conecte-se conosco


Educação

Cidades brasileiras participam de hackaton da Nasa

Avatar

Publicado

Em 43 cidades brasileiras, jovens participam neste fim-de-semana do “Desafio Internacional dos Apps do Espaço” da Agência Nacional de Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (Nasa). A iniciativa é uma maratona de desenvolvimento de inovações, conhecida no segmento como “hackathons”, voltada a criar voltada a soluções para a área espacial.

O desafio ocorre em centenas de cidades em todo o mundo, reunido cerca de 20 mil pessoas. Em 2018, foram 18 mil participantes em 200 cidades em 75 países. Além dos eventos presenciais, o site da iniciativa permite a participação remota de pessoas interessadas em acompanhar as tarefas e atividades.

A maratona é composta de diversos desafios, enfrentados por jovens organizados em equipes. Nelas, os participantes utilizam dados coletados pela Nasa em suas missões ao espaço sideral para desenvolver soluções. Um deles, por exemplo, demanda dos participantes elaborar soluções para estabilizar o clima da Terra e impedir ou mitigar o aquecimento global.

Segundo a agência, o intuito é estimular o conhecimento da atuação do órgão na exploração espacial, contribuindo para gerar novo conhecimento e formar alunos que possam vir a tornar-se novos cientistas, engenheiros, tecnólogos e programadores com atuação no setor.

Veja Também  2% dos alunos brasileiros têm nota máxima em avaliação internacional

Brasil

No Brasil, diversas capitais promovem eventos relacionados ao desafio. Entre elas Aracaju, Belo Horizonte, Curitiba, Goiânia, Fortaleza, Maceió, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, São Luís e Brasília.

Em Brasília, a maratona começou ontem (18) no Centro Universitário UDF. Na cerimônia de abertura, a coordenadora do evento na cidade, Carine Elpidio, destacou o papel do evento de promoção de uma cultura de paz e na busca de soluções para problemas sociais por meio do engajamento de jovens.

O ministro-conselheiro da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, William Popp, lembrou que inovações da tecnologia espacial contribuíram para outros campos, como GPS e código de barras. O diplomata ressaltou a importância do projeto como forma de refletir sobre respostas aos problemas da sociedade atual.

“É importante trocar experiências na elaboração de soluções em relação aos desafios que nosso mundo enfrenta. Temos desafio enorme hoje em dia e precisamos de gente criativa e colaboradora para usar a tecnologia e as ideias para avançar como povo unido”, assinalou Popp.

Veja Também  Projeto insere alunos da rede pública no mercado de trabalho formal

Expectativa

A estudante de design gráfico do Centro Universitário de Brasília Esther Cristina do Carmo Correa, de 18 anos, conta que a sua expectativa para o evento é o diálogo com outras equipes. “Creio que será muito divertido, pela interação com pessoas de outras escolas, para mostrar todo o conhecimento que adquirirmos em sala de aula”, comentou.

Na preparação para o evento em Brasília, o estudante universitário de Engenharia Mecatrônica Willian Youtaka, de 18 anos, relatava estar ansioso pelos desafios que seriam apresentados. “Tenho uma grande curiosidade para entender os projetos a serem abordados e conhecer um pouco mais essa área de mecatrônica”, disse.

Edição: Wellton Máximo
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook

Educação

Inscrições para o Sisu poderão ser feitas a partir de 21 de janeiro

Avatar

Publicado

 As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) poderão ser feitas de 21 a 24 de janeiro de 2020. O calendário do processo seletivo do primeiro semestre do ano que vem foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) no Diário Oficial da União. 

O resultado da seleção será divulgado no dia 28 de janeiro e a matrícula dos selecionados deverá ser feita de 29 de janeiro a 4 de fevereiro. Aqueles que não forem selecionados poderão participar da lista de espera também entre os dias 29 de janeiro e 4 de fevereiro.

O Sisu oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. A seleção é feita com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para participar é preciso ter obtido nota acima de zero na redação do exame.

Para o primeiro semestre de 2020 valerão as notas do Enem 2019. Os resultados das provas, que foram aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro serão divulgados em janeiro na Página do Participante e no aplicativo do Enem. Para acessar, é preciso informar CPF e senha. Ao todo, 3,9 milhões de candidatos participaram de pelo menos um dia de prova do Enem.

Veja Também  Coordenadores têm até amanhã para preencher questionário do Enade

As regras e a quantidade de vagas que serão oferecidas no ano que vem pelo Sisu ainda não foram divulgadas. No primeiro semestre deste ano, foram ofertadas 235,5 mil vagas em 129 instituições públicas de todo o país. 

Edição: Bruna Saniele
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Projeto insere alunos da rede pública no mercado de trabalho formal

Avatar

Publicado

A Organização Internacional do Trabalho (OIT), em parceria com Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério da Economia, inauguram nesta quarta-feira (4) o projeto de Aprendizagem Profissional Inclusiva (API), que dará a alunos da rede pública do município goiano de Cristalina oportunidade de entrar no mercado forma de trabalho de uma forma diferenciada.

O programa, cujo objetivo é facilitar a entrada de estudantes no primeiro emprego, é focado em jovens em situação de vulnerabilidade social. O projeto visa combinar aquisição de experiência de trabalho com cursos oferecidos dentro do ambiente das empresas. Esses ambientes vão preparar os jovens aprendizes para a realidade competitiva do mercado.

“Muitas vezes, apesar de terem o direito assegurado, jovens são excluídos de uma oportunidade profissional por terem déficit educacional ou não terem qualificação. [O projeto] conjuga uma parte prática com uma parte teórica, que é assegurada por treinamentos e formações estruturados pelas empresas”, afirma a coordenadora nacional do Programa de Princípios e Direitos Fundamentais do Trabalho da OIT, Maria Cláudia Falcão.

Veja Também  Projeto insere alunos da rede pública no mercado de trabalho formal

E o resultado da parceria é animador, diz Maria Cláudia. Os estudantes selecionados para o projeto são otimistas e já fazem planos. “Os depoimentos são emocionantes. Os estudantes sabem que estão recebendo uma oportunidade muito grande de mudar sua realidade.”

A primeira turma de aprendizes é formada por 18 jovens de 15 a 21 anos, que receberão ofertas de carreiras técnicas nas empresas. “A etapa de Cristalina servirá como um projeto piloto. Esses jovens sabem que carregam uma responsabilidade. Se o programa der certo, será levado para outros municípios interessados.”

A Aprendizagem Profissional Inclusiva é financiada por termos de ajuste de conduta firmados pelo governo de Goiás e que agora são convertidos em obras sociais de benefício público. “Sem mudar nada da legislação, conseguimos fazer um módulo inclusivo que diminui a desigualdade das oportunidades de estudo. Mas é preciso [ter] apoio das empresas também, que devem aceitar construir um ambiente propício para receber esses futuros profissionais”, afirmou Maria Cláudia.

Edição: Nádia Franco
Fonte: EBC Educação
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana