conecte-se conosco


A rapadura é doce mas não é mole

17 já foram presos por explosão de caixa eletrônico; família de dono de baguncinha se revolta com prisão – VEJA LISTA

Avatar

Publicado

FONTE: RAFAEL MEDEIROS | O BOM DA NOTÍCIA

Polícia Civil pode ter desarticulado uma organização criminosa com foco em explosão a caixas eletrônicos. Nas últimas horas, 17 bandidos foram presos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). As prisões vem ocorrendo desde o último final de semana. No sábado (31.08) cinco foram presos em Várzea Grande, já ontem (3) outros 12 foram localizados e presos.    A delegada Juliana Chiquito Palhares, responsável pelas investigações, afirmou ao O Bom da Notícia,  que há indícios da participação do grupo em outras ações em bancos com explosivos. De julho até o início deste mês, ao menos nove ocorrências de ataques a agências bancárias ocorreram no Estado. As investigações seguem para chegar até o fornecedor dos explosivos que vêm sendo utilizados pelos criminosos.  Conforme a delegada ainda não é possível afirma para que o dinheiro roubado seria usado ou se os suspeitos possuem ligação com alguma facção criminosa.

Foram até o momento, Maxwell Nogueira Silva, 22 anos, Leonardo Souza Novais de Alencar, 22 anos, Deykso da Silva Brito, 38 anos, André Felipe Alves Mendes, 18 anos, Luan Reis do Nascimento, 21 anos, Erik Felipe da Silva Almeida, 29 anos, e apreendido M.V.A.N, 16 anos.  Artur Antunes Pires Ferreira, 29 anos, Magnum Francisco de Almeida, 37 anos, Nilton de Oliveira da Silva Júnior, 24 anos, Douglas Fonseca Sampaio, 26 anos, e Lucas de Souza Ferreira, 22 anos. Cinco nomes foram mantidos em sigilo pela GCCO.

Pelo menos três desses criminosos já possuem antecedentes criminais. Leonardo Souza responde por tentativa de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e tem 3 acusações por dirigir embriagado. Erik tem condenação de 11 anos por assalto a mão armada. Deykson tem uma condenação no regime semiaberto mas, no site do Tribunal de Justiça não é possível verificar qual é o crime e a punição.

A prisão do empresário Deykso conhecido como Deckão, causou surpresa nos moradores da região do CPA, onde há anos trabalha com baguncinha. A Polícia Civil não informou de que forma o empresário participou do crime.

Na página da lanchonete, a irmã do empresário fez um desabafo: “eu não sei quanto essas pessoas ganham ao julgar antes da Justiça bater o martelo final”, lamentou.

Sesp manifesta

Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) apontam que entre janeiro e junho deste ano oito furtos a caixas eletrônicos foram consumados em Mato Grosso, o que corresponde a um aumento de 166,66%, se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram registrados três crimes do tipo. (Os dados contidos nessa matéria foram apurados e levantados pelo site O Bom da Notícia)

Mais sobre o assunto: 

Polícia prende 12 envolvidos em assalto a bancos; notas eram lavadas com água e produtos químicos

Cinco são presos em VG quando planejavam assalto a banco

Polícia apreende mais de R$ 102 mil em cédulas manchadas de furto a bancos; bandidos lavavam com whisky

Comentários Facebook

A rapadura é doce mas não é mole

Menores com arma de brinquedo invadem Subway na Avenida do CPA, comem baratíssimo do dia e roubam dinheiro

Avatar

Publicado

Três adolescentes foram apreendidos e um jovem de 19 anos foi preso após um roubo na franquia Subway, localizada na avenida do CPA, em Cuiabá, na noite de terça-feira (23). O grupo usou uma arma de brinquedo para cometer o crime, segundo funcionários ele ainda comeram um lanche. De acordo com as informações da Polícia Militar, em rondas pela avenida foi alertada que havia acontecido um roubo na loja da Subway. Lá, a funcionária informou que foi abordada por dois homens, que aparentavam ser menores de idade.

Com uma arma, tomaram dinheiro do caixa e o celular da vítima. Policiais rastrearam o celular da vítima, que estava em um terreno no bairro do Baú, próximo do local do crime. Lá, a polícia encontrou um dos suspeitos, de 16 anos, e em revista, encontraram uma quantia em dinheiro, além do celular da vítima. Ele contou aos policiais que outros 3 amigos também estavam envolvidos no crime.Sendo que um deles, de 17 anos, invadiu a loja, enquanto outros dois esperavam na praça do Baú. Segundo o suspeito, ele e o comparsa foram até a casa da menor, de 14 anos, onde pegaram um simulacro de arma de fogo usado na ação.

Foram até a casa da menor, onde ela foi encontrada ao lado do namorado, um rapaz de 19 anos. O comparsa deles também estava escondido na casa. A arma falsa usada no crime foi escondida em um bota-fora que estava na rua, próximo da casa. Os 4 foram entregues na Central de Flagrantes, onde foram autuados.

Comentários Facebook
Continue lendo

A rapadura é doce mas não é mole

Ladrões invadem loja e levam mais de 250 Iphone em VG; Vovô do Cabral é preso e não entrega comparsas

Avatar

Publicado

FONTE: RAFAEL MEDEIROS | O BOM DA NOTÍCIA

Bandidos invadiram depósito da loja Havan, na Avenida da FEB, em Várzea Grande, na madrugada de terça-feira (23) e furtaram 281 aparelhos de celular, entre eles modelos da última geração do Iphone e também Sansung. Para consumar o crime, os criminosos fizeram ao menos 3 buracos nas paredes do galpão.

João Vitor de Araújo, vulgo “Vovô do Cabral”, foi detido próximo ao local do crime. Com ele, foram encontrados aparelhos eletrônicos e uma grande quantia em dinheiro.

O bandido teria agido com outras pessoas. No entanto, os comparsas ainda não foram identificados.

Segundo a Polícia Militar, a guarnição foi acionada por volta das 4h30 pelos seguranças do local, que encontraram na parte dos fundos vários equipamentos como furadeira, escada, pé de cabra e outros.Em rondas pelo local, os suspeitos não foram encontrados e não se sabe a quantidade de bandidos que participaram da ação. Após levantamento, foi constatado o furto de 281 aparelhos de celulares.

Câmeras de monitoramento flagraram parte do furto. As imagens serão analisadas. O vídeo entregue à polícia mostra os bandidos colocando a escada no muro do deposito e quebrando ao menos 3 paredes para chegar até a sala onde estavam os celulares. Ação dura pouco mais de 20 minutos. A suspeita é de que eles já tinham a informação de onde os eletrônicos estavam guardados, pela forma estratégica com que as paredes foram quebradas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana