conecte-se conosco


Economia

Evento de venda de imóveis em SP tem de desconto a patinete elétrico de brinde

Publicado

source

Agência Brasil

edifícios arrow-options
Fernando Frazão/Agência Brasil – 8.4.16
Evento tem 3.000 imóveis em São Paulo, e cidades próximas

Em sua primeira ediçao, o Salão do Imóvel SP oferece para venda moradias destinadas a todas as faixas de renda e com taxa de juros reduzida.

Muitas construtoras prepararam condições especiais para o primeiro Salão do Imóvel SP.

Entre as ofertas  estão Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e registro gratuitos, descontos de até R$ 15 mil , entrada parcelada em 60 vezes, gratuidade de condomínio por um ano, piso laminado.

Juros da casa própria estão menores: compare e encontre a melhor opção para você

As mais criativas estão oferecendo voucher (documento que comprova o direito a um serviço) em restaurantes e até um patinete elétrico a cada comprador de imóvel.

O evento começa nesta sexta-feira (18) e vai até domingo (20), os interessados na compra de moradia podem visitar cerca de 40 empresas do mercado imobiliário instaladas no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, Vila Guilherme.

O atendimento vai das 9h às 20h, e a entrada é franca. Estão à venda mais de 3.000 imóveis situados na cidade de São Paulo e em nunicípios da região metropolitana, da Baixada Santista e do interior próximo à capital.

Redução de juros faz prestação da casa própria cair até R$ 997, mostra simulação

São apartamentos e casas com metragem a partir de 24 metros quadrados (m²) e valor mínimo de R$ 133 mil.

O primeiro Salão do Imóvel SP tem patrocínio exclusivo da Caixa Econômica Federal , que participa do evento ofertando a linha de crédito SBPE, com taxas efetivas a partir de 7,5% ao ano (aa) + Taxa Referencial (TR) ou a nova modalidade de financiamento, com reajuste pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA),  que mede a inflação a partir de partir de 2,95% aa + IPCA.

Veja Também  Bolsonaro volta a liberar trabalho aos domingos e feriados

De acordo com o vice-presidente da Caixa, Jair Mahl, o valor da prestação pode ficar até 50% abaixo do que o da prestação original.

“Não tendo uma taxa fixa, naturalmente, a prestação se torna mais baixa. Pode ir aumentando com o tempo, mas inicialmente pode chegar a ser 50% mais barata que aquela que estamos acostumados a conhecer no país. Ela é vinculada ao IPCA + 2,95%, o prazo é menor, o tempo que [o comprador] vai pagar é menor, e também o comprometimento de renda é menor . Isso faz com que se tenha uma segurança em contratar com o IPCA”, explicou Mahl.

Casa própria mais barata: Caixa corta juros do financiamento imobiliário

O evento é realizado pelas três principais entidades do setor : Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc); Secovi-SP (Sindicato da Habitação) e Sindicato da Indústria da Construção Civil (SindusCon-SP).

O presidente da Abrainc, Luiz França, destacou que o momento vivido pelo mercado imobiliário é favorável. “O mercado está bastante propício para compra. Estamos num momento que o nível da taxa de juros para financiamento imobiliário é o nível mais baixo dos últimos 10 anos, portanto é uma boa oportunidade de comprar imóvel agora e financiá-lo”.

Veja Também  Bancos começam a enviar dados de clientes para cadastro positivo

França lembra ainda o objetivo do Salão, afirmando que o evento é uma ótima oportunidade de compra, “Porque as pessoas vêm aqui e conseguem visitar vários empreendimentos, compará-los e tomar a sua decisão. Isso é uma grande facilidade para o comprador, para que tome uma decisão segura de algo que é tão importante para a vida dele”, acrescentou.

Já o presidente da SindusCon SP, Odair Senta, ressaltou que, depois dos anos de crise, a indústria vê a retomada do setor.

“A indústria da construção foi muito impactada pela crise, passou anos difíceis”, disse Odair Senta. Para ele, agora sente-se que há um início positivo , embora ainda seja muito necessário contar com renda e emprego, mas o viés é positivo.

“O clima de crédito imobiliário está extremamente positivo para o consumidor, vamos ter anos melhores, com mais sustentabilidade do que no passado, com financiamentos mais flexíveis e juros mais baixos”, acrescentou.

Leilão

As novidades incluem, ainda, um leilão no formato presencial (sábado, 19, a partir das 13h) e também virtual. Os imóveis ofertados estão disponíveis no site da Caixa Econômica Federal, onde também podem ser encontradas as regras e formas de participação.

Segundo os organizadores do Salão, para quem compra, esse tipo de evento tem vantagens como variedade de imóveis, preços competitivos , maior poder de negociação, condições especiais e a presença do principal agente financeiro, no mesmo local.

Para as empresas , o grande número de visitantes possibilita o aumento no volume de vendas. Mais informações podem ser obtidas na  página do evento na internet.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Senado aprova saque do FGTS de R$ 998 e texto segue para sanção de Bolsonaro

Publicado

source
caixa de retirar FGTS arrow-options
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Texto que amplia saque precisa ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro

O Senado aprovou, em votação simbólica na noite desta terça-feira, a medida provisória (MP) 889, que autoriza os saques do FGTS . O texto havia sido aprovado pela Câmara na semana passada e, agora, segue para sanção.

Governo extingue multa adicional de 10% do FGTS em demissões sem justa causa

A comissão mista do Congresso aprovou mudanças no texto enviado pelo governo. Entre as principais alterações, o parecer elevou o valor do saque , previsto inicialmente em R$ 500 por conta, para os cotistas que tinham na edição da MP saldo de até um salário mínimo (R$ 998) nas contas vinculadas do Fundo.

Eles poderão tirar tudo. Como os saques já estão ocorrendo, quem já retirou o dinheiro poderá levar o restante, logo após a sanção da lei pelo presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Veja Também  China é o principal destino das exportações brasileiras, aponta FGV
Continue lendo

Economia

Desconto no seguro-desemprego pode chegar a 8,14% com novo programa do governo

Publicado

source
jovens com carteira de trabalho arrow-options
Divulgação
Programa Verde Amarelo visa aumentar a abertura de vagas para jovens de 18 a 29 anos

O governo federal lançou na última segunda-feira (11) o Programa Verde Amarelo , com uma série de ações para estimular a contratação de jovens de 18 a 29 anos sem experiência profissional no mercado de trabalho.

Para compensar a desoneração dos empregadores que aderirem ao programa, o secretário de Previdência do Ministério da Economia, Rogério Marinho, anunciou que o governo passará a cobrar contribuição previdenciária sobre o seguro-desemprego , que hoje é isento.

A contribuição será a mesma dos trabalhadores que estão empregados, segundo as novas regras previstas na reforma da Previdência, que foi promulgada nesta terça-feira (12).

Ou seja, alíquotas de 7,5% a 14%, de acordo com a faixa salarial. Porém, como o teto do seguro-desemprego atualmente é de R$ 1.735,29, a alíquota máxima ficaria em 8,14%, caso a regra começasse a valer este ano.

Pacote para gerar vagas ajuda empresa e diminui direitos dos empregados

A expectativa é que essa contribuição comece a ser aplicada a partir de 1º de março do ano que vem , quando provavelmente o teto do seguro-desemprego terá passado por um novo reajuste, o que aumentará o percentual da alíquota previdenciária.

Veja Também  Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores

Por outro lado, o período em que o trabalhador receber o seguro-desemprego passará a contar como tempo de contribuição para o cálculo da aposentadoria .

Tudo sobre o DPVAT:  o que é, quem utiliza e porque Bolsonaro vai acabar com ele

Hoje, o valor do seguro-desemprego varia entre R$ 998 e R$ 1.735,29. Para calcular o valor das parcelas do trabalhador formal, é considerada a média dos salários dos três meses anteriores à data da dispensa.

Assim, quem tem média de até R$ 1.531,02 tem direito a 80% do salário médio ou ao salário mínimo, prevalecendo o de maior valor. Para média de R$ 1.531,03 a R$ 2.551,96, o seguro-desemprego corresponde a R$ 1.224,82, mais 50% do que exceder R$ 1.531,02. Já para quem tem média salarial acima de R$ 2.551,96, o benefício tem um teto de R$ 1.735,29 .

Veja as simulações:

Para um trabalhador que recebe salário de R$ 998 (um salário mínimo), o valor do seguro-desemprego será de R$ 998. A alíquota previdenciária nesse caso será de 7,5%, ou seja, R$ 74,85 por mês. Com isso, o desempregado receberá um benefício de R$ 923,15.

Veja Também  Tente outra vez! Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 6,5 milhões nesta quarta-feira

Se a média dos salários do trabalhador der R$ 1.500, o seguro-desemprego será de R$ 1.200. Nesse caso, as alíquotas serão aplicadas sobre cada faixa salarial .

Sobre a primeira faixa, de um salário mínimo, o desconto será de 7,5%. E sobre a segunda faixa, com o valor restante, será aplicada a alíquota de 9%. Confira:

R$ 998 x 7,5% = R$ 74,85

R$ 202 x 9% = R$ 18,18

Ou seja, na prática, a contribuição será de R$ 93,03, que corresponde a um desconto de 7,75%.

Por fim, para um trabalhador cuja média salarial era de R$ 5 mil, por exemplo, o seguro-desemprego será o teto de R$ 1.735,29. Novamente, serão aplicadas as alíquotas sobre cada faixa:

R$ 998 x 7,5% = R$ 74,85

R$ 737,29 x 9% = R$ 66,35

Ou seja, na prática, a contribuição será de R$ 141,20 , que corresponde a um desconto de 8,14%. E o valor será de R$ 1594,09. 

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana