conecte-se conosco


Policial

Números de assassinatos em Cuiabá e Várzea Grande mantêm redução em outubro

Avatar

Publicado

A região metropolitana vem sentindo o impacto da redução dos homicídios há pelo menos quatro anos – Foto por: Lenine Martins / Sesp-MT

Os casos de assassinatos em Cuiabá e Várzea Grande reduziram 21,5% e 33,8%, respectivamente, no período de janeiro a outubro deste ano, em relação ao mesmo período de 2018. Na Capital, foram registrados 80 homicídios em 2019, contra 102 casos no ano passado. Já em Várzea Grande, foram 43 este ano e 65 no ano anterior. Os dados são da Coordenadoria de Estatísticas e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Segurança Pública.

A região metropolitana vem sentindo o impacto da redução dos homicídios há pelo menos quatro anos. Para o delegado titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), André Renato Gonçalves, são várias conjunções de motivos que fizeram com que Cuiabá e Várzea Grande conseguissem reduzir os crimes contra a vida.

“Existe uma comunhão de vontades entre as forças de segurança Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil (PJC) e Politec para que a gente chegue a essa diminuição, mas quero me ater a PJC. Acredito que o fortalecimento e capacitação do núcleo de inteligência da DHPP, núcleo operacional mais próximo da população foram determinantes para estes resultados”, destacou o delegado.

O núcleo de inteligência da DHPP saltou de um investigador para quatro, o que deu gás para subsidiar as equipes de campo para chegar a autoria de homicídios cometidos por membros de organizações criminosas. A equipe ainda subsidia o setor de Desaparecidos, que tem cerca de 91% de esclarecimentos dos sumiços. Cerca de 70% dos autores de assassinatos são identificados pela DHPP.

Contudo, quando as equipes, além de fazerem o trabalho local do crime, passaram a cumprir os mandados de busca e apreensão e de prisão nos bairros, o reflexo foi a maior confiança na população, sobretudo, dos bairros periféricos, onde na maior parte das vezes acontecem os homicídios.

“Quem está no bairro percebe que a DHPP está efetivamente prendendo. As pessoas são receosas em testemunhar, falar o que viram ou que sabem, porque as pessoas que cometiam os assassinatos continuavam a residir na localidade, muitas vezes não eram presas, portanto, havia essa necessidade de trazer a sensação de segurança para a vítima e os moradores da região, dando essa resposta. Hoje temos uma investigação mais qualificada, chegamos aos autores, promovemos as prisões e faz com o que sujeito que poderia ter ideia de cometer assassinato, pense bem e fica só na ideia, na cogitação”, argumentou o titular da DHPP.

Mais próximos da sociedade, mais resultados

Essa aproximação com a população também é apontada pelo subchefe de Estado Maior da Polícia Militar, coronel Wancley Rodrigues, como fundamental para a PM realizar prisões e combater o crime. Ele ressalta que a confiança no trabalho da Polícia Militar tem gerado mais denúncias seja para a equipe nas ruas ou pelos canais de atendimento, como o 0800-65-3939.

“A população tem confiado mais porque vê os resultados e essa confiança também é uma motivação aos policiais que veem o trabalho sendo reconhecido pela sociedade. Com isso temos conseguido a redução dos índices de criminalidade”, pontuou Rodrigues.

Assim como na PJC, a Polícia Militar faz o seu planejamento operacional com base em estatísticas e análise criminal, focando os trabalhos ostensivos nos ‘pontos quentes’, dando mais efetividade às ações, trabalhando diretamente no foco do problema. Assim como as equipes de dos Comandos Regionais, as forças especializadas como a Rotam e a Força Tática tem realizado um trabalho mais qualificado na repressão ao crime.

“Trabalhamos de forma preventiva, mas também repressiva, retirando criminosos das ruas, aumentando as prisões. É uma conjunção de esforços que tem sido essencial para o combate ao crime”, destacou o coronel.

CONHEÇA NOSSO CANAL NO YOUTUBE 

 

Comentários Facebook

Policial

PRF apreende espingarda em Santo Antonio do Leverger/MT durante Operação Tamoio

Avatar

Publicado


.

Na madrugada de sábado (30) na BR 364 no município de Santo Antonio do Leverger, a equipe da PRF em fiscalização durante a Operação Tamoio abordou o veículo Fiat/Palio Elx, cor cinza.

O condutor de 53 anos, morador da cidade de Diamantino/MT, demonstrou nervosismo no momento em que os policiais faziam uma fiscalização minuciosa no veículo.

Os PRF’s localizaram 01 espingarda calibre 30, e ainda 05 munições calibre 28 e 01 munição calibre 36.

Diante dos fatos a ocorrência foi encaminhada a Central de Flagrantes.
Secom PRF MT

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Veículo com ocorrência de roubo é recuperado em Cáceres/MT durante Operação Tamoio

Avatar

Publicado


.

O roubo foi no mês de fevereiro em Itapevi/SP

Em Cáceres na BR 070 na noite de sexta feira (29) durante fiscalização da Operação Tamoio, a equipe de serviço abordou o veículo Toyota/Corolla Xei20fl, cor prata, com placas de Belo Horizonte/MG .

Durante entrevista o condutor de 48 anos, se apresentou nervoso, informando que estava deslocando para Pontes e Lacerda/MT para encontrar com um amigo que trabalha em um garimpo em Ariquemes/RO.

Em fiscalização minuciosa os policiais encontraram dentro da bagagem do condutor uma bermuda jeans,e em seus bolsos uma certa quantia em dinheiro, que alegou ser oriundo do seu comércio/restaurante em Padre Paraíso-MG. Com relação ao veículo o rapaz informou que havia comprado de um amigo em um garagem na cidade onde reside, porém os policiais verificaram que o documento apresentava adulteração, bem como, os sinais identificadores do veículo.

Em consulta junto ao sistema os PRF’s chegaram ao veículo original que possui ocorrência de Roubo em Itapevi/SP em 17/02/2020.

Ocorrência encaminhada para a Polícia Civil de Cáceres/MT.

Secom PRF MT

Fonte: PRF MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana