conecte-se conosco


Economia

Reformas inserem o Brasil nos fluxos econômicos globais, diz Receita

Publicado

Em palestra hoje (11) na Confederação Nacional da Indústria (CNI), o secretário especial da Receita Federal do Brasil, Marcos Cintra, disse que a aprovação da Reforma da Previdência, em primeiro turno, pela Câmara dos Deputados, significa o “destravamento” do processo de reorganização das contas públicas do país.

“O Brasil quer aproveitar o momento para aprovar reformas fundamentais, que vão inserir o país nos fluxos econômicos globais”, disse.

O secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, participa do seminário, O padrão OCDE de preços de transferência e a abordagem brasileira: o caminho à frente.

Secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra José Cruz/Agência Brasil

Marcos Cintra falou durante seminário que discutiu o padrão de preços da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE). A organização internacional é composta por 34 países e tem como objetivo promover políticas que visem o desenvolvimento econômico em todo o mundo.

Brasil

No final da palestra, Cintra comentou o interesse do Brasil em ingressar como membro efetivo da OCDE e, dessa forma, usufruir de inúmeros benefícios decorrentes de financiamentos a custos mais baixos e ter acesso a mais investimentos . “Estou muito otimista com essa perspectiva”, disse ele. Para que o Brasil integre a instituição, segundo ele, é preciso esperar que as regras de ingresso sejam cumpridas.

Veja Também  Intenção de consumo das famílias cresce pelo terceiro mês

“Existem alguns países que estão à frente do Brasil. A Argentina vai iniciar o processo. Em seguida, Brasil ou Bulgária. Acho que até o final deste ano iniciaremos formalmente o processo de ingresso na OCDE”, afirmou Marcos Cintra.

Convergência

O gerente de políticas fiscal e tributária da CNI, Mário Sérgio Carraro, disse que o pedido do governo brasileiro para ingressar na OCDE “demonstra o firme compromisso de não apenas fazer reformas, mas de promovê-las em consonância com o que há de mais moderno nos países desenvolvidos”.

Ao ressaltar que o Brasil tem as condições necessárias para aderir à organização, Carraro afirmou  que o país, entre todos os candidatos, é o que tem o maior grau de convergência com a instituição. “O Brasil é o país que aderiu ao maior número de instrumentos legais da OCDE:  77, o que representa 31% de um universo de 252”.

Saiba mais

Veja Também  Saque do FGTS começa hoje para nascidos em janeiro sem conta na Caixa
Edição: Augusto Queiroz
Fonte: EBC
Comentários Facebook

Economia

Aneel aprova redução nas tarifas de energia elétrica da EDP São Paulo

Publicado

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (22) a revisão tarifária da EDP São Paulo Distribuição de Energia S.A. Com isso, as tarifas dos clientes da distribuidora de energia elétrica em São Paulo vão ter redução da tarifa a partir de amanhã (23). 

A revisão tarifária é prevista nos contratos de concessão e tem por objetivo manter o equilíbrio dos valores com base na remuneração dos investimentos das empresas voltados para a prestação dos serviços de distribuição e para a cobertura de despesas. 

A concessionária EDP Brasil atende 1,9 milhão de consumidores em 28 municípios do estado de São Paulo, especialmente nas regiões do Alto do Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte. 

Para os consumidores residenciais, a queda será de 6,45%. Já para as indústrias e grandes comércios a redução será de 3,53%.

Edição: Aline Leal
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Veja Também  É estudante? Saiba como conseguir até 15% de desconto na passagem aérea
Continue lendo

Economia

Dólar tem maior queda em quase dois meses e bolsa bate recorde

Publicado

No dia em que o Senado vota a reforma da Previdência em segundo turno, o dólar teve a maior queda em quase dois meses, e a bolsa de valores voltou a bater recorde. O dólar comercial fechou esta terça-feira (22) vendido a R$ 4,076. Esse foi o maior recuo para um dia desde 4 de setembro, quando a divisa tinha caído 1,79%.

No mercado de ações, o dia foi de euforia. Depois de bater recorde ontem (21), o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia aos 107.381 pontos, com alta de 1,28%.

A bolsa operou em alta; e o dólar, em queda, durante toda a sessão. No entanto, depois da aprovação da reforma da Previdência em segundo turno na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, no fim da manhã, os investidores aumentaram o otimismo.

No momento, o texto principal da reforma da Previdência está sendo discutido no Plenário do Senado. A Casa votará quatro destaques após a apreciação do texto base.

No cenário externo, a sessão foi marcada pelo alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China. O vice-ministro das Relações Exteriores do país asiático disse hoje que as negociações com o governo do presidente Donald Trump estão avançando.

Veja Também  FGV: prévia aponta recuo na confiança da indústria em outubro

*Com informações da NHK, emissora pública de televisão do Japão

Edição: Denise Griesinger
Fonte: EBC
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana