conecte-se conosco


Política Nacional

Após ‘fico’, Eduardo Bolsonaro diz ter “portas abertas” para embaixada no futuro

Publicado

source
Eduardo Bolsonaro arrow-options
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Filho do presidente é o novo líder do PSL na Câmara

O novo líder do PSL, Eduardo Bolsonaro (SP), disse nesta terça-feira, em discurso na Câmara dos Deputados, que “fica no Brasil”. Ele agradeceu o apoio do seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, pela indicação à embaixada nos Estados Unidos, mas disse que essa é agora apenas uma possibilidade para outro momento.

Leia também: Agressões, tortura e violência psicológica dão o tom na Fundação Casa

“(Tenho) portas abertas para quem sabe no futuro… Podem ter certeza que não foi decisão fácil. Mas eu conto com o apoio dos amigos”, discursou. Eduardo Bolsonaro falou sobre o assunto antes do encerramento da aprovação do acordo do Brasil com os EUA sobre o uso da base de Alcântara pela Câmara.

“Este que vos fala diz que fica no Brasil , para defender os princípios conservadores, para fazer o que foi o tsunami da eleição de 2018 uma onda permanente. Assim, me comprometo a caminhar por São Paulo, pelo Brasil, e por que não pelo mundo, buscar aliados identificados pelo interesse em servir ao país nessa guerra cultural, contra aqueles que querem destruir a identidade ocidental”, disse.

Veja Também  CCJ pode votar hoje PEC da prisão em segunda instância

Ele aproveitou a ocasião para atacar a oposição e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Lula certamente não indicou seus filhos, porque eles estavam interessados em ser o Ronaldinho dos negócios”, finalizou Eduardo Bolsonaro .

Leia também: Senado aprova reforma da Previdência em segundo turno nesta terça-feira

Fonte: IG Política
Comentários Facebook

Política Nacional

Congresso promulga hoje a reforma da Previdência

Publicado

Está marcada para hoje (12), às 10h, no Senado, a sessão solene de promulgação da reforma da Previdência. Ela foi aprovada no dia 22 de outubro e sua promulgação dependia de o presidente de Senado, Davi Alcolumbre, marcar a data. A proposta de emenda à Constituição (PEC) foi aprovada por 60 votos contra 19. Com a reforma, o governo espera fazer uma economia de cerca de R$ 800 bilhões nos próximos dez anos.

Comandada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e apoiada por Alcolumbre e pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a reforma ganhou fôlego após tentativa frustrada do governo anterior. Foi quase um ano de negociações e tramitação até ser aprovada em definitivo. Outros projetos relacionados à Previdência, no entanto, ainda tramitam no Congresso.

A chamada PEC Paralela, aprovada no Senado em primeiro turno na semana passada, traz alterações, como a inclusão de servidores estaduais e municipais na reforma. Ainda hoje, a PEC paralela pode avançar no Senado com a votação dos destaques e, a depender da celeridade dos trabalhos, com a sua votação em segundo turno.

Veja Também  CCJ pode votar hoje PEC da prisão em segunda instância

Outro projeto propõe alterações na aposentadoria dos trabalhadores que realizam atividades perigosas. Essa matéria, que conta com o apoio da base do governo e também de integrantes da oposição, deve começar a tramitar no Senado nas próximas semanas.
 

Edição: Kléber Sampaio
Fonte: EBC Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro se encontra com presidente chinês em Brasília

Publicado

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, hoje (13), o presidente da República Popular da China, Xi Jinping, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. O líder chinês chegou às 11h10 ao prédio onde estão previstas a assinatura de atos e uma declaração conjunta à imprensa.

O encontro entre os dois chefes de Estado ocorre menos de um mês depois de o presidente Jair Bolsonaro visitar a China. Na ocasião, foram assinados acordos e memorandos de entendimento em política, ciência e tecnologia e educação, economia e comércio, energia e agricultura. Agora, os dois países querem aprofundar esse intercâmbio, a confiança política e ampliar a cooperação em diversas áreas.

 Militares bloqueiam o trânsito e fazem a segurança da área no entorno da Cúpula dos BRICS, que reunirá as delegações do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul em Brasília

Militares bloqueiam o trânsito e fazem a segurança da área no entorno da Cúpula do Brics, em Brasília – Marcelo Camargo/Agência Brasil

A bilateral entre os dois chefes de Estado ocorre no âmbito da 11ª Reunião de Cúpula do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A programação do evento começa nesta tarde com o encerramento do Fórum Empresarial do Brics. Antes, Bolsonaro também se encontra, no Palácio do Planalto, com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

À noite, de volta a Itamaraty, o governo brasileiro oferecerá um jantar em homenagem aos líderes do bloco, e amanhã (14), também no Ministério das Relações Exteriores, acontecem as sessões plenárias e o almoço de encerramento da cúpula.

Cúpula

Presidida pelo Brasil, a reunião do Brics tem como lema Crescimento Econômico para um Futuro Inovador. Segundo o Itamaraty, serão discutidos, prioritariamente, temas relacionados à ciência, tecnologia e inovação, economia digital, saúde e combate à corrupção e ao terrorismo. Esta é a segunda vez que Brasília sedia a conferência – a primeira vez foi em 2010. Em 2014, o Brasil também organizou a cúpula, realizada em Fortaleza.

Acompanhe a cobertura da EBC sobre a Cúpula do Brics.

Edição: Fernando Fraga
Fonte: EBC Política
Comentários Facebook
Veja Também  CCJ pode votar hoje PEC da prisão em segunda instância
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana