conecte-se conosco


Esportes

Granada surpreende, bate Barcelona e dorme na liderança do Espanhol

Avatar

Publicado

Lance

Granada arrow-options
Reprodução/La Liga

Granada vence o embate contra o Barcelona e assume a liderança da La Liga

Em noite surpreendente, o Granada, que acabou se subir para a elite do futebol espanhol. bateu o Barcelona de Messi por 2 a 0, com gols de Aveez e Vadillo, de pênalti, e fechou a noite de sábado na liderança do Campeonato Espanhol. A equipe ainda pode ser ultrapassada na rodada por Real Madrid ou Sevilla, que se enfrentam neste domingo.

LEIA MAIS: Manchester City faz oito e goleia o Watford no Campeonato Inglês

A equipe da casa marcou o primeiro gol da partida logo aos dois minutos de jogo. Soldado roubou a bola de Firpo, e lançou para Puertas que, pela direita, cruzou na segunda trave para Azeez que completou para o fundo das redes. O Barcelona foi ao ataque de forma desordenada, enquanto dava sustos em sua torcida na defesa como na jogada em que o goleiro Ter Stegen deixou a bola escapar em uma defesa razoavelmente fácil e precisou se esticar todo para evitar um frango.

O técnico do Barça Ernesto Valverde lançou Messi, que começou no banco, no lugar de Perez e Fati no lugar de Firpo ainda no intervalo. A aposta não surtil efeito e Messi , com pouco ritmo de jogo, foi pouco efetivo. A noite de pesadelos do Barça piorou quando Vardillo cobrou falta pela direita e Vidal colocou a mão na bola. O pênalti foi confirmado pelo Var e o própprio Vardillo cobrou no canto direito de Ter Stegen e marcou o segundo gol do Granada.

LEIA MAIS: Karius falha e prejudica Besiktas no Campeonato Turco

Na próxima rodada, o Granada, que já soma 10 pontos em quatro jogos, enfrenta o Real Valladolid, no dia 24 de setembro. O Barcelona , que está em sétimo com sete pontos, busca reabilitação contra o Vilarreal, no mesmo dia.

Comentários Facebook

Esportes

Diego Costa escapa da prisão na Espanha ao pagar multa 36 mil euros

Avatar

Publicado


.

O jogador brasileiro Diego Costa, naturalizado espanhol, foi condenado hoje (04) na Espanha a seis meses de prisão por fraude fiscal. De acordo com o jornal espanhol Marca, durante a audiência realizada nesta manhã no Tribunal Provincial de Madri, o atleta se declarou culpado pela denúncia apresentada pelo Ministério Público, de que sonegou  1 milhão de euros – aproximadamente R$ 5,8 milhões – ao Tesouro espanhol, na declaração de imposto de renda de 2014. Na ocasião, o atacante foi transferido do Atlético de Madrid para o Chelsea, da Inglaterra. 

 A pena determinada foi de seis meses de prisão, mas a defesa do atleta conseguiu entar em acordo com a Promotoria, que converteu a detenção em pagamento de multa a ser paga em duas etapas: imediatamente o jogador teve de desembolsar o valor de 36 mil euros (aproximadamente R$ 200 mil), e ainda ter de devolver 507.208 euros (cerca de R$ 2,9  milhões) aos cofres públicos.

De acordo com a agência de notícias AFP, que teve acesso à decisão judicial, o que teria facilitado o acordo hoje (4) no Tribunal Provincial de Madri foi o fato de o jogador ter efetuado, em agosto passado, o pagamento de 1,14 milhão de euros (aproximadamente R$ 6,6 milhões), quitando por completo a dívida fiscal, incluindo juros. 

Edição: Verônica Dalcanal

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Covid-19: sem vacina até dezembro, "não haverá Olimpíada", diz Conrado

Avatar

Publicado


.

O presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Mizael Conrado, entende que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio (Japão), em 2021, estão comprometidos se a vacina contra o novo coronavírus (covid-19) não for aprovada até o fim deste ano. A pandemia sanitária já provocou o adiamento dos eventos, inicialmente previstos para 2020.

“Tenho observado (o cenário) com bastante preocupação e temos uma posição bem concreta. Basicamente, o que a gente entende é bastante simples e objetivo. Nosso entendimento é que se não houver uma vacina aprovada até dezembro deste ano, não haverá Jogos em 2021”, disse Conrado à Agência Brasil. “Digo isso não só com relação à Paralimpíada mas à Olimpíada também. Entendo que (a covid-19) é um problema de saúde pública e afeta toda a sociedade”, completou.

O adiamento dos Jogos foi anunciado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em 24 de março. Quatro dias antes, o dirigente do CPB havia declarado, ao site GloboEsporte.com, ser contrário à realização dos eventos em 2020, em meio à pandemia. A Olimpíada foi remarcada para ocorrer entre 23 de julho a 8 de agosto de 2021. Já a Paralimpíada será de 24 de agosto a 5 de setembro, também do ano que vem.

O presidente do COI, Thomas Bach admitiu, em entrevista à rede britânica BBC, que as disputas em Tóquio podem ser canceladas se a covid-19 não estiver controlada até lá. Discurso semelhante ao do mandatário do Comitê Organizador dos Jogos, Yoshiro Mori, que reconheceu, em declarações aos diários japoneses Nikkan Sports Kyodo News, a possibilidade de os eventos não ocorrerem.

Antes de a Olimpíada ter a data alterada, comitês olímpicos e paralímpicos pelo mundo chegaram a anunciar que não participaram dos eventos em razão do novo coronavírus – no dia 22 de março, o Canadá foi o primeiro a se manifestar nesse sentido. Perguntado pela Agência Brasil se o CPB pensa em adotar posição semelhante caso a Paralimpíada seja mantida para 2021 mesmo sem a vacina, Conrado afirmou que a entidade não discute essa possibilidade.

“Não pensamos nisso porque acreditamos muito na responsabilidade dos movimentos olímpico e paralímpico internacionais. Tenho absoluta certeza de que se houver qualquer risco à saúde dos atletas, as nossas organizações e representações internacionais adotarão as medidas necessárias para garantir a segurança”, acredita.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) rregistrou mais de 6,2 milhões de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no mundo, e cerca de 376 mil mortes. Ainda não há uma vacina considerada eficaz contra a doença. Na última terça-feira (2), o Governo Federal anunciou a participação do Brasil numa iniciativa internacional para produção de vacina, medicamentos e diagnósticos, que reúne mais de 44 países, empresas e entidades internacionais, entre elas, a própria OMS.

 

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana