conecte-se conosco


Várzea Grande

Ação de limpeza urbana já atendeu 100 bairros neste primeiro semestre

Publicado

A secretaria de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana de Várzea Grande, apresenta relatório de atividades e serviços realizados neste primeiro semestre de 2019, de limpeza urbana e iluminação pública.

Segundo o relatório a limpeza pública, considerado um dos setores que mais utiliza mão de obra, conseguiu manter a meta programada no planejamento estratégico da pasta para os primeiros seis meses do ano em atender 100 bairros com a execução dos serviços.

Nem mesmo finalizou o semestre já atingimos a meta fechada de atender 100 comunidades com os serviços de limpeza urbana, que compreende capinagem, roçagem, retirada de entulhos, varrição e poda de árvores, limpeza de meios fios,  sem atrapalhar o cronograma de rotina de trabalho definido para cada região da cidade.

“Conseguimos manter a meta, agora vamos focar na segunda etapa que prevê a realização dos serviços em mais 100 bairros do município”, informou o secretário de Serviços Públicos, Breno Gomes, lembrando que além dos bairros a região central e as avenidas estão inseridas em todas as etapas de trabalho, consideradas prioritárias para a pasta.

Para o gestor uma das maiores questões que aflige o setor de limpeza pública é com relação aos bolsões de lixo, que geralmente causam transtornos as comunidades, e que exige do poder público um trabalho redobrado.

Veja Também  Projeto ‘Alegria na Praça’ levou lazer e entretenimento neste último domingo ao bairro Jardim Eldorado

“Em seis meses foram recolhidos em vários bairros de Várzea Grande, dentre eles a região do Cristo Rei, Chapéu do Sol e São Mateus, mais de 135 mil toneladas de entulhos, sendo que a secretaria teve de realizar o trabalho mais de uma vez em cada bairro. Não se faz limpeza pública sem a efetiva participação de todos os moradores, no cumprimento de suas obrigações. É comum pessoas fazerem reformas em suas casas e amontoarem restos de material de construções em locais não apropriados, sendo inviável a coleta desses resíduos pelo caminhão de lixo. O proprietário que fizer obra deve contratar serviço particular de retirada de restos de construção, porém muitos não fazem, ai vai se formando bolsões de lixo, sendo a prática criminosa de despejo de entulhos em áreas verdes, ou até mesmo em terrenos baldios. A solução para este problema exige um esforço conjunto entre a população na conscientização e a Prefeitura Municipal na sua responsabilidade em manter a cidade limpa, promovendo assim bem estar a todos e mais qualidade de vida”, comentou Breno Gomes.

No setor de iluminação pública, as equipes da Secretaria de Serviços Públicos e Mobilidade Urbana atenderam neste período 66 bairros e em várias regiões da cidade, onde foram implantados mais 30 postes de energia, colocação de 100 braços de postes, 3 mil trocas de lâmpadas, além da implantação 1000 metros de cabos de energia.

Veja Também  Prefeita Lucimar Campos prestigia inauguração do novo sino da Igreja Nossa Senhora do Carmo

O setor de Mobilidade Urbana também avançou neste semestre, com a colocação de placas e sinalização viária. Segundo o relatório 18 cruzamentos dentro da região urbana da cidade receberam novas sinalizações, além da manutenção de 21 cruzamentos localizados em vias públicas de bairros como Ipase e região central; 42 placas de sinalizações foram restauradas e 36 placas novas implantadas. Quanto à sinalização horizontal em vias públicas foram executados mais 800 metros em várias comunidades.  

“Estamos mantendo o nosso compromisso em dar a cidade de Várzea Grande um novo visual e acima de tudo, segurança com os serviços de iluminação pública e sinalização do trânsito. Já avançamos com a prestação de serviços neste primeiro semestre do ano e muito ainda temos para executar dentro do Plano de Trabalho Anual. O planejamento das atividades a serem executadas neste segundo semestre já foi definido e já estamos em campo no cumprimento de nossas metas estabelecidas e entregar a população serviços de qualidade.”, assegurou o secretário Breno Gomes.

Por: Kátia Passos – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook

Várzea Grande

Seminário debate políticas públicas de inclusão na Educação Infantil

Publicado

O secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis, que também é presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME/MT), participou na manhã de quinta-feira, 18, da abertura do 3º Seminário da Educação Infantil, promovido em parceria pela Secretaria de estado Educação – Seduc e prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande.

O seminário que ocorre nos dias 18 e 19 de julho no auditório do Hotel Fazenda Mato Grosso em Cuiabá, tem como foco os desafios da Educação Inclusiva no Brasil contemporâneo a partir da Educação Infantil, sob um novo olhar pedagógico nas políticas públicas da gestão municipal. A cerimônia de abertura do evento contou com as presenças da professora Gemiana Santos, da Secretária Estadual de Educação, do Promotor de Justiça, Miguel Slhessarenko Júnior, da Defensora Pública, Cleide Regina Ribeiro, da Presidente do Conselho Estadual de Educação, Adriana Tomasoni, da professora Jaqueline Pasuch, do Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil, além de representantes da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM, União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação – UNCME e do palestrante Rodrigo Hübner Mendes.

Em sua fala, o secretário Silvio Fidelis destacou a importância do evento, que em sua terceira edição reúne profissionais da educação, professores, pedagogos e especialistas, reforçando que o debate sobre a educação inclusiva é o alicerce para o fortalecimento das políticas públicas implementadas pela gestão municipal a fim de garantir os processos pedagógicos de aprendizagem plena. “O Seminário é uma oportunidade do envolvimento de todos os profissionais que atuam na educação para promovermos a inclusão, fazendo a diferença na construção dos processos pedagógicos do acolher,  do brincar e estudar, tão importantes para nossos alunos”, declarou.  

Veja Também  Prefeita Lucimar Campos prestigia inauguração do novo sino da Igreja Nossa Senhora do Carmo

O 3º Seminário da Educação Infantil tem como eixos palestras e oficinas que serão conduzidas pelos profissionais de educação e especialistas, abordando todos os aspectos dos desafios da educação inclusiva, as influências da prática pedagógica sob as vivências pessoais da infância, a educação inclusiva e as tecnologias educativas, o olhar pedagógico na infância e suas experiências na arte, entre outros.

O impacto da Base Nacional Comum Curricular – BNCC – no planejamento do professor será tema de palestra a ser proferida na sexta-feira, dia 19, pela professora Karina Rizeck, de São Paulo.

Para o secretário Silvio Fidelis, a educação inclusiva também tem que ter um olhar diferenciado para crianças vítimas de violência dentro e fora do ambiente escolar. Essa temática será abordada em palestra pelos representantes da Defensoria Pública e pelo Ministério Público de Mato Grosso, Cleide Regina Ribeiro e Douglas Strachicini, na sexta-feira (19).

Ainda no dia 19, o Seminário vai debater sobre as Competências Básicas e as Avaliações na Educação Infantil com observações e intervenções pedagógicas, com a professora especialista Regina Emiko Shudo e oficina de Tecnologia de Educação Infantil, com Thalles Monteiro.

Veja Também  Seminário debate políticas públicas de inclusão na Educação Infantil

Por: Fred Nogueira – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook
Continue lendo

Várzea Grande

UNIDOS CONTRA A VIOLÊNCIA

Publicado

Para reforçar todas as políticas de combate a violência contra a mulher e sua família, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso com a parceira da Prefeitura de Várzea Grande, do Governo do Estado, da Prefeitura de Cuiabá, Defensoria Pública, Ministério Público entre outros parceiras comemoram os 13 anos de vigência da Lei Maria da Penha.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, a desembargadora Maria Erotides Kneip, a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, o Defensor Público Geral, Clodoaldo Aparecido Gonçalves de Queiroz e os representantes de outras entidades estiveram reunidos traçando as estratégias para o evento que contará com a participação de juristas, operadores do Direito e Maria da Penha Maia Fernandes, farmacêutica brasileira, que lutou para que seu agressor viesse a ser condenado. Maria da Penha tem três filhas e hoje é líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres, vítima emblemática da violência doméstica.

Em 7 de agosto de 2006, foi sancionada a lei que leva seu nome: a Lei Maria da Penha, importante ferramenta legislativa no combate à violência doméstica e familiar contra mulheres no Brasil.

Veja Também  UNIDOS CONTRA A VIOLÊNCIA

Em 1983, seu marido, o professor colombiano, Marco Antonio Heredia Viveros, tentou matá-la duas vezes. Na primeira vez atirou simulando um assalto, na segunda tentou eletrocutá-la enquanto ela tomava banho. Por conta das agressões sofridas, Penha ficou paraplégica. Dezenove anos depois, seu agressor foi condenado somente no mês de outubro de 2002, quando faltavam apenas seis meses para a prescrição do crime. Heredia foi preso e cumpriu apenas dois anos (um terço) da pena a que fora condenado. Foi solto em 2004, estando hoje livre.

O episódio chegou à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) e foi considerado, pela primeira vez na história, um crime de violência doméstica. Hoje, Penha é coordenadora de estudos da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (APAVV), no Ceará.

A lei reconhece a gravidade dos casos de violência doméstica e retira dos juizados especiais criminais (que julgam crimes de menor potencial ofensivo) a competência para julgá-los. Em artigo publicado em 2003, a advogada Carmem Campos apontava os vários déficits desta prática jurídica, que, na maioria dos casos, gerava arquivamento massivo dos processos, insatisfação das vítimas e banalização da violência doméstica.

Veja Também  Prefeita Lucimar Campos prestigia inauguração do novo sino da Igreja Nossa Senhora do Carmo

Em setembro de 2016, foi cogitada a indicação de Maria da Penha para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz..

A prefeita Lucimar Sacre de Campos, lembrou que é de autoria do esposo, o senador Jayme Campos, a lei que cria o Fundo Nacional de Amparo as Mulheres Agredidas – FNAMA, que aguarda votação na Câmara dos Deputados, é assegurada uma ajuda de um salário mínimo e a profissionalização para as mulheres vítimas de violência não se tornarem refém dos maridos que na grande maioria detém o poder financeiro do sustento da família.

O evento está pré-agendado para 09 de agosto e deverá acontecer no Anfiteatro da Assembleia Legislativa com a participação de diversas autoridades.

Por: Da Redação – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Comentários Facebook
Continue lendo

Destaques

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana