conecte-se conosco


Mato Grosso

Imagens por satélite permitem monitorar comportamento do fogo

Publicado

O monitoramento por satélite em Mato Grosso permite caracterizar a ação do fogo, tanto para identificar o início dos incêndios florestais quando para planejamento de ações preventivas e de combate. Adquirida pelo Programa REM, por meio do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), com recursos da Alemanha e Reino Unido, a Plataforma de Monitoramento com Imagens de Satélite Planet monitora o Estado diariamente com resolução espacial de três metros.  

“A plataforma permite que tenhamos materializado o caminho do fogo. O monitoramento diário mostra como ele evoluiu ao longo do tempo”, explica a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

O comandante da Companhia de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do Batalhão de Emergências Ambientais, tenente Bombeiro Militar Lucas de Sousa Brito, atesta que as imagens de melhor resolução estão auxiliando nas perícias dos incêndios florestais.

“Em um incêndio de mil hectares, por exemplo, é possível identificar quando o fogo havia atingido menos de três ou quatro hectares, ou seja, o ponto de origem e também conseguimos inferir quais a finalidades da queima”, explica tenente Brito.

Após a averiguação remota, que inclui o monitoramento com imagens por satélite e cruzamento com dados de focos de calor, os peritos podem se deslocar a campo para identificar as causas do incêndio e realizar os procedimentos de responsabilização, quando for o caso.

Veja Também  Governador e primeira-dama participam de jantar beneficente do Instituto Reação

Além disso, em áreas maiores é possível a identificação dos aceiros, conforme explica o coordenador de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), André Dias. As faixas de terra completamente sem vegetação construídas ao longo de cercas é a principal forma de evitar a propagação do fogo.

Apoio logístico

A Temporada de Respostas aos Incêndios Florestais de 2019 também contou com apoio financeiro do Programa REM Mato Grosso. O investimento possibilitou a locação de 14 camionetes com seguro de vida para os ocupantes, aquisição de três drones e disponibilização de 1350 diárias para o deslocamento dos profissionais, especialmente Bombeiros Militares, que atuam no combate ao fogo.

Já para a “Ação Integrada de Combate ao Desmatamento Ilegal e às Queimadas Ilegais na Amazônia”, o programa promoveu a locação de dez veículos para a Superintendência de Fiscalização (SUF) e diárias para fiscais da sede e das unidades regionais e bombeiros militares. Deflagrada em 27 de agosto, a operação a operação aplicou R$ 270 milhões em multas e embargou cerca de 70 mil hectares.

Veja Também  Primeira-dama desfila com mulheres em tratamento contra o câncer de mama

Programa REM Mato Grosso

Mato Grosso é campeão na redução do desmatamento, marca que o credenciou para recebimento dos recursos do Programa REM, projeto internacional que premia as jurisdições pioneiras na Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+). Do valor destinado ao Estado pelos governos da Alemanha e do Reino Unido, 40% será designado para fortalecimento institucional do governo de Mato Grosso. Os recursos serão investidos para complementar ações já realizadas pelo Estado para combater o desmatamento e valorizar a floresta em pé.

Para receber os valores, que são gerenciados pelo Fundo Brasileiro da Biodiversidade, o estado de comprometeu a manter o desmatamento abaixo de 1788km². O Programa REM Mato Grosso está integrado ao Sistema Estadual de REDD+ [Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação florestal], com a Estratégia Produzir, Conservar, Incluir (PCI), e com o Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Incêndios Florestais (PPCDIF), contribuindo diretamente para o alcance das metas estabelecidas para conservação ambiental e redução do desmatamento.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Prefeito de Rondonópolis é multado por publicar relatórios fora do prazo

Publicado

Assunto:
REPRESENTACAO (NATUREZA INTERNA)
Interessado Principal:
PREFEITURA MUNICIPAL DE RONDONOPOLIS
LUIZ HENRIQUE LIMA
CONSELHEIRO INTERINO

DETALHES DO PROCESSO
INTEIRO TEOR
VOTO DO RELATOR
ASSISTA AO JULGAMENTO

O prefeito de Rondonópolis, José Carlos Junqueira de Araújo, foi multado em 20 UPFs em razão de ter publicado, fora do prazo determinado, os Relatórios Resumidos de Execução Orçamentária de 2018. Tantos os três relatórios quadrimestrais quanto os seis bimestrais foram publicados após 30 dias do prazo encerrado. A penalidade foi aplicada no julgamento de Representação de Natureza Interna (Processo nº 138240/2019), na sessão extraordinária do Pleno do Tribunal de Contas de 07/11.

Relator do processo, o conselheiro interino Luiz Henrique Lima determinou à atual gestão da Prefeitura Municipal de Rondonópolis que observe o disposto nos artigos 9º, §4º, 48, 52 e 55, § 2º da LRF, quando do cumprimento do princípio da transparência nas contas públicas, inclusive quanto à realização das audiências públicas. Diferentemente da equipe técnica, o conselheiro relator considerou que a referida irregularidade ficou caracterizada.

“Entretanto, entendo razoável a não aplicação de sanção pecuniária, considerando as atas acostadas aos autos”, concluiu o conselheiro. O voto foi acompanhado pela unanimidade do colegiado.

Fonte: TCE MT
Comentários Facebook
Veja Também  Estudo da Unemat aponta escassez de água na maior planície alagada do planeta
Continue lendo

Mato Grosso

Por unanimidade, contas de Itanhangá recebem parecer favorável à aprovação

Publicado

Assunto:
CONTAS ANUAIS DE GOVERNO MUNICIPAL
Interessado Principal:
PREFEITURA MUNICIPAL DE ITANHANGA
ISAIAS LOPES DA CUNHA
CONSELHEIRO INTERINO

DETALHES DO PROCESSO
INTEIRO TEOR
VOTO DO RELATOR
ASSISTA AO JULGAMENTO

Por unanimidade, o Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso acompanhou voto do conselheiro interino Isaias Lopes da Cunha pela emissão de parecer favorável à aprovação das contas anuais de governo de Itanhangá, referentes ao exercício de 2018, sob a responsabilidade do prefeito Edu Laudi Pascoski. O julgamento das contas (Processo nº 167827/2018) ocorreu na sessão extraordinária do Pleno de quinta-feira (07/11).

O conselheiro relator afirmou que o agente político cumpriu os percentuais constitucionais na área da educação e saúde. Na Manutenção e Desenvolvimento do Ensino foi aplicado o correspondente a 25,56% das receitas provenientes de impostos municipais e transferências estadual e federal. Em relação ao Fundeb, foram aplicados 73,96% na valorização e remuneração dos profissionais do magistério da educação básica em efetivo exercício na rede pública.

No que concerne à saúde, foram aplicados 31,51% do produto da arrecadação dos impostos. “Nessa linha, destaco que as despesas com pessoal foram realizadas de acordo com os limites contidos na Lei Complementar nº 101/2000 e os repasses ao Poder Legislativo observaram o artigo 29-A, da Constituição Federal”, reforçou.

Veja Também  Primeira-dama desfila com mulheres em tratamento contra o câncer de mama

Foi recomendado ao atual gestor que encaminhe as atas de comprovação da realização das audiências públicas durante os processos de elaboração e discussão da Lei de Diretrizes Orçamentárias e da Lei Orçamentária Anual; abstenha-se de abrir créditos adicionais suplementares sem prévia e específica autorização legislativa ao orçamento vigente; aperfeiçoe o cálculo do excesso de arrecadação para fins de abertura de crédito adicional; e implante e execute programa de capacitação continuada de servidores públicos.

Fonte: TCE MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana