conecte-se conosco


Internacional

Moreno convoca setores sociais equatorianos para "diálogo sincero"

Publicado

O presidente do Equador, Lenín Moreno, reafirmou, ontem (7) à noite, que não voltará atrás na liberação dos preços dos combustíveis, anunciada na semana passada, rebateu a violência nas manifestações e chamou os setores sociais para discutir possíveis soluções.

Moreno falou em rede nacional de televisão, acompanhado do vice-presidente Otto Sonnenholzner, do ministro da Defesa, Oswaldo Jarrín, e da cúpula das Forças Armadas.

Ele informou que transferiu a sede do governo para Guayaquil e agradeceu o compromisso do Alto Comando Militar diante das mobilizações de protesto. Afirmou que o governo continuará protegendo a integridade dos cidadãos. “A violência e o caos não vão ganhar”.

O presidente equatoriano reafirmou que não retrocederá e que a eliminação dos subsídios aos combustíveis é uma decisão histórica.

Para Lenín Moreno, as manifestações violentas não são espontâneas e têm intenção política. “Não é coincidência que Correa, Virgilio Hernández, [Ricardo] Patiño, [Paola] Pabón, tenham viajado ao mesmo tempo, há poucas semanas, à Venezuela”. Ele afirmou que Maduro ativou junto a Correa “seu plano de desestabilização”.

Veja Também  Turquia concorda em suspender ação militar na Síria

Segundo o presidente, os focos de violência registrados em diferentes regiões são praticados por “indivíduos externos, pagos e organizados”.

*Com informações da agência pública de notícias do Equador (Andes)

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook

Internacional

Justin Trudeau ganha eleições no Canadá, mas perde maioria absoluta

Publicado

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, disse que “ouviu a mensagem” dos cidadãos, depois de vencer as eleições-gerais realizadas nessa segunda-feira (21), mas sem revalidar a maioria absoluta.

De acordo com os resultados provisórios, o Partido Liberal (PL), de Trudeau, deverá garantir 156 dos 338 deputados da Casa dos Comuns, 14 menos do que o necessário para governar sem o apoio de outros grupos políticos.

Nas eleições de 2015, os liberais conquistaram 184 mandatos.

Por sua vez, o Partido Conservador (PC) assegurou 122 deputados, contra os 99 conquistados em 2015. Seguiu-se o Bloco do Quebec (BQ), com 32 deputados, o Novo Partido Democrata, com 24, o Partido Verde, com três, e um independente.

O grande vencedor da noite eleitoral foi o BQ separatista, que passou de 10 para 32 deputados.

Embora os liberais tenham assegurado 34 deputados a mais que os conservadores, o PC obteve mais votos que o PL: 6 milhões (34,5%), contra 5,7 milhões (33%).

O sistema eleitoral canadense favoreceu Trudeau, já que os eleitores de cada um dos 338 círculos eleitorais do país elegem um único deputado para a Casa dos Comuns, o que significa que apenas os votos obtidos pelo candidato vencedor contam.

Veja Também  OEA pede explicações sobre interrupção de contagem de votos na Bolívia

O resultado mostra que Trudeau terá de procurar apoio dos partidos de oposição para garantir suas propostas legislativas, uma vez que no Canadá não há tradição de governos de coligação, uma circunstância que nunca ocorreu no país em nível federal.

Em discurso aos seus apoiadores em Montreal, após ser confirmada a vitória liberal, Trudeau estendeu a mão às províncias de Quebec e Alberta, onde o PL perdeu parte substancial do apoio popular.

“Queridos quebequenses, ouvi a mensagem”, disse Trudeau, acrescentando que o resultado deixa claro que a província de língua francesa deseja continuar a fazer parte do Canadá, apesar de o BQ ter triplicado o seu apoio.

O primeiro-ministro explicou que o aumento do apoio ao BQ traduz a vontade daquela população em ser mais “ouvida em Ottawa”, o que prometeu fazer no futuro.

Em Alberta e Saskatchewan, as duas províncias ocidentais que votaram maciçamente no PC e onde os liberais não obtiveram nenhum deputado, Trudeau disse que foi escutada a frustração dos eleitores e que seu governo trabalhará “para unir o país”.

Veja Também  Novas tempestades se aproximam do Japão nesta semana

Ele também deixou claro que os eleitores “votaram numa agenda progressiva e de ação contra a crise climática” e que essa será uma missão para os deputados liberais.

O líder do BQ, Yves-Francois Blanchet, destacou, também em Montreal, que a formação que dirige “não quer participar” do governo federal, mas que cooperará com outros partidos nas propostas que beneficiem a província.

Blanchet disse que o BQ vai opor-se à expansão de oleodutos para o leste do país e acrescentou que “seu trabalho não é fazer o federalismo canadense funcionar”, mas tão pouco impedi-lo, enquanto espera que a população do Quebec escolha outro caminho que faça daquela província uma nação soberana.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Edição: Graça Adjuto
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Catalunha: milhares de pessoas usam balões com tinta em protesto

Publicado

Milhares de ativistas catalães usaram balões cheios de tinta para protestar em frente à delegação do governo da Catalunha, em Barcelona.

As manifestações começaram depois de o primeiro-ministro interino, Pedro Sánchez, ter viajado à capital catalã, para visitar os agentes que ficaram feridos nos violentos distúrbios.

Os manifestantes queixam-se da falta de vontade política do Executivo central para dialogar.

O chefe interino do governo espanhol visitou os policiais feridos nas manifestações na Catalunha. Pedro Sanchéz recusou também o pedido do presidente da Generalitat para uma reunião e diz que só se encontrará com Quim Torra depois de ele condenar, de forma pública, a violência exercida contra as autoridades.

A secretária de Ação Externa do governo da Catalunha garante que Pedro Sánchez se recusou a dialogar com o presidente da Generalitat, Quim Torra, por duas vezes.

Mireia Borrell Porta reiterou ao Jornal 2, da RTP, que o governo catalão condena todos os atos violentos nas ruas de Barcelona e defendeu uma solução que passe pela realização de novo referendo sobre a autodeterminação da Catalunha.

Veja Também  Turquia concorda em suspender ação militar na Síria

*Emissora pública de televisão de Portugal

Edição: Graça Adjuto
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana