conecte-se conosco


Várzea Grande

Prefeitura realiza capacitação para profissionais da saúde sobre programa de alimentação e nutrição

Publicado

A Prefeitura Municipal de Várzea Grande capacitou e treinou servidores da Superintendência da Atenção Básica sobre os programas inseridos no Sistema da Área Técnica de Alimentação em Nutrição. Mais de 13 servidores entre gerentes e responsáveis técnicos estiveram presentes no evento, que foi idealizado pelo Escritório Regional de Saúde da Baixada Cuiabana em parceria com o município de Várzea Grande. O evento ocorreu no auditório do Hospital e Pronto Socorro de Várzea Grande.

As atividades buscam reestruturar e integrar as informações a fim de qualificar a assistência da Atenção Básica em relação aos programas inseridos no Sistema Único de Saúde (SUS) executado pelo município em parceria com o Estado e o Governo Federal. 

Um dos principais programas abordados no evento foi o Programa Bolsa Família, que contribui para o combate à pobreza e a desigualdade da população. Ele foi criado em 2003 e possui três eixos principais: Complemento de renda, acesso à direitos e articulação em outras ações. Esse é um dos programas mais procurados e que possui maior número de cadastrados, o que aumenta também a dificuldade na execução em caráter de funcionalidade. 

Veja Também  Várzea Grande já empossou 80% dos aprovados no último concurso

Os programas Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), Sistema de Informação sobre Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN), Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A, Programa Nacional de Suplementação de Ferro (PNSF) e Crescer Saudável consistem em ações que são articuladas na Rede de Atenção à Saúde do SUS a fim de garantir a promoção de práticas alimentares adequadas e saudáveis, informações contínuas sobre as condições nutricionais da população e os fatores que as influenciam.   

O Programa Mulher Trabalhadora que Amamenta e o Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil consiste em fortalecer as ações de promoção, proteção e apoio ao alimento materno e a alimentação complementar saudável. Esses programas foram discutidos e abordados passo a passo, desde, como ser inseridos, condições para aderir e processo de execução e finalização de trabalhos. O Programa Saúde nas Escolas (PSE) também integra o foco das ações, é um trabalho que vem se destacando e ganhando parcerias via gestão municipal. 

A Superintendente da Atenção Básica, Celina Bernardes explica que a Segurança Alimentar e Nutricional, enquanto estratégia ou conjunto de ações deve ser intersetorial e participativa, por isso a importância da capacitação para que os servidores estejam aptos a realizar todas as exigências contidas nos projetos a fim de manter a execução do beneficio para a população de Várzea Grande.

Veja Também  Prefeita Lucimar Campos prestigia inauguração do novo sino da Igreja Nossa Senhora do Carmo

“Estamos realizando essa capacitação como primeira fase, durante a manhã os servidores tiveram acesso ao cadastro dos programas de forma teórica, no período vespertino avançamos para a prática. No prazo de 60 dias essa capacitação volta a ser realizada trazendo uma proposta diferenciada para os servidores na questão da importância de desenvolver esses programas para a população a fim promover uma saúde de qualidade e preventiva”, explica a gestora.     

A capacitação faz parte das ações do Programa de Financiamento das Ações de Alimentação e Nutrição (FAN) estabelece incentivo de custeio para estruturação e ação de alimentação e nutrição pelas secretarias Estaduais e Municipais de Saúde com base na Política Nacional de Alimentação e Nutrição. 

Por: Letícia Kathucia – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook

Várzea Grande

Seminário debate políticas públicas de inclusão na Educação Infantil

Publicado

O secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis, que também é presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME/MT), participou na manhã de quinta-feira, 18, da abertura do 3º Seminário da Educação Infantil, promovido em parceria pela Secretaria de estado Educação – Seduc e prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande.

O seminário que ocorre nos dias 18 e 19 de julho no auditório do Hotel Fazenda Mato Grosso em Cuiabá, tem como foco os desafios da Educação Inclusiva no Brasil contemporâneo a partir da Educação Infantil, sob um novo olhar pedagógico nas políticas públicas da gestão municipal. A cerimônia de abertura do evento contou com as presenças da professora Gemiana Santos, da Secretária Estadual de Educação, do Promotor de Justiça, Miguel Slhessarenko Júnior, da Defensora Pública, Cleide Regina Ribeiro, da Presidente do Conselho Estadual de Educação, Adriana Tomasoni, da professora Jaqueline Pasuch, do Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil, além de representantes da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM, União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação – UNCME e do palestrante Rodrigo Hübner Mendes.

Em sua fala, o secretário Silvio Fidelis destacou a importância do evento, que em sua terceira edição reúne profissionais da educação, professores, pedagogos e especialistas, reforçando que o debate sobre a educação inclusiva é o alicerce para o fortalecimento das políticas públicas implementadas pela gestão municipal a fim de garantir os processos pedagógicos de aprendizagem plena. “O Seminário é uma oportunidade do envolvimento de todos os profissionais que atuam na educação para promovermos a inclusão, fazendo a diferença na construção dos processos pedagógicos do acolher,  do brincar e estudar, tão importantes para nossos alunos”, declarou.  

Veja Também  Servidores de Várzea Grande serão capacitados no curso básico de proteção de defesa civil

O 3º Seminário da Educação Infantil tem como eixos palestras e oficinas que serão conduzidas pelos profissionais de educação e especialistas, abordando todos os aspectos dos desafios da educação inclusiva, as influências da prática pedagógica sob as vivências pessoais da infância, a educação inclusiva e as tecnologias educativas, o olhar pedagógico na infância e suas experiências na arte, entre outros.

O impacto da Base Nacional Comum Curricular – BNCC – no planejamento do professor será tema de palestra a ser proferida na sexta-feira, dia 19, pela professora Karina Rizeck, de São Paulo.

Para o secretário Silvio Fidelis, a educação inclusiva também tem que ter um olhar diferenciado para crianças vítimas de violência dentro e fora do ambiente escolar. Essa temática será abordada em palestra pelos representantes da Defensoria Pública e pelo Ministério Público de Mato Grosso, Cleide Regina Ribeiro e Douglas Strachicini, na sexta-feira (19).

Ainda no dia 19, o Seminário vai debater sobre as Competências Básicas e as Avaliações na Educação Infantil com observações e intervenções pedagógicas, com a professora especialista Regina Emiko Shudo e oficina de Tecnologia de Educação Infantil, com Thalles Monteiro.

Veja Também  Prefeita Lucimar Campos prestigia inauguração do novo sino da Igreja Nossa Senhora do Carmo

Por: Fred Nogueira – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook
Continue lendo

Várzea Grande

UNIDOS CONTRA A VIOLÊNCIA

Publicado

Para reforçar todas as políticas de combate a violência contra a mulher e sua família, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso com a parceira da Prefeitura de Várzea Grande, do Governo do Estado, da Prefeitura de Cuiabá, Defensoria Pública, Ministério Público entre outros parceiras comemoram os 13 anos de vigência da Lei Maria da Penha.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, a desembargadora Maria Erotides Kneip, a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, o Defensor Público Geral, Clodoaldo Aparecido Gonçalves de Queiroz e os representantes de outras entidades estiveram reunidos traçando as estratégias para o evento que contará com a participação de juristas, operadores do Direito e Maria da Penha Maia Fernandes, farmacêutica brasileira, que lutou para que seu agressor viesse a ser condenado. Maria da Penha tem três filhas e hoje é líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres, vítima emblemática da violência doméstica.

Em 7 de agosto de 2006, foi sancionada a lei que leva seu nome: a Lei Maria da Penha, importante ferramenta legislativa no combate à violência doméstica e familiar contra mulheres no Brasil.

Veja Também  Projeto ‘Alegria na Praça’ levou lazer e entretenimento neste último domingo ao bairro Jardim Eldorado

Em 1983, seu marido, o professor colombiano, Marco Antonio Heredia Viveros, tentou matá-la duas vezes. Na primeira vez atirou simulando um assalto, na segunda tentou eletrocutá-la enquanto ela tomava banho. Por conta das agressões sofridas, Penha ficou paraplégica. Dezenove anos depois, seu agressor foi condenado somente no mês de outubro de 2002, quando faltavam apenas seis meses para a prescrição do crime. Heredia foi preso e cumpriu apenas dois anos (um terço) da pena a que fora condenado. Foi solto em 2004, estando hoje livre.

O episódio chegou à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) e foi considerado, pela primeira vez na história, um crime de violência doméstica. Hoje, Penha é coordenadora de estudos da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (APAVV), no Ceará.

A lei reconhece a gravidade dos casos de violência doméstica e retira dos juizados especiais criminais (que julgam crimes de menor potencial ofensivo) a competência para julgá-los. Em artigo publicado em 2003, a advogada Carmem Campos apontava os vários déficits desta prática jurídica, que, na maioria dos casos, gerava arquivamento massivo dos processos, insatisfação das vítimas e banalização da violência doméstica.

Veja Também  Várzea Grande já empossou 80% dos aprovados no último concurso

Em setembro de 2016, foi cogitada a indicação de Maria da Penha para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz..

A prefeita Lucimar Sacre de Campos, lembrou que é de autoria do esposo, o senador Jayme Campos, a lei que cria o Fundo Nacional de Amparo as Mulheres Agredidas – FNAMA, que aguarda votação na Câmara dos Deputados, é assegurada uma ajuda de um salário mínimo e a profissionalização para as mulheres vítimas de violência não se tornarem refém dos maridos que na grande maioria detém o poder financeiro do sustento da família.

O evento está pré-agendado para 09 de agosto e deverá acontecer no Anfiteatro da Assembleia Legislativa com a participação de diversas autoridades.

Por: Da Redação – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana