conecte-se conosco


Carros

Veja 5 picapes intermediárias que serão lançadas no Brasil até 2025

Avatar

Publicado

Em meados de julho, o nosso colunista Sergio Quintanilha publicou um texto onde explicava os pormenores do sucesso da Fiat Toro. O modelo surgiu em uma categoria quase inexistente (a Oroch veio antes, mas vende bem menos) e colocou as picapes intermediárias no radar dos consumidores de SUVs e sedãs médios. Desde seu lançamento, não era mais necessário desembolsar uma fortuna para ter uma caminhonete cabine dupla.

LEIA MAIS: Fiat Toro é a melhor ideia da década

As concorrentes que há pouco dormiam no ponto já estão se movendo, preparando investidas contra a líder absoluta de seu mercado. E com tantos lançamentos a caminho, dá para ficar perdido no alvoroço. Partindo disso, a reportagem do iG Carros enumera 5 picapes intermediárias novas que você verá no mercado até meados de 2023. Acompanhe a lista.

1 – Hyundai Creta STC

Hyundai Creta STC arrow-options
Nicolas Tavares/iG Carros

Hyundai Creta STC foi a resposta imediata ao modelo da Fiat em 2016. Virá após o lançamento da próxima geração do SUV

A Toro chegou ao mercado no início de 2016 e a Hyundai não demorou para dar uma resposta. Durante o Salão do Automóvel daquele ano, o Creta STC foi uma das principais atrações da marca coreana – imaginando uma versão com caçamba do SUV compacto.

Quando questionado sobre uma possível investida na categoria, o presidente da Hyundai na Argentina, Guillermo Artagaveytia, confirmou que a marca tem planos de lançar uma nova picape na América Latina. Pelo cronograma da Hyundai, o novo modelo deverá compartilhar sua base com a próxima geração do Creta.

2 – VW Tarok

VW Tarok arrow-options
Projeção/Kleber Silva

Projeção reproduz a VW Tarok com a dianteira do futuro SUV Tarek, que chega ao Brasil em 2021

O Salão do Automóvel de 2018 foi movimentado para a Volkswagen. Além de ter sido a primeira ocasião em que o público teve contato direto com o SUV T-Cross, a marca apresentou o conceito Tarok , retratando uma picape intermediária entre Saveiro e Amarok que deverá chegar em meados de 2021.

De acordo com o chefe de design da Volkswagen, José Carlos Pavone, o modelo de produção será bem próximo do conceito apresentado no São Paulo Expo. Apesar de ser um projeto brasileiro, a marca levou a Tarok ao Salão de Frankfurt 2019 para medir a aceitação. Se o modelo for aprovado na Europa, poderá ser fabricado na Alemanha.

LEIA MAIS:  Relembre 5 versões que deixaram saudades no mercado brasileiro

A expectativa é que a Tarok seja lançada com motor 1.4 turbo de 150 cv de potência – o mesmo de T-Cross e Jetta. Além disso, a VW também terá três novos SUVs no Brasil: Urban Coupé, Tarok e Atlas Cross Sport.

3 – Ford Ranchero/Courier

Ford Ranchero arrow-options
Kleber Pinho da Silva

A Ford também terá um novo modelo abaixo da Ranger. Informação foi confirmada por executivos

Desde que a Courier saiu de linha, a Ranger se tornou a única picape da Ford no Brasil. Isso está prestes a mudar, uma vez que o presidente da marca, Jim Farley, declarou ao site Automotive News que a Ford terá um novo produto abaixo da categoria da picape média.

A base da picape está praticamente pronta, pois será feita sob a nova plataforma do Focus europeu – vale dizer, compartilhando características com a próxima geração do EcoSport. Ainda é difícil apontar o nome, mas existem chances da Ford resgatar o nome Courier, que foi registrado no escritório de patentes nos EUA em meados de 2016. Outros rumores apontam para Ranchero, tributo à picape que fez sucesso na América do Norte em meados dos anos 60.

4 – Fiat Toro 1.3 Turbo

Fiat Toro 2020 arrow-options
Divulgação

A Fiat Toro deverá ganhar uma nova versão com motor 1.3 turbo, substituindo o antiquado 1.8 e.TorQ

Em 2008, encerrou-se o acordo que a Fiat mantinha com a General Motors para a utilização de seus propulsores. A escapatória foi comprar a Tritec, fabricante de componentes automotivos sediada no Paraná – antes pertencente à Chrysler e BMW. A marca italiana aproveitou a tecnologia da nova aliada para fabricar o motor 1.8 e.TorQ, que durante seus longos anos de mercado já equipou Bravo, Punto e Renegade.

Por sua simplicidade, o motor já chegou defasado à Toro em 2016. Mas a Fiat iniciou o processo de modernização de sua linha de propulsores, e prometeu interromper a fabricação do antiquado 1.8 e.TorQ até 2020. Em seu lugar, teremos uma nova unidade 1.3 turbo com sistema MultiAir de abertura de válvulas, comando acionado por corrente e injeção direta. Uma mudança que se faz necessária.

5 – Nova picape da GM

Nova picape da GM arrow-options
Kleber Pinho da Silva

Também podemos esperar por uma nova picape da Chevrolet, ocupando a lacuna entre Montana e S10

O presidente da General Motors na América Latina, Carlos Zarlenga, declarou que a marca está de olho na categoria das picapes intermediárias , e a nova plataforma GEM que foi lançada no Onix Plus poderia viabilizar o projeto.

LEIA MAIS: Fiat Toro Endurance TD 4×4: picape valente com estilo

A nova família de motores turbo também seria coerente para o novo modelo da Chevrolet. De acordo com o site GM Authority, o projeto também estaria sendo conduzido exclusivamente pela Chevrolet do Brasil, aos moldes do consumidor local. Há grandes chances do novo modelo compartilhar características com a próxima geração do SUV Tracker.

Projeções:  Kleber Pinho da Silva

Comentários Facebook

Carros

Saiba o que verificar na pintura de um usado na hora da compra

Avatar

Publicado


source
pintura
Divulgação

Estado da pintura do carro é um item importante a ser verificado na compra de um usado

Segundo a Fenauto, entidade que reúne os lojistas multimarcas, o mercado de carros usados e seminovos tem apresentado crescimento contínuo nas vendas desde o início de julho, devendo retornar aos níveis pré-pandemia na primeira quinzena deste mês.

Dentro desse cenário de mercado aquecido, um dos fatores que devem ser avaliados antes de fechar a compra de um carro com alguns anos de estrada é o estado da pintura , que geralmente reflete o nível de cuidado que o dono anterior teve com o veículo.

“Não necessariamente um carro que passou por um processo de reparação vai durar menos. Se foram usados produtos de qualidade e a lataria for preparada de maneira adequada, é possível atingir resultados próximos ou até melhores que os de fábrica”, destacou Ricardo Vettorazzi, gerente técnico da divisão de repintura da fabricante de tintas PPG.

Mas os efeitos do uso de técnicas incorretas e materiais de qualidade inferior – ou de ambos – nos reparos são claramente visíveis. Por esse motivo, é importante fazer a avaliação da pintura em um local com boa iluminação e, se possível, durante o dia, na luz natural.

Mais detalhes sobre pintura


pintura
Divulgação

Deve-se observar das diferenças de tonalidade da pintura do carro usado antes de fechar negócio

Além das manchas e diferenças na tonalidade na comparação com o restante da carroceria, outros tipos de problemas comuns em carros que passaram por reparos são as diferenças no aspecto e acabamento do verniz e as emendas de retoques.

No caso dos automóveis com pinturas cansadas, nem sempre um polimento será a solução para o problema. “Nos carros com pinturas em dupla camada [base e verniz], um polimento só resolve se ainda houve uma boa camada de verniz. Se estiver com um aspecto fosco ou com a cor desbotada, isso já não é mais possível. Mas é importante pedir a avaliação de um profissional”, destacou Vettorazzi.

O gerente da PPG lembrou ainda da necessidade de prestar atenção ainda maior aos carros de cidades litorâneas. “A maresia cria um ambiente com sais marinhos em suspensão nas regiões próximas das praias e esses sais são corrosivos, o que faz com que a pintura sofra desgastes mais graves com as intempéries do dia a dia”, completou.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros

Artista finlandês cria um hot rod da Mercedes-Benz

Avatar

Publicado


source
Mercedes
Divulgação

Hot Rod de Mercedes-Benz é a união de dois opostos. São carros de dois públicos, duas escolas diferentes e dois estilos diferentes

Os carros Mercedes-Benz nunca foram adequados para se tornarem hot rods apropriados. Os hot rods , que normalmente são baseados em modelos americanos dos anos 30 — quando essa cultura começou a ganhar força — sempre foram símbolo de rebeldia. Enquanto isso, os Mercedes-Benz sempre foram luxuosos e conservadores. Isso até surgir a renderização do artista finlandês Jesse Miettinen, que pensou no impensável: unir esses dois universos opostos.

O hot rod da Mercedes-Benz tem tudo o que caracteriza essa escola de customização americana. Tem um nariz curto e inclinado, abandona os pára-lamas, veste pneus largos em rodas com raios de arame e conta com nada menos que seis grandes saídas de escapamento. Em tempos onde rebeldes colocavam batatas nos escapamentos dos policiais, para que não conseguissem ligar suas viaturas e iniciar perseguições aos seus hot rods , neste Mercedes clássico , seria difícil achar um substituto grande o bastante para elas.

A construção do crossover, por sua vez, leva bastante alumínio na carroceria, algo que moderniza o conceito de hot rod , oferecendo mais leveza e desempenho. Nada foi dito sobre os conjuntos mecânicos, mas pelas imagens, é possível notar que é equipado com um motor V6, pelos dois coletores de escape, um para cada bancada de cilindros, com três saídas cada. Poderia vir com um V8 biturbo da AMG, não?

A dinâmica tampouco deverá ser o seu ponto forte, uma vez que hot rods são duros e desequilibrados. Ainda assim, deve ser um dos projetos mais inusitados do tipo, e uma vez que o artista decidir levar o projeto adiante e tirá-lo do papel, certamente seria o grande destaque de vários encontros de carros exclusivos.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana