conecte-se conosco


Política Nacional

Bolsonaro diz que André Mendonça está na lista para o STF

Publicado

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (11) que o advogado-geral da União, André Luiz Mendonça, está entre os “bons nomes” que ele considera para indicar ao Supremo Tribunal Federal (STF). Após dizer que indicará um ministro evangélico para a corte, o nome de Mendonça passou a ser ventilado na imprensa. O presidente, no entanto, negou essas especulações.

“Primeiro, da minha boca não saiu isso. Eu sei que ele é terrivelmente evangélico. Temos muito bons nomes para o STF, e o André Luiz é um nome que, com toda certeza, está entre uma lista aí com muito apoio por parte do presidente”, afirmou em entrevista a jornalistas após participar da posse do novo diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o delegado da Polícia Federal Alexandre Ramagem Rodrigues.

No mês passado, ao criticar a decisão do STF de criminalizar a homofobia como forma de racismo, Bolsonaro já havia sugerido a indicação de um evangélico para a Corte. Até 2022, o presidente da República poderá indicar nomes para pelo menos duas vagas, que serão aberta com a aposentadoria compulsória dos ministros Marco Aurélio e Celso de Mello. Além de evangélico, Bolsonaro disse que o indicado será tecnicamente qualificado para o posto.

Veja Também  Toffoli pede que Moro e PF informem se há investigação contra Glenn Greenwald

“Com toda certeza, esse terrivelmente evangélico vai ser também um profundo conhecedor da legislação e um jurista renomado”, acrescentou.

Edição: Bruna Saniele
Fonte: EBC Política
Comentários Facebook

Política Nacional

MPF denuncia 12 pessoas por corrupção em operações com recursos do Postalis

Publicado

Edifício Postalis arrow-options
Jorge William / Agência O Globo
MPF denuncia 12 pessoas por corrupção em operações com recursos do Postalis, fundo de pensão dos funcionários dos Correios

Procuradores da força-tarefa Greenfield denunciaram 12 pessoas por corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro envolvendo o Postalis, fundo de pensão
dos funcionários Correios . As investigações apontaram que houve pagamento de propina durante o processo de aquisição de títulos imobiliários oferecidos pela empresa JHSF
Participações SA e pelo Banco Cruzeiro do Sul.

Leia também: ‘Decisão é uma defesa do cidadão’, diz Toffoli sobre suspensão de processos

Segundo o Ministério Público, foram pagos cerca de R$ 2,7 milhões a Alexej Predtechensky (ex-presidente do Postalis ), Ricardo Oliveira (ex-diretor financeiro), Adilson Florêncio
da Costa (ex-diretor executivo) e Nelson Luiz de Oliveira (ex-diretor dos Correios). O valor atualizado ultrapassaria os R$ 4 milhões.

Os valores recebidos indevidamente eram lavados por meio de simulação de importações de empresas de fachada, serviços de consultoria prestados por escritório de advocacia e
doação a instituição religiosa.

Leia também: Alexandre Frota recebe convite de Doria para se filiar ao PSDB: “Muito feliz”

Veja Também  No Rio de Janeiro, Mourão fala da relação entre governo e Congresso

O MPF informou que a denúncia que envolve o Postalis aguarda o recebimento pela Justiça Federal. A força-tarefa pediu a condenação dos acusados e indenização no valor
correspondente a dez vezes o montante recebido a título de propina.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Aprovação de gratificação pode aumentar salários de secretários em até R$ 20 mil

Publicado

Votação para derrubar veto de jetons que aumentam salários dos secretários terminou nesta quinta arrow-options
ALMG/Reprodução/YouTube
Votação para derrubar veto de jetons que aumentam salários dos secretários terminou nesta quinta

Uma votação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais derrubou veto que proibia o repasse de jetons (equivalentes a “horas extras” por sessões extraordinárias) para secretários estaduais. 

Com 33 votos a favor, 14 contra e um em branco, a votação foi encerrada com a permissão de que os salários dos secretários, que hoje são de R$ 10 mil, sofram aumento e cheguem a R$ 35,4 mil a depender da participação deles em sessões extraordinárias.

Leia também: Orçamento de 2019 é aprovado pelo Congresso com salário mínimo de R$ 1.006

“Eu entendo que realmente um secretário de estado não pode ter um salário irrisório de R$ 10 mil bruto”, afirmou em plenário o deputado Sargento Rodrigues, do PTB . O reconhecimento de R$ 10 mil como um salário baixo, porém, não foi unanimidade dos que votaram a favor da derrubada do veto. “Eu acho que o jeton como dispositivo para aumentar salário, complementar salário de um secretário é um equívoco. Mas também concordo que o salário pago ao secretariado é um salário baixo pelos desafios que têm”, afirmou Cristiano Silveira ( PT ).

O veto do repasse dos jetons foi feito pelo governador Romeu Zema ( Novo ) junto com outros oito dispositivos da reforma administrativa proposta em Minas. Dois dos vetos foram derrubados.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Veja Também  Projeto inclui conscientização sobre doação de órgãos na grade curricular
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana