conecte-se conosco


Polícia Federal

Polícia Federal deflagra Operação Big Five em combate à exploração de migrantes em São Paulo

Publicado

Polícia Federal

São Paulo/SP – A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (20/8) a operação Big Five, para desarticular esquema de exploração de migrantes para viagens ilegais aos Estados Unidos, em São Paulo. Policiais federais dão cumprimento a 3 mandados de prisão temporária e 6 mandados de busca e apreensão, no município paulista.

O inquérito policial teve início em julho de 2018, após cooperação policial internacional entre autoridades brasileiras e a agência norte americana de imigração Ice Customs Enforcement. À época foi noticiado à Polícia Federal que estrangeiros domiciliados em São Paulo estariam liderando organização criminosa voltada à prática de migração ilegal de diversas pessoas para os EUA.

Por meio de cooperação jurídica internacional e interceptação telefônica e de e-mails, dentre outras medidas investigativas, apurou-se que o grupo criminoso providenciava passaportes e/ou vistos brasileiros falsos em países da África Oriental, de onde partiam os migrantes ilegais com destino a São Paulo/SP. Aqui eles eram recebidos pela organização criminosa, tinham seus passaportes retidos, realizavam câmbio e permaneciam hospedados em hotel na região central. Depois, seguiam para Rio Branco/AC, de onde atravessavam a fronteira com o Peru e prosseguiam por via terrestre (ônibus, barco, carona e a pé) até a fronteira do México com os EUA.

Veja Também  Polícia Federal investiga desvio de verba de material escolar no Amapá

Os indícios apontam que o grupo que agia em São Paulo centralizava e detinha pleno domínio de toda a rota, por meio de contato com outros integrantes em todos os países e continentes envolvidos. Dentre os migrantes enviados ilegalmente aos EUA, estão dois somalis suspeitos de terrorismo e ora presos nos EUA, tendo eles permanecido dias em São Paulo e no Acre antes de prosseguirem suas jornadas. Também se identificou que um dos membros da organização criminosa detinha na sua página em rede social a divulgação de símbolos e personagens nazistas.

No decorrer da Operação foi identificada uma mesquita nesta Capital, onde um dos investigados assediava migrantes ilegais e, também, um hotel onde os migrantes eram mantidos pela organização criminosa, antes de prosseguirem viagem aos EUA.

Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de contrabando de migrantes (qualificado pela submissão a condições desumanas e degradantes), organização criminosa, falsificação de documento público e divulgação do nazismo, com penas de 3 a 8 anos de prisão, sem prejuízo de responderem por outros crimes que possam ser descobertos ao longo da investigação.

Veja Também  Foragido da Justiça do Rio Grande do Sul é extraditado pelo Uruguai

 

Será concedida coletiva de imprensa no auditório da Superintendência Regional de Polícia Federal em São Paulo, às 11h.

 

[email protected]

Comentários Facebook

Polícia Federal

PF combate o descaminho de fibra ótica procedente do Paraguai

Avatar

Publicado


Lages/SC – Nesta manhã (14/4), a Polícia Federal deflagrou a Operação Ponta Solta, que apura a introdução ilícita no País e a comercialização de cabos de fibra ótica procedentes do Paraguai. Após representação da PF, a Justiça Federal expediu dois mandados de busca e apreensão, em face dos principais investigados, os quais foram cumpridos em endereços localizados em Otacílio Costa e Lages/SC.

Por meio da delegacia virtual da Polícia Civil de Santa Catarina, um cidadão apresentou denúncia anônima relatando o crime de descaminho e revenda ilegal de fibra ótica, que seria praticado por um funcionário público. A denúncia, em razão da atribuição investigativa, foi reencaminhada para a Polícia Federal, onde foi instaurado o devido inquérito policial para apuração dos fatos.

A investigação, realizada em conjunto com a Receita Federal, reuniu fortes indícios no sentido da procedência da denúncia. Restou identificado que, num período de 3 anos, o principal investigado recebeu em suas contas quase R$ 3 milhões, por meio de cheques de terceiros, fato aparentemente incompatível com a sua renda mensal como servidor público.

Veja Também  PF e BPFRON fazem apreensão de veículo carregado com cigarros paraguaios

Apurou-se, ainda, que a maior parte desses valores foram pagos por pessoas e empresas do ramo de fornecimento de internet banda larga, por meio de fibra ótica, localizadas em diversas cidades do Estado de Santa Catarina.

Os suspeitos, que já possuem antecedentes criminais, inclusive por contrabando e descaminho, responderão pelos crimes de descaminho e lavagem de dinheiro, cujas penas previstas somadas vão de 4 a 14 anos de prisão.

Na próxima fase, após a análise das provas colhidas nesta data, os supostos compradores da mercadoria ilícita também poderão ser responsabilizados por suas condutas.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Lages/SC

Contato: [email protected] | www.pf.gov.br

(49) 3251-6200

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia Federal

PF deflagrou Operação Voo Baixo para investigar irregularidades na importação de produtos estrangeiros

Avatar

Publicado


São José dos Campos/SP – A Polícia Federal, nesta terça-feira (13/4), deflagrou a Operação Voo Baixo, para aprofundar investigações de aquisição e venda de drones oriundos da China, com indícios de irregularidades na importação legal dos produtos estrangeiros, o que, em tese, configura o crime de descaminho. Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de São José dos Campos.

A investigação se iniciou após procedimento fiscal da Receita Federal de São José dos Campos/SP, que apontou para utilização de empresas constituídas em nome de terceiros, pessoas próximas ao real administrador do grupo econômico, utilizadas para emissão de notas fiscais aos clientes finais, com objetivo de não recolhimento dos impostos devidos, após migrar as atividades comerciais para novos CNPJs. Fatos que foram identificados a partir de abril/2017 e que já resultaram em autuação no valor de mais de R$ 18 milhões pela Receita Federal, somente para uma das empresas constituídas.

Após aprofundar as investigações, apurou-se que, além desses crimes de falsidade ideológica na constituição das empresas do grupo econômico e do crime de sonegação fiscal, também há indícios de que as empresas estariam comercializando drones oriundos da China, com possível importação irregular, para órgãos públicos e forças de segurança, com destaque para Tribunais, Secretarias de Segurança Estaduais, Polícia Militar e diversas Prefeituras,

Veja Também  Polícia Federal investiga desvio de verba de material escolar no Amapá

No curso das diligências de hoje, a equipe policial identificou outras duas salas ocupadas pelas empresas investigadas e conseguiu, ainda no decorrer da manhã, o deferimento de decisão judicial extensiva de busca e apreensão para os novos endereços, onde foram arrecadadas outras mercadorias de origem estrangeira.

Os produtos foram encaminhados ao depósito da Receita Federal, que também participou das diligências e vem auxiliando na execução dos trabalhos.

Comunicação Social da Polícia Federal em São José dos Campos

Contato: (12) 3202-7101

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana