontecimentos externos e os outros 40% é possível de aprender”, explica.

“Ficou claro que minha missão seria fazer os outros entenderem que era totalmente possível aprender a ser feliz. Hoje, coloco em prática tudo o que aprendi nessa especialização e que continuo aprendendo sobre o que faz uma pessoa feliz. Após quase morrer, descobri que nasci para espalhar felicidade e isso virou meu ganha pão. Posso dizer que é um trabalho muito recompensador”, comemora.

Sandra também se dedicou a projetos sociais com crianças amputadas, com câncer e síndromes raras.

“O que mudou para mim desde minha experiência de quase morte é que não quero eliminar problemas e infortúnios. Sei que não passaremos incólumes aos obstáculos. O que importa é como reagimos a eles e isso define como vamos nos sentir. Dar é melhor que receber, não é religião, é ciência. Ser genuinamente grato te garante ver a vida pelo lado iluminado dela e reverbera em mais luz. Dá para aprender a ser feliz. E ninguém precisa quase morrer para aprender isso”, afirma.

Fonte:  https://revistamarieclaire.globo.com/Mulheres-do-Mundo/noticia/2019/11/apos-quase-morrer-afogada-em-meu-sangue-vi-que-minha-missao-era-espalhar-felicidade.html

Comentários Facebook

Moda

A pequena realeza e seus aplausos aos grandes heróis da pandemia

Avatar

Publicado


source

Enquanto a notícia de que a rainha Elisabeth teria testado positivo para o Covid19, não se confirma , Seus netos e sucessores ao trono inglês , aplaudem em vídeo aos profissionais de saúde e todos aqueles que estão na linha de frente no combate à pandemia . 

O que sabemos é que o herdeiro ao trono inglês , Príncipe Charles, que testou positivo, passa bem . 

Segundo na linha de sucessão , o Príncipe William e a futura rainha consorte Kate, foram pessoalmente agradecer aos bombeiros, numa atitude que se assemelha a da própria avó, durante a segunda guerra mundial. 
O outro filho de Diana e a partir do dia 31/03 não mais membro da família real, Harry, está em LA com Meghan Markle e filho. O casal que optou por uma saída nada nobre da família real, tendo surpreendido a própria rainha com este anúncio através do Ig, confirma as especulações, que fizeram deles alvo de críticas em todo o mundo. Em busca de privacidade estão em Hollywood com o discurso de mudar o mundo viajam em jatos privados ( e condenam a todos que viajam devido ao ” Carbon foot-print” , uma das razões dos apelidos que adquiriram e rimam com hipocritas ). 

Desativei uma conta que mantinha sobre os dois, já que aquela imagem de uma dupla disposta a fazer a diferença, me encantara a princípio .
Com ca. de 50 mil seguidores e engajamento altíssimo, aprendi na prática o que ” lovers” e ” haters” têm em comum, e por fim sucumbi a ambos, e aprendi uma lição nova pra mim. O contrário do ódio ou do amor é a indiferença. Os que amam fanaticamente e os que odeiam são iguais. Só mudam o lado da moeda em que apostam. 

Ano difícil para esta senhora que aos 93 não se aposentou e espantou a atriz que acreditou que vida de rainha se iguala a de celebridades. Bônus todos, servir não. 

Se sábios fossem, saberiam onde mora a felicidade.

Sandra Teschner, publisher, escritora, Chief Happiness Officer e conhecedora de temas voltados à família real britânica.

Fonte: IG Moda

Comentários Facebook
Continue lendo

Moda

Em época de Coronavírus, não seja um Meme

Avatar

Publicado


source
Em época de Corona Vírus, não seja um Meme arrow-options
Divulgação

Em época de Corona Vírus, não seja um Meme

Basta um acontecimento para a chuva de memes começar e lotar nossos WhatsApps e Redes Sociais.

Agora não foi diferente; a seriedade do momento é algo talvez jamais visto. Pandemia, quarentena como lei e o brasileiro usando o seu tempo e humor para deixar tudo um pouco menos assustador.

Ontem recebi algumas imagens e áudios que, no meio disso tudo, me arrancaram gargalhadas: “já sujei a roupa e lavei de novo para ter o que fazer”, “já depilei um morango inteiro com a pinça” e, até, “já penteei e tingi um caroço de manga”. Apesar de cômico, isso mostra a preocupação do brasileiro não se encontrar em casa neste momento no qual ficar recluso é necessário.

Mas, VOCÊ NÃO PRECISA SER UM MEME!

Estar recolhido é a chance de você se reinventar, de mudar o ângulo da visão e fazer o que não vinha tendo tempo ou incentivo para começar. Serão dias difíceis e manter a mente saudável será exercício indispensável para sobrevivência.

Então, abaixo uma relação feita pela *Sandra Teschner*, Chief Happiness Officer para você ficar firme neste momento e não precisar lavar ou depilar frutas por aí:

✅Mantenha-se informado sobre as evoluções dos estudos sobre o vírus, as prevenções, novas descobertas e pronto. Assistir de novo e mais uma vez as notícias trágicas não trarão bem nenhum a você, nem a sua família. Mas contribuirá para o aumento de ansiedade, tristeza até depressão.

✅Tenha sempre em mente se as situações representam algo que você possa mudar, que você possa fazer uso positivo da informação sobre ela, como meios preventivos, por exemplo. Se não, ela não serve para você!

✅ Convide amigos para “cafés e happy hours virtuais”. Você se surpreenderá com quantos reencontros bacanas você terá. Afinal, quando na história recente estávamos todos na mesma situação, em qualquer parte do mundo?

✅Organizar a agenda de todos em casa, incluindo filhos pequenos.

✅Todos precisamos de objetivo para cada dia, já sabendo pelo menos de véspera o que lhes cabe para o dia seguinte.

✅Se tem tempo livre (se não está de home-office, por exemplo), aproveitar fazer coisas que nunca teve tempo: aprender um instrumento, fazer um curso à distância. A FGV está oferecendo gratuitamente 50 cursos on-line com direito a certificação! Operadoras como a Claro estão dando pacotes de dados adicionais, outros abriram canais de tv que geralmente tem um alto custo para exibição!

✅ Curtir momentos família também podem ganhar nova rotina e voltar ao tabuleiro.  Se você tem crianças em casa, montar quebra-cabeça, criar um desafio para a semana com premiação para o vencedor (direito ao quarto do líder, não fazer atividades domésticas por um dia…). E se suas crianças são “adultos”, vai funcionar tão bem quanto!

Nunca estivemos tão juntos, mesmo que distantes!

Fonte: IG Moda

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana