conecte-se conosco


Mato Grosso

Aldeias indígenas de Campo Novo do Parecis são contempladas com cobertores

Publicado

A primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, junto com a secretária de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setacs), Rosamaria de Carvalho, realizaram, nesta quarta-feira (10.07), a entrega de cobertores ao município de Campo Novo do Parecis, beneficiando pessoas em situação de vulnerabilidade da cidade e de aldeias indígenas da região.

Recebidas pelo prefeito de Campo Novo, Rafael Machado e pela primeira-dama Nelva Casagrande, popularmente conhecida como Preta, a primeira-dama e a secretária da Setacs se deslocaram até a aldeia Wazare para a entrega de cobertores, que irão contemplar indígenas em situação de vulnerabilidade nas 63 aldeias locais de etnia Paresi. 

Foram destinados 280 para a cidade de Campo Novo e outros 300 para atendimento nas aldeias.

“Agradecemos ao governador Mauro Mendes, em nome da atuante primeira-dama Virginia Mendes pela sensibilidade com que tem trabalhado nas ações e projetos sociais. Sabemos que a entrega de cobertores é mais uma das ações lideradas por ela em apoio ao desenvolvimento social dos municípios”, afirmou o prefeito Rafael Machado, que fez questão de acompanhar a comitiva do governo nas agendas na aldeia.

Veja Também  Escola realiza campanha de conscientização com pais e alunos

Para o cacique Rony Paresi a presença do governo na região tem sido constante, tanto no apoio das produções agrícolas indígenas, como no fomento do turismo local e agora na entrega de cobertores por meio da campanha Aconchego.

“É muito gratificante sentir o carinho da primeira-dama Virginia Mendes com nosso povo e sentir nessa gestão do governador Mauro Mendes que somos bem tratados, com abertura e diálogo para atendimento das nossas demandas”, destacou o Cacique.

Na oportunidade, Virginia Mendes agradeceu a todos os envolvidos na campanha, desde o processo de produção, organização e distribuição, até aos gestores e lideranças locais que fazem com que os cobertores cheguem àqueles que realmente necessitam. 

“Foi uma verdadeira força-tarefa, com o apoio de todos, para que conseguíssemos de forma ágil e eficiente desenvolver a campanha aconchego para proteger os mais carentes do frio. Muito obrigada a todos que nos ajudaram e continuam nos ajudando. Escolhemos iniciar a entrega dos cobertores no interior do Estado por Campo Novo do Parecis por toda admiração e respeito que temos pelos povos indígenas”, afirmou a primeira-dama, enaltecendo também as belezas turísticas locais.

Veja Também  Sema e Comitês de Bacias Hidrográficas participam de encontro nacional

“Mato Grosso é riquíssimo em belezas naturais e que muitas vezes deixamos de conhecer por desconhecimento. Precisamos divulgar melhor nossas belezas, existentes nos quatro cantos do nosso Estado”, ressaltou Virginia. 

Programa Aconchego

O Programa Aconchego foi lançado oficialmente, na última terça-feira (09.07), no Palácio Paiaguás com a presença de representantes da maioria dos municípios. 

Para a realização da ação em 2019 foram adquiridos 100 mil cobertores pela Setacs, que serão distribuídos para pessoas em situação de extrema pobreza e vulnerabilidade social de todo o Estado. “Os municípios devem entrar em contato com a Setasc para organizar a retirada dos cobertores”, explicou a secretária Rosamaria.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Sema apreende 39 redes utilizadas em pesca predatória

Publicado

Durante a primeira quinzena do período de defeso da piracema, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) retirou 39 redes de circulação. Também foram aprendidos tarrafas, espinhéis, anzóis de galho, boias e cevas ficas. No total, as equipes recolheram 339 apetrechos de pesca predatória.

A rede é considerada um dos instrumentos de pesca mais nocivos aos estoques pesqueiros. Conforme relata o coordenador de Fiscalização de Fauna, Jean Holz, em umas das apreensões feitas em outubro contatou-se que o uso do artefato possibilitou a retirada de 20 pintados grandes em apenas três horas, sendo que utilizando outras técnicas de pesca a retirada da mesma quantidade de pescado levaria semanas.

“Ao retirarmos esses artefatos de circulação, atuamos em uma nova lógica que é de evitar que o peixe seja retirado dos rios. Dessa forma, conseguimos cumprir com o nosso principal objetivo que é garantir a reprodução dos peixes durante a piracema garantindo os estoques para a atual e futuras gerações”, complementa Holz.

Piracema

O período de defeso da piracema no Estado de Mato Grosso iniciou no dia 1º de outubro e segue até dia 31 de janeiro de 2020. A proibição à pesca, tanto amadora como profissional, abrange os rios das Bacias Hidrográficas do Paraguai, Amazonas e Araguaia-Tocantins.

Veja Também  Governo amplia número de salas de aula na escola estadual Bromildo Lawisch

Neste período é permitida apena a pesca de subsistência, desembarcada, que é aquela praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais para garantir a alimentação familiar, sem fins comerciais.

Para os ribeirinhos é permitida a cota diária de três quilos e um exemplar de qualquer peso por pescador, respeitando os tamanhos mínimos de captura, estabelecidos pela legislação para cada espécie. O transporte e comercialização proveniente da pesca de subsistência também fica proibido.

Nos rios de divisa, em que uma margem fica em Mato Grosso e outra margem em outro estado, a proibição à pesca segue o período estabelecido pela União, que se inicia em novembro e termina em fevereiro de 2020. A pesca nos trechos de divisa está liberada, porém opeixe pescado na região não podem ser transportados nem comercializados dentro do território mato-grossense.

Em Mato Grosso, 17 rios se encaixam nessa característica de rio de divisa. Entre os mais conhecidos estão o rio Piquiri, na bacia do Paraguai, que uma margem está em Mato Grosso e outra em Mato Grosso do Sul, o rio Araguaia, na bacia Araguaia-Tocantins, que faz divisa com Goiás e, na bacia Amazônica, o trecho do rio Teles Pires que faz divisa com o Pará.

Veja Também  Aberta visitação aos lotes do 5º leilão do Detran-MT

Denúncias

O cidadão pode denunciar a pesca depredatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838 ou via WhatsApp no (65) 99281-4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Campanha para confecção de perucas para mulheres com câncer continua

Publicado

Nesta terça-feira (22), durante o dia todo, as mulheres, policiais e civis, poderão cortar o cabelo para contribuir para a confecção de perucas que atenderão outras mulheres que passam por tratamento de câncer.

No período da manhã, o salão Velvet Hair Lounge, parceiro da PM nessa campanha, atenderá aquelas que já agendaram horário. Todavia, no período da tarde há vagas para cortes, ou seja, ainda dá tempo de participar dessa ação de solidariedade.

Os telefones para informações e agendamento são: (65) 3613-8880 e (65) 98459-2163. Quem não tiver como ir até esse salão, poderá fazer o corte em outros locais e levar o cabelo para a Coordenadoria de Comunicação e Marketing Institucional da Polícia Militar, na sede do Comando Geral, localziado Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 6.135, bairro Novo Paraiso, em Cuiabá, até o dia 30 deste mês.

Além de cabelo, a campanha estimula a doação de acessórios como lenços, boinas, chapéu, bonés, turbantes, laços, fitas, entre outros.

A coordenadora adjunta de Comunicação Social e Marketing Institucional da PM (CCSMI), capitã Raíssa Helena Farinha Amorim, explica que a ação é resultado de uma parceria entre a PM e o projeto Força na Peruca, da Casa da Amizade do Rotary Clube de Lucas do Rio Verde, responsável pela confecção das perucas.

Veja Também  GAP prende homens desmontando motocicleta furtada em Várzea Grande

Cabelos a partir de 15 centímetros, com ou sem química, podem ser doados ao pelotão da solidariedade da PM. No final deste mês, os cabelos coletados serão enviados ao projeto Força na Peruca, em Lucas do Rio Verde, onde voluntárias confeccionarão os acessórios.

Depois de prontas, as perucas serão trazidas para Cuiabá e entregues pela PM ao Hospital de Câncer, principal unidade de atendimento de mulheres em tratamento quimioterápico. 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana