conecte-se conosco


Economia

Consumidores terão dicas sobre a Black Friday no metrô de São Paulo; veja locais

Publicado

source
escalda metrô arrow-options
Alexandre Carvalho/Divulgação/Governo de SP – 15.11.14
Orientações sobre a Black Friday acontecerá no metrô de São Paulo

Nesta sexta-feira (8) o Procon-SP fará plantões em diversas estações de metrô e de trens da capital paulista, além de shoppings. O objetivo é orientar o consumidor sobre possíveis fraudes e quais são os seus direitos quando for comprar na Black Friday . O horário nesta sexta-feira será de 10h às 14h.

Smartphones lideram preferência na Black Friday; veja campeões de venda no País

Neste ano, a promoção que se consolidou na agenda do varejo brasileiro ocorre no próximo dia 29. Porém, durante todo o mês de novembro, o comércio físico e eletrônico já oferecem descontos aos consumidores. A estimativa deste ano é um faturamento de R$ 13,5 bilhões.

“Durante a ação, os consumidores receberão orientações sobre a importância de pesquisar com antecedência, como fazer denúncias em caso de oferta enganosa e reclamar seus direitos nos canais de atendimento do órgão”, diz a nota do Procon.

Black Friday: 6 dicas de especialistas para aproveitar a promoção com segurança

Veja Também  Apartamentos são leiloadas com descontos de até 47% nesta quarta-feira (13)

Veja os locais onde o Procon-SP fará suas orientações

vitrine black friday arrow-options
Agência Brasil
Black Friday deve faturar mais de R$ 13 bilhões em 2019 e consumidor deve pesquisar antes de comprar

Estações do metrô

  • Itaquera,
  • Higienópolis,
  • Consolação,
  • Liberdade,
  • Chácara Klabin e
  • Tatuapé

Estação da CPTM

  • Tamanduateí

Shopping

  • Pátio Paulista

No próximo sábado (9), uma ação similar será realizada no Shopping Metrô Tatuapé. O Procon-SP ainda informa que as ações referentes à Black Friday tiveram início em 18 de outubro e seguirão até 22 de novembro .

Número de compras em lojas físicas e online deve se igualar na Black Friday 2019

7 dicas do Procon na hora de aproveitar a Black Friday

1. Recomenda-se que o consumidor faça uma lista do produto ou serviço que precisa ou deseja e estipule um limite de gasto, evitando assim gastar mais do que o previsto. Importante também fazer uma pesquisa de preços por meio de aplicativos e sites de comparação de preços.

2. Observar o prazo de entrega e informar-se antecipadamente sobre a política de troca da empresa são atitudes que ajudam a evitar problemas.

Veja Também  São Paulo tem mais de 11 mil vagas de emprego abertas; veja salários

3. O consumidor deve evitar clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais, fazendo sempre a consulta da página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site.

4. Os produtos expostos nas vitrines devem apresentar o preço à vista e, se vendidos a prazo, o total a prazo, as taxas de juros mensal e anual, bem como o valor e número das parcelas.

5. Qualquer produto, nacional ou importado, deve apresentar informações corretas, claras e em língua portuguesa sobre suas características, qualidade, quantidade, composição, preço, garantia, prazo de validade, origem, além dos riscos que possam apresentar à saúde e segurança dos consumidores.

6. Nas compras feitas em sites, após escolher o produto ou serviço, o consumidor deve verificar se o preço será alterado no carrinho virtual ou se o valor do frete é muito mais alto que o habitual.

7. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, em compras feitas fora do estabelecimento , o consumidor tem 7 (sete) dias para “se arrepender”, cancelar a compra, devolver o produto e pedir o dinheiro de volta (o prazo passa a contar da data da compra ou da entrega do produto).

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Apartamentos são leiloadas com descontos de até 47% nesta quarta-feira (13)

Publicado

source
apartamento que será leiloado arrow-options
Foto: Divulgação/Frazão Leilões
Apartamento fica em Bauru, São Paulo, e integra o leilão. Lance mínimo de R$ 300 mil

Mais de 200 imóveis serão leiloados com valores muito abaixo do mercado nesta quarta-feira (13). É o que promete a empresa Frazão Leilões em parceria com o Banco Itaú. Estarão a venda salas comerciais, casas e apartamentos.

Os imóveis contam com preços iniciais de R$ 44 mil e vão até R$ 1,9 milhão. Grande parte deles está com preços avaliados pela metade do valor real. Também tem imóvel a partir de 34% do valor de avaliação. O grande benefício é para quem for fazer o pagamento a vista, já que terão 15% de desconto. Quem optar pelo parcelamento poderá dividir o valor em até 78 vezes.

“Neste mês de novembro o Leilão do Itaú apresenta uma carteira de imóveis inédita em sua maior parte, e os imóveis além de estarem com preços ótimos terão 15% de desconto para pagamento à vista. Isso mostra que comprar em leilão pode ser uma ótima oportunidade, já que além de preços incríveis, trata-se de um négocio 100% seguro”, afirma Claudia Frazão, Leiloeira à frente da Frazão Leilões.

Veja Também  Extinto por Bolsonaro, consórcio do DPVAT tem participação da empresa de Bivar

Os lotes estão localizados em 13 regiões metropolitanas do Brasil, sendo eles: Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.

A Frazão Leilões destaca uma casa na cidade de São Félix do Coribe, na Bahia, que conta com 228 m² de área construída e está com o valor 47% abaixo da avaliação , ou seja, está pela metade do preço, sendo o lance inicial de R$ 98.700,00. Já na cidade de Londrina, o destaque fica para um apartamento de 61m² que está sendo leiloado por 44% do valor do mercado e, ainda, se o investidor ou comprador final pagar à vista, tem mais desconto ainda.

Na região Sudeste, o Banco Itaú colocou em leilão um apartamento no Rio de Janeiro de 64m², que conta com um prédio novo e um lazer completo e com lance inicial de R$ 124.300. Em São Paulo, na cidade de Santo André, um apartamento com 48 m² e uma vaga de garagem tem lance inicial de R$ 93.400.

Veja Também  Produtos com até 95% de descontos na Black Friday. Descubra como!

O leilão da Frazão Leilões será no dia 13 de novembro, às 11h, no auditório da Frazão Leilões (Rua da Mooca, 3547 – São Paulo/SP), mas também receberá lances online . Os interessados já podem dar os lances pela internet.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Governo propõe aumento da jornada de trabalho dos bancários para 8 horas

Publicado

source
banco arrow-options
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Atualmente, todos que trabalham em bancos têm jornada de trabalho de seis horas diárias

BRASÍLIA — A medida provisória ( MP ) editada pelo presidente Jair Bolsonaro com incentivos para a contratação de jovens também altera a jornada de trabalho dos bancários . O texto ainda permite que agências bancárias passem a abrir aos sábados , o que hoje não ocorre.

Leia também: Governo restringe programa de emprego e quem tiver mais de 55 anos será excluído

A MP traz uma série de mudanças na legislação trabalhista . Entre elas, passa a definir que apenas os caixas de bancos terão direito a jornada de trabalho de seis horas diárias. Qualquer outro cargo terá jornada normal, de oito horas por dia. Atualmente, todos que trabalham em bancos têm jornada de trabalho de seis horas diárias (30 horas semanais).

Mesmo para os caixas, a medida autoriza ser pactuada jornada superior a seis horas mediante acordo individual escrito, convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho. O texto manteve o direito a quinze minutos de intervalo e a definição de que a duração normal do trabalho ficará compreendida entre 7h e 22h.

Veja Também  Apartamentos são leiloadas com descontos de até 47% nesta quarta-feira (13)

“A regra anterior era jornada de seis horas para os empregados dos bancos e, em casos de exceção, o trabalho em oito horas. Aparentemente, a intenção da MP é alterar a regra para oito horas. E a exceção, aplicável exclusivamente aos caixas de banco, será carga horária de seis horas”, explica Cleber Venditti, sócio da área Trabalhista do escritório Mattos Filho.

Por se tratar de uma medida provisória, as regras já estão em vigor, mas ainda precisam passar por votações na Câmara e no Senado.

Gorjeta

A MP deixa claro que a gorjeta não constitui receita própria dos empregadores, mas destina-se aos trabalhadores e será distribuída segundo critérios de custeio e de rateio definidos em convenção ou acordo coletivo de trabalho.

As empresas que cobrarem a gorjeta deverão inserir o seu valor correspondente em nota fiscal. E agora podem reter até 33% do valo r das gorjetas pagas aos seus empregados “para custear os encargos sociais, previdenciários e trabalhistas derivados da sua integração à remuneração dos empregados, a título de ressarcimento do valor de tributos pagos sobre o valor da gorjeta”.

Veja Também  Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho

Os empregadores também deverão anotar na Carteira de Trabalho e Previdência Social e no contracheque de seus empregado o salário contratual fixo e o percentual percebido a título de gorjeta.

Além disso, se a empresa parar de cobrar gorjeta, ela se incorporará ao salário do empregado, desde que cobrada por mais de doze meses, tendo como base a média dos últimos doze meses.

A MP traz ainda outras mudanças na legislação trabalhista. Uma delas é a definição de que os Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) firmados entre as empresas e o governo e/ou Ministério Público do Trabalho terão prazo máximo de dois anos. Atualmente, esses TACs costumam ter prazo indeterminado.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana