conecte-se conosco


Economia

Consumidores terão dicas sobre a Black Friday no metrô de São Paulo; veja locais

Avatar

Publicado

escalda metrô arrow-options
Alexandre Carvalho/Divulgação/Governo de SP – 15.11.14

Orientações sobre a Black Friday acontecerá no metrô de São Paulo

Nesta sexta-feira (8) o Procon-SP fará plantões em diversas estações de metrô e de trens da capital paulista, além de shoppings. O objetivo é orientar o consumidor sobre possíveis fraudes e quais são os seus direitos quando for comprar na Black Friday . O horário nesta sexta-feira será de 10h às 14h.

Smartphones lideram preferência na Black Friday; veja campeões de venda no País

Neste ano, a promoção que se consolidou na agenda do varejo brasileiro ocorre no próximo dia 29. Porém, durante todo o mês de novembro, o comércio físico e eletrônico já oferecem descontos aos consumidores. A estimativa deste ano é um faturamento de R$ 13,5 bilhões.

“Durante a ação, os consumidores receberão orientações sobre a importância de pesquisar com antecedência, como fazer denúncias em caso de oferta enganosa e reclamar seus direitos nos canais de atendimento do órgão”, diz a nota do Procon.

Black Friday: 6 dicas de especialistas para aproveitar a promoção com segurança

Veja os locais onde o Procon-SP fará suas orientações

vitrine black friday arrow-options
Agência Brasil

Black Friday deve faturar mais de R$ 13 bilhões em 2019 e consumidor deve pesquisar antes de comprar

Estações do metrô

  • Itaquera,
  • Higienópolis,
  • Consolação,
  • Liberdade,
  • Chácara Klabin e
  • Tatuapé

Estação da CPTM

  • Tamanduateí

Shopping

  • Pátio Paulista

No próximo sábado (9), uma ação similar será realizada no Shopping Metrô Tatuapé. O Procon-SP ainda informa que as ações referentes à Black Friday tiveram início em 18 de outubro e seguirão até 22 de novembro .

Número de compras em lojas físicas e online deve se igualar na Black Friday 2019

7 dicas do Procon na hora de aproveitar a Black Friday

1. Recomenda-se que o consumidor faça uma lista do produto ou serviço que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto, evitando assim gastar mais do que o previsto. Importante também fazer uma pesquisa de preços por meio de aplicativos e sites de comparação de preços.

2. Observar o prazo de entrega e informar-se antecipadamente sobre a política de troca da empresa são atitudes que ajudam a evitar problemas.

3. O consumidor deve evitar clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais, fazendo sempre a consulta da página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site.

4. Os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número das parcelas.

5. Qualquer produto, nacional ou importado, deve apresentar informações corretas, claras e em língua portuguesa sobre suas características, qualidade, quantidade, composição, preço, garantia, prazo de validade, origem, além dos riscos que possam apresentar à saúde e segurança dos consumidores.

6. Nas compras feitas em sites, após escolher o produto ou serviço, o consumidor deve verificar se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto que o habitual.

7. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, em compras feitas fora do estabelecimento , o consumidor tem 7 (sete) dias para “se arrepender”, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta (o prazo passa a contar da data da compra ou da entrega do produto).

Comentários Facebook

Economia

Caixa explica divergência de números da Dataprev sobre auxílio

Avatar

Publicado


source
Caixa app
Reprodução Youtube Caixa Econômica Federal

Caixa contabiliza cadastros por CPF e a Dataprev, pelo número de envios de dados; Confira os principais erros que causam ‘dados inconclusivos’

Em coletiva de imprensa neste sábado (30), a vice-presidente do governo da Caixa Econômica Federal, Tatiana Thomé, respondeu ao iG sobre a divergência nos números relativos aos cadastros do auxílio emergencial. Isso porque na quinta-feira (28), a Dataprev – empresa responsável pelas análises – divulgou  dados diferentes dos da Caixa.

A Dataprev afirmou que 112,5 milhões requerimentos sendo que 16,4 milhões ainda aguardavam resultado da análise do pedido do auxílio emergencial, com 59,3 milhões foram aprovados e 36,9 milhões foram considerados inelegíveis.

Já a Caixa  declarou que o total de pedidos foi de 106,5 milhões e que há 10,4 milhões aguardando a análise, com 59,9 milhões considerados elegíveis e 42,2 milhões foram negados.

Segundo Thomé, a explicação é que a a Caixa faz essa conta por CPF, enquanto a Dataprev contalibiza por número de cadastros.

“Esses números não vão mesmo coincidir, ainda mais daqui para frente. Porque a maneira de calcular é diferente: a Dataprev calcula por processamento, por análise. A Caixa calcula por CPF inscrito. E há possibilidade do cidadão fazer um novo cadastro corrigindo informações, quando tem, por exemplo, a questão da divergência entre cadastros ou da falta de informação, além da possibilidade de constestação”, afirmou a vice-presidente.

Os cidadãos que tiverem o auxílio negado podem fazer uma  contestação à negativa ou refazer o cadastramento no aplicativo ou site Caixa Auxílio Emergencial.

Leia ainda:  Auxílio virou empréstimo? Saiba quem precisará devolver em 2021

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Mães adolescentes podem pedir auxílio a partir de hoje (30)

Avatar

Publicado


source
Caixa app
Reprodução Youtube Caixa Econômica Federal

Caixa divulgou regras para mães adolescentes se candidatarem aos cadastros

Em coletiva de imprensa neste sábado (30), a vice-presidente do governo da Caixa Econômica Federal, Tatiana Thomé, anunciou que mães adolescentes podem começar a pedir o auxílio emergencial a partir de hoje pelo aplicativo ou site Caixa Auxílio Emergencial.

Na semana passada, a  Caixa afirmou que o recurso seria disponibilizado para mães adolescentes  apenas no dia 1º de junho – sendo que a data limite para os cidadãos fazerem o requerimento do auxílio é até 2 de junho.

O auxílio foi autorizado a mães adolescentes pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 15, mais de um mês após aprovação da lei que rege o auxílio emergencial de R$ 600 de combate à crise provocada pela pandemia.

Segundo a lei, apenas maiores de idade poderiam pedir a renda emergencial.

Mães adolescentes devem fazer o cadastro normalmente, sendo que é necessário ter, no mínimo, duas pessoas em seu pedido: ela e seu filho.

Leia:  Auxílio emergencial: mães adolescentes podem receber

A Caixa divulgou também quais os motivos que tornam um cadastro inconclusivo, que deve ser observada também pelas mães menores de 18 anos:

app caixa
Reprodução Youtube Caixa Econômica Federal

Dados inconclusivos levam a negação do auxílio




Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana