conecte-se conosco


Economia

Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 21,5 milhões; confira dezenas sorteadas

Publicado

source
Mega-sena arrow-options
Agência Brasil
Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2199

A Mega-Sena acumulou após o sorteio do concurso 2199 neste sábado (19), remarcado do último sábado (12), por conta de feriado. As dezenas foram conhecidas em São Paulo, mas não teve ganhadores. Os números sorteados foram: 15, 23, 30, 35, 38, 44

Um total de 29 apostas acertaram a quina e vão levar para casa 29 apostas ganhadoras, R$ 58.063,07 cada. Na quadra , o prêmio de R$ 787,13 será pago a 3.056 apostadores.

O concurso 2200 deve pagar um total estimado de R$ 21,5 milhões a quem acertar as seis dezenas. 

Como funciona

O concurso é realizado pela Caixa Econômica Federal e pode pagar milhões ao sortudo que acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem ao menos duas vezes por semana – normalmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, as chamadas Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha – nesse modelo, o sistema escolhe automaticamente as dezenas que serão jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, a chamada Teimosinha .

Veja Também  Organização busca interessados em receber R$ 12 mil por mês para “fumar maconha”

Premiação

Os prêmios iniciais costumam ser de aproximadamente R$ 3 milhões para quem acerta as seis dezenas. O valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor. Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante.

O prêmio bruto da Mega-Sena corresponde a 46% da arrecadação. Desse total, 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados; 19% entre os acertadores de cinco números (Quina), 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra), 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos de final zero ou cinco e 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Petrobras assina contrato de venda da Liquigás por R$ 3,7 bi

Publicado

A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (19), a assinatura da venda da totalidade de suas ações da Liquigás Distribuidora para as empresas Copagaz e Nacional Gás Butano. O valor da venda é de R$ 3,7 bilhões. Como parte da estruturação da operação, será realizado investimento acionário minoritário por parte da Itaúsa na Copagaz.

A Liquigás atua no engarrafamento, na distribuição e na comercialização de gás liquefeito de petróleo (GLP) no Brasil. Presente em quase todos os estados brasileiros, ela conta com 23 centros operativos, 19 depósitos, uma base de armazenagem e carregamento rodoferroviário e uma rede de aproximadamente 4.800 revendedores autorizados, tendo 21,4% de participação de mercado.

A Copagaz foi fundada em 1955 e é a quinta maior empresa de GLP do Brasil. A companhia conta com uma rede de revendas com 2.700 representantes, distribuindo para cerca de 1.800 municípios.

Já a Nacional Gás Butano é a empresa de energia do Grupo Edson Queiroz e atua há 68 anos na distribuição de GLP, atendendo cerca de 7,5 milhões de famílias e aproximadamente 17 mil empresas por meio de uma rede de 44 filiais e 3.500 revendedores.

Veja Também  Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep

Por fim, a Itaúsa é uma holding brasileira de investimentos, com mais de 40 anos de trajetória.

As informações foram divulgadas em nota distribuída pela Petrobras. A operação está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos da empresa e com o regime especial de desinvestimento de ativos pelas sociedades de economia mista federais, previsto no Decreto 9.188/2017.

Edição: Paula Laboissière
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

PIB do agronegócio cresce mais que conjunto da economia em 2019 e 2020

Publicado

O incremento do Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário neste ano e no próximo foi revisto para cima pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A previsão anterior era de crescimento de 0,5% em 2019 e a nova projeção marca 1,4%. No caso de 2020, a projeção de crescimento vai de 3,2% a 3,7%, conforme o prognóstico de safra.

Todos os percentuais estão acima do que é esperado para o conjunto da economia. Segundo o Ipea, em 2019 o PIB nacional deverá ter alta de 1%. Em 2020, o crescimento deve ficar em 2,3%. Historicamente, o agronegócio é responsável por um quinto do PIB nacional.

“O PIB do agronegócio vai puxar o crescimento do PIB nacional”, ressaltou o presidente do Ipea Carlos von Doellinger, em seminário sobre o agronegócio, em Brasília. “O setor agropecuário está tendo um comportamento com perspectiva muito favorável. É uma vocação do Brasil, o país sempre teve vantagem comparativa”, assinalou.

Apesar do histórico efeito no crescimento da economia, o impacto da agropecuária no conjunto da atividade econômica não é linear, varia conforme produto e extensão de sua cadeia de produção. “Depende do que está sendo produzido para onde para qual mercado. Não dá para analisar de forma tão simplista. A gente não tem como avaliar o impacto no PIB geral”, pontuou o diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea José Ronaldo Souza Júnior, durante o seminário.

Veja Também  Organização busca interessados em receber R$ 12 mil por mês para “fumar maconha”

“Algumas coisas são exportadas diretamente, não geram outros efeitos em termos de indústria. No caso da carne, ela gera impacto na indústria de alimentos. No caso da soja, ela é pouco processada no Brasil, então ela não gera tanto impacto assim em termos de indústria”, completa o especialista em crescimento econômico.

Conforme o Ipea, o bom desempenho do agronegócio tem sido puxado pela produção de milho algodão e ovos para mercado interno, aliado ao crescimento das exportações de grãos e de venda de carne bovina, suína e frango.

Há ganho de produtividade nesses segmentos. Conforme Souza Jr, “está havendo melhora na produtividade agrícola. Tanto a Conab [Companhia Nacional de Abastecimento] quanto o IBGE não estão vendo ganho de área plantada e sim ganho de produtividade. O que mantém a tradição da agricultura brasileira ser um setor que continuamente tem melhorado a produtividade”.

Edição: Aline Leal
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana