conecte-se conosco


Economia

Dólar opera em alta nesta segunda, a R$ 4,13; Bolsa avança aos 104 mil pontos

Publicado

source
dólar arrow-options
shutterstock
Dólar opera em alta nesta segunda e ultrapassa R$ 4,13

O dólar comercial opera estável nesta segunda-feira (21), valendo R$ 4,137. A moeda americana registra valorização de 0,61%. Os investidores seguem monitorando a agenda interna, em especial a votação da reforma da Previdência no Senado , marcada para esta terça-feira. O Ibovespa, principal índice do mercado de ações, avança 0,14%, aos 104.879 pontos.

Leia também: Norte e Nordeste ficam fora do ranking dos 10 estados mais competitivos do País

A projeção é que o texto do projeto que altera o sistema de aposentadorias no Brasil seja votado em segundo turno na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e que na sequência seja debatido em plenário pelos parlamentares. O mercado acredita que o texto seja aprovado da forma atual.

No cenário externo, ainda segue no radar a saída do Reino Unido da União Europeia ( Brexit ). O primeiro-ministro Boris Johnson sofreu uma derrota no parlamento britânico no último sábado, o que o obrigaria a pedir um prazo maior para o “divórcio” diplomático. Johnson, entretanto, deve pedir que o acordo seja colocado em votação nesta segunda, insistindo que é possível concluir o processo até a data limite de 31 de outubro.

Veja Também  Confira: Renault divulga recall de dois modelos por problemas no airbag

Leia também: Não conseguiu sacar o FGTS? veja o que pode dar errado na hora do resgate

Destaques da Bolsa

Nesta segunda, o destaque de alta fica por conta da Yduqs (dona da universidade Estácio de Sá). A empresa comprou, por R$ 1,9 bilhão, a Adtalem (que controla o Ibmec). As ações da Yduqs são negociadas com alta de 5,66%.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Senado aprova saque do FGTS de R$ 998 e texto segue para sanção de Bolsonaro

Publicado

source
caixa de retirar FGTS arrow-options
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Texto que amplia saque precisa ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro

O Senado aprovou, em votação simbólica na noite desta terça-feira, a medida provisória (MP) 889, que autoriza os saques do FGTS . O texto havia sido aprovado pela Câmara na semana passada e, agora, segue para sanção.

Governo extingue multa adicional de 10% do FGTS em demissões sem justa causa

A comissão mista do Congresso aprovou mudanças no texto enviado pelo governo. Entre as principais alterações, o parecer elevou o valor do saque , previsto inicialmente em R$ 500 por conta, para os cotistas que tinham na edição da MP saldo de até um salário mínimo (R$ 998) nas contas vinculadas do Fundo.

Eles poderão tirar tudo. Como os saques já estão ocorrendo, quem já retirou o dinheiro poderá levar o restante, logo após a sanção da lei pelo presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Veja Também  Nascidos em abril e maio podem sacar FGTS a partir de hoje
Continue lendo

Economia

Desconto no seguro-desemprego pode chegar a 8,14% com novo programa do governo

Publicado

source
jovens com carteira de trabalho arrow-options
Divulgação
Programa Verde Amarelo visa aumentar a abertura de vagas para jovens de 18 a 29 anos

O governo federal lançou na última segunda-feira (11) o Programa Verde Amarelo , com uma série de ações para estimular a contratação de jovens de 18 a 29 anos sem experiência profissional no mercado de trabalho.

Para compensar a desoneração dos empregadores que aderirem ao programa, o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, anunciou que o governo passará a cobrar contribuição previdenciária sobre o seguro-desemprego , que hoje é isento.

A contribuição será a mesma dos trabalhadores que estão empregados, segundo as novas regras previstas na reforma da Previdência, que foi promulgada nesta terça-feira (12).

Ou seja, alíquotas de 7,5% a 14%, de acordo com a faixa salarial. Porém, como o teto do seguro-desemprego atualmente é de R$ 1.735,29, a alíquota máxima ficaria em 8,14%, caso a regra começasse a valer este ano.

Pacote para gerar vagas ajuda empresa e diminui direitos dos empregados

A expectativa é que essa contribuição comece a ser aplicada a partir de 1º de março do ano que vem , quando provavelmente o teto do seguro-desemprego terá passado por um novo reajuste, o que aumentará o percentual da alíquota previdenciária.

Veja Também  Negros são maioria entre desocupados e trabalhadores informais no país

Por outro lado, o período em que o trabalhador receber o seguro-desemprego passará a contar como tempo de contribuição para o cálculo da aposentadoria .

Tudo sobre o DPVAT:  o que é, quem utiliza e porque Bolsonaro vai acabar com ele

Hoje, o valor do seguro-desemprego varia entre R$ 998 e R$ 1.735,29. Para calcular o valor das parcelas do trabalhador formal, é considerada a média dos salários dos três meses anteriores à data da dispensa.

Assim, quem tem média de até R$ 1.531,02 tem direito a 80% do salário médio ou ao salário mínimo, prevalecendo o de maior valor. Para média de R$ 1.531,03 a R$ 2.551,96, o seguro-desemprego corresponde a R$ 1.224,82, mais 50% do que exceder R$ 1.531,02. Já para quem tem média salarial acima de R$ 2.551,96, o benefício tem um teto de R$ 1.735,29 .

Veja as simulações:

Para um trabalhador que recebe salário de R$ 998 (um salário mínimo), o valor do seguro-desemprego será de R$ 998. A alíquota previdenciária nesse caso será de 7,5%, ou seja, R$ 74,85 por mês. Com isso, o desempregado receberá um benefício de R$ 923,15.

Veja Também  Brasil estuda área de livre comércio com a China, diz Guedes em cúpula do Brics

Se a média dos salários do trabalhador der R$ 1.500, o seguro-desemprego será de R$ 1.200. Nesse caso, as alíquotas serão aplicadas sobre cada faixa salarial .

Sobre a primeira faixa, de um salário mínimo, o desconto será de 7,5%. E sobre a segunda faixa, com o valor restante, será aplicada a alíquota de 9%. Confira:

R$ 998 x 7,5% = R$ 74,85

R$ 202 x 9% = R$ 18,18

Ou seja, na prática, a contribuição será de R$ 93,03, que corresponde a um desconto de 7,75%.

Por fim, para um trabalhador cuja média salarial era de R$ 5 mil, por exemplo, o seguro-desemprego será o teto de R$ 1.735,29. Novamente, serão aplicadas as alíquotas sobre cada faixa:

R$ 998 x 7,5% = R$ 74,85

R$ 737,29 x 9% = R$ 66,35

Ou seja, na prática, a contribuição será de R$ 141,20 , que corresponde a um desconto de 8,14%. E o valor será de R$ 1594,09. 

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana