conecte-se conosco


Várzea Grande

DUPLICAÇÃO DA FILINTO MÜLLER ENTRA NA RETA FINAL PARA CONCLUSÃO

Avatar

Publicado

 

O Governo do Estado de Mato Grosso e a Prefeitura de Várzea Grande deram inicio as obras  de conclusão da duplicação dos 12 quilômetros da Avenida Filinto Muller e de acesso a diversos bairros da cidade e que atendem a uma demanda populacional de 60 mil habitantes que residem diretamente nas adjacências e outros 100 mil usuários que diariamente se utilizam da via que assegura a integração do centro da cidade com a região Oeste ou o Grande São Mateus.

Essa última etapa de obras demandará a necessidade de desvios para que as obras complementarem sejam realizadas, por isso foram definidos uma série de medidas como vias alternativas para o desvio do trânsito, os bloqueios que serão realizados pela Prefeitura de Várzea Grande com suporte da Guarda Municipal.

O ponto de obstrução se situa entre a escola municipal de Educação Básica (EMEB), ´Honorato Pedroso de Barros’, no sentido bairro São Mateus-Centro, e no posto de gasolina, sentido Centro-São Mateus. As rotas de desvio conduzirão o fluxo para os bairros Jardim Paula II, por meio da rua Marechal Mascarenhas de Moraes à rua Sergipe, já no bairro Nova Várzea Grande. Desse ponto, os motoristas podem seguir pela Avenida Alzira Santana, para retornar ao Centro, bem como seguir em direção ao Costa Verde, Aeroporto e Cristo Rei. Qualquer uma das opções pela Avenida Alzira Santana também condizem os motoristas à Capital, Cuiabá.

Por meio da rota, há acesso para o bairro São Mateus e à Rodovia dos Imigrantes. Como mostra o mapa, a rota em traçado branco é obrigatória para veículos pesados. Já o traçado em azul, pode ser utilizado como alternativa aos carros de passeio e veículos leves. Todos os acessos, como chamam à atenção a Guarda Municipal e as secretarias de Viação, Obras e Urbanismo e de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana, devem ter os limites de velocidade respeitados e exigem maior atenção dos condutores.

Moradores dos trechos sob bloqueio terão acesso de forma integral a suas residências. Toda a extensão sob obras e as rotas alternativas estarão sinalizadas com placas verticais, manilhas e fitas zebradas.

Orçada inicialmente em R$ 31 milhões e após o processo licitatório com a participação de 12 empresas que reduziu os custos para R$ 24 milhões, com uma economia de R$ 7 milhões para os cofres públicos, as obras efetivamente se iniciaram em 2017, sendo que restam menos de 15% para serem concluídas.

Concebida como um novo corredor comercial, a duplicação da Avenida Filinto Muller, faz parte de um projeto de integração de todas as principais regiões de Várzea Grande e sua posição estratégica ao lado da Capital de Mato Grosso e passagem obrigatória para o Norte de Mato Grosso e do Brasil.

“Estamos entrando na fase final de uma grande obra de 12 quilômetros aproximadamente que contempla diversas regiões de Várzea Grande e reforça sua posição geográfica ao lado de Cuiabá e de passagem obrigatória para quem vai para o Norte de Mato Grosso ou do Brasil ou de quem vai para o Sul do Estado ou do País, portanto, estamos no corredor do agronegócio e no Estado que mais cresce na atualidade”, disse a prefeita Lucimar Sacre de Campos que informou estar a Prefeitura trabalhando para entregar essa obra ainda em 2019.

O secretário de Viação e Obras Públicas, Luiz Celso Morais sinalizou que as obras de duplicação entram na parte mais difícil por demandarem desapropriações, demolições, recuos de construções particulares e públicas e outra infinidade de pequenas incursões que acabam protelando a conclusão da mesma, mas como tudo está dentro do cronograma estabelecido no início das obras, a Prefeitura de Várzea Grande e o Governo do Estado estão atuando no sentido de acelerar esta reta final que vai do cruzamento da Avenida Filinto Muller com a Avenida Alzira Santana.

“Depois de concluída teremos uma via moderna rápida, moderna,  eficiente, segura e e que permitirá desde o Aeroporto Marechal Rondon até a Rodovia dos Imigrantes, por onde passam cerca de 25 mil veículos diariamente um trânsito de melhor qualidade com menos tempo parado e menor consumo de combustível para automóveis, ônibus e caminhões, além é claro de maior segurança para os pedestres que se utilizaram da mesma para caminhadas e lazer”, explicou o titular da pasta de Viação e Obras Públicas.

Esta última etapa de envolve uma extensão de 500 metros, mais agrega o trecho mais complexo, onde houve necessidade de desapropriações e será necessário ainda, todo um trabalho de investigação das tubulações subterrâneas para avaliar se as estruturas atuais condizem com a nova organização da via. A exemplo de tudo que já foi realizado na via – 12 quilômetros de avenida nos dois sentidos – haverá necessidade de muitas escavações e de troca de tubulações. O secretário de Viação, Luiz Celso de Moraes, explica que região concentra muitos córregos, o que exige um trabalho e atenção redobrados em relação às galerias de águas fluviais e ao escoamento das águas pluviais. “São apenas 500 metros, mas em compensação vamos atuar sobre um trecho bastante urbanizado e movimentado. Por isso, a previsão de conclusão da duplicação é até o final do ano. Vamos contar com o bom andamento do cronograma nesse período de seca”.

PREPARAÇÃO – Desde o mês passado, a prefeitura municipal está estruturando o entorno da Avenida Filinto Müller para amenizar ao máximo os transtornos na região. Além das sinalizações, as ruas que fazem parte da rota de desvio (trecho em branco do mapa) foram todas recapeadas. “A rua Marechal Mascarenhas de Moraes será totalmente recuperada, ou seja, desde o lado que dá acesso à Avenida Filinto Müller até a rua Pará, já no Nova Várzea Grande. “Esse trecho, já bastante movimentado, estará intensificado pelo acesso obrigatório de veículos pesados como caminhões e ônibus. Por isso esse trabalho prévio precisou ser de fato muito bem feito, para não tornar a rotina residencial mais impactada ainda”.

A OBRA – Várzea Grande está concretizando seu novo corredor comercial com o avanço das obras de duplicação da Avenida Filinto Müller. A obra – a de maior peso estruturante da região metropolitana do Vale do Rio Cuiabá, vai interligar a região oeste de Várzea Grande com o Centro e cria um novo Rodoanel com a Rodovia Imigrantes/Avenida Júlio Campos/Rodovia Mário Andrezza.

Dos R$ 24 milhões orçados para a conclusão da duplicação da avenida, R$ 15 milhões já foram investidos. Da demanda total, R$ 3,5 milhões são de contrapartida do Município.

O secretário Luiz Celso de Moraes explica que o projeto de duplicação prevê ciclo faixa, pista de caminhada, iluminação em LED, canteiro central e calçadas, “Na prática estamos estabelecendo uma nova ponte de integração com a região norte da cidade. Queremos impedir que uma nova parte da cidade de Várzea Grande, o Grande São Mateus, seja seccionado como aconteceu com o Aeroporto Marechal Rondon em relação ao Grande Cristo Rei”.

Comentários Facebook

Várzea Grande

Várzea Grande aciona órgãos de controle para compras médicas com preços justos

Avatar

Publicado

 

.

 

12/07/2020    2543

Várzea Grande encaminhará solicitações formais aos órgãos de controle e do Poder Judiciário para solicitar acompanhamento e fiscalização em todas as compras de insumos, medicamentos e equipamentos, além também da correta aplicação dos recursos disponibilizados pelo Governo Federal para o enfrentamento da pandemia da Covid- 19.

O pedido foi feito no dia da audiência de conciliação entre o Juízo da Vara da Saúde Pública, Ministério Público, Governo do Estado de Mato Grosso e das Prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande que acolheu o pedido de Lucimar Sacre de Campos para prorrogar por mais 07 (sete) dias a paralisação das atividades não essenciais até que se avalie se os primeiros quinze dias de paralisação obtiveram o resultado esperado.

“Gostaríamos de ter o acompanhamento e a fiscalização dos Tribunais: de Justiça – TJMT; de Contas da União (TCU); de Contas do Estado (TCE); Ministério Público Federal (MPF); Ministério Público de Mato Grosso (MPE) e Controladorias Gerais da União (CGU) e do Estado (CGE) para que nos auxiliem a promover compras dentro das regras exigidas pelos princípios constitucionais da Administração Pública – LIMPE – Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência, pois os preços que estão sendo praticados, por aqueles que vendem medicamentos, insumos, equipamentos entre outras necessidades prementes neste momento são abusivos, especulativos e ferem a dignidade das pessoas que precisam da Saúde Pública ”, disse Lucimar Sacre de Campos sinalizando que não pode e não vai generalizar, pois nem todos promovem a cartelização, mas é necessário que se tenha regras endurecidas quando o assunto é aquisições públicas em meio a uma pandemia.

Tanto o juiz da Vara de Saúde de Mato Grosso, José Luiz Leite Lindote, quanto o promotor Alexandre Guedes sinalizaram que os órgãos de controle podem e devem colaborar, inclusive o promotor lembrou de uma conferência com a Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) e os órgãos de controle para que seja combatido todo e qualquer abuso. “Existem instrumentos que podem ajudar os gestores públicos Estaduais e Municipais a comprarem através de licitações com preços justos e impedindo abusos de qualquer natureza”, explicou o promotor de Justiça.

Lucimar Campos anunciou que esteve pessoalmente na CADIM – Central de Atendimento de Insumos e Medicamentos da Secretaria Municipal de Várzea Grande e acelerou os processos de aquisição de equipamentos, insumos e medicamentos. “Temos R$ 20 milhões em licitações em curso, temos mais recursos públicos próprios de Várzea Grande, Estaduais e Federais e se necessário faremos novas aquisições para atender a demanda. Nestes próximos dias já teremos mais medicamentos para ofertar aos pacientes que forem atendidos da rede pública municipal e tiverem as receitas de prescrição médica. Temos medicamentos na rede pública e vamos continuar repondo e mantendo os estoques”, garantiu a prefeita.

Ela sinalizou ainda que ampliou ainda em mais R$ 20 milhões os recursos da saúde municipal e que a estimativa é de que o orçamento para área estimado em R$ 166,5 milhões para este ano seja superado em mais de R$ 100 milhões, somando R$ 166 milhões até o final do ano.

O secretário de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes, apontou que existe um grupo especializado de servidores municipais mantendo contatos cotidianamente com fornecedores de equipamentos, insumos e medicamentos para que nada falte no atendimento a população, neste momento de pandemia do Coronavírus e reforçou que a cidade tem enfrentado os impactos da doença porque planejou e investiu pesadamente na área nos anos de 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e vem ampliando os investimentos em 2020.

“Nós fizemos e estamos fazendo o dever de casa, mesmo não existindo em nenhuma parte do mundo, preparação para uma pandemia, seja aqui, na Europa, nos Estados Unidos, todos tem enfrentados sua dificuldades da melhor maneira possível, mas acredito e tenho convicção de que os impactos já sentidos e que ainda sentiremos são muito menores se não tivéssemos no passado adotado as medidas necessárias”, disse Diógenes Marcondes.

 

Por: Da Redação – Secom/VG

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Várzea Grande

Assistência Social mantém a política de atendimento às famílias vulneráveis em tempo de pandemia

Avatar

Publicado


.

10/07/2020    1

Desde o início da quarentena decretada pelo Governo do Estado, e pelas medidas adotadas pelo município de Várzea Grande, uma das principais preocupações da Administração Municipal é com as famílias em situação de vulnerabilidade social, neste período de Pandemia pelo novo coronavírus.

A Secretaria de Assistência Social de Várzea Grande realiza um amplo e complexo trabalho com famílias em situação de vulnerabilidade no município.

Se por um lado a pandemia provocada pelo novo coronavírus impôs o isolamento social, agravando ainda mais a situação dos menos favorecidos, por outro lado em Várzea Grande, centenas de famílias que vivem em estado de vulnerabilidade tem vivenciado a atuação ainda mais eficaz de vários programas sociais desenvolvidos pela administração municipal, o “Pão e Leite” é um desses exemplos.

A Secretaria de Assistência Social, implantou o programa ‘Pão e Leite’ que atende, atualmente, 314 famílias totalizando mais de 750 usuários dentre crianças, idosos e portadores de necessidades especiais.

As famílias assistidas pelo programa são das comunidades do  Carrapicho, Engordador, Jardim das Oliveiras, Parque São João, Santa Clara, Lagoa do Jacaré, Vila Vitória, Princesa do Sol e Vila Rica.

Como explica a titular da pasta Flavia Omar, a necessidade de continuar atendendo as famílias mais carentes, que infelizmente neste período vivenciam um momento mais difícil – onde muitos perderam a renda familiar – foi o principal motivo para que o programa tivesse segmento . “Em função da incidência do coronavírus no município as aulas de panificação, realizadas na Administração Regional foram suspensas, porém a fabricação do pão foi mantida uma vez que o programa é considerado importante porque atende centenas de famílias de baixa renda.  Sabemos que para muitas pessoas o pão e  o leite não fazem parte da lista de alimentos do dia a dia, e o programa vem justamente para que eles tenham acesso, e são importantes no desenvolvimento principalmente das crianças”.

A secretária disse ainda que a Administração Municipal, neste período de isolamento social, ampliou os trabalhos assistenciais. “Além da entrega regular do pão e do leite, as famílias cadastradas também puderam receber cestas básicas, produtos de higiene pessoal e cobertores”, informou.

Neste primeiro semestre, como informa a coordenadora do Programa ‘Pão e Leite’, Vanessa Navarro, foram distribuídos 47 mil pães e 9,7 mil bebidas lácteas. “Os beneficiários são referenciados através do número de Inscrição Social, que permite atender aos necessitados de uma mesma família, sendo três pães por pessoa e um litro de leite para duas pessoas. O programa tem essa finalidade, dar a essas pessoas a condição de ter um alimento nutritivo nas primeiras horas da manha e um reforço alimentar a qualquer hora do dia”.

CUIDADOS – A Coordenadora de Relações Institucionais da Secretaria de Assistência Social, Valdete Flores – que acompanha diariamente a entrega e distribuição dos produtos (pão e leite) – disse que todas as medidas de segurança foram adotadas para a prevenção ao Covid 19. Para que não ocorra aglomeração as destruições nos bairros atendidos estão sendo feitos de forma escalonada e com agendamento. “Nas terças-feiras a distribuição acontece para os beneficiários dos bairros Santa Clara e Vila Rica; nas quartas nos bairros  Lagoa do Jacaré, Vila Vitoria e Princesa do Sol;  já nas quintas-feiras o atendimento é feito nos bairros Carrapicho e Engordador e nas sextas-feiras nos bairros Jardins das Oliveiras e Parque São João.Todos os cuidados estão previstos na hora da entrega, com todos os procedimentos de higienização, proteção individual e distanciamento, na proteção não só do servidor mas também do usuário do programa”, explicou Valdete Flores.

 

 

Por: Katia Passos – Secom/VG

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana