conecte-se conosco


Internacional

Temporal violento mata 6 estrangeiros em praias do Norte da Grécia

Publicado

Uma tempestade violenta de curta duração matou seis estrangeiros, incluindo duas crianças, além de deixar mais de 100 pessoas feridas, após atingir o norte da Grécia durante a madrugada, derrubando árvores e arrancando telhados.

Testemunhas relataram que a tempestade chegou e passou em questão de minutos. Ventos de mais de 100 quilômetros por hora foram registrados na península de Halkidiki, popular entre turistas no verão europeu.

Dois turistas tchecos idosos morreram quando os ventos e a chuva viraram seu trailer, informou a polícia.

Uma mulher e um menino de 8 anos, da Romênia, morreram quando um teto desabou em um restaurante do resort litorâneo de Nea Plagia. Um homem e um menino, ambos russos, morreram quando uma árvore caiu perto de seu hotel na cidade costeira de Potidea, disseram autoridades.

Ruas da área ficaram repletas de pinheiros derrubados pelo vento e motos tombadas, e tetos de madeira foram arrancados e lançados nas praias. Um correspondente da Reuters viu cadeiras de sol jogadas aos montes junto com outros destroços perto das praias de Nea Plagia.

Veja Também  Presidente da França se esforça para manter acordo nuclear de pé

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, cujo governo tomou posse nesta semana depois de vencer as eleições de 7 de julho, cancelou a agenda matutina e está sendo atualizado continuamente, informou um assessor..

Presente no local do desastre, o ministro da Defesa Civil, Mihalis Chrisochoidis, disse que a Grécia está chorando a perda de vidas, acrescentando: “Nos próximos dias todos os danos serão reparados”.

Tempestades tão severas são incomuns na Grécia, onde os verões costumam ser quentes e secos. Mas a tragédia trouxe lembranças de um incêndio florestal ocorrido há quase um ano, que atravessou o resort de Mati quase sem aviso, atiçado por ventos quentes, aprisionando muitos habitantes antes que eles pudessem fugir e matando 100 pessoas.

“É a primeira vez em minha carreira de 25 anos que vivi algo assim”, disse Athansios Kaltsas, diretor do Centro Médico de Nea Moudania, onde muitos feridos foram tratados devido a fraturas. “Foi muito abrupto, repentino”.

Kaltsas contou que os pacientes levados à clínica tinham entre 8 meses e mais de 70 anos. Alguns tinham ferimentos na cabeça causados por árvores.

Veja Também  Em clima de renovação, Cúpula do Mercosul começa na Argentina

 

 

 

 

 

 

 

*Colaborou Michele Kambas

Edição:
Fonte: EBC
Comentários Facebook

Internacional

ONU recorda Mandela como “defensor global da dignidade e igualdade”

Publicado

“Um extraordinário defensor global da dignidade e igualdade e um dos líderes mais emblemáticos e inspiradores do nosso tempo”. Com estas palavras, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, celebrou hoje a passagem do Dia Internacional de Nelson Mandela, neste 18 de julho.

Se estivesse vivo, o ex-presidente da África do Sul e ícone da luta contra o apartheid completaria 101 anos nesta quinta-feira. Primeiro presidente da África do Sul livre e democrática, Nelson Rolihlahla Mandela morreu em 2001, 20 anos após receber o Prêmio Nobel da Paz.

A comemoração do Dia Internacional de Nelson Mandela foi proclamada há uma década pela Assembleia Geral da ONU. O objetivo é celebrar a proteção dos direitos humanos, a igualdade entre raças e etnias, a resolução dos conflitos entre povos e a integridade da humanidade.

Exposição Centenário Mandela, no Palácio Itamaraty. A mostra apresenta a trajetória do ativista (Nelson Mandela) que combateu o regime do apartheid e tornou-se o primeiro presidente negro da África do Sul.

 

O ativista (Nelson Mandela) que combateu o regime do apartheid e tornou-se o primeiro presidente negro da África do Sul é celebrado hoje em todo o mundo – José Cruz/Agência Brasil

“Coragem e compaixão”

Segundo a mensagem divulgada pelo chefe da ONU, Nelson Mandela “exemplificou coragem, compaixão e compromisso com a liberdade, paz e justiça social”. Guterres realçou ainda que o líder “viveu por esses princípios e estava preparado para sacrificar sua liberdade e até mesmo sua vida por eles.”

O secretário-geral afirmou que os apelos de Nelson Mandela pela coesão social e pelo fim do racismo são particularmente relevantes hoje, quando “o discurso do ódio lança uma sombra crescente em todo o mundo”. Para Guterres, aqueles que trabalham coletivamente pela paz, estabilidade, desenvolvimento sustentável e direitos humanos para todos, devem sempre recordar o exemplo de Mandela.

Veja Também  OMS declara emergência internacional por surto de ebola no Congo

A mensagem ressalta que o melhor tributo ao ex-líder deve ser demonstrado por ações. O chefe da ONU destaca que o recado de Mandela para o mundo é claro: “cada um de nós pode agir para promover mudanças duradouras. Todos nós temos o dever de fazê-lo”.

No dia de reflexão sobre a vida e obra de Mandela, o apelo do chefe da ONU é que o mundo abrace o legado do ex-presidente, bem como a aspiração de seguir o seu exemplo.

 

Edição: Augusto Queiroz
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Políticos da Coreia do Sul se unem contra restrições do Japão

Publicado

O presidente sul-coreano Moon Jae-in e os chefes dos cinco principais partidos políticos do país formaram uma frente hoje (18) contra as restrições impostas pelo Japão às exportações de produtos sensíveis de tecnologia para empresas sul-coreanas.

Durante uma reunião em Cheong Wa Dae (escritório executivo do governo sul-coreano), em Seul, eles decidiram lançar um “órgão pan-nacional de cooperação de emergência” para lidar com a questão, de acordo com um comunicado conjunto da imprensa.

Em quase 2 anos, é a primeira vez que Moon realiza conversações simultaneamente com líderes dos partidos governistas e de oposição.

Eles “compartilharam a percepção de que a medida do Japão de restrições às exportações é uma injusta retaliação econômica que contraria a ordem do livre comércio”, disseram os porta-vozes das partes.

Eles pediram ao Japão que retroceda imediatamente em relaçãoao controle de exportação mais rigoroso dos principais componentes de semicondutores e telas digitais, que entraram em vigor algumas semanas antes.

Prometendo cooperação bipartidária sobre o assunto, Moon e os líderes do partido deixaram claro que a decisão do Japão de retirar a Coreia do Sul da “lista branca” de importadores está pondo em risco não apenas os laços entre Seul e Tóquio, mas também a cooperação de segurança no nordeste da Ásia.
A questão do Japão foi aparentemente um item de agenda de topo na sessão, juntamente com uma lei de orçamento suplementar, que está pendente na Assembleia Nacional há meses.

Veja Também  Acordo afasta dúvida sobre sobrevivência do Mercosul, diz especialista

“O que é mais urgente e importante agora é como reagimos à medida de restrições à exportação do Japão (contra empresas sul-coreanas)”, disse Moon no início das negociações.

É necessário reunir sabedoria sobre as formas de a Coreia do Sul confiar menos no Japão para o fornecimento de materiais básicos para o setor manufatureiro, acrescentou.

Os líderes partidários presentes foram Lee Hae-chan, do liberal Partido Democrata, Hwang Kyo-ahn, do principal partido da oposição, Partido Coreano da Liberdade (LKP), Sohn Hak-kyu, do Partido Bareunmirae de centro-direita, Sim Sang-jung. do progressista Partido da Justiça e de Chung Dong-young, do partido de centro-esquerda Democracia e Paz.
 

Edição: José Romildo
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana