conecte-se conosco


Mato Grosso

Professora que venceu luta contra câncer faz alerta para importância do diagnóstico precoce

Publicado

A professora de Zootecnia, Maria Aparecida Pereira Pierangeli, foi diagnosticada com câncer de mama, em 2004. Segundo ela, o autoexame e o diagnóstico precoce foram determinantes para um tratamento adequado e para cura da doença.

À época, ela tinha acabado de se mudar de Minas Gerais para Mato Grosso. Estava na Unemat em Pontes e Lacerda, contratada como professora visitante do curso de Zootecnia. Após assistir uma palestra no dia das mães, ficou sensibilizada para a necessidade de se tocar. A seguir, publicamos o relato dos meses de luta vividos pela professora.

“Sempre senti meus seios doloridos. Mas nunca imaginei que pudesse ter câncer de mama. Chegando em casa fiz o autoexame conforme o médico palestrante havia ensinado e senti algo estranho, não um caroço exatamente mas algo parecido. Vai no médico? Não vai? E se for câncer? Como fazer para tratar aqui no interior do MT? Ainda mais sem plano de saúde, recém-contratada, longe de casa, com dois filhos pequenos. Várias dúvidas e, a esperança: não há de ser nada!

Veja Também  Operação Hydrus cumpre 22 mandados de prisões contra suspeitos de organização criminosa

Bom, enfim, fui ao médico aqui mesmo, que pediu um ultrassom que apontou a presença dos nódulos difusos na mama. Depois veio a mamografia para confirmação (tinha que ser em Cáceres) e, aproveitando uma das reuniões para elaborar a proposta de mestrado em Ciências Ambientais, fui fazer o ultrassom na hora do almoço

E o médico foi de uma sensibilidade tão grande que na hora me falou “não perca tempo. Seu nódulo tem todas as características de câncer de mama, vamos já coletar amostras para biópsia e enviar para o laboratório. E não espere o laboratório enviar o resultado, busque, e já vai atrás do tratamento”. Bom daí foi só a correria: confirmação do diagnóstico e tratamento.

Resumindo, fiz uma quadranctomia (retirada parcial da mama). Ao voltar para retirar os pontos, o médico disse que tinha que retirar a mama toda, pois o câncer estava todo disseminado pelo tecido mamário. Depois dessa cirurgia, fiz a quimioterapia e depois a radioterapia. Foram nove meses de luta.

Vi várias colegas pacientes morrerem de câncer de mama (nas consultas ou na quimioterapia era sempre a expectativa de saber quem encontraríamos, ou não). Fiz todo tratamento pelo SUS, no Hospital de Câncer de Mato Grosso, em Cuiabá.

Veja Também  Por unanimidade, contas de Itanhangá recebem parecer favorável à aprovação

Durante o tratamento, continuei com as atividades na Unemat, só me ausentando quando era estritamente necessário. Penso que continuar trabalhando, com o apoio dos colegas de trabalho e alunos, durante o período foi fundamental para eu ter forças e fazer o tratamento, com todas as dificuldades em função das distâncias.

Desde então, anualmente faço acompanhamento e, nunca mais tive nada relacionado ao câncer, por isso estou aqui contando minha história e alertando para o cuidado com nossa saúde!

Dez anos depois que eu tive o câncer de mama, meu marido morreu de câncer de fígado, que só foi diagnosticado já em estado avançado, sem chance de cura. Quem sabe se tivesse o diagnóstico precoce ele não estaria aqui? 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Prefeito de Rondonópolis é multado por publicar relatórios fora do prazo

Publicado

Assunto:
REPRESENTACAO (NATUREZA INTERNA)
Interessado Principal:
PREFEITURA MUNICIPAL DE RONDONOPOLIS
LUIZ HENRIQUE LIMA
CONSELHEIRO INTERINO

DETALHES DO PROCESSO
INTEIRO TEOR
VOTO DO RELATOR
ASSISTA AO JULGAMENTO

O prefeito de Rondonópolis, José Carlos Junqueira de Araújo, foi multado em 20 UPFs em razão de ter publicado, fora do prazo determinado, os Relatórios Resumidos de Execução Orçamentária de 2018. Tantos os três relatórios quadrimestrais quanto os seis bimestrais foram publicados após 30 dias do prazo encerrado. A penalidade foi aplicada no julgamento de Representação de Natureza Interna (Processo nº 138240/2019), na sessão extraordinária do Pleno do Tribunal de Contas de 07/11.

Relator do processo, o conselheiro interino Luiz Henrique Lima determinou à atual gestão da Prefeitura Municipal de Rondonópolis que observe o disposto nos artigos 9º, §4º, 48, 52 e 55, § 2º da LRF, quando do cumprimento do princípio da transparência nas contas públicas, inclusive quanto à realização das audiências públicas. Diferentemente da equipe técnica, o conselheiro relator considerou que a referida irregularidade ficou caracterizada.

“Entretanto, entendo razoável a não aplicação de sanção pecuniária, considerando as atas acostadas aos autos”, concluiu o conselheiro. O voto foi acompanhado pela unanimidade do colegiado.

Fonte: TCE MT
Comentários Facebook
Veja Também  Operação Hydrus cumpre 22 mandados de prisões contra suspeitos de organização criminosa
Continue lendo

Mato Grosso

Por unanimidade, contas de Itanhangá recebem parecer favorável à aprovação

Publicado

Assunto:
CONTAS ANUAIS DE GOVERNO MUNICIPAL
Interessado Principal:
PREFEITURA MUNICIPAL DE ITANHANGA
ISAIAS LOPES DA CUNHA
CONSELHEIRO INTERINO

DETALHES DO PROCESSO
INTEIRO TEOR
VOTO DO RELATOR
ASSISTA AO JULGAMENTO

Por unanimidade, o Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso acompanhou voto do conselheiro interino Isaias Lopes da Cunha pela emissão de parecer favorável à aprovação das contas anuais de governo de Itanhangá, referentes ao exercício de 2018, sob a responsabilidade do prefeito Edu Laudi Pascoski. O julgamento das contas (Processo nº 167827/2018) ocorreu na sessão extraordinária do Pleno de quinta-feira (07/11).

O conselheiro relator afirmou que o agente político cumpriu os percentuais constitucionais na área da educação e saúde. Na Manutenção e Desenvolvimento do Ensino foi aplicado o correspondente a 25,56% das receitas provenientes de impostos municipais e transferências estadual e federal. Em relação ao Fundeb, foram aplicados 73,96% na valorização e remuneração dos profissionais do magistério da educação básica em efetivo exercício na rede pública.

No que concerne à saúde, foram aplicados 31,51% do produto da arrecadação dos impostos. “Nessa linha, destaco que as despesas com pessoal foram realizadas de acordo com os limites contidos na Lei Complementar nº 101/2000 e os repasses ao Poder Legislativo observaram o artigo 29-A, da Constituição Federal”, reforçou.

Veja Também  Pagamento dos servidores estaduais será concluído nesta quinta-feira

Foi recomendado ao atual gestor que encaminhe as atas de comprovação da realização das audiências públicas durante os processos de elaboração e discussão da Lei de Diretrizes Orçamentárias e da Lei Orçamentária Anual; abstenha-se de abrir créditos adicionais suplementares sem prévia e específica autorização legislativa ao orçamento vigente; aperfeiçoe o cálculo do excesso de arrecadação para fins de abertura de crédito adicional; e implante e execute programa de capacitação continuada de servidores públicos.

Fonte: TCE MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana