conecte-se conosco


Nacional

Joice diz que Planalto tem “puxadinho” e que nunca viu tanta influência no poder

Avatar

Publicado

source
mulher dando entrevista arrow-options
Marcos Brandão/Agência Senado
Em disputa interna com Major Olímpio no PSL paulista, Joice Hasselmann avisa que se for impedida de concorrer à prefeitura de São Paulo, se lança como governadora

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL) afirmou que o Palácio do Planalto tem um puxadinho familiar para abrigar os três filhos de Jair Bolsonaro e que nunca houve tanta influência de uma família no poder quanto na atual presidência.

“Muitas vezes eu disse ao presidente: ‘Me ajude a te ajudar’. Fazer puxadinho do Palácio do Planalto familiar não vai funcionar, isso não é bom para ninguém. Nunca houve tanta interferência de família dentro de um poder, nem na época do Sarney. Isso é perigoso para o país”, afirmou Joice , retirada da liderança do PSL, em entrevista nesta segunda-feira no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Leia também: Joice Hasselmann terá que depor na CPI das fake news sobre ‘milícias digitais’

De aliada e líder da tropa bolsonarista desde antes das eleições, Joice virou desafeto ao trocar farpas com os filhos de Bolsonaro nas redes socais. Na entrevista, a deputada reafirmou as críticas de que eles influenciam nas decisões do presidente a ponto de colocar em risco o mandato do pai e que “em todas as crises que aconteceram entre executivo e legislativo havia participação direta ou indireta dos meninos”.

“Nessa mania de transformar os aliados em inimigos, o presidente pode acabar ficando sozinho”, alertou ela, acrescentando que os filhos do presidente deveriam ficar “mais quietos e restritos”.

A deputada afirmou, porém, que “errou” ao cair nas provocações dos filhos de Bolsonaro nas redes sociais. E afirmou que “não ajuda o Brasil quando desce ao nível da molecada”.

Leia também: Malafaia chama Joice de hipócrita e deputada rebate: “Posa de amiguinho”

“Perdi a paciência. Não tenho sangue de barata. Ele jogou a isca e eu mordi. Não vai mais acontecer”, disse, em referência à postagem de imagens de veados e ratos em resposta a emojis ofensivos de galinha, e de porca, em alusão à personagem de desenho infantil Peppa Pig, entre outros, por parte de Carlos Bolsonaro e seus irmãos.

Veja Também  Eduardo Paes tira sarro de Bolsonaro com foto ao lado de Leonardo DiCaprio

Retirada da função de líder do PSL no Congresso Nacional, em meio a rusgas principalmente com o também deputado federal Eduardo Bolsonaro, Joice se disse “aliviada” de deixar o cargo porque “dava muito trabalho”. Mas disse ter esperado algum aviso do presidente, que “precisa entender que não é mais deputado”. “É o presidente de todos. E eu quero que o nosso presidente se comporte como um estadista”, disse.

Leia também: Frota ataca Eduardo Bolsonaro: “Aprende, a Joice tem mais pau do que você” 

Ela reiterou, porém, que continuará apoiando Bolsonaro – enquanto ele defender as promessa de campanha. “Se o presidente cumprir as pautas da campanha, de combate à corrupção, das agendas reformistas, eu vou estar do lado”, disse.

‘Dois pesos e duas medidas’

Ela criticou, porém, que Bolsonaro coloque “dois pesos e duas medidas” em algumas questões. Primeiro, citou, na acusação sobre o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz. Joice disse que não se sente à vontade com a maneira com que o Palácio do Planalto tem lidado com a questão: “A investigação tem que ser a mais rápida possível”.

A deputada afirmou, também, que Jair Bolsonaro deveria ter colocado na investigação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (investigado por um suposto esquema de candidaturas laranjas do partido em Minas Gerais nas eleições do ano passado), o mesmo empenho posto na assinatura da lista para favorecer o filho Eduardo na liderança do PSL ou nas trocas de farpas com o presidente do PSL e deputado federal Luciano Bivar.

Leia também: Eduardo Bolsonaro publica vídeo alfinetando deputados do PSL

“Investigação não pode ser seletiva. Existe uma investigação contra o Bivar , mas o ministro do Turismo está na mesma e ninguém fala nada”, disse Joice.

Ao ser questionada por sua participação ativa nas redes durante a época da campanha , a deputada negou que tenha ajudado a difundir notícias falsas. E que agora, vítima de acusações em massa nas redes, “é natural” que se volte contra esses ataques, para se defender. A deputada afirmou que vai procurar o Ministério Público, fazer um boletim de ocorrência e entrar com denúncias no Conselho de Ética da Câmara. “Temos alguns materiais, alguns nomes de pessoas que estão orquestrando ataques em relação a mim”, disse.

Veja Também  Após dia de visita, preso é pego com drogas no estômago no Rio de Janeiro

Prefeitura de SP ‘para conter a esquerda’

Perguntada sobre seus planos na política, Joice disse que será candidata à prefeitura de São Paulo no ano que vem, e que a crise com os filhos de Bolsonaro não vai prejudicar a candidatura. Eduardo Bolsonaro preside o diretório do PSL no estado.

“Vou ser candidata e ponto. Não muda nada no processo. Isso já está definido. O que está indefinida ainda é a tentativa de tomar o controle do PSL no tapetão para colocar um líder que é o filho do presidente, que desagrega – afirmou.

Leia também: Em crise com Bolsonaro, Joice Hasselmann perde mais de 100 mil seguidores 

A deputada acrescentou que sua candidatura à prefeitura paulista é importante “para tomar cuidado de não pavimentar a candidatura da esquerda através de São Paulo”. E que, mesmo tendo morado pouco tempo em São Paulo (Joice nasceu em Ponta Grossa, no Paraná) não precisa saber tudo da capital paulista, e sim de uma “equipe eficiente, com um vice gestor”, que saiba resolver os problemas.

“Não serei candidata a carteira, serei à prefeita”, disse ela, que desconsiderou mudar de legenda por enquanto. Joice elogiou o governo de João Doria em São Paulo “apesar de uma crise ou outra, com a polícia” e disse que é cedo falar em uma candidatura dele em 2022.

A deputada também evitou apontar preferências entre Bolsonaro e Sergio Moro, mas se disse “lava-jatista”. Também defendeu o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, e afirmou que não havia nada de errado em que ele cobrasse por palestras, como revelaram trechos de conversas divulgados pelo The Intercept : “Eu confio plenamente no Deltan. Eu conheço a história desses meninos heróis da Lava Jato. Sou 100% Lava Jato”, afirmou Joice .

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook

Nacional

Doria anuncia uso de drones para auxílio das polícias de São Paulo

Avatar

Publicado

source
Doria arrow-options
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Doria anucia a Dronepol, a nova polícia de drones do Estado de SP

O Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou, nesta quinta (5), que a Polícia Militar de São Paulo passa a contar com drones para auxiliar em ações preventivas e de inteligência. O uso do equipamento passa a ser feito imediatamente.

“Tecnologia de ponta para combater o crime e proteger a população”, afirmou Doria sobre a Dronepol, como foi nomeada a frota de drones.

Confira o depoimento de Doria e do secretário General João Camilo Pires de Campos sobre o uso da Dronepol :


Leia também:  “A fome me preparou para a dor”, diz jovem que perdeu couro cabeludo em kart

Veja Também  Dois adolescentes participaram do esquartejamento do corpo de Matheusa

Há dois anos, no primeiro ano de mandato de Doria como prefeito da capital paulista, o político empregou o uso de drones tornando São Paulo a primeira cidade a ter uma polícia com os equipamentos. O secretário de Segurança Pública do Estado, General João Camilo Pires de Campos relata que a “tecnologia está sendo aplicada para multiplicar a capacidade do policial policiar”.

Serão 145 dispositivos da Dronepol. Além disso, foi instalado uma tecnologia que inibe a utilização de drones que não sejam da polícia próximo a presídios, o que vai garantir segurança contra o crime organizado e evitar fugas. 

Leia também: Briga entre deputados na Alesp tem xingamentos, empurrões e até mordida; assista

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

RG, CNH, CPF e Título de Eleitor em um mesmo documento? Conheça o DNI

Avatar

Publicado

source
DNI arrow-options
Divulgação
Previsão inicial dizia que documento seria lançado em março deste ano.

A confecção de um documento único que reunisse diversas informações deixará de ser um mito e se tornará realidade no próximo ano. Com o nome de Documento Nacional de Identidade (DNI), o documento foi lançado em caráter experimental em fevereiro de 2018 e engloba todos dados do cidadão.

Leia também: Mudança de gênero: saiba como usar o nome social nos documentos

Inicialmente, a implantação do documento único estava prevista para acontecer 1º de março deste ano. Porém, através de um decreto, o presidente da República, Jair Bolsonaro, adiou a data para 1º de março de 2020. Confira abaixo como funcionará o documento:

Quem pode emitir o documento?

De acordo com o portal do governo sobre o programa, apenas os cidadãos que estiverem realizado o cadastro biométrico junto à Justiça Eleitoral poderão emitir e utilizar o documento único. As pessoas que desejarem obter o documento mas não realizaram o cadastro biométrico devem procurar a Justiça Eleitoral de sua região.

Veja Também  Dois adolescentes participaram do esquartejamento do corpo de Matheusa

Quais documentos ele reunirá?

Para facilitar o cotidiano dos cidadãos, o DNI reunirá informações sobre a identidade (RG), CPF, Carteira Nacional de Habilitação, Título de Eleitor e Certidão de Nascimento.

Como emitir?

Depois de estar com o cadastro biométrico feito, o cidadão deverá baixar o aplicativo do documento e realizar um pré-cadastro online. Após isso, será necessário o comparecimento a um dos postos de atendimento indicados no aplicativo. No posto de atendimento, serão validados os dados biométricos. Quando o procedimento for finalizado, o cidadão receberá um código de nove números que será o seu DNI.

Quanto custa para obter o documento?

O procedimento para emitir o DNI é inteiramente gratuito. 

Leia também: ID Jovem oferece meia entrada e isenção em viagens; saiba como obter o documento

Onde o DNI já está sendo emitido?

De acordo com informações disponíveis no portal do governo, nove estados já aderiram ao programa no atual formato. São eles:

  • Acre
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Paraná
  • Rio Grande do Sul
  • São Paulo

Os estados que não aderiram ao novo formato deverão se adequar às normas até março de 2020. 

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana