conecte-se conosco


Policial

Funcionário de prefeitura é preso após usar cartão de pessoa morta para fazer empréstimo

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um funcionário da Prefeitura de Alta Floresta, acusado de usar o cartão de uma pessoa morta para fazer empréstimo e saques bancários, foi identificado e preso pela Polícia Judiciária Civil, na segunda-feira (04.11). O servidor municipal estava cedido à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e aproveitou da função para praticar o crime.

O suspeito foi autuado em flagrante pelo crime de posse ilegal de munições, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão em sua residência, no bairro Boa Nova III, em Alta Floresta. O funcionário público também responderá em inquérito policial pelos crimes de peculato e estelionato. 

A vítima foi encaminhada ao Hospital Regional de Alta Floresta no dia 26 de julho com quadro de agressão física. No dia 30, a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade hospitalar sendo o corpo encaminhado à Politec, para verificação da causa da morte.

No dia 31 de julho, os funcionários da agência bancária do Sicredi de Paranaíta, onde a vítima possuía conta conrrente, perceberam uma movimentação estranha, referente a um empréstimo pessoal no valor de R$ 5.250, além de saques no valor de R$ 2,5 mil. Todas as transações foram realizadas em caixas eletrônicos da agência de Alta Floresta.

Veja Também  Polícia Civil prende cinco suspeitos de integrar quadrilha de roubo de gado

Assim que foi notificada da situação, a Polícia Civil de Alta Floresta iniciou as investigações e por meio de imagens de circuito interno de segurança conseguiu identificar o autor da fraude. Segundo o delegado, Pablo Carneiro, o suspeito se valeu da condição de servidor público para subtrair o cartão bancário da vítima quando o corpo foi encaminhado a Politec para o exame de necrópsia.

“Como a conta da vítima não tinha saldo, o suspeito contrato um empréstimo para posteriormente realizar os saques dos valores”, explicou o delegado.

Diante das evidências, o delegado representou pelo mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, o qual foi decretado pela Justiça e cumprido na segunda-feira (04). Na casa do investigado, os policiais apreenderam 9 munições, sendo 8 calibre 38 e 1 calibre 32. Questionado, o suspeito disse que já havia destruído o cartão da vítima.

O  servidor foi conduzido à Delegacia de Alta Floresta, onde após ser interrogado, foi autuado em flagrante por posse ilegal de munições. O delegado arbitrou fiança no valor de R$ 1 mil e o suspeito responderá em liberdade pelos inquéritos pelo de posse ilegal, estelionato e peculato.

Veja Também  Polícia Civil divulga resultado preliminar e prazo de recurso de processo seletivo

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook

Policial

Operação investiga garimpo ilegal de ouro em fazenda e prende três pessoas por crimes ambientais

Publicado

Raquel Teixeira/PJC-MT

Operação Aurum, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil de Colíder nesta terça-feira (19.11), com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, prendeu três pessoas suspeitas da prática de crimes ambientais, como a extração e garimpagem ilegal de minério e usurpação de matéria-prima da União. A propriedade foi autuada pela Sema com multa no valor de R$ 1,100 milhão por crime ambiental.

Diligências realizadas por equipe da Delegacia Municipal de Colíder, coordenada pelo delegado Ruy Guilherme Peral, constataram indícios de crime ambiental em uma fazenda da região, onde era praticada a extração ilegal de ouro. No local foi apreendida uma pá escavadeira avaliada em R$ 160 mil.

Três pessoas, sendo um advogado e dois trabalhadores que operavam o equipamento na propriedade rural, foram autuadas em flagrante pelos crimes ambientais. O advogado T.V.R. se identificou aos policiais como responsável pela propriedade e pelas atividades de extração aurífera.

Os três homens foram conduzidos à Delegacia de Polícia de Colíder para depoimentos e lavratura do flagrante. De acordo com o delegado Ruy Guilherme, a escavadeira ficou sob responsabilidade da Secretaria de Obras e Infraestrutura do município, que está como fiel depositária do equipamento.

Veja Também  Polícia Civil realiza duas ações de proteção aos direitos dos idosos

Os três autuados continuam presos, uma vez que os delitos imputados ultrapassam cinco anos de prisão. Os flagrantes foram comunicados à Justiça Federal da região, a quem cabe decidir pela manutenção das prisões.

“As investigações continuam para coletar novas evidências dos crimes. Os proprietários da fazenda não se encontravam no local, mas serão autuados pela Polícia Civil nas práticas criminosas de danos ambientais”, explicou o delegado.

Em setembro deste ano, a Polícia esteve na mesma propriedade para apurar a atuação irregular de garimpo na fazenda, contudo, não foram encontrados indícios dos crimes ambientais que possivelmente teriam sido ocultados pelo responsável da área. “Continuamos atuando para combater a prática de crimes que trazem danos ambientais expressivos à região”, destacou o delgado Ruy Guilherme Peral.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Polícia Civil fecha boca de fumo pela quarta vez no ano no bairro Pedregal

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, através da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), fechou pela quarta vez este ano, uma boca de fumo instalada no bairro Pedregal em Cuiabá. A ação realizada na terça-feira (19.11) resultou em três pessoas presas em flagrante, além da apreensão de entorpecentes e apetrechos relacionados ao tráfico.

Entre os presos está a idosa, C.L., 62, e os suspeitos, J.G.S.S. 25 e J.L.,45, todos autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Os policiais da DRE iniciaram as diligências após receberem informações da possível mercancia de drogas no endereço no bairro Pedregal, onde já foram realizados flagrantes anteriores. Logo que chegaram ao local, os policiais flagraram a cena de um motociclista  que saiu da casa e entregou  algo para uma jovem com uma criança de colo, levantando a suspeita da mercancia de drogas.

Diante das evidências, os policiais decidiram realizar a abordagem no endereço, ocasião em que os suspeitos tentaram fugir, porém foram detidos. Em buscas na casa, os policiais localizaram uma porção grande maconha e oito porções médias da mesma droga, além de duas balanças de precisão e dinheiro trocado característico da atividade de tráfico.

Veja Também  Polícia Civil divulga resultado preliminar e prazo de recurso de processo seletivo

Os três suspeitos que localizados na residência, incluindo a idosa, foram conduzidos a DRE, onde após serem interrogados pelo delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

“Durante a ação, ficou claro que a idosa é conivente com a mercancia de drogas em sua residência, associada aos demais suspeitos para o armazenamento das substâncias ilícitas”, disse o delegado.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana